Archive | setembro, 2015

Comprei um mangá em papel offset e a qualidade era uma merda

24 set

Nunca pensei que esse dia chegaria. Eu, que sempre estive acima dos otakinhos e apenas apontava e ria de seus dramas me vi na mesma situação. Comprei um mangá, achava que ele teria qualidade por ter papel offset e fui ENGANADA.

As editoras ficam aí inventando desculpinhas. “Mimimi o aumento do dólar” “bla bla bla acabou o papel das gráficas”. Engraçado que isso acontece agora, mas na última crise do dólar em 2002 os mangás eram todos publicados em offset de qualidade, né? MAS QUE GRAÇA ESTOU ACHANDO DAS DESCULPINHAS SELETIVAS DAS EDITORAS.

A JBC, a Panini, a Newpop e todas as editoras devem achar que somos idiotas, mas não somos. Somos muito inteligentes e SABEMOS que as publicações caíram a qualidade do papel com o decorrer dos anos. E o Cassius Medauar tava aí falando que a qualidade ia subir quando trocassem o jornal pelo offset, FOMOS TODOS TAPEADOS!

Eu peguei uma página do mangá e o negócio estava TRANSPARENTE. Sabem o que é isso? Eu conseguia ver o que tava acontecendo na página de trás! Olhem as fotos que tirei:

cavs-transparentes-03

cavs-transparentes-01

cavs-transparentes-02

Sim, as fotos são de uma edição de Os Cavaleiros do Zodíaco (edição da Conrad) de 2003.

Sim, foi impresso no “milagroso” papel offset.

Sim, mesmo com esse papel ~maravilhoso~ o negócio era bem porco.

Sim, a galera sommelier de papel deveria saber que esse tal “problema causado pela crise” é mais velho que a própria crise.

É TRI!!! Vagabond conseguiu ser cancelado pela TERCEIRA VEZ no Brasil

17 set

Não vou ser hipócrita, você já deve ter lido em qualquer outro canto da Internet que a editora Nova Sampa comunicou o fim de Vagabond. Também não vou bancar a repetitiva e dizer “viram só? Eu avisei, eu avisei!” porque estou tentando deixar de ser uma jornalista especializada em urubuzices. Se já sabemos que foi uma burrice sem tamanho lançar o Vagabond daquela forma e que eles tomaram no Ooku imprimindo milhares de edições pra vender só 300, o que é que vou fazer aqui? Simples, tem uma pequeno detalhe que as pessoas estão deixando de lado da declaração do cancelamento. IKIMASU ver o textão cheio de rancor e ressentimento na página da Nova Sampa!!!!

nova-sampa-vagabond

DEIXA EU VER SE A OTAKA AQUI ENTENDEU

Apesar de ter usado a desculpa da ~crise~ (que será resolvida com presidenciáveis infláveis e taxações de grandes fortunas), na verdade a Nova Sampa perdeu os direitos das obras (no plural? Slam Dunk tava no meio?) do Takehiko Inoue para OUTRA EDITORA. Quem será a falsiane que fez isso? Temos algumas apostas:

*Editora Panini: Truque de dinheiro infinito, lembram?

*Alto Astral Editora: Precisa ter muito alto astral e otimismo para publicar um mangá já cancelado outras três vezes no Burajiru.

*Editora JBC: Desesperada que amanhã tem um Henshin Online e eles não anunciaram nada há mais de duas semanas, talvez eles tenham comprado Vagabond pra publicar pelo selo Ink Comics, afinal um mangá japonês de um autor famoso é exatamente o tipo de produto diferenciado que sairia pelo selo.

Mas voltando ao assunto, eu só achei um pouco indelicado da tal editora ter furado o olho de outra editora e “pego” um mangá que estava em publicação por outra (mesmo que a tal publicação fosse vagabunda). Mas aí também culpado é o autor e editora japa por terem topado isso. Então, por ter sido seduzido por um plano editorial provavelmente melhor e por uma melhor condição financeira, declaro o Takehiko Inoue…

nova-sampa-vagabond-infiel

Cantinho do Barraco: Quem é a mãe dos mangás bimestrais?

11 set

“Naniii?? Dois posts do Mais de Oito Mil no mesmo dia??? Deve estar rolando muita coisa no mundo dos aniems!!!”

Claro que sim, leitor, e o segundo post do dia nada tem a ver com a falta do que falar de A Regra do Jogo. Não sei se você ficou sabendo (até porque não noticiei por aqui por estar ocupada trepando ou dormindo), mas a JBC finalmente se rendeu aos mangás bimestrais que já eram adotados pela Panini e pela Newpop (no caso desta eles eram bimestrais mais por atrasos que por outros fatores). A primeira tentativa de se lançar mangás a cada dois meses foi com o Eden, afinal tem o tamanho de dois mangás e a redação da JBC devia estar atolada demais com o tanto de mangá que é lançado bimestral dá tempo para os leitores arranjarem os quarenta contos do preço.

Aí o eterno editor do dragão que  não tem uma orelha anunciou que Ultraman, que é mangá de banca, seria bimestral. E hoje, no Henshin Online, Cássius anunciou que Gangsta também será um mangá bimestral, alternando o lançamento com Ultraman. Nosso bolso agradece e isso é uma forma muito legal de termos mais títulos à venda e dar pra comprar mais. Em nenhum lugar com mercado de mangás saudável temos títulos de 200 páginas saindo todo mês, nem o Japão consegue produzir algo nesse ritmo.

Eu já falei no passado sobre os motivos da JBC não apostar no mangá bimestral (alegando que o público esqueceria o título etc) e já falei muitas outras vezes que é melhor lançar bimestral se a outra opção é apressar uns 10 volumes mensais e depois ficar publicando um volume a cada 6 meses (como um certo exorcista azul aí), então de certa forma é um avanço muito grande que eles estejam seguindo o que a Panini já faz há um bom tempo. Inclusive é muito bom saber que o Cassius reconhece como positiva uma estratégia da concorrência e…

jbc-mae-dos-bimestrais

Não precisa twittar um “Valeu, Panini“, mas dar RT numa pessoa que diz que a JBC inventou esse esquema de publicação é consentir com o que está escrito. Fica a dica, tá?

BOMBA! Veja o vídeo do Ash com nova voz!!!

11 set

O tempo passou e eu sofri calada vendo que a notícia da mudança de voz do Ash do Pokémon ganhou uma repercussão tamanha que agora virou aquela pauta clichê no mundo dos otaquinhos: tem campanha feita por meia dúzia de gente que nem assiste ao anime, outros dubladores que se sensibilizaram e dizem que se recusam à voltar na nova temporada, posts revoltados de pessoas que assinam com o nome de Pokémon e, claro, muita merda sendo dita.

Como euzinha sou adepta da filosofia de vida do Aceita que Dói Menos, já estou me acostumando com o fato que em breve verei o Ash com uma nova voz (mentira, quem é que tá curtindo essas temporadas flopadíssimas desde a fase Black & White?). E para ajudar você leitor eu já trouxe um vídeo com uma nova voz do Ash, assim começamos já a desvincular o personagem da voz do Lucindo. Embora o Ash envelheça tanto quanto a Avril Lavigne ou o Junior Fonseca (sério, ainda aguardo e-mail com os produtos que o dono da Newpop usa para manter a jovialidade há tantos anos), a voz envelhece e precisamos aceitar.

IKIMASU ver o vídeo:

Dica número 5: faça uma manchete com título bem sensacionalista para conseguir views mais facilmente.

Empresa decide mudar voz de Ash e o dublador NÃO faz campanha pedindo ajuda pros fãs O_O

5 set

E aí, minna, curtindo o sabadão? Eu também, bebendo com os tomodachis num bar enquanto repetimos memes de interne…Claro que é mentira e estou em casa embaixo do edredom comendo cupcake e assistindo à primeira temporada de Pokémon na Netflix. Aliás, isso tem a ver com a nossa notícia, que deu no site Gameworld. IKIMASU?

voz-ash-pokemon-01

Já sei, você está tem mestrado em notinhas de mudança de voz de personagens e já imagina que se trata de uma briga de estúdios, ou então que ele só quer uma forcinha dos fãs para dar uma incrementada no cachê. Só que, mais surpreendente que decidirem mudar a voz do Ash, está a declaração do dublador Fábio Lucindo:

voz-ash-pokemon-02

Olha, em trocentos anos de Mais de Oito Mil acho que é a primeira vez que vemos um caso de dublador que não fará um papel e que não pede para que os fãs façam manifestação na Paulista para que ele volte. É algo tão atípico para o pessoal que acompanha notícias sobre dublagem que nem sabemos direito o que comentar, apenas que ele está certo sobre o descaso que é com o público (enquanto C.E.R.T.O.S. D.U.B.L.A.D.O.R.E.S. consideram descaso pessoal mesmo).

Quem é público que lamenta, né? O Fábio Lucindo é um dos melhores dubladores do Burajiru e nunca vemos o nome dele envolvido em briguinhas de estúdios ou em discussões de “não vou dublar isso e aquilo, fãs me ajudem!”. Óbvio que ele não está feliz com a decisão, mas se o cliente mandar que a amiga do falsete da Melody duble o Ash ele não tem muito o que fazer.