Mercado Nacional

O dia no qual a Panini “cancelou” o mangá de Wotakoi

Num belo dia, Deus decidiu ensinar aos humanos os seus mandamentos. Ele poderia ter contratado o serviço de um carro de som e levado a mensagem a todos, mas não: ele escolheu Moisés para intermediar a conversa. Mas o que teria acontecido se Moisés tivesse usado palavras equivocadas na tábua dos dez mandamentos e trocasse um “não matarás” por um “corte a cabeça do coleguinha“? Toda essa introdução é muito necessária para entender a confusão que a Panini causou a respeito do mangá Wotakoi e de seu suposto cancelamento.

Viralizou nas redes sociais a seguinte mensagem, enviada por um leitor ao perfil referente à Loja Panini no Twitter:

Segundo a mensagem postada pela própria Panini, o mangá de Wotakoi foi descontinuado na edição número 8. Você se lembra a última vez que o verbo “descontinuar” foi usado por um perfil ligado à editora Panini?

Pois eu vou te refrescar: foi quando ela comunicou que havia cancelado o mangá de Yo-Kai Watch!

A mensagem logo se espalhou pelas redes sociais com pessoas acreditando se tratar de mais um título cancelado pela Panini. E pior: um título que vende bem e que tem vários volumes na lista esgotados no catálogo da empresa.

Provavelmente esse foi o caso de um uso equivocado de palavras nas redes sociais, e provavelmente a Loja Panini estava falando sobre assinaturas. Como a Panini não responde ninguém, cabe à imprensa especializada trabalhar com suposições ou dados espalhados pela internet: houve quem fosse atrás do registro na Biblioteca Nacional do nono volume de Wotakoi para ter certeza que a Panini iria lançar!

Ser leitor da Panini é assim: ela dá a entender que cancelou um mangá, não te confirma se isso aconteceu e todo mundo ou fica sem entender ou precisa ir atrás das informações por conta própria, afinal a editora não colabora. É como se Deus ditasse os mandamentos tudo errado para Moisés.

O resultado no fim é o mesmo: o caos.

ATUALIZAÇÃO 6/11 às 17h: o posicionamento chegou