Eventos

CCXP 2019: Sato Company faz painel para mostrar nome do filme do Jaspion e o título vai te surpreender

A CCXP 2019 continua rolando no São Paulo Expo, um dos maiores espaços de eventos da cidade de São Paulo, um espaço grande o suficiente para estacionar uns três Daileons. E surpreendendo o público que esperava apenas apenas artistas internacionais como Gal Gadot e atores de Star Wars em palestras disputadíssimas, o incansável Nelson Sato, dono da Sato Company, descolou um horário para apresentar um painel sobre seu mais ambicioso projeto, o longa metragem do Jaspion.

Talvez você seja novo demais para saber o peso desse tokusatsu, mas saiba que Jaspion nos anos 80 teve um impacto parecido com o de Cavaleiros do Zodíaco nos anos 90, Dragon Ball Z nos anos 2000 e a novela Avenida Brasil em 2012. Era o assunto das crianças, a maior audiência da Rede Manchete e impulsionou a vinda de dezenas de outras séries semelhantes até o gênero ser desgastado em poucos anos. O começo da palestra sobre o filme do Jaspion, inclusive, serviu para explicar o motivo de tanta devoção assim pelo público. Foi exibido um vídeo com depoimentos de várias pessoas que tiveram suas vidas tocadas pelo herói de lata, entre elas alguns profissionais cuja carreira a gente acompanha atualmente tal qual Marcelo Del Greco, editor da JBC, e Ricardo Cruz, cantor, professor de japonês e onipresente em atrações musicais de eventos de anime.

A mistura da nostalgia infantil com o profissional parece ser o que move os envolvidos no filme do Jaspion. Rodrigo Bernardo, o diretor do longa-metragem, revelou o quão fanático era pelo herói japonês ao contar que forçou seus pais a levarem o jovem mancebo ao circo do Jaspion, uma atração brasileira em que uma réplica nacional do herói participava de uma história ao vivo contra enviados do mal. “Era horrível, o cara usava uma roupa de lycra, provavelmente o Jaspion trabalhava como dançarino de lambaeróbica durante a noite”, descontraiu Rodrigo Bernardo a respeito da atração produzida por Toshihiko Egashira, responsável por trazer Jaspion ao Brasil e concorrente de negócios do Sr. Nelson Sato, dono da Sato Company.

Estavam presentes no palco Rodrigo Bernado, Nelson Sato (“o dono da porra toda“, explicou em voz alta um espectador do painel) e Yusei Nagamatsu, responsável da Toei que estava lá para dar credibilidade à palestra, afinal a empresa japonesa é a dona da marca que só fez um sucesso estrondoso no Brasil. A mediação foi realizada por outro grande fanático por Jaspion, o já citado Marcelo Del Greco, responsável por lançar futuramente o mangá brasileiro baseado no herói japonês que atualmente está no catálogo do PlayPlus.

Nenhuma novidade foi revelada no painel, mesmo conseguindo juntar pessoas muito importantes no mesmo palco. Disseram que o filme está em produção com calma, afinal querem privilegiar o resultado, e que devem buscar ajuda de fora para realizar os efeitos especiais. “Não dá pra mandar todo mundo para uma pedreira e soltar umas bombas”, brincou o diretor Rodrigo ao lado do responsável pela empresa japonesa que por muitos anos mandava todo mundo para uma pedreira e soltava umas bombas.

Quer dizer, algo interessante que podemos tirar do painel é que existe uma preocupação genuína em conquistar um novo público com essa produção. Na plateia houve relatos de muitos pais que apresentaram/doutrinaram seus filhos com essa produção de 30 anos atrás, mas o diretor parece ciente de que é preciso conquistar as crianças de 9 anos de idade da mesma forma que o Jaspion o conquistou quando tinha essa idade. Achei muito positivo, até porque mirar no público nostálgico que é disposto a gastar… não sei… 60 conto num quadrinho capa dura que é uma continuação de um programa de décadas atrás não parece algo tão acessível para um público maior.

E para não dizer que não houve grandes revelações, algo de novo foi dito. Não, não foi a data de estreia nem o anúncio do começo das filmagens, que parecem ainda distantes. Perguntado pelo mediador sobre o nome do filme, a resposta surpreendeu toda a plateia: o filme do Jaspion vai se chamar…

….

….

“Jaspion – O Filme”.

(Agradecimentos à Laura G., estagiária do Mais de Oito Mil,

sem ela essa matéria não seria possível)