Aleatoriedades

Sato Company, Fruits Basket e Fire Force: publicidade da Atlus fazendo escola

Se você procurar agora a definição de “Publicidade” no Google vai achar “arte, ciência e técnica de tornar algo conhecido nos seus melhores aspectos, para obter aceitação do público“. Embora seja uma definição válida para explicar o termo, temos uma empresa japonesa que conseguiu reinventar o conceito milenar.

A Atlus é uma antiga desenvolvedora de jogos, e mais recentemente ela recebeu os holofotes por causa de um joguinho de nada chamado “Persona 5”. O sucesso do JRPG, que tem como personagem principal um adolescente refém de um gato que lhe impede de ficar acordado de noite, foi tamanho que todo mundo ficou muito atiçado para saber as novidades da franquia. O público só não esperava o nível da enrolação promovida pelos profissionais de marketing da empresa japonesa.

Nos últimos tempos, a Atlus se especializou numa modalidade de publicidade chamada “anúncio de anúncio“, uma técnica milenar de protelação que visa enrolar o público pelo maior tempo possível. Funciona assim: em vez de você anunciar o que é o tal Persona 5R, você cria uma comoção para um anúncio sobre o produto, e na verdade esse anúncio é o anúncio de um futuro anúncio para anunciar o produto. Confuso? Sim, é.

Várias empresas no mundo inteiro já embarcaram na onda de enrolar público, mas poucas conseguem do jeito Atlus. Quer dizer… temos um exemplo nacional que é a mais fiel reprodução do que a Atlus realiza com os personaminions: a Sato Company e seus novos animes.

Fruits Basket e Fire Force são dois animes da temporada passada que repercutiram muito nas redes sociais. Fruits Basket porque é a versão animada mais fiel de um dos shoujos mais queridos dos últimos anos, e Fire Force porque… bem… teve um caso pesado de sexualização desnecessária de personagem feminina e o Blu-Ray no Japão vendeu tanto quanto os mangás da Nova Sampa aqui no Brasil.

Mesmo assim, são dois grandes nomes nos animes e o público ficou meio decepcionado porque eles não seriam disponibilizados nem pela Crunchyroll, nem pela Amazon e nem pela Netflix. Quem seria o pai da criança?

Como uma fênix do mercado de licenciamento, a Sato Company surpreendeu os otakus ao anunciar que tem em seu catálogo não só programas dos anos 80 de apelo nostálgico, mas também Fruits Basket e Fire Force. O anúncio pegou todo mundo no espanto, afinal poderíamos ver esses dois animes junto do Japão de forma oficial. Será?

Se a Sato Company estivesse aproveitado grandes eventos do meio otaku para dar informações em doses homeopáticas sobre esses dois animes seria uma coisa, mas a empresa tem apenas enrolado o público. Há pouco mais de um mês, em suas redes sociais, a Sato anunciou que nas próximas semanas iria anunciar qual serviço de streaming receberia os dois animes. Isso porque eles já haviam anunciado esse anúncio em julho, durante o Anime Friends. A empresa também tem marcado presença em vários eventos geeks prometendo novidades e entregando só novos anúncios de anúncios.

O uso excessivo do verbo “anunciar” no parágrafo anterior não foi um deslize de revisão, e sim um exagero para mostrar que a Sato Company é a primeira empresa do ramo do entretenimento a não só copiar o estilo de anúncios da Atlus, como também aperfeiçoá-lo. Afinal, Persona 5 Royal ao menos está perto de sair, mas o que sabemos de Fruits Basket e Fire Force?

7 comentários em “Sato Company, Fruits Basket e Fire Force: publicidade da Atlus fazendo escola

  1. Continuando porque apertei enviar sem querer.
    Todo mundo que queria ver e já conhecia já viu ambos. Quem ainda não viu, acha fácil. Ou lançam esse negócio logo, ou não reclamem do futuro flop.

    Curtir

  2. Não saindo pelo Cheirarola é lucro.

    Agora todo mundo tá careca de saber que a Sato nunca se profissionalizou nesse tempo todo com seus produtos, aliás Japão nunca se preocupou com quem ele transferida os direitos de suas produções

    Curtir

  3. Se fosse pra sair pela Crunchyroll já tinha saído em simulcast e não estaria essa enrolação toda

    @vivi vai ser o prego no caixão se depois de todo esse tempo, ainda colocarem em plataformas que ninguém usa, como fizeram no filme do MHA

    Curtido por 1 pessoa

  4. Adoro ler os posts do blog, mas esse resumo sobre a Atlus e P5 foi pura babaquice e claramente a pessoa não sabe oq diz. Tirando o óbvio te anúncio do anúncio (q quase toda empresa de jogos principalmente japas fazem isso) de resto pareceu algum tipo de frustração pessoal com o jogo.

    Curtir

  5. Q isso. Vcs implicam com a Sato demais. Todo mundo sabe q eles tão esperando algum fandub dublar pra eles lançarem como se fosse deles. Até parece q vcs n conhecem esse trabalho mega profissional dessa empresa mega atual.
    YAHAHAHAHAHAHA!!!!

    Sato Company cometendo os mesmo erros do mercado de sempre. É triste mesmo.
    E olha só, BD de Fire Force n tá vendendo… Tbm obrinha generica pra cacete, n sei nem pq vcs dão moral pra um anime q vai se matar sozinho mesmo tendo ecchi pesado.

    Curtido por 2 pessoas

Os comentários estão fechados.