Mercado Nacional

Henshin Online: morreu ou foi para a Record?

A estratégia de marketing mais comum que vemos em grandes editoras de mangá é adquirir os direitos para um título, lançá-lo, colocá-lo nas bancas e torcer para que Kami-Sama venha do céu iluminar a mente de cada otaku com a mensagem “o título XXX está na banca te esperando“. Quando não estão dependendo de sites amadores que fazem gratuitamente a divulgação do produto por conta própria, estão lançando um PDF online com os títulos e achando o máximo do marketing.

Na contramão disso tudo, há algum tempo a JBC teve uma ideia super-interessante: um programa semanal chamado Henshin Online, publicado no YouTube. Criado durante a gestão do antigo editor Cassius Medauar, o Henshin Online é um dorama semanal em que o editor mostra as novidades da editora, explica eventuais problemas e mantém o público informado sobre os mangás. Mesmo tendo um começo um pouco desengonçado, logo se tornou uma forma muito boa para se atualizar sobre a JBC.

Algumas outras editoras até tentaram seguir uma linha parecida, mas sem um êxito parecido: a Panini criou o Planet Time, que foi enterrado após uma série de vídeos fazendo divulgação de mangás esgotados, e a NewPOP realiza (longuíssimas) lives em que Junior Fonseca, dono da editora, revela novidades e pergunta se as pessoas estão ouvindo ele.

Enquanto alguns editores pensavam que a chave para divulgar os lançamentos de mangá era, sei lá, bancar uma propaganda no horário do Jornal Nacional, a JBC compreendeu que seu público estava na internet e que a conversa deveria ser feita lá. Porém, após a saída do Cassius Medauar da JBC, o Henshin Online começou a desandar.

O dorama semanal perdeu um pouco do dinamismo, passou a ser um pouco mais arrastado do que deveria, e catingiu o nível Hunter x Hunter de hiatos. Simplesmente chegava na sexta-feira e rolava um aviso nas redes sociais sobre a ausência de novo vídeo, até chegarmos no ponto desta última sexta (21) em que a editora nem se manifestou sobre o Henshin Online.

Semana passada houve um aviso de que não haveria vídeo da Henshin Online, e que haveriam novidades nos stories do Instagram. Fui curiosa para conferir e não encontrei nada no instagram da Henshin… até perceber que na verdade os stories estavam no Instagram da Editora JBC (pra quê dois canais diferentes para a mesma coisa? Também não consigo entender). O que havia lá era uma espécie de “Henshin Online adaptado para o formato dos stories”, dizendo as mesmas coisas dos vídeos no YouTube, mas com menos iluminação e definição.

O que podemos imaginar é que, até por praticidade e por não precisar de edição, a JBC provavelmente vai adaptar o Henshin Online do YouTube para os stories do Instagram. Por um lado parece uma ideia boa, afinal o Instagram tem ocupado o espaço do Facebook muito rapidamente, mas me pergunto o quão fácil será encontrar a informação na Internet. Por mais que eles arquivem os stories no perfil oficial, se eu procurar no Google alguma informação ele não vai me sugerir a rede social da editora.

Vamos acompanhar como será agora, e se voltaremos a depender de informações escavadas por sites independentes.

9 comentários em “Henshin Online: morreu ou foi para a Record?

  1. Olha, antes colocassem no igtv. Esse negócio de stories tá meio tenso. Aliás, como a Mara disse, PRA QUE 2 INSTAS PRA MESMA COISA? Idem pro Twitter. Mantenha 1 só, JBC! Facilita pra vocês e pra gente!

    Curtir

  2. Administração Del Greco indo de vento em popa em ? Yahahahahaha!!!!
    N estou surpreso, essa dinâmica era muito boa pra ser aplicada no mercado BR q age como se ainda tivesse nos anos 90.
    Uma pena, curtia o Henshin online da maneira q era e passava uma transparência bacana pro leitor. Agora se essa do Instagram pegar blz, mas eu q n vou acompanhar…

    Curtir

  3. Toda vez que um ator famoso some das novelas da Globo, o povo costuma dizer que ou morreu ou foi pra Record.

    Curtir

  4. Estamos na era Marcelo TROLL Del Greco! Era Ótimo acompanhar Cassius Medauar e suas news semanais, para vender o peixe da editora; eu acompanhava cético sobre o que pretendia ao não comprar, ai o Cassius me convencia e eu ficava sempre alerta em busca de uma novidade. E funcionava! Marcelo Del Greco é um chato pra informar ou divulgar alguma coisa, cadê o selo Ink Comicas? O que diabos é esse selo? Que proposta tem? Jaspion? Eu sei o que é Jaspion, mas se for sair como na divulgação do selo Ink Comics da JBC, prevejo uma morte prematura. Tomara que onde Cassius Medauar estiver trabalhando, que seja muito produtivo, criativo e se supere. Marcelo Del Greco é Marcelo Del Greco dispensa Selo, Tokusatsu ou a antiga promessa de que o Brasil nunca editaria um mangá de capa dura, olha que estamos em era de crise editorial e econômica…

    Em Resumo, não da pra acreditar ou esperar informação nas divulgações de Marcelo TROLL Del Greco, o Henshin Online se não Morreu esta minguando.

    Curtir

  5. “(pra quê dois canais diferentes para a mesma coisa? Também não consigo entender)”
    [2]

    E como se não bastasse, a loja física deles não teve nem JBC nem Henshin no nome, mas criaram uma 3° marca: Japorama.

    Curtir

  6. Achei que a estratégia de marketing das editoras era adquirir um titulo, cadastrar na ISBN, esperar a noticia sair no Jbox/Crunchyroll e confirmar o lançamento (ou falar que é um equívoco).

    Eu até acompanhava o Henshin Online no Youtube, mas não posso assistir aos stories, já que não tenho Instagram. O jeito é depender do BBMang… digo, de sites independentes.

    Aliás, será que voltaremos aos ~anúncios inovadores~ do Del Greco, tipo aquele do Lost Canvas Gaiden (através de uma “foto com easter egg” no Face? https://www.jbox.com.br/2012/04/20/editora-jbc-anuncia-lost-canvas-gaiden/)?

    Curtir

  7. Melhor coisa que aconteceu com a JBC foi a vinda do Cassius e a saída do Del Greco. Até meados de 2011 a JBC estava tomando um banho da Panini em muitos aspéctos… ai veio o Cassius, ajeitou a casa, trouxe coisas interessantes, popularizou relançamentos com offset bom como Love Hina, Yuyu e etc (ao contrários dos relançamentos em qualidade duvidosa da era Del Greco, como eva e cdz).

    Agora a JBC devolta ao comando do Del Greco, que já deu sinais que não evoluiu com o tempo, tendo em vista a qualidade dos lançamentos do selo ink, sua resistência a lançar só o que ele gosta e sua passagem duvidosa pela Nova Sampa, é preocupante. Ele foi bom lá nos anos 90 com a revista Heroi, no começo da era dos mangas, mas hoje… não. E com a Panini cometendo tantos erros e a Newpop que ainda não saiu do fundo do quintal, não tenho expectativas para o futuro.

    Curtir

Os comentários estão fechados.