Tag Archives: Otakices

Otacos criticam COM RAZÃO a capa de My Hero Academia da JBC

9 set

A Internet serve para muitas coisas. Se por um lado podemos ter a informação ao alcance de nossos dedos, do outro ela também dá espaço para que qualquer pessoa critique coisas sem qualquer propriedade, praticamente uma legião de especialistas em nada. E isso não se aplica somente à política ou no esporte, no mundo otaku também temos muitos especialistas em papel, design, tradução e até em cores especiais. Por causa disso, é sempre divertido abrir post de anúncio de capas brasileiras das editoras no Facebook porque vemos um monte de merda sendo escrita pra criticar a decisão da empresa. Quer dizer, só quando é coisa da NewPOP ou JBC, porque a Panini pode publicar um logotipo em Comic Sans que ainda vai ter gente defendendo.

Dito isso, ontem à noite tivemos a divulgação da capa de My Hero Academia (Boku No Hero Academia para você que não consegue ler títulos ocidentais) da JBC e todo mundo estava muito ansioso para ver como seria o logotipo e a capa brasileira. E fiquei surpresa porque, ao contrário do que eu imaginava, os otacos não estavam falando besteira nos comentários. Eles criticaram, e muito, a capa da JBC e sou obrigada a dizer que eles tinham muita razão. IKIMASU ver essas críticas? Afinal, não é todo dia que vemos otacos falando coisas coerentes.

Para começar, um leitor criticou com razão esse logotipo escondido da JBC.

boku-no-criticas-01

Está certíssimo! Afinal, o logo está tampado pelo cabelo aerodinâmico do All Might. Deveriam seguir a capa japonesa e ponto.

boku-no-criticas-02

Já outro leitor lembrou que se a Panini que fizesse a capa, não teríamos um logotipo zoado.

boku-no-criticas-03

Mais um leitor correto. Infelizmente, não podemos imaginar como seria uma capa de My Hero Academia feita pela Panini do Brasil.

capas-mexicanas-boku-no-hero-sidonia

Este otaku oculto pela minha técnica de Paintbrush achou uma puta falta de palhaçada ter logotipo japonês, brasileiro, mexicano… que o certo deveria ser um em japonês e outro em inglês.

boku-no-criticas-04

Está certo? Está certo sim, afinal os logotipos americanos são sempre muito bons.

boku-no-criticas-05

Mas teve críticas sobre pequenos detalhes que fazem a diferença? Claro que teve! Este aqui percebeu que a JBC relaxou muito na numeração:

boku-no-criticas-06

Ele está certo? Sim, está! A numeração que a JBC colocou é muito gibizinho da Inbonha! Os japoneses devem ter dormido na hora de aprovar essa capa:

boku-no-criticas-07

Por fim, este perfil decidiu criticar algo que acho meio injusto:

boku-no-criticas-08

Mancada cobrar da JBC por um título que eles fizeram um puta alarde para anunciar e que não têm a menor previsão de sair por aqui, né não?

Anime Friends enfia uma faca no nosso kokoro e anuncia preço dos ingressos para 2015

30 abr

E aí, minna, como vão vocês? Depois do anúncio de Dragon Ball Super, ficamos achando que nada poderia ser pior para fechar o mês de abril para os otakus, certo? ERRADO! A Yamato anunciou no site oficial do Anime Friends o preço dos ingressos para a edição de 2015. Olha aí:

ingresso-af-2015

Antes dessa gorda continuar essa matéria, preciso fazer alguns avisos aos leitores:

1- Sim, o Anime Friends ainda existe.
2- Sim, ainda tem otaku que vai no Anime Friends.
3- Só tô mostrando o preço dos ingressos na porta porque representa a maioria do evento.
4- Enquanto em anos anteriores eles faziam o milagre da meia-entrada pra todo mundo, dessa vez esse milagre só funciona se você doar um quilo de alimento não perecível.
5- Nossa, o que seráááá que aconteceu para o AF desse ano ter menos dias que os outros, heeeeeim?

Depois de esclarecer tudo isso… bem, não sobrou muito o que falar além de reclamar do absurdo que é o preço desse ingresso. Eles não permitem que cosplayers entrem com artefatos que pareçam facas, mas eles mesmos dão a facada no preço do bagulho (torcendo para ninguém notar que chupinhei essa piada do maravilhoso campo de comentários na página oficial do evento).

Falando em página oficial do evento, preciso mostrar o melhor comentário que encontrei lá:

ingresso-af-2015-01

Não acho que cosplayers são maioria, mas concordo que eles são considerados atração principal, então vou favoritar esse print no meu coração (que não foi esfaqueado pois não frequento eventos há muito tempo). Me pergunto o que será que aconteceu para o preço do ingresso saltar tanto de um ano para o outro. Observem a tabela de preços do ano passado:

ingresso-af-2015-02

Na verdade, eu não entendo muito bem por que as pessoas ainda vão em evento de anime. Ao contrário de eventos profissionais como a Comic Con Experience, que é realizada em local de eventos, trouxe estandes de grandes empresas, atrações internacionais interessantes e toda uma estrutura invejável; o Anime Friends oferece apenas planejamento ruim, atrações decadentes, sala medieval com um suspeitíssimo porco no rolete, gente mal cheirosa circulando com plaquinhas pedindo abraço, produtos inflacionados e espaço para otaku ficar andando a esmo (às vezes nem isso).

Pensando bem, que ainda vai em evento de anime e mangá?

burro-otaku

Especial: Amor à Vida faz homenagem aos otakus e ao bairro da Liberdade

8 nov

Era mais ou menos dez e meia, horário que eu estava mais preocupada em upar meu Greninja quando meu celular vibra com várias mensagens mandando eu por na novela. O que mais podia ser se não o bairro da Liberdade todo lindo e em HD na novela das oito que começa às nove e termina às dez? Tá, não tinha otakinhos sentados na escadaria do metrô e nem vendedores mal-humorados xingando os brasileiros em japonês, mas ainda sim era o bairro mais querido de São Paulo.

Eu não acompanho direito essa novela por motivos de: NÃO. SOU. OBRIGADA., então não espere que eu vá entender a densidade dramática dos personagens e nem fazer digressões psicológicas das linhas temporais da história. Mas o que importa pra gente é que tá uma mulher chamada Patrícia com o Caio Gostoso Castro no bairro da Liba.

Agradeço ao leitor Israel que me deu a dica e falou que tem o capitulo da novela no site (me poupou de procurar o “amor.a.vida.s01e114.torrent” no Piratebay).

Como eu sei que você não tava vendo, IKIMASU dar aquela recapeada no negócio porque foi bizarro:

amoravidanaliberdade01

Pelo que entendi, os dois personagens estão em uma loja de enfeites japoneses e a mulher tá provando um kimono-san amarrado com o laço da Minie. Ela tá balançando de um lado para o outro tentando imitar a graça e a leveza de uma Haruhi Suzumiya, mas acertou um daqueles brinquedos que você dá corda e fica andando todo zoadinho. Claramente ela tá ofendendo a cultura mais rica, então os donos da loja ficam putíssimos, né?

amoravidanaliberdade02

Claro que não, porque japonês da Liberdade é festero-san e dançarino-kun, então o dono começa a dançar a Ragatanga enquanto a véia começa a rogar umas pragas em japonês, invocando um espírito com kimono amarelo que fez uma cameo ali no fundo.  Obvio que isso foi uma homenagem do autor da novela ao Eiichiro Oda e às aparições do Pandaman.

amoravidanaliberdade03

Nem era importante falar, mas achei legal colocar a foto da fujoshi safada que tava vendo a cena e imaginando uma fanfic yaoi com o Caio Castro e o japa véio dançarino.

amoravidanaliberdade04

O Caio Castro-sama improvisou um japonês da Aliança e saiu pedindo pra fujoshi safada se ela tinha quimono pra homem. Com aquele olhar de fanzineira, ela viu uma oportunidade de vestir o ator com o cosplay de um personagem de yaoi que ela leu e realizar suas fantasias eróticas.

amoravidanaliberdade05

Desculpa meu kareshi… mas o Caio Castro é muito gostoso né? Se um homem desses aparece pra mim falando que me deseja eu faço a Panini com o meu namorado e cancelo tudo entre nós pra ficar com o Castro-sama.

amoravidanaliberdade06

Caso você tenha ligado o seu computador agora e não sabe o que tá rolando, estamos vendo Caio Castro vestido de samurai em uma cena de cinco minutos de Amor à Vida, novela cujo minuto deve variar de meio milhão a infinito. Vamos continuar recapeando.

amoravidanaliberdade07

Legal que o autor se preocupou em dar um plot pros figurantes. A fujoshi fica tarada quando vê a katana do Caio Castro e toma uma bronca desse japa mais novo, e aí começa uma gritaria desnecessária que me fez achar que tava vendo um live  action de Love Hina.

Mas quem é mesmo o autor dessa novela?

amoravidanaliberdade08

SABIA QUE TAVA RECONHECENDO ESSE DESRESPEITO À CULTURA JAPA DE ALGUM CANTOO (saco, tô lendo muito o Mineirinhooo)!!!

Walcyr Carrasco, aquele autor que no começo desse blog anunciou que ia fazer uma novela sobre o Japão e foi atacado por otakus porque ele iria estragar a visão da sociedade sobre nosso nicho querido (Mais ou menos o que o G1 fez semana passada). Só que aí o cara só falou que nem sabia o que era otaku, e com a novela no ar ele demitiu todo o elenco japa porque falaram que era zoado.

HAHAHAHAHAHAHA

(Mas você pode ler a análise do primeiro capítulo dessa novela clicando aqui)

amoravidanaliberdade09

Aí os dois saíram correndo no meio da Liba, usando os cosplays. Momento parecido quando eu e meu kareshi fomos na Fonomag e vimos um mini arrastão de pré-adolescentes usando bandanas do Naruto. Na hora só consegui segurar forte as minhas coisas de valor que poderiam interessar a eles, como minha carteira e o meu bom senso.

Provavelmente esses dois continuaram o city tour pela Liba comendo aquele pastel engordurado na frente da loja de lámen com pratos de plástico na vitrine e depois tiraram uma foto daquela placa que aponta a Liberdade de um lado oposto do Paraíso (para postar no Insta e fazer a filosófica).

amoravidanaliberdade10

Para incentivar o turismo na região, eles também divulgaram a famosa aula de pilates em uma loja de cosméticos. Eu recomendo.

amoravidanaliberdade11

Mais um retrato fiel da Liberdade. Outro dia mesmo eu fui na prateleira pegar um condicionador e dei de cara com dois guerreiros disputando na espada para ver quem levaria o melhor produto e quem teria que usar Niely Gold por um mês.

A vida na Liberdade é assim, cada esquina é uma surpresa.

amoravidanaliberdade12

Os dois foram parar num karaokê e apareceu essa imagem que pra mim é a mais bela desse blog logo depois daquela capa da Caras de Otaku zoando o Marcelo Del Greco. Temos um figurante cantando enquanto um rapaz (com aparência de quem visita a sala yaoi) inveja os movimentos de Jagger da japa com o penteado da Tainá.

Acho que vou botar essa imagem de Wallpaper.

Acabo de receber um email de um leitor surdo perguntando se eles ao menos estavam cantando músicas de anime. Então, caro leitor surdo, eu acho que é… porque era uma música de melodia fácil, popular e com palavras em inglês.

amoravidanaliberdade13

ACHO que era abertura de Urusei Yatsura.

amoravidanaliberdade14

Aí o Caio Castro tava jogando bilhar quando recebe a torcida da menina e de duas cosplayers que acham super normal irem vestidas de coisas como Persocom para um bar. E a cena delas torcendo com voz fina é tão emblemática que você nem repara na estudante colegial com cabelo de caneta piloto e um fodendo protagonista de Yu-Gi-Oh 5DS ali no fundo, indicando que a Globo está muito interessada nesse anime e está testando a receptividade através da novela das oito.

Ouvi falar que Yu-Gi-Oh 5DS vai estrear em dezembro num bloco ao lado de Lost Canvas e Toriko. Aguardem notícias no Jbox.

amoravidanaliberdade15

Mais um momento de pura realidade. Quem não se identifica com a cena: alguém bebendo uma cervejinha no bar e do nada aparece a Asuka do seu lado? Comigo acontece direto, mas também aparece o Shinji, o Kaiji, o Kaworu… e aí todo mundo começa a bater palmas e me falar “parabéns, Mara” por cerca de 30 minutos. E de repente eu acordo na minha cama com a roupa que saí no dia anterior e abraçada ao meu travesseiro de bolinho de arroz (que provavelmente tentei comer durante a noite).

amoravidanaliberdade16

E assim acabou a cena. Por favor me avisem nos comentários se os otakus vão ficar putos com a falta de fidelidade do bairro, com o autor que colocou ocidentais vestindo quimono ou quando descobrirem que o protagonista do 5DS não é um viral do retorno da TV Globinho.

Cobertura da segunda parte do Anime Friends segundo o Instagram

20 jul

Enquanto as pessoas ainda estão questionando a minha opinião naquele post do Genshiken, eu fico aqui vendo a chuva caindo e lavando a alma de todos os otakus que pagaram uma pequena fortuna por um evento com uma pia. Pelo menos agora todo mundo tem acesso à água, não é verdade? Brincadeiras à parte, não teria como a equipe do Anime Friends ficar sabendo que poderia chover no mês de julho, senão eles poderiam ter providenciado um evento com menos espaço aberto, não é?

Mas para você que prefere ir às escadarias da Liberdade porque pelo menos lá tem banheiro público (roubei na caruda essa piada do Grande Nappa nos comentários só porque o Nappa nunca reclamaria de alguém com avatar de Vegeta), preparei mais uma cobertura do Anime Friends usando o Instagram dos outros. IKIMASU!

02instaaf01

Grandes celebridades apareceram no evento! Enquanto o AF já recebeu a visita de artistas como Léo Madeira e Márcio Canuto, esse ano recebeu os integrantes do fodendo Amigos da Onça do SBT, que provavelmente usaram o ambiente lúdico e instigante para uma série de pegadinhas inteligentes usando anões.

02instaaf02

Aqui temos um cosplay de Roy Mustang, de Blaziken e da Jill com um pedaço de pau ao invés de pistolas. Ao fundo um campo de pouso para pegar o primeiro avião com destino à felicidade.

02instaaf03

Um eximioso cosplay de EVA que foi ao Anime Friends exterminar todos os anjos e pessoas que pagam mais de 15 reais em uma plaquinha.

02instaaf04

Não sei por que essa foto apareceu na galeria, mas morri de inveja desse organizado armário. Melhor que aqui em casa, onde os mangás foram empilhados com uma tábua em cima para virar um móvel de guardar mais mangás.

E essa pessoa joga Perfil 4, que é a versão tabuleiro de uma noite de sexo da melhor qualidade.

02instaaf05

Olha, tinha um cosplay masculino da Flávia Alessandra robô daquela novela com japoneses demitidos após duas semanas de exibição.

02instaaf06

Alguém pede para esse Sanosuke de cabelo compridinho vir aqui em casa homenagear JK mostrando como pode um peixe vivo viver fora da água fria. Só não conta pro meu kareshi levemente acima do peso (desculpa, kareshi querido, mas vamos entrar na academia?).

02instaaf07

De que adianta ser bonito se em uma foto a sombra da cabeça de um fã faz você artista parecer vítima de uma incontinência urinária?

02instaaf08

CORRE DAÍ, NOVINHO!!!!

02instaaf09

Cadê a segurança do evento para separar essas brigas desnecessárias? Fora que a cada cosplay de Naruto em eventos, Kami-Sama adia em um capítulo o fim de Bleach.

02instaaf10

Vegeta nota 9. Faltou entradas de calvície mais convincentes.

02instaaf11

Podem me trollar, mas achei isso legal. =(

02instaaf12

O protagonista mala de Digimon ficou com essa cara quando o Chapéu Seletor disse que seria melhor ele ter ido para o Festival do Japão.

02instaaf13

Ia reclamar do pessoal fazendo cosplay de Gangnam Style em 2013, mas como posso reclamar disso se tem gente até hoje fazendo cosplay de tokusatsu exibido no Burajiru na década de 80?

02instaaf14

Cosplays ótimos de Rafael Ilha e Mulher Samambaia.

02instaaf15

Ih, choveu, cabelo encolheu.

02instaaf16

E é com essa mensagem de sabedoria que encerramos por hoje. Até a próxima cobertura!

Experiência Mais de Oito Mil – Analisando Beyblade como se fosse um blog qualquer da imprensa especializada (pff)

23 ago

Um dia desses fiquei me perguntando por que não estou no Genkidama. Achei que era porque eu fazia piadas sem graça, mas aí lembrei que o Leonardo Kitsune tá lá. Então só pode ser porque eu não analiso animes seriamente como a nossa imprensa especializada (pff). Por isso, decidi usar toda a habilidade adquirida lendo reviews de outros blogs e fazer o meu próprio review pedante de anime, no qual eu poderei expor toda a minha cultura superior enquanto estabeleço a minha superioridade sobre todos vocês leitores.

Essa vai ser a minha experiência do dia. Para começar, escolhi um anime fácil. Beyblade. A primeira temporada mesmo, aquela que você fingia que não via mas sempre zoava falando os nomes certos. Então, let it ri…. digo, IKIMASU para a análise!

***


Beyblade é mais uma obra prima da animação japonesa produzida pelo estúdio Madhouse, que é o responsável pelos melhores animes do mundo há vinte anos.  É a história de um garoto espevitado chamado Tyson Granger que participa de ousados duelos envolvendo piões de batalha.

Você leitor não deve ter percebido, mas Tyson não é um nome japonês. Isso acontece porque o anime foi editado e tesourado inescrupulosamente pelos maléficos americanos, porque o nome original dele é Takao. O fracasso do anime com certeza deve estar ligado a isso, tenho quase certeza.


A trama de Beyblade envolve campeonatos disputados com os personagens lutando com seus piões. Tudo não passa de uma forma de pastiche que se refere a uma alegoria da sociedade que se monta nos seres menos pensantes e mais fortes para o erguimento de uma sociedade mais justa, como visto no período Edo da história japonesa. Estes ciclos históricos se repetem constantemente no universo ficcional japonês, e esta constância se mantém até o ponto de virada do plot, que é a vitória de Takao.


Embasando minha opinião nos conceitos da fenomenologia e na variação de perspectiva do filme “Deus e o Diabo na Terra do Sol” do sensacional Glauber Rocha, o anime Beyblade é uma excelente pedida para aquele fim de semana pra você maratonar. É um anime irreverente, com altas doses de aventura, muita comédia e aquela animação linda que podemos esperar da Madhouse. Tem meu selo de qualidade.

Prêmio Esso Now! – A MELHOR matéria sobre otakus do jornalismo brasileiro

6 ago

Minna, que saudades de vocês! Fiquei dias sem postar por motivo de doença, e meu kareshi quebrou o galho (e fodeu meu estilo de formatação) no fim de semana. Agora estou de volta. Queria agradecer aos leitores que desejaram melhoras, assim como os dois leitores que falaram que minha doença era um efeito psicossomático causado pelos 3 anos de ódio meu neste blog.

Ressurgindo como o Cavaleiro das Trevas, só que com menos problema de dicção e menos visitas, temos uma matéria linda para analisar. Ela foi publicada na coluna Ela Vida da Globo e fala sobre otakus. IKIMASU ver os melhores momentos?


A matéria já começa pegando o sapato da Miss Double Finger e sapucando na cara da sociedade otaka. E para você que não esperava uma referência a One Piece neste post, reveja seus conceitos.


Essa matéria consegue tantos pontos na categoria Generalização Jornalística que nem se uma editora invocar o Exodia conseguiria bater. É tanto bom momento que dá vontade de sublinhar o texto inteiro. Nem vou falar a parte que coloca a boneca inflável como um item indispensável dos otakus, mas quero falar que o blog dele tem 20 milhões de pageviews por mês. E você aí achando que só o Chuva de Nanquim conseguia chegar ao topo com conteúdo genérico.


Achei um ABSURDO dizer que otakus não conseguem diferenciar a fantasia da realidade. Onde é que a gente veria um idiota fantasiado de personagem de anime em local que não é evento de anime?


Tá, sem ser naquele capítulo SENSACIONAL que analisei da novela mexicana A Rosa de Guadalupe


Certeza que 60% dos meus leitores leram o trecho falando do quarto ser um santuário e lembrou, com uma lágrima negra da sociedade rolando na face, daqueles pôsteres de Dragon Ball Z que vinham na Ultrajovem e que colavam na parede.


Se essas são as atividades de uma cosplayer profissional, o que a diferencia de uma ex-BBB? Fica a dúvida.


O negócio tá no ar há cinco anos e nego não descobriu que The Big bang Theory foi feito para rir DOS nerds, e não COM os nerds.


Acho que não precisamos de mais nada. “Ela Vida” já é o melhor site de trollar otakus. Onde já se viu que os otakus precisam sair do armário? Que raio de apuração jornalística é essa? Afinal, todo mundo sabe que os otakus já saíram do armário faz tempo.


Imagem meramente ilustrativa.

Analisando Imagens Promocionais – Coletiva da Editora JBC

11 jun

O Dia dos Namorados está chegando e você aguarda um convite romântico, para um jantar a luz de velas num restaurante japonês. Você espera que no meio do jantar seu namorado lhe entregue um pequeno embrulho, e lá dentro tem uma bela joia que ele mesmo coloca em seu pescoço. Depois de um brinde com os braços entrelaçados, ele diz que te ama e que você é a mulher que ele quer para o resto da vida.

Aí some a borda branca que tinha nos sonhos do Lucas Silva e Silva e seu namorado te dá este convite:

Como se não bastasse o 3-Hit Combo de Conferências Ruins na E3, a JBC planejou sua própria conferência para apresentar seu novo editor, Cassius Medauar. Toda a imprensa especializada fará sua cobertura do evento, mas ninguém sabe o que esperar. Na verdade, quase ninguém, porque EUZINHA sei tudo que vai acontecer só de ver este convite. Foram anos de estudos semióticos, mas descobri o que a JBC vai aprontar.

IKIMASU conferir a análise embasada no meu achismo?

O primeiro elemento a ser notado no convite são essas flores de cerejeira, representando o anúncio de Sakura em uma edição que traz páginas coloridas, uma inversão no nome para cativar o público otaku hardcore (AKA virgem) e um logotipo que é parecido com a fonte Comic Sans.

Como o símbolo da JBC está ACIMA das flores de cerejeira, a editora mostra que é superior ao mangá do Clamp, talvez com uma dor de recalque pela Newpop ter pego todo o catálogo ruim das autoras.

O símbolo do JBGROUP é uma árvore com balões de fala, indicando que as árvores somos nós. Ou seja, que os balões de textos de seus mangás estão acima de nós. Então os diálogos dos mangás que você considera ruins e de baixa qualidade na verdade estão num nível que você não consegue entender.

É a pomba na balaia sambando no seu discernimento.

três pessoas escrevem com exclamações: sua mãe quando te manda mensagem no Facebook, o redator do site dos Cavs e alguém que está desesperado atrás de sua atenção. Como minha mãe e o redator dos Cavs não trabalham na JBC, já sabemos qual é a alternativa, né minna?

Marcar no dia dos namorados é uma estratégia incrível da JBC. Otaku é tudo virgem solteiro que fica reclamando de garotas que os colocam na friendzone no Twitter, então por que não marcar a conferência no dia e horário que você SABE que eles estarão disponíveis? Parabéns para o marketing da editora!

Se você é um veículo de mídia (maneira bonita de chamar a blogosfera especializada) é só preencher o cadastro para participar ativamente do evento. Mas se não quiser se inscrever, é só colar lá na hora que a conferência será aberta ao público.

Será que o evento será emocionante? Será que nossa imprensa especializada em críticas brandas fará perguntas relevantes ao novo “gerente de conteúdo”? Alguém perguntará por que ele censurou o peito da Bulma em edições de Dragon Ball? Veremos isso no próximo episódio!

Quem sabe uma certa blogueira gorda não dá as caras por lá? ;-)

TOP OITO – As mais cantadas no Animekê

13 jun

Muitas tragédias costumam ser anunciadas com antecedência. Temos o fim do mundo em Dezembro de 2012, a estréia de Dragon Ball Kai amplamente anunciada e os eventos anuais de anime. Como o Anime Friends está chegando, decidi preparar um post com uma das coisas que mais me irrita num evento de anime: o Animekê.

O que é o Animekê? É um monte de otaku brincando de karaokê, que nem o seu tio movido a álcool nas festas da sua família. E, assim como o seu tio, otaku não costuma cantar muito bem.

Preparei então um TOP OITO com as oito músicas mais cantadas nesse verdadeiro ritual de destruição de seus tímpanos. Então prepare o algodão com soro fisiológico e IKIMASU ver o que não cantar em eventos.

8º Lugar – Dan Dan Kokoro Hikareteku

A abertura de Dragon Ball GT aparece em oitavo lugar porque ela é lenta, então é perfeita para os não iniciados na língua da Grande Nação Japonesa. Algumas vezes, o imbecil do cantor ainda improvisa e encaixa um pedaço da letra em português da música, dizendo que era da gloriosa época em que faziam boas músicas de anime. Tempos gloriosos.

7º Lugar – 1/3 junjou na kanjou

As músicas de Samurai X passavam na língua da Grande Nação Japonesa aqui, e isso inspirou os burajirujins a cantarem elas nos eventos. Como ninguém têm capacidade de cantar Sobakasu ou ½, escolheram essa música para cagarem com as memórias de nossas infâncias.

6º Lugar – Come on, Boy!

Se um cara gordo, barbudo e com uma camiseta de tokusatsu no estilo camiseta de político subir ao palco, as chances de cantar a abertura de Jaspion são maiores que os vilões de Power Rangers sempre chegarem em Alameda dos Anjos.

5º Lugar – Butterfly

Por que cantar Butterfly, que é a primeira abertura japonesa de Digimon? Porque você, quando menor, viu aquela atrocidade cantada pela Angélica e quer substituir essa memória cantando a música original. O cantor dessa música a considera uma música de letra profunda, mesmo sem nunca ter visto o que ela quer dizer. No fim, cantar Butterfly é uma tentativa desesperada de apagar algo traumático da sua infância.

4º Lugar – Cha-la Head Cha-la

A abertura de Dragon Ball Z é a mais lembrada, a mais tocada, a mais pedida, a mais reprisada, a mais mal cantada, a mais sem sentido e a única em que as pessoas cantam em ônibus voltando de eventos sem nem se importar com os pobres passageiros que nada têm a ver com esse delírio do Kageyama.

3º Lugar – Dengeki Sentai Changeman

Pessoas cantam esse hino da geração da década de 80 apenas como aquecimento para o show do Kageyama que com certeza vai rolar no mesmo evento. Essa música faz tanto sentido quanto Cha-La Head Cha-La e tem uma batida rápida e pesada, para que os otakus demonstrem para as pessoas que as músicas que eles ouvem são tão pesadas quanto qualquer banda de metal do ocidente.

2º Lugar – Zankoku na Tenshi no Thesis

“Zaaaaaa…hmm….koku na Teeeeenshi no theeeeesis…” cantada por nove entre dez otakus, todos sabem a letra completa porque o Locomotion a exibia durante a abertura. Mesmo tendo mais de oito mil anos, a abertura de Evangelion consegue ser mais presente no animekê que Eduardo & Mônica e Ilariê no videokê das festas da família do Burajiru.

1º Lugar – Pegasus Fantasy

Alguém me explica por que essa aberração é a mais cantada em Animekês? A letra é tosca, não faz sentido, é mal-cantada e toda uma nação de otakus a considera como um hino, sabendo a letra inteirinha. E por que sabem a letra dessa porra de música? De tanto que ela é cantada. É Angra cantando em português, é otaku desafinando em fila de evento ou no interior de ônibus, é o Kageyama cantando em português… Cadê um decreto proibindo essa música? Cadê uma sociedade justa?

***

(Me siga no Twitter!)

(Já me curtiram no FACEBOOK?)

恥ずかしさのビット = Pedaço de Constrangimento… agora em Nihongo!

11 jun

Deu no Youtube-kun:

Ver essa menina usando frases como “Meu sonho é conhecer a Hinata de Naruto” me faz ter vontade de pegar a primeira pessoa que ver esse vídeo para aprender algo e amarrar num toco, encher a base de toco com Shonen Jump velha e tacar fogo para ver as lágrimas negras da sociedade desse indivíduo.

E só faltou uma frase importante: “Posso fazer harakiri?”

Aguardo essa frase ansiosamente no próximo vídeo.

***

(Me siga no Twitter!)

(Já me curtiram no FACEBOOK?)

Convite Constrangedor da Semana

4 abr

Depois de tentar mostrar o vídeo de um nerd lindo cantando a música do Mortal Kombat e ver que ninguém curtiu meu gosto para homens e nem minha sugestão, volto ao propósito do blog de mostrar tudo o que é ruim no nosso universo.

Você sabe o que é Kolors? NEM EU! É um grupo de dança que se apresenta em eventos. Legal como levar uma kunai no meio da testa, não é mesmo minna?

Bem, e esse grupo se apresentou lá no Anime Party, aquele evento decadente da Yamato, e para chamar os otakus para o evento, fizeram o convite mais sensacional do mundo.

Então aumente sua caixa de som e IKIMASU sentir esse constrangimento descendo lentamente pela sua faringe:

Não vejo tanta tentativa de fazer graça desde o vídeo do Guilherme Briggs anunciando a palestra do Anime Dreams

***

(Eu tenho Twitter!)

(Já me curtiram no FACEBOOK?)