Desabafo · Mercado Nacional

Boicote? Protesto? O que pode fazer a Panini tratar o leitor de forma decente?

Após episódios recentes envolvendo desabastecimento de mangás, cancelamento de Yo-Kai Watch e uma confusão envolvendo Wotakoi, os otakus finalmente perceberam que a Panini está longe de ser a editora do ano. A cada post que faço sobre seus problemas, muitos sugerem que devemos pedir ajuda a um grande influencer para avisar à Panini o que tá errado, ou então alguns sugerem radicalidades como boicote. Escrevi então essa matéria para falar o que funcionaria para fazer a Panini tratar o leitor de forma decente.

Dito isso, já vou adiantar a resposta desse post: NADA vai fazer a Panini mudar. Agora vem a explicação.

Temos posts aqui no site resumindo os problemas da Panini, mas o grande problema da empresa é sua desorganização. Ela provavelmente é dividida em vários departamentos, e um não conversa com o outro. A editora só vai resolver seus problemas quando chegar o Senhor Panini na empresa e falar “agora vamos organizar essa porra!“, fazendo setores diferentes conversarem. Até isso acontecer, não há NADA que qualquer um de nós possa fazer.

“Ah, mas boicote pode ajudar!”, dirá o otaku que teve o caráter formado por shonen de lutinha e que ainda acredita que união e amizade podem ser algo transformador, mas serei obrigado a jogar água no seu sonho:  o boicote já está acontecendo.

É só ver como o poder de compra do consumidor brasileiro abaixou e o preço (e quantidade) dos mangás subiram. Não é difícil achar relatos de pessoas que deixaram de comprar mangás porque estão sem dinheiro ou não conseguem adquirir na velocidade que a Panini coloca nas bancas. Tirando otakus ricos, influenciadores que recebem mimos ou os influenciadores que trabalham na própria Panini (que recebem os volumes que nem assinantes recebem), ninguém consegue acompanhar esse mercado.

Nada vai mudar porque a Panini conseguiu criar um belo monopólio, algo que já vinha sendo anunciado há tempos. Claro, temos uma JBC que sobrevive por fãs nostálgicos, uma Pipoca & Nanquim com mangás de samurai e uma NewPOP apostando nos nichos não-explorados, mas a Panini se sagrou como a única fonte de shonen de lutinha, o principal mercado, e com isso conseguiu ditar preços, periodicidades e criar uma relação em que o leitor é refém: se quiser ler seu shonen de lutinha, é somente nas condições da Panini.

Protestar vai ajudar? Não vai.

Boicote vai ajudar? Já não está rolando.

A única forma do mercado mudar radicalmente vai ser quando a conta não fechar, ou seja, quando tudo quebrar e a Panini parar de publicar seus mangás. Só que aí não vai acabar só o desrespeito com o leitor de mangás, vai acabar todo o mercado de mangás junto.