Aleatoriedades

Vinda de Final Act comprova que fã brasileiro de InuYasha é um sofredor por excelência

2020 tem sido o ano para os fãs de InuYasha. Deixando de lado o estado de pandemia que assolou todo o mundo, este é o ano em que os fãs brasileiros tiveram seus maiores sonhos realizados: o mangá de InuYasha foi novamente confirmado, os episódios finais do anime foram lançados oficialmente no país após onze anos de atraso e ainda rolou o anúncio de uma continuação da série, protagonizada por filhos dos protagonistas numa clara borutização. Infelizmente, o fã brasileiro de InuYasha está acostumado apenas ao sofrimento.

Vamos ao acontecimento mais recente, que foi o Prime Vídeo disponibilizar em seu catálogo a temporada final de InuYasha. Para quem não sabe do que estou falando, em sua exibição original o anime alcançou o mangá de Rumiko Takahashi, então a Sunrise decidiu encerrar a série sem dar um final. Anos depois, com InuYasha terminado no mangá, o estúdio criou uma “temporada final” para encerrar de vez a história de Kagome e InuYasha.

InuYasha teve um histórico de trancos e barrancos no Brasil, seja com exibições confusas no Cartoon Network, transmissão com retirada precoce na Globo e uma dublagem que reaproveitava cada dublador em mais 24 personagens. Pra completar o rebosteio, essa temporada final chegou a ser lançada nos EUA e na América Latina… menos no Brasil. Ou seja, não existe dublagem nacional dessa leva final de episódios.

Com isso, o Prime Vídeo ofereceu uma modalidade no mínimo inusitada para acompanhar Inuyasha – The Final Act: o anime está disponível com áudio em espanhol e legendas em português. Claro, nada que deixe o negócio inassistível, até porque a dublagem em espanhol é bem feita mesmo com uma pronúncia estranha dos nomes e alguns termos (a joia de quatro almas se chama “joia de shikon”, já o Narak é chamado de Naraku mesmo). Mas, né…

Mas e o mangá? Bem, sua republicação foi anunciada pela JBC, a editora que não está passando por tantos bons momentos assim durante a crise causada pela pandemia. A editora, que está viciada em relançar seus antigos sucessos em formatos pouco acessíveis, já prometeu uma edição luxuosa de InuYasha com mais páginas, algo que pode render um preço nada convidativo se vermos como está o dólar.

Mas pelo menos teremos uma continuação, YashaHime, certo? Então… Vale lembrar que embora os direitos em toda América já tenha sido assegurado pela VIZ Media, nada foi confirmado até o momento sobre uma exibição oficial por aqui para o fã brasileiro ter acesso aos episódios em algum serviço de streaming.

Embora querida pelo público, InuYasha é uma série igualmente problemática para os fãs, em especial os brasileiros. Todos nós admiradores das aventuras (meio enroladas) do meio-youkai somos vítimas de um descaso de todas as empresas envolvidas, que quando não estão nos enrolando estão oferecendo serviços feitos pela metade. Mas o fã de InuYasha é igualmente resiliente.

Agora me dê licença, vou ver o episódio da morte da Kagura em espanhol.