Aleatoriedades

5 episódios de Pokémon Indigo League que não eram tão legais quanto nossa memória lembrava

Existe algo consumindo minhas tardes e atrapalhando meu trabalho nas últimas semanas, e olha que não estou falando no stalk tradicional que faço em grupo otaku no Facebook pra passar raiva. Desde segunda-feira da semana passada a plataforma de streaming Twitch tem feito uma maratona Pokémon, com simplesmente TODOS os episódios do anime, do primeiro ao final da série XYZ (Sun e Moon ficou de fora).

De segunda a quinta, a partir das 14h até umas 21h, a conta oficial exibe uma temporada por semana, e aos domingos rola exibição do filme daquela temporada. Por causa disso, consegui reassistir à primeira (e nostálgica) temporada de Pokémon inteirinha, com o Ash mantendo seus dez anos sem precisar de botox e todas as histórias que fazem parte do imaginário de fanfiqueiros e viúvas de Kanto.

Porém, a nostalgia é essa doença que nos faz esquecer das coisas ruins do passado, então fiz essa pequena listinha de cinco episódios que eu lembrava que eram legais… mas são bem ruins pra falar a verdade. Eles estão em qualquer ordem mesmo.

Perdidos na Neve (Snow Way Out)

Pokémon costuma ser lembrado por histórias ultra-dramáticas, normalmente relacionadas ao Ash se despedindo de um Pokémon. Não se engane, reassistindo como adulto você apenas repara que o treinador de Pallet usa chantagem emocional para manipular o sentimento dos monstrinhos, como vimos no fatídico O Adeus de Pikachu (que só se salva pela baladinha anisong cantada pelo mestre Nil Bernardes).

Em Perdidos na Neve, um episódio da primeira temporada enfiado no meio da segunda temporada por motivo de “QUEM SABE?” mostra o Ash se perdendo na neve e contando com a ajuda de seus Pokémon para se manter aquecido e sobreviver. Mesmo com a experiência de quase-morte (a enésima que aconteceu nessa primeira fase), tudo é bem ruinzinho. Não tem emoção, a história é inexistente e só consigo pensar nessa verdade absoluta:

Irmãos da Pesada (The Battling Eevee Brothers)

Nesse episódio, Ash e os outros conhecem um garotinho que queria ser um treinador de Eevee, mas seus irmãos com penteados pouco criativos o forçavam para evoluir o bicho num Flareon, num Jolteon ou num Vaporeon. Ciente de que a franquia ofereceria mais evoluções e outras alternativas de penteado, no fim o garoto decidiu criar um Eevee mesmo e ser o pioneiro dessa geração Let’s Go de Switch.

Extremamente mal animado (num nível ainda pior do que o já mal-animado anime), o roteiro fraco e desse character design que não deve ter demorado nem dois minutos para ser feito, tudo isso fez esse episódio funcionar como um bom momento para deixar a maratona de lado e voltar para o meu Puyo Puyo Tetris.

Duelo na Cidade Sombria (Showdown at Dark City)

Tal qual a Facção Pacificadora e a Facção Lacradora de Planet With, nesse episódio vemos duas gangues rivais querendo dominar uma região com um design visual muito feio. No final, Ash consegue salvar a cidade das garras desses adultos treteiros do mal (na verdade o Ash não fez nada, ele apenas estava lá durante a visita da agência reguladora Liga Pokémon e levou os créditos por isso).

Além da história 100% filler e mal contada, esse episódio é um marco em Pokémon por causa das piadas porcamente traduzidas. Como se já não bastasse a adaptação ruim feita pela 4Kids do roteiro original japonês, a brasileira fez ainda menos sentido com uma tradução incapaz de fazer piadas envolvendo o gosto de Pikachu por ketchup.

The Pi-Kahuna (O Pi-Kahuna)

Originalmente um minigame no Pokémon Yellow, o Pikachu surfista apareceu na série original como um dos menos inventivos roteiros. Servindo apenas como uma desculpa para enrolar a competição da Liga Pokémon por dois longos meses no Japão, nesse episódio o Ash conhece um Pikachu que surfa. Sim. É isso o episódio.

Amigo de Verdade (A Friend in Deed)

Um dos mais queridos dramas de Kanto foi a derrota do Ash pelas mãos de Ritchie na Liga Pokémon. Claro que todo mundo coloca a culpa da derrota na Equipe Rocket em vez de lembrar que Ash passou dois meses antes da Liga Pokémon brincando nos mais entediantes fillers da temporada, mas nesse episódio somos introduzidos ao Ritchie.

Os roteiristas devem ter pensado “nossa, seria bem louco se o Ash perdesse para um amigo, né?”, mas aí lembraram que o personagem não tinha amigos. A saída foi colocar um episódio antes uma situação forçadíssima para criar um laço de amizade entre as duas crianças. A tentativa de empurrar uma amizade entre Ash e Ritchie (e de desaparecer totalmente os outros personagens dessa história) só não é mais forçada que o Pikachu do Ash vencendo Pokémon de pedra com choques em vários momentos dessa temporada.

___

Para acompanhar a maratona Pokémon e passar raiva, é só acompanhar por esse link.

25 comentários em “5 episódios de Pokémon Indigo League que não eram tão legais quanto nossa memória lembrava

  1. Richie era (e continua sendo) o personagem mais insuportável de toda a franquia Pokémon. A amizade dele com o Ash é totalmente forçada.

    Curtir

  2. Graças a DEUS!!!!!!!!!! alguém concorda comigo,Richie sem sombra de duvidas foi o pior personagem da serie classica,Mary Sue dos infernos.

    Curtir

  3. E quem disse q Bulbasaur, Squirtle e Charmander são repteis? Eles são Pokemon! Não são Repteis! Mania q essa galera “estudiosa” tem de classificar pokes de acordo com animais do “nosso” mundo! Mais patético é blogueirinho achando q lacrou um desenho infantil de 20 anos atrás soh pq postou isso… afff

    Curtir

  4. Quem lembra do Mankey que o Ash pega num episódio e uns 2 ou 3 depois abandona com um lutador lá ? ou o Gastly que ele captura e só usa na batalha contra aquela líder de ginásio psíquica e solta ? nunca entendi essa de abandonar os pokemons, o cara não quer que eles evoluam e ainda solta os bicho por aí, merece perde todas as ligas por onde passa mesmo, pior treinador de todos.

    Curtir

  5. COMO ASSIM VC NÃO GOSTA DO EPISÓDIO DO RITCHIE, SAI DAQUIIIII

    eu amei rever esse episódio

    Curtir

  6. Oxe… Mas golpes elétricos são neutros conta pedra… só terrestre que é imune ‘-‘

    Curtir

  7. Concordo com alguns, discordo de outros. Mas Mara, sua blogueira gorda reclamona, seria legal você fazer o contrário também e comentar alguns episódios que são mais legais do que o que você lembrava na época.

    Curtir

  8. Estou perplexo com a materia… Como assim tem gente acompanhando essa maratona?

    Na boa, quando deu loucura em mim e resolvi assistir todos os episodios de pokemon em 2012 eu notei que quando acabei já não lembrava de nem 1 terço dos episodios. Mas pokémon Kanto e Johto sempre vale a pena parar pra assistir se tiver passando na TV.

    Pra quem acha o Ritche ruim só digo uma coisa, esperem as ligas de Hoehn e Unova. Essa foram as mais torturantes.

    Boa sorte pra quem vai acompanhar isso!!

    Curtir

  9. “Amigo de Verdade (A Friend in Deed)”. Esse episódio não foi o pior da saga da Liga Índigo, mas do anime de Pokémon inteiro. Aconteceu de tudo nesse episódio, e tudo prejudicando o Ash.

    Curtir

  10. Po vou ser sinceraço agora. Acho essas 1°s fases de Pokemon uma merda, serio são chatas e sem graça pacas. Realmemte é algo q n sobrevive ao tempo. Me divirto muito mais vendo a temporada atual de Sun e Moon q é mais descompromissada e divertida.
    Fui rever essa 1° fase na redetv em 2000 e alguma coisa ( a 1° exibição, n essa ultima q ninguém viu) achando q ia ser bom e q decepção.
    Graças a isso eu adio a tentativa de reassistir o 1° Digimon, pq após essa experiência e ao enfadonho Digimon Tri, começo a questionar se aquilo era legal mesmo.

    Curtir

  11. Kkk. Adoro suas matérias. Mas cadê a última análise de Digimon tri? Não vai encerrar o ciclo?

    Curtir

  12. Ahh, esse episódio do Pikachu surfista é bem simpático…

    E pra quem fala que essa primeira fase de Pokémon é uma merda: o icônico episódio do Pico da Donzela sozinho massacra todas as outras fases JUNTAS.

    Curtir

  13. Pokemon envelheceu muito mal!! O mais interessante é que o anime sempre foi a pior adaptação dos jogos, o mangá e o TCG sempre foram mais fieis (tanto que a ideia do game é capturar todos e a MULA DE PALET solta os pokemons).

    E essa saga de Kanto é um desperdicio só, equipe rocket não é vilã, Giovanni só fica cheirando gatinhos, não tem creepy pasta em Lavander, nada de bom que rola nos jogos acontece no anime. E foda-se Ash e Ritchie, QUEM É FODA É O GARY (sempre foi), captura pokemons, tem carro, uma monte de gatas e escolheu o Bulbassauto a escolha óbvia.

    E mara sua gorda, pokemon de pedra toma dano de elétrico, quem é imune é o tipo terra (O brock só leva vantagem contra elétrico porque Geodude e Onix são dos tipos pedra/terra).

    Curtir

  14. Ah droga de matéria Mara, só pra um bando de hipocrita ficar criticando o desenho que eles mais amavam quando eram pivetes!
    Tu também se passa né?
    Esse blog já foi mais contagiante, acho que não custa nada vc voltar a postar aqueles posts curtos mas engraçados,mas respeito q vc posta o q vc quiser afinal o post é seu. Me lembro q o primeiro post q vi foi o da maçã……..apropósito Maroca, vai uma dentadinha aí?

    Curtir

  15. Gosto muito dos posts do Mais de Oito Mil, principalmente os voltados a tirar um belo sarro do nosso mercado de quadrinhos. Mas às vezes temos posts como esse, onde eu discordo veementemente de certas coisas. E não, não sou fanboy de Pokémon, concordando que a maioria destes episódios possuem falhas, mas gostaria de falar sobre o primeiro do post, que foi muito mal julgado, ao meu ver.

    No episódio em que Ash se perde no meio de uma nevasca, você citou que o mesmo não possui emoção e a história é inexistente. Quase como uma desculpa pensada rapidamente para levar ao que realmente queria denotar, que é o tweet linkado, este sim possuindo algum valor dentro de uma tirada cômica.

    “Emoção” é algo bastante relativo e o conceito de “história” pode ser interpretado de diversas formas, mas, de uma forma ou de outro, ela existe, ainda que você não goste, deixando a argumentação bastante rasa. A história tá lá, com eles se perdendo e tentando achar uma rota, ao passo que Ash, em sua arrogância e infantilidade, acaba por botar o pé na jaca (ou na neve) ao decidir seguir pelo caminho mais perigoso, levando-o a quase perder o Pikachu e depois ter de se virar para permanecer vivo, pagando por seu erro. E não dá pra negar que houve um trabalho eficiente na direção do episódio, com o conflito do menino sobre querer arcar com toda a responsabilidade até, no fim, aprender que contar com a ajuda dos outros, em certas circunstâncias, é o melhor (se conectando tematicamente ao que ele fez no começo do episódio, ao ignorar os avisos de Brock e Misty). Existe também um uso assertivo da trilha sonora, que ajuda a evocar o sentimento necessário no clímax do mesmo.

    Curtir

  16. Para o Fã do Bruno Zago…

    não era um Gastly, era um Haunter, só que o Ash nunca capturou ele com pokebola, o pokemon nunca foi dele

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s