Tag Archives: Pokémon

Fanfiqueiro de Pokémon denuncia outro fanfiqueiro de Pokémon por uso indevido de direitos autorais

13 out

Eu era uma pessoa inocente até ser enganada pela verdadeira intenção da Princesa Esmeralda ao levar as três meninas para outro planeta em Guerreiras Mágicas de Rayearth, desde então, me tornei uma pessoa incrédula, amarga e combativa. Mas como não foi todo mundo que teve suas expectativas pisadas por uma reviravolta de roteiro, algumas pessoas seguem inocentes até hoje. E uma delas, por exemplo, é o criador da fanfic Ash vs Red, aquele lá que escreveu uma história sobre Pokémon se passando num futuro distópico e vem mantendo uma página de Facebook apenas na base de memes e promessas.

Enfim, mas surpreendentemente o post de hoje não é para falar mal da pessoa que acredita que a Nintendo vai licenciar sua história ~madura~ justamente quando o anime decidiu tomar um rumo mais infantil. Dessa vez, o autor da fanfic fez UMA DENÚNCIA POLÊMICA que vale a pena ser divulgada neste blog. IKIMASU ver o que ele postou há pouco em sua rede social (que algumas palavras aparecem juntinhas porque meu chrome tá cagadíssimo):

fanfic-game-02

Deixa eu ver se a otaka aqui entendeu!

Um Youtuber ~conhecido~ que faz vídeos genéricos falando sobre vezes que ele ficou bêbado com edição rapidinha e piadas homofóbicas escreveu uma fanfic de Pokémon Go e O LIVRO SERÁ LANÇADO. Não que seja a primeira vez que uma fanfic de Pokémon seja publicada no Burajiru, mas isso revoltou muito o nosso embaixador das fanfics brasileiras de Pokémon.

E com toda razão, afinal ele está tentando conseguir os direitos da Pokémon Company de forma legal, sendo criticado por milhões de haters (50% composta por mim e pelos leitores do Mais de Oito Mil) e aparece um youtuber boçalzinho E LANÇA UM LIVRO DE POKÉMON.

Para combater essa injustiça em forma de desrespeito às propriedades intelectuais, vou abrir esse espaço para que o autor de Ash vs Red fale sobre as novidades de seu projeto pokémon e de como ele vai conseguir o licenciamento com a Pokémon Company para lançar esse livro oficialmente por aqui. Afinal, não é lançando coisas não oficiais como esse livro de Youtuber que se conquista a Nintendo, né?

fanfic-game-01 fanfic-game-03

 nao-tem-como-defender-pokemon

Ash entra no EJA e fãs de Pokémon não levam isso muito bem

15 set

Durante quase vinte anos, o jovem garoto de 10 anos Ash Ketchum atravessou seis continentes à pé tentando ser um Mestre Pokémon sem qualquer sucesso. Tudo levava a crer que ele chegaria em Alola e repetiria os mesmos erros, mas não. O personagem teve um crescimento fenomenal e percebeu que ele não consegue o esperado mestrado porque nunca frequentou a escola. Sendo assim, ele deixou de lado o sonho de ser sustentado por uma minguadíssima bolsa da CAPES para enfrentar o dia a dia numa sala de aula… e os fãs já estão surtando com a decisão dele.

Alinhado com a nova proposta dos jogos Pokémon Sun & Moon, o anime de Pokémon decidiu mudar radicalmente o roteiro e colocar Ash Ketchum numa escola na nova temporada do anime que estreia logo mais na Grande Nação Japonesa. Para casar com a ideia, o character design decidiu rejuvenescer de vez o Ash pra fazer ele ficar com cara de 10 anos de idade mesmo e ter problemas capilares causados pela umidade de Alola:

alola-ash-08

A ideia é ótima? A ideia é uma bosta? Não temos como saber porque ninguém aqui tem uma bola de cristal, mas os fãs mediúnicos já foram às redes sociais criticarem o bagulho. Observe a opinião do site Pokémon Blast News:

alola-ash-01

alola-ash-05

alola-ash-02

alola-ash-03

Calmaê, cara. Ofender autista pra defender desenho japonês já é demais, né? Esse tipo de fã bitolado só faz mal para uma franquia. Para saber um outro lado que não seja o desse tal de #Hal do Pokémon Blast News, fui atrás de outro fã de Pokémon para saber o que achava dessa mudança. Como meu priminho de 8 anos está na escola e não respondeu minhas mensagens no WhatsApp, perguntei para Emanuel Hallef, o autor da fanfic distópica Ash vs Red o que ele achava disso. Sim, galera, ele me respondeu! IKIMASU ver o que ele achou das mudanças?

alola-ash-06

Finalmente algum comentário sensato, e não aqueles de talifãs que foram mostrados antes nessa matéria. Como não é todo dia que respondem a este humilde blog, perguntei se ele achava que teria dificuldades de emplacar sua história com a Nintendo, afinal agora ficou bem claro que o foco da série são as crianças. E ele respondeu:

alola-ash-07

Voltamos a qualquer momento com novidades dos fãs surtando, novas declarações ou até mesmo um PowerPoint ilustrando que a Pokémon Company é a responsável pelo triplex do Lula no Guarujá.

Guia 2016 das piores fanbases otakas do Brasil

12 set

O Mais de Oito Mil não tem uma matéria que atrai ódio gratuito dos leitores desde a problematização da objetificação feminina em Nanatsu no Taizai, e sinto muito falta de gente me mandando tomar no cu nos comentários. Tentando conseguir algumas mensagens de fúria, decidi inaugurar um post anual para incomodar o maior número possível de otacos, e assim nasceu o Guia das piores fanbases otakas do Burajiru! Basicamente é um guia listando as fanbases mais insuportáveis do ano vigente. IKIMASU ver quem tá bem e quem tá em queda esse ano?

#10 – Saudosistas de TV Globinho

tv-globinho-fanbase

Se você usa a rede social Facebook, em algum momento já deve ter dado de cara com um saudosista de TV Globinho. Os saudosistas são pessoas que normalmente estão presas nas memórias da década anterior. Como estamos nos anos de 2010, os nostalgistas dos anos 90 já perderam espaço para uma galera que lembra da TV Globinho como o principal estandarte do anime no Burajiru, mesmo sendo uma fase horrível em que a emissora passava apenas tranqueiras do Fox Kids, Dragon Ball Z cortado e um Digimon com ELA na abertura:

gif-angelica-digimon-2

Alguém avisa pros otacos saudosistas que essa época não era boa? Obrigada.

#09 – Evangelion

evangelion-fanbase

Estamos em 2016 e ainda temos gente pagando pau pra Evangelion. Eu perdoo por exemplo o Silvio Santos ser fã da série, mas ainda temos gente que se shippa com a Rei. [Decidi cortar uma parte do texto depois do comentário da leitora @miyamoris_ que achei bem pertinente]

#08 – Love Live

love-live-fanbase

Além de ser uma comédia que não tem graça e ter músicas que te farão preferir ter o ouvido perfurado por uma kunai, Love Live também é responsável por ter uma das mais insuportáveis fanbases do ano, mesmo sem muitas novidades envolvendo a série. Mas isso não importa, e sim que o público composto por homens que acham super de boa dormir com travesseiros enormes representando as personagens idealizadas desse projeto absurdo. [Vale a pena ler o comentário da leitora @miyamoris_ sobre um outro lado dessa fanbase que acabei não colocando aqui]

#07 – One Piece

one-piece-fanbase

Mantendo uma chatice que perdura por algumas décadas, os fãs de One Piece são aquelas pessoas que não aceitam críticas no mangá favorito deles. Você pode falar que o Oda faz uma poluição visual tão grande que leva 8 minutos para entender cada quadro, mas aí eles falarão que é um jogo de estimulação cerebral feito pelo Oda. E ai de você se falar que uma saga é chata, porque aí você vai ouvir textões dizendo que nada em One Piece é inútil e que tudo será conectado no final.

#06 – Yokai Watch

yokai-watch-fanbase

Uma nova fanbase está surgindo no Burajiru e já começa a irritar profundamente. Formada basicamente por pessoas que querem curtir um anime de monstrinhos colecionáveis, mas que são diferentões para curtir algo popular como Pokémon, a fanbase de Yokai Watch é quase uma religião com pessoas dedicadas a te converter à sua crença. Mesmo que isso envolva jogar games que não venderam muito e assistir a um anime que está escondido na programação de um canal da Disney.

#05 – Cavaleiros do Zodíaco

cavaleiros-fanbase

Preciso mesmo explicar?

#04 – Dragon Ball

dragon-ball-fanbase

Esta fanbase estava apagadinha nos últimos tempos até que acabou o dinheiro da reforma da casa de praia do Akira Toriyama e ele decidiu autorizar a produção da continuação oficial da saga com Dragon Ball Super. Agora temos uma fanbase insuportável que vibra a cada semana com o desenrolar rocambólico de um anime que almeja usar todas as cores da paleta de pantone para criar novas transformações e vender novos bonequinhos, mesmo que com a desculpa de um roteiro furado e sem qualquer carisma.

#03 – Jojo

jojo-fanbase

Jojo tem décadas de existência, vários jogos legais clássicos e tal, mas a fanbase brasileira de Jojo nasceu quando ouviu pela primeira vez o mantra SONOCHINOSADAMEEEE. Desde então, animação tosca é chamada de “estilosa”, roteiro cheio de furos é chamado de “empolgante” e qualquer palestra com editora não é reconhecida pela organização nacional dos otacos se não houver alguém delusional que pergunta as chances de vir esse mangá datadíssimo e longo para o Burajiru.

#02 – Panini

panini-fanbase

Muito acima dos apreciadores de papéis, dos defensores dos honoríficos e do fã-clube do Cassius Medauar (que é praticamente a Inês Brasil dos otacos no quesito memes), a fanbase da Panini é composta por pessoas insuportáveis e com uma visão relativa das coisas. A Panini lança com melhores preços? Sim. Ela tem uma qualidade superior? Também. Ela tem títulos que agradam mais pessoas? Sim. Para a fanbase, no entanto, isso já é o suficiente para idolatratem qualquer coisa publicada pela multinacional. Se inventarem de lançar Jojo naquele formato horrível de Super Onze, espelhado, com onomatopéias francesas escritas à mão pelo Bruno Zago e com o logotipo escrito em Comic Sans mesmo assim teremos gente defendendo a Panini como se fosse o time do coração.

#01 – Pokémon

pokemon-fanbase

Se tem uma fanbase que nos irritou profundamente nesse ano de 2016 foi a fanbase de Pokémon. Os fãs desse negócio já irritam normalmente em qualquer época por adorarem o competitivo dos jogos (que nada mais é que um monte de frescura que a Nintendo tira do cu para agradar pessoas que curtem ficar horas chocando ovos em busca do IV perfeito), porém agora em 2016 rolou o lançamento de Pokémon Go e a fanbase foi ressuscitada. Agora todo lugar que você olha tem pessoas querendo ser modernas postando que o grande sonho da vida delas é ser treinador Pokémon, mesmo que isso signifique capturar dezenas de vezes o mesmo bicho para evoluí-lo num jogo beta. E correndo por fora ainda tem as viúvas antigas que não aceitam gostar de algo infantil, e ficam torcendo para que a franquia tenha algo mais “seinen” (como, sei lá, uma fanfic com o Ash num futuro distópico e que com certeza será aprovada pela Nintendo).

Mais de Oito Mil vai fundo para analisar como é a paródia pornô de Pokémon Go

30 ago

Com certeza você já deve ter visto que Pokémon Go ganhou uma paródia pornô, provavelmente em algum site de entretenimento que por algum motivo misterioso começou a fazer matérias gerais sobre Pokémon do nada. No entanto, todas as matérias se resumem a “olhem essa capa, olha que tosco kkkkkk risos risos huehuebr“. Mas euzinha estou fora desse jornalismo preguiçoso! Posso até ter feito essa matéria até para conseguir cliques, mas farei de uma forma diferente! Fui atrás do mais dados sobre o filme!

Sim, porque menosprezar a paródia pornô de Pokémon Go é menosprezar toda uma indústria que fez filmes maravilhosos como a paródia pornô de Cavaleiros do Zodíaco e a trilogia erótica de Leila Lopes e Carlão Bazuca. Porque pode até ser caça-níquel, mas é caça-níquel com classe!

parodia-porno-pokemon-01

Reparem como esse Fuckémon Go consegue trazer os elementos tradicionais da franquia da Nintendo de uma forma menos agressiva aos direitos autorais que fanfics distópicas ou livros guias não oficiais. Isso porque, ao contrário de vender um produto que você não tem direitos na esperança de conseguir que a empresa te note como um senpai, a paródia é permitida por lei!

Fuckémon Go conta a história do jovem adolescente bombadinho Ash, interpretado pelo idol Johnny Rapid, que após fazer sua lição de casa recebe a visita de seu BFF Brock, interpretado pelo lindinho do Will Braun que mal conheci e já quero ver a filmografia. Contrariando qualquer dica de segurança das autoridades locais, eles pensam “que tal irmos lá no meio do mato pra capturar Pokémon?“.

parodia-porno-pokemon-02

Se isso fosse um filme pornô normal, na hora ouviríamos uma música lenta subindo e os dois botando as Arboks pra brigarem no meio do mato, mas NÃÃÃÃÃO! A paródia pornô resume muito bem o espírito dos jogadores de Pokémon Go, pois os dois realmente vão no meio do mato capturar Pokémon raros em vez de resolver seus problemas numa interação entre corpos. Inclusive eles encontram alguns fakemons de duplo sentido:

parodia-porno-pokemon-03

De repente, eles encontram o lendário Pokémon Peek-a-choo. Se fosse um filme tradicional de sexo, obviamente o monstrinho raro seria um loiro gostosão só de sunguinha

…isso mesmo, mas esse NÃO É UM FILME TRADICIONAL DE SEXO, porque o Pee-a-choo é mesmo uma pessoa usando um cosplay de vendedor de algodão doce na praia:

parodia-porno-pokemon-04

Assim que eles capturam o Peek-a-choo, eles muda para a sua Alola Form que aí sim é de um loiro gostoso com sunguinha interpretado por Adam Bryant. Por sorte ele foi introduzido no filme depois de uma explicação coerente ao universo da franquia, ao contrário de uma fanfic aí que botou o Ash como um ditador do mundo subterrâneo:

parodia-porno-pokemon-05

E aí começam as aventuras de Ash, Brock e Peek-a-choo no maravilhoso mundo de Pokémon. Confira essa imagem que selecionei para ilustrar o filme Fuckémon Go, obviamente tomando todo o cuidado para não chocar nenhum menor de idade que está neste blog:

parodia-porno-pokemon-06

Será que teremos também uma paródia pornô de Ash vs Red? Adoraria perguntar para o autor, pena que ele nunca responde minhas mensagens.

Fãs tentam autorização oficial para lançar fanfic distópica não-oficial de Pokémon

2 maio

Vivemos num mundo em que a picaretagem anda de mãos dadas com a boa intenção, desde a situação política do país até o mundinho dos otakus, e por isso devemos ficar atentos com tudo. Recebi uma mensagem da leitora Aline de Paula contando sobre uma história de que dois fãs de Pokémon teriam conseguido a permissão oficial da Pokémon Company para lançar um livro não-oficial sobre a série e senti aquele cheirinho de pauta maravilhosa do Mais de Oito Mil, aí decidi ir atrás para mais informações com todos os pés atrás, afinal a dona de Pokémon é mais chata que roteiro de slice of life genérico.

A tal discórdia começou quando o site Pokémon Center publicou uma notícia que deixou os fãs empolgadíssimos (se bem que qualquer Ditto 6 IVs tem o mesmo efeito nessa fanbase). IKIMASU conferir:

sonho-meu-pokemon-fanfic-01

sonho-meu-pokemon-fanfic-02

PERAÍ que tem muitas empresas respeitadas no mesmo balaio para gente começar a desconfiar das coisas. Supostamente a dona dos direitos de Pokémon autorizou dois fãs a lançarem um ebook não-oficial (mas se tem a autorização não seria oficial?) que visa não o lucro, mas que será vendido a 5 reais pela Saraiva. Se vender bem, sai em formato de papel.

Eu já ficaria bem desconfiada com essa coletânea de dados, já que a Pokémon Company nunca liberaria os direitos de sua franquia e tá pouco se fodendo para a divulgação da mesma no Burajiru. Mas, mesmo assim, fui no tal site oficial sugerido pela matéria e… vi que o site oficial era uma página no Facebook. Bem, acontece, né? O problema são as informações desencontradas:

sonho-meu-pokemon-fanfic-03

Ou seja, segundo o site oficial que é uma página no Facebook, o livro é pra chamar a atenção da empresa dona dos direitos de Pokémon que supostamente já sabe da publicação do livro (afinal, permitiu). Outra coisa que me deixou confusa foi a tal parceria com a Editora Saraiva, afinal eles colocaram o logotipo da editora em todas as imagens de divulgação. Será que a Sairava tá sabendo do rolê? Fui atrás e descobri isso:

sonho-meu-pokemon-fanfic-04

A Saraiva tem uma ferramenta chamada “publique-se” que permite a publicação de ebooks (ah vá!), e se o negócio vender bem a Saraiva pode se interessar em publicar em papel afinal ela não é boba, nem nada. Só que… assim… acho que a Saraiva criou essa ferramenta para a publicação de histórias originais, como seria o caso do romance “Professor Odilon’s Adventures” que estou escrevendo para um futuro lançamento no Kindle, e não para a publicação de histórias que a pessoa não tem os direitos autorais, não é mesmo?

Aproveitando minhas habilidades de stalker acabei descobrindo que, por trás desse projeto, também está o site Pokémon Blast News (que, por sua vez, não tem relação com o site Nintendo Blast e muito menos com o golpe Fire Blast). Inclusive, o roteirista da história que se passa num futuro em que Ash é uma espécie de ditador mal-amado é diretor de Marketing do site. Numa atitude que vai surpreender todos vocês que acham que o Mais de Oito Mil não pratica o jornalismo sério, euzinha fui atrás dos autores para tirar umas dúvidas. Afinal, eles devem ter alguma explicação para tudo isso, ao contrário da Eliana que ainda não soube explicar aquele aquele clipe conceitual MARAVILHOSO.

gif-pokemon-eliana

Perguntei a eles sobre a questão dos direitos autorais que um site falou que tem e eles não, perguntei sobre a Saraiva permitir publicações sem que se tenha os tais direitos autorais e também questionei o valor cobrado sendo que é um projeto sem fins lucrativos. A pagina oficial gentilmente te me respondeu com um link que eu já tinha lido sem muita atenção que explicava que não há a possibilidade da Saraiva vender de graça e que 65% do valor vai para a própria editora. Por fim, disseram que o site Pokémon Center botou a carroça na frente dos Taurus (na verdade eles falaram bois, só tentei dar uma descontraída na matéria) e que eles estão atrás dos direitos.

Insisti mais um pouco e pedi as respostas a respeito dos direitos autorais (vai que não leram, né?), se eles realmente acreditavam que a Pokémon Company iria permitir que usassem a marca deles numa história assim, e aí minhas mensagens no Facebook foram ignoradíssimas por eles igualzinho o último cara que saí fez comigo (B-san, o vodu contigo já tá quase pronto). Se houver uma resposta (deles, não do B-san), atualizo a matéria.

ash-vs-red-kkkkk

Resumindo… nem precisei entrar em contato com a Pokémon Company para descobrir que isso não é nada oficial, né? E embora eles usem a justificativa que isso acontece com Minecraft (vide aquelas histórias que a Tambor está publicando) e que ajuda a popularizar a franquia, mas sabemos muito bem como a Pokémon Company não é tão mente aberta assim.

Nada contra fãs que escrevem fanfics se passando no futuro de Pokémon com Ash barbado e batalhas violentas do jeito que os fãs (aqueles com necessidade de autoafirmar uma adultice) sempre sonharam, mas achar que terão a permissão da Pokémon Company e usar o logotipo da Editora Saraiva como forma de tornar isso como algo aparentemente oficial é um caso de inocência maior do que achar que o Ash um dia vai sair dos 11 anos de idade.

Apresentadoras brasileiras e momentos de puro constrangimento com animes

24 nov

Desde o começo da televisão brasileira os animes não são exibidos sozinhos, estão sempre atrelados à existência de algum apresentador cafona de programas infantis. Foi assim com Speed Racer e o Capitão Aza, Eliana e Pokémon, Kira e Dragon Ball Z e a eloquente Mitsui e seus textos parnasianos anunciando os Cavs. Por forçarem essa relação entre essas pobres apresentadoras, a televisão brasileira nos forneceu momentos infinitos de pura vergonha alheia que faço QUESTÃO de relembrar através de GIFs animados que vão estourar com seu plano de dados móveis. IKIMASU!

Eliana e Pokémon

Como não temos registros na Internet de Angélica com botinha pulando no palco do Cluba da Criança ao lado de um assustador Doraemon de espuma, a primeira a pagar mico e ter a Internet para lembrar é Eliana e seu clipe para Pokémon. Por algum motivo ela era uma guerreira espacial que atirava uma Pokébola através das dimensões…

gif-pokemon-eliana

…saindo de um Game Boy Color e transformando duas crianças indefesas nas representantes brasileiras do WCS da vergonha alheia, que esse ano será realizado em cima da carreira infantil da Eliana.

Angélica e Digimon

Angélica trocou uma carreira pouco relevante na Manchete e no SBT pela chance… de interpretar uma fada de minissaia e ter um programa igualmente irrelevante na Globo. Quando ela ganhou um novo megaprojeto infantil chamado Bambuluá, ela não imaginava que seria a embaixadora oficial de Digimon no Burajiru. Na frente de um fundo verde, Angélica executou movimentos que todos nós deveríamos tentar usar na balada:

gif-digimon-mico-angelica02

gif-digimon-mico-angelica-03

gif-angelica-digimon-1

gif-angelica-digimon-2

Sim, estou reaproveitando os GIFs animados da análise de Digimon Tri (aquela que foi super criticada por fãs da franquia… sim, estamos em 2015 e ainda existem fãs de Digimon). E antes que vocês venham também criticar Angélica, reparem em toda a bagagem dramatúrgica, pois ela está muito empolgada nesse clipe:

gif-digimon-mico-angelica-01

Avulsos da TV Globinho e Digimon 02

Quando a Globo estreou a segunda temporada de Digimon (que se passa anos após Digimon Adventure e teve a trama esquecida para que os nostalgistas pudessem punhetar com novas versões do futuro dos digiescolhidos), por algum motivo eles não chamaram a Angélica para passar vergonha no Chroma Key. Botaram então uns cosplays fuleiros nos figurantes da TV Globinho e bora lá fazer um clipe:

gif-digimon-02-03

Reparem na malemolência de Cody e de TK que parecem ultradesconfortáveis com o freela de digiescolhido:

gif-digimon-02-01

E por algum motivo alguém da produção falou “está faltando alguma coisa nesse clipe… já sei, crianças de skate, pois skate deixa qualquer coisa descolada!“:

gif-digimon-02-02

Se equilibra aí, Kari!

Kelly Key e os Cavs

Embora tenha sido a última apresentadora do anima mais adorado dos nostalgistas, Kelly Key deixou uma marca na televisão ao anunciar os episódios dos Cavs e de Tenchi Muyo com coreografias ousadíssimas:

gif-kelly-cavs

Eliana e Sailor Moon

Claro que Eliana não ficaria apenas com o anime do garoto que mantém a aparência de 10 anos com muito hormônio, a Record tentou fazer com que ela emplacasse Sailor Moon R e qual a melhor forma de fazer isso se não fazendo um clipe futurista com naves especiais, cosplayers de Lady Gaga e uma música com rimas tão ricas quanto “Sailor Moon, Sailor Moon / Vencemos o inimigo um a um”?

gif-eliana-sailor-01

A Sailor Moon se transformava com efeitos pirotécnicos e rodopio, então botaram a Eliana num fundo verde e com um laço de ginástica rítmica:

gif-eliana-sailor-02

E, para encerrar, Eliana fez sua própria versão da caminhada sexy da Beyoncé em Crazy in Love:

gif-eliana-sailor-03

Esse é o Burajiru que deu certo!

Empresa decide mudar voz de Ash e o dublador NÃO faz campanha pedindo ajuda pros fãs O_O

5 set

E aí, minna, curtindo o sabadão? Eu também, bebendo com os tomodachis num bar enquanto repetimos memes de interne…Claro que é mentira e estou em casa embaixo do edredom comendo cupcake e assistindo à primeira temporada de Pokémon na Netflix. Aliás, isso tem a ver com a nossa notícia, que deu no site Gameworld. IKIMASU?

voz-ash-pokemon-01

Já sei, você está tem mestrado em notinhas de mudança de voz de personagens e já imagina que se trata de uma briga de estúdios, ou então que ele só quer uma forcinha dos fãs para dar uma incrementada no cachê. Só que, mais surpreendente que decidirem mudar a voz do Ash, está a declaração do dublador Fábio Lucindo:

voz-ash-pokemon-02

Olha, em trocentos anos de Mais de Oito Mil acho que é a primeira vez que vemos um caso de dublador que não fará um papel e que não pede para que os fãs façam manifestação na Paulista para que ele volte. É algo tão atípico para o pessoal que acompanha notícias sobre dublagem que nem sabemos direito o que comentar, apenas que ele está certo sobre o descaso que é com o público (enquanto C.E.R.T.O.S. D.U.B.L.A.D.O.R.E.S. consideram descaso pessoal mesmo).

Quem é público que lamenta, né? O Fábio Lucindo é um dos melhores dubladores do Burajiru e nunca vemos o nome dele envolvido em briguinhas de estúdios ou em discussões de “não vou dublar isso e aquilo, fãs me ajudem!”. Óbvio que ele não está feliz com a decisão, mas se o cliente mandar que a amiga do falsete da Melody duble o Ash ele não tem muito o que fazer.

Especial – Cobertura da cobertura do Sana Fest 2013

29 jan

Teve um dia desses que eu estava na Liba com meu kareshi tentando me desviar de otakus quando uma moça de touca de Bleach me perguntou “Mara, só existe evento aqui em São Paulo-kun?”. Foi quando eu percebi: os eventos cobertos pela imprensa especializada (pff) costumam ser apenas os de São Paulo, sempre produzidos pelas mesmas empresas em uma versão Século XXI da política do Café com Leite (anote o tópico porque vai cair na Fuvest no fim do ano).

Por isso, decidi falar um pouco sobre o Sana Fest 2013, um evento tão tradicional no nordeste quanto Ivete Sangalo e novela com sotaque forçado. A última edição do evento aconteceu nos últimos dias 26 e 27 de janeiro, e eu enviei a Ba-chan para cobrir.

Como a tonta se perdeu e foi parar em Itupeva, vou ter que me contentar em cobrir a cobertura que a Globo fez do evento.

Então prepare a cota de paciência para aguentar o César Tralli do nordeste e IKIMASU ver como foi essa cobertura!

sanafest01

A repórter mestra na arte de camuflagem sambou na proxasca do Anime Friends ao mostrar um galpão gigantesco que seria usado para o evento nordestino. A reportagem ganhou ares de ficção científica quando reparamos que não tem entulho ou poeira excessiva em qualquer área.

“Oi, Maroca que não é líder, mas é um pavilhão pequeno, o meu Anime Esquina aqui de São Paulo é bem maior que isso”

sanafest02

Chorei lágrimas de visto de ex-Power Ranger!

Aí a repórter, que falhou no exame ninja de camuflagem e foi detectada pelo público, foi conversar com o organizador de nome diferentão, que disse que este ano eles mudaram o Sana de local para, desta vez, ninguém precisar voltar pra casa.

Deixa eu ver se a otaka aqui entendeu!

O evento não deixa superlotar? Minna, esse evento é tão corretinho e diferente da realidade brasileira que o organizador deve ser o Kurumada, que uniu seus plot twists carpados mirabolantes com a habilidade do Kubo de criar espaços amplos em seus cenários.

Só falta dizer que esse evento será isento de vergonha alh…

maids

…ei… ah, não se pode ter tudo, não é mesmo?

A repórter camaleoa falou que essas aí são as “méids” e que são muito tradicionais na Grande Nação Japonesa. Imagino, visto que facilmente encontramos antigas xilogravuras com gueixas vestidas de Gothic Lolitas.

O organizador também afirmou a lista de convidados: Ricardo Cruz, Edu Falaschi e Dj Masa. Na Escala Arroz de Festa, que vai de zero a Kageyama, esses convidados ganham nota sete.

sanafest05

Fãs de Chaves, RPG, Crepúsculo, Harry Potter, Porco no Rolete e Pipa sem Rabiola: o Sana tem espaço para todos vocês!

sanafest06

E é claro que tinha que ter espaço para cosplayers garantir a cota de saturação de cores da sua tela. Aqui temos um rapaz fazendo aquele vampiro brasileiro do Chico Anysio e a menina fazendo uma Morrigan de Darkstalkers com cosplay de otaka.

Com muito sucesso, brilho, espaço e alegria, eu me pergunto quando é que esses eventos espaçosos e realizados em ESPAÇOS DE EVENTOS serão importados aqui para São Paulo.

(A reportagem foi dica do leitor Icarix Ace)

O esperado post onde a Mara fala do novo filme de Dragon Ball Z

12 jul

Se você quer novidades e velocidade, o seu site é o Chuva de Nanquim. E se você quer novidade e atraso, o seu site é o Mais de Oito Mil, o único blog que só comenta um assunto importante séculos luz após a concorrência só porquea autora se esqueceu de preparar post ontem. Compromisso jornalístico, você vê por aqui.

Falando no nosso concorrente que tem mais views que o número de páginas de todas as edições de Hajime no Ippo, veja o que deu lá essa semana:


Toda a otakada comemora o retorno de Dragon Ball Z, que volta no mesmo ano que vence a hipoteca da casa de praia do Akira Toriyama. Assim como Mauricio de Sousa, ele vai analisar o roteiro e vai enfiar o carimbo com a assinatura dele para que a obra seja uma autêntica Toriyama.

A imprensa especializada (pff) comemora o retorno e a supervisão do Akira Toriyama. Mas é claro, porque qualquer coisa supervisionada pelo autor do mangá original só pode ser maravilhosa, né?

Imagens meramente ilustrativas.

Escalada Mais de Oito Mil: Fãs chatos tendo orgasmos e outras notícias

9 jul

E aí, já foi encoxada no Anime Friends hoje? Preferiu deixar pro domingo da semana que vem? Faz bem. Então vamos ver o nosso giro de notícias na Escalada Mais de Oito Mil!

Deu na Folha Online que o SBT atendeu aos fãs e vai exibir os episódios perdidos de Chaves.

Animados que alguma emissora ouviu esses que são os fãs mais chatos do mundo, os fãs de dublagem já começaram a pedir redublagens cariocas dos animes e os fãs de Cavaleiros já prepararam sua proposta de exibir a série clássica sem cortes (e com eyecatches!) no horário de O Astro para roubarem a audiência da Globo.

Deu no JBox que a nova temporada de Pokémon está sendo dublada. Desde a notícia de que eu inspiro oxigênio e libero gás carbônico eu não fico TÃO SUPRESA.

Deu no Animepró que o mangá KochiKame vai aparecer em 13 revistas diferentes no mesmo mês. Ele terá um capítulo publicado em cada uma.

Pelo menos o personagem, que tem 35 anos de carreira, cabe em 13 revistas. Se fosse publicar o ego de alguns cosplayers em forma de texto, seriam necessárias mais revistas que a suposta tiragem da Turma da Mônica Jovem.

Deu num site qualquer que o dublador latino do Goku fez um vídeo especial em que faz uma Genki Dama pela gratuidade na educação no Chile.

Inspirado nesse emocionante momento, Wendel Bezerra fez mais uma vez o Bob Esponja dando o Kame-Hame-Ha.

Cada um luta pelo que acredita.

***

(Me siga no Twitter!)

(Já me curtiram no FACEBOOK?)