Tag Archives: Dragon Ball Z

Conheça o canal otaku no YouTube que surpreende fazendo conteúdo bom

11 fev yu-gi-oh-comparacao-capa

O Mais de Oito Mil não é apenas um espaço em que cutuco otakus para fazê-los perder a cabeça enquanto me divirto, é um canto meu em que posso compartilhar com vocês leitores coisas que eu acho legais. Porque assim como eu posso vir aqui e falar que One Piece é confuso ou que Nanatsu no Taizai é ofensivo, eu consigo mostrar conteúdo bom e feito pelos brasileiros na rede mundial de computadores.

Depois deste parágrafo introdutório que não falei absolutamente nada, queria dizer que esse post serve para mostrar um canal no YouTube que descobri sem querer e que vale MUITO que vocês conheçam também. Quem me acompanha no Twitter deve ter visto eu já falando, mas eu acho que Canal do Sahgo [patente pendente] merece ser mais conhecido.

Descobri este canal por recomendação do YouTube e fiquei MUITO impressionada com o conteúdo de qualidade dele. A série mais famosa feita até agora é composta de 23 vídeos em que o Sahgo detalha a adaptação de Yu-Gi-Oh para o anime comparando com o mangá, dando muitas informações legais a respeito de transposição para outras mídias.

Sério, mesmo que você só tenha visto alguns episódios na TV Globinho vale a pena de verdade acompanhar essa série. E é um tipo de conteúdo que vem de bastante pesquisa, não é como os Canal Nostalgia da vida que coloca umas informações rápidas que ele pegou na Wikipédia, o autor sabe muito bem do que está falando.

“Mas Mara, sua blogueira que tentou fazer um post de Big Brother no Mais de Oito Mil e teve zero visitas, eu não curto Yu-Gi-Oh então não vou ver esse canal, flw vlw fui”

Isso não é justificativa, porque depois da série de vídeos sobre Yu-Gi-Oh o Sahgo começou a fazer outros muito interessantes. Dois vídeos recentes e ótimos dele são falando do anime Shinzo e dos desenhos animados de Megaman:

Fala a verdade, você já viu alguma coisa sobre Shinzo que não seja post de nostalgista no Facebook relembrando a Fox Kids ou as matérias completinhas do Jbox? Eu acho que não.

E o mais novo vídeo do canal tem uma proposta igualmente ótima: falar de fillers. E no primeiro vídeo ele analisa o sensacional filler em que Bulma luta contra o caranguejo gigante de Nameku-sei, uma história que Toriyama não escreveria nem se tomasse vodca com Mupy de maçã:

Essa foi minha sugestão do dia, afinal quando vemos bons conteúdos no YouTube que não envolvem amoeba e fanfics distópicas no Minecraft devemos divulgar e enaltecer.

Rede Brasil começa a reprisar animes e diz que é pra MANTER A TRADIÇÃO

7 fev vale-a-pena-ver-de-novo-mais-uma-vez

No ultimo Henshin+ lembro que rolou uma palestra sobre Cavs com a presença de várias pessoas entendidas no assunto (e outras não tão entendidas assim mas as relações interpessoais são feitas dessa forma). Entre eles estava o Angelotti, o cara que cuida do licenciamento de Cavs e Dragon Ball aqui no Burajiru e dizia que estava muito empolgado com a estreia dos animes na Rede Brasil. Segundo ele, seria como termos a Manchete de volta, e nessa hora os otacos de 30 e 40 anos começaram a urrar de gozo e prazer. O que eles não esperavam é que a Rede Brasil fosse se inspirar em TUDO da Rede Manchete.

Segundo a própria Rede Brasil divulgou nas redes sociais ontem, Dragon Ball Z e Cavs serão reprisados desde o começo na Sessão Oriental. O problema, no entanto, foi a forma como divulgaram a informação. IKIMASU ver o desaforinho?

tradicao-reprises

Não basta começar a reprisar os animes, eles ainda usam como desculpa que isso é TRADIÇÃO. Para você que não viveu nos anos 90, a Manchete ficou conhecida por traumatizar milhões de crianças brasileiras ao começar a reprisar Os Cavaleiros do Zodíaco no episódio da casa de Leão no Santuário. Naquela época era uma estratégia normal, afinal criança não tinha internet nem YouTuber de Minecraft pra ter outra coisa e acabavam vendo a reprise até voltarem com inéditos.

A tal ~tradição~ foi tão ~bem feita~ que nem ao menos esperaram terminar as sagas. Cavs ficou faltando 3 episódios para concluir a Saga do Santuário e Dragon Ball Z interrompeu no meio da Saga do Freeza.

O problema é que não estamos mais nos anos 90 e algumas estratégias de programação do passado não funcionam mais. Fora que reprise nos anos 90 serviam também para que dublassem novos episódios, e essa desculpa não cola mais com um produto que já tá pronto. Manter fidelidade com o público é algo muito difícil de conquistar, e com certeza eles acabaram de afastar boa parte dos espetadores que havia adquirido o hábito de botar a TV às oito da noite pra assistir aos animes requentados. 

Para se ter uma ideia do quão tiro-no-pé foi essa decisão, até os comentaristas da notícia no Facebook (que não trabalham com televisão) estão mais sensatos que a Rede Brasil:

trdicao-em-reprise

Até o filme é repetido…

Nem Seiya e nem Goku, a maior audiência da Rede Brasil é LUCIMARA PARISI

7 nov lucimara-capa

Vocês sabiam que Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball Z estão sendo exibidos na Rede Brasil, emissora já considerada pelos fãs como a nova Manchete por exibir novamente as preciosidades da Grande Nação Japonesa no Burajiru? É importante eu começar o texto dessa forma, porque passou-se uma semana da estreia e nenhum site está falando sobre isso.

Ok, eu entendo que os sites do Genkidama e outros blogs do gênero estão mais preocupados a atender seu público alvo que clama por reviews punhetando Yuri on Ice, mas o que dizer do silêncio do site dos Cavs? Foi a semana de estreia do anime e a única notícia publicada neste ínterim foi falando da estreia é trazendo os bons números de audiência. Desde então, nada mais se falou.

Fiquei inquieta, afinal quando a Band estreou o anime em horário local e cheio de cortes era praticamente uma cobertura minuto a minuto do Site dos Cavs, o que será que tá rolando agora para ninguém falar da exibição? Cadê as notícias de audiência??? Como uma boa repórter investigativa que sou, fui atrás dos números e IKIMASU ver o ranking do Ibope da Rede Brasil na semana:

lucimara-cavs-01 lucimara-cavs-02

Isso mesmo, segundo o Portal 4 (o único site que publica audiência dos canais do grupo de acesso), a maior audiência da Rede Brasil na semana não foi nem Seiya e nem Goku, e sim da loiríssima Lucimara Parisi, ex-assistente de palco do Faustão e ex-assistente de palco do Ratinho que atualmente é a idol da emissora. Claro que algum leitor mais implicante, daqueles que acredita que a Rede Brasil é a chance dos animes voltarem a emplacar no Burajiru, vai falar que Cavaleiros estar em segundo lugar já é excelente.

Então, vamos lembrar que esse número dos Cavs equivale apenas à audiência do dia de estreia!!! Duvida? IKIMASU ver então o que o Portal 4 tem a falar sobre a audiência dos animes em cada dia da semana passada?

lucimara-cavs-03 lucimara-cavs-04

Temos duas alternativas possíveis: ou os fãs aceitam que a exibição de dois animes velhos e cheirando a mofo não vai melhorar a situação dos desenhos no Burajiru, ou então a Rede Brasil pode providenciar um live action de Saintia Shô com a Lucimara Parisi como a Shoko. Vai dar mais audiência pelo menos.

Cavaleiros estreia atrás da Cultura e da Record News, mas ganhou da TV Aparecida

1 nov seiya-goku-capa

Pois bem, após um anúncio pomposo com a assinatura do contrato com a Toei e de uma festa de duas horas televisionada ao vivo com merchãns de remédio para disfunção erétil, ontem finalmente estrearam Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball Z, além de um programete chamado Senpai TV (!!!!!!!!!!!!!!!!!) digno dos anos 90 da MTV com um VJ otaku anunciando o episódio do dia num fundo chroma key.

Mas não estou aqui para falar da vergonha do Senpai TV (!!!!!!!!!!!!!!), dos cortes bruscos de edição e nem do fato do programa ser tipo um Bem Estar que trocou os consultores formados em medicina por Marcelo Del Greco e pelo Estagiário dos Cavs, o post de hoje é para falar sobre audiência. Afinal, de que vale ter uma notinha compartilhada 65 vezes se isso não render audiência para seu programa?

Para você que não entende, pontos de audiência não são sinônimo de porcentagem de audiência. Cada ponto do Ibope significa 67 mil domicílios na Grande São Paulo (apenas na Grande São Paulo, pois esses são os números usados para o mercado publicitário no país inteiro). Depois desse trecho que tem mais cara do Coisas de TV que do Mais de Oito Mil, vamos para o gráfico mostrando a audiência da estreia de Cavaleiros do Zodíaco (afinal não faço ideia até o momento dos números de DBZ, mas devem estar no mesmo nível).

IKIMASU colocar o gráfico na tela com os dados tirados do Portal 4 (o único site que parece ter se dado ao trabalho de postar audiência da Rede Brasil)!!!

audiencia-cavs

Como podemos analisar, a Globo ficou em primeiro lugar com a exibição de seu dorama Haja Kokoro. A Record veio logo atrás com a transmissão do dorama histórico Escrava Okasan. Logo depois vem o SBT exibindo algum jornal com Rachel Charizard, a Band passando sei lá o Datena, a Cultura talvez reprisando Castelo Rá-Tim-Bum… mas cadê a Rede Brasil? Bem, ela está ali somada com as outras emissoras. Vamos dar um zoom?

audiencia-cavs-2

Segundo os dados apurados até o momento, Cavaleiros do Zodíaco teve média de 0,4 pontos de audiência. E pico (ou seja, o maior número conquistado em algum momento) de 0,9. Considerando que cada ponto equivale a 67 mil domicílios na Grande São Paulo, isso quer dizer que tivemos cerca de… de… hm…. de…

vegeta-confused-math

Enfim! Considerando que os números sejam bem expressivos para o padrão de uma emissora que tem bem menos que isso e ainda é difícil de sintonizar na Grande São Paulo, até que não tá ruim. Só tá longe de ser um padrão Manchete. Ou longe de incomodar qualquer outra emissora. Talvez incomode a TV Aparecida

[ATUALIZAÇÃO Z]

Saíram também os dados de Dragon Ball Z no site Portal 4 e a audiência média foi de 0,2 pontos de audiência, ficando em 13º lugar entre as emissoras de televisão (e talvez uma ou outra televisão de elevador). Parabéns aos Guerreiros Z por darem a METADE da audiência dos Cavs!

BOMBA! Rede Brasil exibirá Cavs e DBZ… DE FORMA LEGAL!!!!!!!!!

29 set seiya-goku-capa

Tô muito chocada com a notícia do dia referente aos guerreiros Z (alguém explica esse termo?) e aos defensores de Atena. Vamos ver o que deu no Site dos Cavs?

rede-brasil-animes-01

Segundo o print (que obviamente vocês não leram por causa do visual carregado e das exaltações desnecessárias ao clássico do Masami Kurumada), a Rede Brasil exibirá tanto Cavaleiros do Zodíaco quanto Dragon Ball Z e o acordo foi fechado com a Toei. Claro que assim que li essa notícia já fiquei com o dedo coçando, afinal a fama da Rede Brasil é de… bem

rede-brasil-animes-02

Lembro bem da vez que eles começaram a exibir Sailor Moon e eu fiz uma matéria aqui no Mais de Oito Mil questionando se eles tinham mesmo adquirido os direitos para exibir a série clássica com a dublagem da Gota Mágica. Eu até linkaria aqui a matéria, mas tive que tirá-la do ar após um email muito gentil de um representante jurídico do dono da emissora.

Eu continuei achando bem estranha essa história, mas o Site dos Cavs disse em sua matéria que foram até os estúdios da Rede Brasil acompanhar a assinatura do contrato. Esse site de fãs é conhecido por usar muitas exclamações e fazer uma idolatria desenfreada do anime, mas eu sei que eles não mentiriam nisso. Então a grande notícia nem é o retorno de duas séries cheirando a mofo, e sim que elas vão voltar de forma legal pela Rede Brasil.

Vamos ver se os animes conseguem melhorar a imagem de uma emissora que não tem muitas boas notícias relacionadas nos sites televisivos, não é mesmo?

rede-brasil-animes-03

Guia 2016 das piores fanbases otakas do Brasil

12 set fanbase-2016-capa

O Mais de Oito Mil não tem uma matéria que atrai ódio gratuito dos leitores desde a problematização da objetificação feminina em Nanatsu no Taizai, e sinto muito falta de gente me mandando tomar no cu nos comentários. Tentando conseguir algumas mensagens de fúria, decidi inaugurar um post anual para incomodar o maior número possível de otacos, e assim nasceu o Guia das piores fanbases otakas do Burajiru! Basicamente é um guia listando as fanbases mais insuportáveis do ano vigente. IKIMASU ver quem tá bem e quem tá em queda esse ano?

#10 – Saudosistas de TV Globinho

tv-globinho-fanbase

Se você usa a rede social Facebook, em algum momento já deve ter dado de cara com um saudosista de TV Globinho. Os saudosistas são pessoas que normalmente estão presas nas memórias da década anterior. Como estamos nos anos de 2010, os nostalgistas dos anos 90 já perderam espaço para uma galera que lembra da TV Globinho como o principal estandarte do anime no Burajiru, mesmo sendo uma fase horrível em que a emissora passava apenas tranqueiras do Fox Kids, Dragon Ball Z cortado e um Digimon com ELA na abertura:

gif-angelica-digimon-2

Alguém avisa pros otacos saudosistas que essa época não era boa? Obrigada.

#09 – Evangelion

evangelion-fanbase

Estamos em 2016 e ainda temos gente pagando pau pra Evangelion. Eu perdoo por exemplo o Silvio Santos ser fã da série, mas ainda temos gente que se shippa com a Rei. [Decidi cortar uma parte do texto depois do comentário da leitora @miyamoris_ que achei bem pertinente]

#08 – Love Live

love-live-fanbase

Além de ser uma comédia que não tem graça e ter músicas que te farão preferir ter o ouvido perfurado por uma kunai, Love Live também é responsável por ter uma das mais insuportáveis fanbases do ano, mesmo sem muitas novidades envolvendo a série. Mas isso não importa, e sim que o público composto por homens que acham super de boa dormir com travesseiros enormes representando as personagens idealizadas desse projeto absurdo. [Vale a pena ler o comentário da leitora @miyamoris_ sobre um outro lado dessa fanbase que acabei não colocando aqui]

#07 – One Piece

one-piece-fanbase

Mantendo uma chatice que perdura por algumas décadas, os fãs de One Piece são aquelas pessoas que não aceitam críticas no mangá favorito deles. Você pode falar que o Oda faz uma poluição visual tão grande que leva 8 minutos para entender cada quadro, mas aí eles falarão que é um jogo de estimulação cerebral feito pelo Oda. E ai de você se falar que uma saga é chata, porque aí você vai ouvir textões dizendo que nada em One Piece é inútil e que tudo será conectado no final.

#06 – Yokai Watch

yokai-watch-fanbase

Uma nova fanbase está surgindo no Burajiru e já começa a irritar profundamente. Formada basicamente por pessoas que querem curtir um anime de monstrinhos colecionáveis, mas que são diferentões para curtir algo popular como Pokémon, a fanbase de Yokai Watch é quase uma religião com pessoas dedicadas a te converter à sua crença. Mesmo que isso envolva jogar games que não venderam muito e assistir a um anime que está escondido na programação de um canal da Disney.

#05 – Cavaleiros do Zodíaco

cavaleiros-fanbase

Preciso mesmo explicar?

#04 – Dragon Ball

dragon-ball-fanbase

Esta fanbase estava apagadinha nos últimos tempos até que acabou o dinheiro da reforma da casa de praia do Akira Toriyama e ele decidiu autorizar a produção da continuação oficial da saga com Dragon Ball Super. Agora temos uma fanbase insuportável que vibra a cada semana com o desenrolar rocambólico de um anime que almeja usar todas as cores da paleta de pantone para criar novas transformações e vender novos bonequinhos, mesmo que com a desculpa de um roteiro furado e sem qualquer carisma.

#03 – Jojo

jojo-fanbase

Jojo tem décadas de existência, vários jogos legais clássicos e tal, mas a fanbase brasileira de Jojo nasceu quando ouviu pela primeira vez o mantra SONOCHINOSADAMEEEE. Desde então, animação tosca é chamada de “estilosa”, roteiro cheio de furos é chamado de “empolgante” e qualquer palestra com editora não é reconhecida pela organização nacional dos otacos se não houver alguém delusional que pergunta as chances de vir esse mangá datadíssimo e longo para o Burajiru.

#02 – Panini

panini-fanbase

Muito acima dos apreciadores de papéis, dos defensores dos honoríficos e do fã-clube do Cassius Medauar (que é praticamente a Inês Brasil dos otacos no quesito memes), a fanbase da Panini é composta por pessoas insuportáveis e com uma visão relativa das coisas. A Panini lança com melhores preços? Sim. Ela tem uma qualidade superior? Também. Ela tem títulos que agradam mais pessoas? Sim. Para a fanbase, no entanto, isso já é o suficiente para idolatratem qualquer coisa publicada pela multinacional. Se inventarem de lançar Jojo naquele formato horrível de Super Onze, espelhado, com onomatopéias francesas escritas à mão pelo Bruno Zago e com o logotipo escrito em Comic Sans mesmo assim teremos gente defendendo a Panini como se fosse o time do coração.

#01 – Pokémon

pokemon-fanbase

Se tem uma fanbase que nos irritou profundamente nesse ano de 2016 foi a fanbase de Pokémon. Os fãs desse negócio já irritam normalmente em qualquer época por adorarem o competitivo dos jogos (que nada mais é que um monte de frescura que a Nintendo tira do cu para agradar pessoas que curtem ficar horas chocando ovos em busca do IV perfeito), porém agora em 2016 rolou o lançamento de Pokémon Go e a fanbase foi ressuscitada. Agora todo lugar que você olha tem pessoas querendo ser modernas postando que o grande sonho da vida delas é ser treinador Pokémon, mesmo que isso signifique capturar dezenas de vezes o mesmo bicho para evoluí-lo num jogo beta. E correndo por fora ainda tem as viúvas antigas que não aceitam gostar de algo infantil, e ficam torcendo para que a franquia tenha algo mais “seinen” (como, sei lá, uma fanfic com o Ash num futuro distópico e que com certeza será aprovada pela Nintendo).

Aprendendo Matemática com Dragon Ball Z e a Playarte

6 jul

Todo mundo, até mesmo aquela senhora que dormiu na platéia da Fátima Bernardes, tá sabendo que a Playarte é tão tarada num requentamento que vai lançar Dragon Ball Z em DVD ao mesmo tempo que Dragon Ball Kai. Por que não, né minna? Brasileiro tá cagando dinheiro pra comprar a mesma tranqueira duas vezes!

Mas será que vale a pena? Só há uma maneira de descobrir, e é com a nossa amiga Matemática. É tipo aquela amiga chata que você só anda junto porque ela vai te ajudar em alguma coisa.

Vamos fazer as contas baseando no estilo do DVD do Kai (que são 4 DVDs por Box), na periodicidade trimestral do Kai e no fato que Dragon Ball Z tem 291 episódios. IKIMASU tirar o ábaco que você comprou no primário do baú e conferir nesse infográfico feito com o melhor do Paintbrush:


Não sei que conclusão essas contas doidas levam… Talvez que você deva não comprar um DVD de Dragon Ball Z para poder comprar quatro edições da Ação Magazine… ou algo assim…

Confira a estréia (?) de Dragon Ball Kai

5 abr

Todo mundo sabe que ontem teve a estréia de Dragon Ball Kai no Cartoon, aquela que eu já reclamei e que eu tentei escrever sem acento mas que meu Word corrigiu automaticamente. O canal, que não exibe programação em HD, estreou a série de Dragon Ball Z feita para o mercado da alta definição. Isso faz tanto sentido quanto um canal que censura armas de fogo de desenhos animados passar uma série em live-action com armas. Mandou bem, Cartoon!

Já que você perdeu o programa de ontem porque você estava vendo seu jornal local às 12h e estava dormindo às 00h30, eu trago uma matéria especial sobre a estréia. Uma palavra define bem a estréia de Dragon Ball Kai no Burajiru: FARTURA.

Sim, minna, porque FARTOU sentido, FARTOU bom senso, FARTOU esmero… O que foi, diretor? A piada foi muito ruim? Abafa!

O que importa é que faltou muita coisa. IKIMASU ver?

Faltou alguém lembrar que a série iria se chamar Dragon Ball Kai no Burajiru, e não Dragon Ball Z Kai.

Faltou uma cicatriz. Porque eu entendo apagarem o sangue (tá, na verdade não entendo), mas pra quê apagar uma marca do personagem?

Faltou um pintinho (mas aí é culpa dos nihonjins também).

Faltou uns Kanjis aí.

Faltou vermos o título do episódio em espanhol. Porque eu sou saudosista.

Faltou respeito aos hábitos tabagísticos dos figurantes.

Faltou manter esse eyecatch lindo e moderno que a Toei fez para combinar com o traço maravilhoso do anime feito no século retrasado.

Faltou aquele lado descontraídodesinibidodesencanado. E faltou explicarem por que no mundo de Dragon Ball o leite faz espuma tipo a cerveja do nosso mundo.

Faltou respeitarem as vontades desse pobre idoso.

Faltou contarem para quem fez essa edição americana que encerramento de 7 segundos não é encerramento.

Faltou um conhecimento do mercado do Burajiru.

Faltou respeito por suas próprias franquias.

Faltou sorte para o Jbox, porque a tal notícia exclusiva que eles alardearam nem foi utilizada no anime.

Faltou respeito pelo trabalho do gostoso do Rodrigo Rossi, que cantou a música  de abertura que perdeu 30 segundos e a de encerramento que perdeu quase tudo. Vem aqui que te dou um abraço nesses braços fortes.

***

(Eu tenho Twitter!)

(Já me curtiram no FACEBOOK?)

Fica mais, vai ter bolo [2]

5 abr

Semana passada, o CavZodíaco anunciou que Lost Canvas chegaria ao fim. Como belos fãs que idolatram todas as gororobas que Kurumada põe no prato, eles adotaram a postura de “é bom que o mangá termine, não tem mais o que contar, é melhor que ficar enrolando.”. Se duvida, clique aqui.

Pois bem, vejam o que deu ontem:

Sim, porque um mangá spin-off sobre coadjuvantes de um mangá principal NÃO É enrolação.

E, sim, suas exclamações no texto mostram que você ficou muito empolgado com a notícia.

***

(Eu tenho Twitter!)

(Já me curtiram no FACEBOOK?)

Fica mais, vai ter bolo

27 mar

E daí que foi anunciado que o Lost Canvas vai acabar.

E deu no CavZodíaco:

Só não entendi uma coisa.

Então o mangá pode acabar porque não tem mais história pra ser contada?

Se inventassem essa regra agora, ia ter mais mangás cancelados na Grande Nação Japonesa que o número de mililitros de silicone na bunda da Valesca Popozuda.

Iam embora Naruto, One Piece, Bleach, Next Dimension…

***

(Já me curtiram no FACEBOOK?)