Aleatoriedades

Playarte se arrisca em estratégia de marketing genial para “Alma de Ouro”

Todas as últimas vezes que falei de PlayArte e Cavaleiros do Zodíaco aqui no site foram para atacar as péssimas escolhas da empresa no mercado de home video. Para quem não se lembra, a PlayArte foi a responsável por cancelar os boxes de Blu-Ray da série clássica e, depois, perceber que poderia lançar de forma limitada e cobrando um preço absurdo.

Deixando isso no passado, a novidade da PlayArte é a confirmação do lançamento dos discos de Cavaleiros do Zodíaco – Alma de Ouro. Confira:

Eita, me confundi, essa é a notícia de 2016. Me refiro ao que saiu HOJE no Site dos Cavs

(Tô rindo muito que as duas notícias, com três anos de distância uma da outra, começam com um “PODEM COMEMORAR“)

Cavaleiros do Zodíaco – Alma de Ouro é um anime spin-off centrado nos Cavs de Ouro, e foi transmitido no Japão em 2015. Naquele mesmo ano, a PlayArte correu para dublar o primeiro episódio e exibir com exclusividade na CCXP, e algum tempo depois se comprometeu a lançar no mercado de home video. A confirmação desse lançamento ocorrida três anos depois pode parecer apenas atraso e mal-planejamento, mas na verdade se trata de uma estratégia de marketing vanguardista e digna de prêmio. Duvida?

Enquanto alguns otakus mais maldosos afirmam que a PlayArte perdeu totalmente o timing ao lançar uma série que todo mundo já viu em algum serviço de streaming oficial, ela na verdade só realizou isso agora em 2019 após uma análise de sua equipe de marketing. Essas grandes cabeças fizeram um brainstorm e perceberam que os fãs de Cavaleiros do Zodíaco são pessoas muito pegadas a nostalgia, então nunca iriam comprar um DVD de um anime recente. Ou seja, a saída óbvia para garantir as vendas era simples: esperar passar quase meia década para que o anime se tornasse nostálgico na cabeça dos fãs. Genial!

Também fez parte da estratégia da PlayArte aguardar o lançamento de outras séries de Cavaleiros do Zodíaco. A fanbase tem o costume de odiar cada nova produção que não é desenhada pessoalmente por Shingo Araki tal qual o anime original, então a PlayArte tomou a ousada decisão de aguardar a Toei lançar novos projetos, para que estes fossem criticados pelos fãs e fizessem o próprio Alma de Ouro parecer bom na comparação. E vamos ser bem sinceros: os lustradores de Cloth Myths estão até soltando rojão por Alma de Ouro após animações rejeitadas (por eles) como Saintia Shô e Cavs da Netflix.

Agora é só esperar o lançamento para ver se essa estratégia inusitada e agressiva de marketing de nicho afetará o preço do produto. A julgar pelo processo inovador, é muito provável que afete.

8 comentários em “Playarte se arrisca em estratégia de marketing genial para “Alma de Ouro”

  1. Yahahahaha!!! Boa, boa.
    Bricadeiras a parte, n tinha o lance de Alma de Ouro só podia ser lançando apos o término de CDZ Ômega ?

    Bem de qualquer maneira n vai vender, vai cancelar, os fãs vão xiar e ai eles continua lançando a preços absurdos.

    Cara alguem tinha de tirar essas parada da play arte.

    Curtir

  2. Os licenciantes deviam tomar vergonha na cara de tirar CDZ da mão da Playarte. Só dubla tudo o que sair e joga em serviços de streaming!

    Curtir

  3. Alma de Ouro é melhor que o CDZ Neideflix. Qie nunca foi produto pra todos, foi uma tentantiva da Tontoei popularizar a série nos EUA

    Podem até lançar em mídia física porque tem público pra isso só que pelo visto vai ser aquela facada. Mas, quem se importa? O mercado de mídia física tá praticamente morto mesmo.

    Curtido por 1 pessoa

  4. “[…]a PlayArte perdeu totalmente o timing ao lançar uma série que todo mundo já viu em algum serviço de streaming oficial[…]” Não esqueça que ~fã de verdade~ só assiste coisa de Cavs se tiver dublagem em português, de preferência, com termos errad—nostálgicos da época da Manchete (“Venha cobra”, “Me dê sua força, pégaso” e afins)!!!
    Só espero que a box de Alma de Ouro da “PlayArgh” venha com o cheirinho do churrasco, depois de ficar tanto tempo esquecida por lá.
    Aliás, já estou ansioso pela box de Saintia lá por 2025, quando a Toei estiver lançando a nova animação dos Cavs lá no Japão (mesmo com o Jbox sendo pessimista e dizendo que essa deve ser a última coisa de Cavs lançada em mídia física por aqui…)

    Curtido por 1 pessoa

  5. Quando a hora negra chegar e tudo o mais falhar, não se desespere.
    Lance novamente a série clássica.

    Sabe aquele episódio do Cowboy Bebop onde Spike e Jet voltam a terra pra tentar encontrar um videocassete pra eles assistirem uma VHS antiga?

    Pois é. É a referência que eu deixo entre cavs, toei, play arte e os fãs. Ah, os fãs…

    Curtido por 1 pessoa

  6. Interessante lembrar que esse negócio de série de CDZ lançada em mídia física quatro anos depois de seu lançamento no Japão não é a primeira vez aqui no Brasil.
    Só lembrarmos que o mesmo aconteceu com “Hades: A Saga do Santuário”, que só estreou em 2006 em DVD, e no ano seguinte deu as caras na TV pelo Cartoon Network (essa de ter sido exibido pelo CN eu só fui descobrir recentemente, e não se acha nem chamadas da época na internet, só pra dar uma noção de como o negócio foi na surdina).

    O site dos Cavs diz que depois dessa só irá interceder por um lançamento em BD dos filmes (não entendi se apenas os 4 clássicos, ou se o Prólogo do Céu também está no plano), e depois quer distância da PlayArte.

    Acho que a PlayArte e a A2 Filmes (selos Focus e Flashstar) estão precisando de uma concorrente que realmente faça as coisas do jeito certo, ou já está na hora de aceitar que mercado de home video para animes no Brasil morreu, e que só está faltando enterrar (ou levar realmente como algo apenas para um pequeno nicho, sem muita pretensão).

    Outra que precisa superar esse negócio de priorizar home video e TV é a Toei, que poderia estar melhor no Brasil se não ficasse segurando tanto seus produtos só por não conseguir viabilizá-los nessas duas formas.

    Curtir

Os comentários estão fechados.