Vergonha Alheia Televisionada

Confusão Tokusatsu: Band age como a Band e surpreende tokukus

Essa semana foi muito agitada para os tokukus, forma que carinhosamente chamamos os fãs dos tokusatsu, e não foi porque saiu alguma novidade lá no Japão (até porque tudo anda bem parado). Na verdade o fandom só falava sobre o descaso por parte da Band com os seriados japoneses com mais de três décadas de idade, sobre como isso era um desrespeito com os fãs etc. Se você não está entendendo nada por não fazer parte deste nicho dentro do nicho, o Mais de Oito Mil está aqui para explicar toda a treta.

Tudo começou quando a Band, em meados de março, do nada anunciou a exibição das séries Changeman, Jiraiya e Jaspion aos domingos para ocupar o espaço dos jogos de futebol da série B. Como os jogos estavam cancelados por conta da Covid-19, a emissora paulista aproveitou a parceria com a Sato Company, a empresa que cuida dessas séries, e enfiou as reprises de programas que bombaram no Brasil nos anos 1980.

A audiência foi muito satisfatória, e já na semana seguinte a dona Band arranjou uma forma de espremer um pouco mais a laranja: em vez de exibir um episódio de Changeman e Jiraiya, a emissora colocou dois de uma vez, formando um blocão com mais de duas horas de heróis japoneses da Era Showa (anteriores à 1989).

A audiência interessante e a repercussão nas redes sociais através de Trending Topics no Twitter animou os tokukus, pois isso poderia ser o começo de uma relação envolvendo a emissora do MasterChef Brasil, a Sato Company e a vinda de várias séries recentes do gênero (ou pelo menos as que não envolvem heróis coloridos, pois nesse caso a Hasbro é dona de tudo).

Inebriados pelo êxito, os tokukus infelizmente não se atentaram a um detalhe básico na televisão brasileira: audiência não garante nada.

Mesmo se o Jaspion der a audiência de uma partida de futebol da seleção brasileira, isso não muda nada porque a emissora precisa ter lucro com a venda de espaço publicitário. As séries requentadas usadas como tapa-buraco podem dar uma audiência digna, mas não conseguem atrair anunciantes com facilidade, ou seja, até mesmo a Série B dava mais retorno financeiro com muito menos pontos no Ibope. A qualquer momento a Band poderia mexer sua grade em busca de mais lucro, e com isso os tapa-buracos seriam prejudicados. E foi o que rolou.

Com a decisão da Globo de abandonar reprises de jogos de futebol clássicos, afinal eles perderam até para a reprise do programa da Eliana, a Band mexeu toda a sua grade para conquistar os fãs de futebol e o público que não quer ver a Globo nas tardes de domingo. Isso inclui reprisar jogos famosos e reapresentar um programa de shows, neste domingo com uma apresentação da cantora Claudia Leitte. E para conseguir espaço na programação, a Band cortou o bloco dos tokus pela metade.

Durante a semana deu para acompanhar os tokukus neste grande muro das lamentações que é o Twitter. A Band mudou a programação do nada, sem avisar nem à Sato Company segundo o influenciador digital Sr Tokudoc, e passaria a apresentar apenas um episódio de cada série japonesa. A bagunça foi tamanha que surpreendeu até quem estava esperando a exibição capada, pois a Band acabou passando dois episódios de Jaspion em vez de um, contrariando o que a própria emissora havia informado aos influenciadores do meio.

A indignação pelo corte no horário repercutiu no nicho. Nesta tarde de domingo cheguei a constatar posts em redes sociais ironizando a audiência pífia conquistada pelo show da cantora Claudia Leitte (por mais que o Ibope seja condizente com a trajetória musical da carioca-baiana), cerca de um quarto da audiência de um episódio do Jaspion. Mas aí voltamos ao que já falei: não é a audiência que manda numa grade. Inclusive um show da cantora Claudia Leitte com 0,5 pontos consegue atrair muito mais dinheiro do que qualquer coisa japonesa que poderia ser exibida.

Acompanho a relação da Band com programas tanto no meio otaku como no meio normal há décadas, então pra mim não foi surpresa alguma essa lambança na grade, mas aparentemente os tokukus ficaram surpresos com a Band agindo como se fosse… bem… a própria Band.

Fui até acusada de “torcer contra“, o que é mais um clássico caso de pessoas se revoltando com o mensageiro e não com a notícia. Mas enfim, isso são águas mais passadas que os próprios tokusatsu escolhidos para a exibição dominical. Vamos ver no próximo domingo pois a Band sempre consegue novas formas de nos surpreender…

…negativamente.