Mercado Nacional

JBC tem dia de requentamento, velharia e uso equivocado de redes sociais

Só nesse ano de 2019, a Panini já realizou cerca de 317 anúncios, todos de Shonen de Lutinha publicados atualmente na Jump custando 25 reais por tanko. O mercado está tão dominado pela Panini que ela pode até aproveitar a ausência das demais editoras para requentar umas velharias que não venderam tão bem. E como fica a editora JBC, o nosso Vasco da Gama do mercado editoral, no meio dessa situação toda? Pois bem, nessa sexta-feira a editora JBC promoveu um dia temático só com anúncios, e podemos perceber um padrão nessa nova editora que quer brigar por uma fatia do mercado.

Conforme eu já adiantei no meu post sobre a possível morte do Henshin Online, o programa de YouTube semanal em que a editora falava sobre as novidades, a JBC está de mudança. Além dos vídeos, que irão continuar, a editora vai apostar em vídeos para o Instagram, rede social que está crescendo nos últimos tempos mesmo ninguém sabendo muito bem como usá-la para divulgar coisas de fora do Instagram. E foi nessa rede social que a JBC prometeu, do nada, fazer um dia com cinco anúncios.

Pra começar, a maior dificuldade foi encontrar em qual conta do Instagram a JBC iria se pronunciar. Edi Carlos, responsável pelo marketing da editora, avisou que o público deveria ficar ligado nas arrobas @editorajbc e na @mangasjbc, porém os vídeos só deram as caras na primeira. Pior ainda foi quando Marcelo Del Greco surgiu no vídeo pedindo para as pessoas seguirem a Henshin nas redes sociais, e aí mostrou uma terceira conta da editora: @henshinjbc. 

Milhares de contas de Inta à parte, o que temos a dizer dos anúncios? Esqueça qualquer shonen importante ou seinen com anime engatilhado, a JBC não conta com os recursos da Panini e pode apenas licenciar títulos que a concorrente se esqueceu de comprar com seu dinheiro infinito. Três dos anúncios variaram entre o “esperado” e o “que legal”: o primeiro foi My Hero Academia Vigilante, um spin-off da série já publicada pela JBC, e o segundo é o aclamado I Sold My Life for Ten Thousand Yen per Year, que não conheço mas uma galera legal aí elogiou. Ainda na lista dos anúncios minimamente interessantes, a JBC repetiu a estratégia da NewPOP e publicará também o mangá de uma novel deles, pois Overlord chegará em formato mangá.

Os outros dois anúncios, no entanto, foram a pura caçamba da indiferença. O primeiro foi Gunsmith Cats Burst (5 volumes), uma continuação direta do mangá Gunsmith Cats (8 volumes). Já conhecíamos a mania da JBC de licenciar mangás e nunca trazer suas continuações, mas essa é a primeira vez na qual a editora opta por trazer a continuação sem nunca ter publicado o original. É quase como a Panini publicar o Boruto, sem nunca ter trazido o Naruto! Uma série animada em 3 capítulos chegou a ser exibida no Brasil em meados dos anos 90 pela Locomotion. 

A princípio achei que a JBC pode ter escolhido esse mangá porque tinha menos volumes que o original, mas o mistério foi solucionado quando fui procurar capas no Google Imagens e encontrei essa edição na qual o selo de impróprio para menores foi usado para tampar… bem…

 

Já o quinto anúncio tem tantas camadas de absurdo que o negócio deu a volta e se transformou em algo sensacional. O derradeiro anúncio na verdade era… um re-anúncio, pois a JBC confirmou a publicação de Sakura Wars!

O título foi anunciado originalmente em 2016 (como dá pra ver nessa imagem da JBC daquele ano), foi esquecido no mesmo churrasco em que Inuyasha segue comendo pão de alho e agora ganhou um novo formato. Em vez de publicar os nove volumes originais ou publicar em menos volumes BIG (2 em 1), a JBC criou um neologismo e lançará Sakura Wars em um volume “TRIG”, ou seja, 3 em 1 (sério, esse nome “trig” é linguística e cafonamente genial)

O anúncio de um título já anunciado três anos antes emputeceu as pessoas num nível que a JBC precisou remediar as coisas avisando em suas redes sociais que aquele não era o último dos cinco anúncios, e que mais coisa viria… mas aí ela nunca mais deu as caras e ficou por isso mesmo!

Qual foi o saldo do dia? Primeiro a JBC avisou que faria anúncios no Instagram, mas não em posts que poderiam ser compartilhados e sim por vídeos; depois ela fez três anúncios normais, uma continuação de mangá nunca publicado e um re-anúncio de um título sumido há três anos. Para terminar, a editora avisou que ia ter mais coisa, mas não especificou que não seria hoje, fazendo com que a imprensa especializada esteja dando F5 na página da JBC até agora na esperança de escrever a última notinha do dia pra poder sextar em paz.

Agora vai!

9 comentários em “JBC tem dia de requentamento, velharia e uso equivocado de redes sociais

  1. Xii…será que Sábado vai ter mais anúncios? No mais, as editoras não tinham parado com esse rolê errado de anunciar dezenas de mangás e irem soltando tudo a conta-gotas?

    Curtir

  2. “foi esquecido no mesmo churrasco em que Inuyasha segue comendo pão de alho” essa me desmontou demais pqp, tive que cuidar pra não rir alto quase às 2h da manhã.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Mara: Henshin Online, morreu ou foi para a Record?
    JBC: …Ah, é?
    – – –
    Trava-línguas: Três trios de tankos de Sakura Taisen tornam-se três mangás TRIG (trazidos com três anos de atraso…).

    Curtido por 1 pessoa

  4. JBC andando pra trás forte. E desde o famigerado selo Ink Comics q n viamos a JBC apostar em um mangá tão aleatório como esse Gunsmith Cats Burst.
    Eu sei q implico com o Marcelo Del Greco e tal, mas po é muita coincidência o Cassius sair e a JBC começar a fazer ações iguais as q ela fazia antes da entrada do Cassius. N sei se é só o Marcelo q tem esse poder de decisão ali, mas cara até agora as ações feitas n trazem confiaça n, principalmente depois de tantas escolhas dificeis q a JBC teve de fazer pra se adaptar ao novo mercado, n me surpreenderia se em algun momento anunciar q os mangás da JBC voltam as Bancas.

    Curtido por 1 pessoa

  5. Digo e repito. Marcelo Del Greco não aprendeu a lição e vai continuar com os mesmos erros, apostando na renovação do público ou achando que todo mundo vai comprar de qualquer maneira. Vamos lembrar de novo a chuva de reclamações que tinha contra a JBC no final da sua primeira passagem e como a editora mudou da água para o vinho com a passagem do Cassius. Vamos lembrar como ele repetiu os mesmos erros na Nova Sampa e deu no que deu. E mal ele retorna para o comando da JBC, essas coisas acontecem novamente.

    É uma pena pois a Panini também está errando, apesar de que os erros dela não são tão graves quanto os do Del Greco.

    Curtido por 2 pessoas

  6. A Panini tem como cncorrente a JBC e a Newpop. É como se não tivesse ninguém.

    Mercado de mangás nacional é uma droga porque é isso aí. JBC já vai tarde.

    Curtir

  7. Desses anúncios eu não levo nada. Só guardando meu dinheiro para Kakegurui.

    Curtir

  8. é… terminar de pegar BAA Last order Antes que a JBC abra o bico, porque vai mal…

    Eu acredito que só pegaram o Burst porque a licença dele deve ser muito mais barata que a licença do original, o que faz sentido, porque o final do Burst é ruim, mas ruim mesmo. (deu para perceber que o Kenichi Sonoda tava de saco cheio com a franquia e quis matar ela)

    E é esta serie que eles trazem para o Brasil, com a desculpa de que são historias independentes (o que não são, você não vai entender nada do final se não tiver lido o original)

    Curtir

Os comentários estão fechados.