Animes

Com dublagem de Mob Psycho 100 s2, Crunchyroll mostra alternativa às “legendices”

Durante muito tempo, a única forma de se acompanhar a animes recentes no Japão era através de legendas de fansubs. Era meio o que dava pra fazer com tão poucos recursos e dinheiro, então se criou a imagem de que esta era a melhor forma de se acompanhar os animes. Algum tempo depois, emissoras de TV paga descobriram a mina de ouro que é oferecer programação dublada em seus canais, e esse pensamento seguiu firme e forte nas plataformas de streaming.

A Crunchyroll parecia o último recanto das produções legendadas e, desde o finalzinho de 2017, tem apostado em mandar algumas de suas séries para dublagem. Pra estrear o recurso escolheu três séries não-tão-famosas-assim e arriscou uma dublagem em Campinas, mas nas produções seguintes optou por mandar em estúdios de dublagem famosos do Rio de Janeiro e São Paulo. A capital paulista, mais especificamente o estúdio Unidub (Dragon Ball Super, Your Name), ficou com a dublagem de Mob Psycho 100, o anime cujo maior mérito é a fazer a gente descobrir que o ONE é capaz de fazer uma história muito boa e divertida.

Assisti à primeira temporada de Mob Psycho 100 (ou pelo menos boa parte dela, já que larguei nos últimos episódios por motivos que nem eu mesma sei) com legendas, e tive uma experiência parecida com a de outros animes. Ver uma série legendada é uma forma válida de se acompanhar um anime, e tem alguns méritos como o de você ouvir as interpretações originais dos atores japoneses. No entanto, você nunca vai ter uma experiência parecida com a do público original, pelo fato de que você tem uma coisa a mais para prestar atenção na tela, o texto.

Por mais que você diga que tem leitura dinâmica, acompanhar um anime com legenda é uma experiência parecida com a de conversar com um cara olhando para a sunga dele: você pode ter até uma noção da diversão do negócio, mas você não vai ter uma ideia do todo (não consegui pensar em outra comparação, me desculpem os otakus puritanos). Isso porque não tô nem entrando nos vícios de legenda de fãs que foram surgindo com o passar dos anos, que colocam notas de rodapé, palavras japonesas sem tradução para “ser mais fiel” e por aí vai.

Quando fui convidada pela Crunchyroll para ver a pré-estreia dos três primeiros episódios de Mob Psycho 100 II num cinema de São Paulo, não esperava a experiência que teria. Assistir a um anime tão bem feito assim sem precisar prestar atenção em legendas foi um deleite bem grande. A animação de Mob Psycho 100 é linda, tem nem o que contestar isso, e não precisar a cada diálogo levar meu olho para a parte de baixo da tela é muito bom.

Claro que ajuda o fato da dublagem ser bem feita. A dublagem da primeira temporada (que acompanhei quando reassisti à série) tem alguns problemas de timing no humor, e não sou a maior fã do Vagner Fagundes dublando o coach paranormal Reigen. Por sorte, na segunda temporada o dublador estava mais inspirado e incorporou melhor o personagem… às vezes ele é como um carro a álcool e precisa aquecer um pouco antes de sair da garagem. Já o dublador do Mob, o Ítalo Luiz, continua ótimo como na primeira temporada e fica nada a dever ao original.

Alguns podem ler esse texto como uma declaração de preferência à dublagem, mas deve ter uma galera que vai ler isso como um “abaixo à legendas! Morra quem gosta de legenda!!!1“, o que não é o caso. Tanto a dublagem quanto a legenda são formatos que oferecem muitas qualidades, mas nenhum é capaz de oferecer 100% a experiência ideal. Cada um tem seus prós e contras, e fica a critério da pessoa escolher a forma que ela prefere ver a série. Ou seja: o importante é a plataforma oferecer as duas formas ao público, como a Crunchyroll tem feito com alguns animes. E continuo torcendo para que cada vez mais animes ganhem dublagens (mas só se forem boas, ao contrário de Maid-Dragon ou o isekai do smartphone).

Para quem ficou curioso para ver a segunda temporada de Mob Psycho 100 II, a dublagem da temporada inteira entrou no ar hoje (14) na Crunchyroll. Vale a pena ver.

10 comentários em “Com dublagem de Mob Psycho 100 s2, Crunchyroll mostra alternativa às “legendices”

  1. “acompanhar um anime com legenda é uma experiência parecida com a de conversar com um cara olhando para a sunga dele: você pode ter até uma noção da diversão do negócio, mas você não vai ter uma ideia do todo”. Hum…sei, sei…
    E acho besteira esse negócio de idolatrar legenda pra se manter puro ao sentido original, quem é iniciado em japonês nem precisa de legenda, e elas só atrapalham. Ao mesmo tempo, as dublagens fora de contexto muitas vezes matam o sentido original da produção. Mas acho engraçado que só otakus chiam com isso ( não vi ninguém reclamar das vozes d ‘Os Vingadores em comparação com as vozes dos atores originais, por exemplo.
    E só discordo de uma parte: o anime do smartphone é un guilty pleasure mas a dublagem deixou ele muito melhor. Já a de Maid Dragon…(e ambos foram feitos no mesmo estúdio, o Wan Marc).

    Curtir

  2. Só assisti o preview que a crunchy liberou do primeiro episódio e a interpretação do dublador do Mob me deu um nó na garganta genuíno, que eu não senti qnd assisti o original pela primeira vez. Então meus parabéns pra ele.

    Curtido por 1 pessoa

  3. esse site sabe meter o pau e puxar o saco na mesma proporção. Primeira fala mal da dublagem do Vagner Fagundes, depois viu que ia dá ruim, pois falou mal indiretamente do crunchyroll. Agora faz uma matéria pra puxar o saco do crunchyroll.

    Curtido por 1 pessoa

  4. MARA VC É ESQUERDISTA MARA ASSUMA PARE DE ENGANAR A GENTE QUE NOS SABE MARA

    ODEIO ESSE PORTAL SÓ TEM COISA DE ESQUERDA CADE Q VC FALA BEM DE BOLSONARO???????????????

    Curtir

  5. Vi no Cherarola TV o Mob e achei competente a dublagem, aliás no geral é boa.

    Única coisa que eles acertam muito nisso.

    Curtir

  6. Eu até assistiria pelo Crunchyroll, mas o serviço deles e uma merda. Eu to com uma porra de internet de 160 MB q roda qualquer streaming liso. Seja pelo pc ou PS4, seja oficial ou pirata. Mas eu vou usar essa porra e trava toda hora, pula episodio do nada e duplica audio.
    Mas ao invés de resolver isso o camarada responsavel pelo serviço aqui prefere fazer piadinha com otaku ou chorar q a pirataria prejudica ele. Bem quem perde cliente é eles.

    Curtido por 1 pessoa

  7. Se tu não consegue aproveitar 100% um anime por causa das legendas, então tu não conseguiu aproveitar mob mesmo dublado. A animação de mob muitas vezes tem trocentos elementos na tela, se uma simples legenda te deixa tiltado então duvido muito que tirar ela faça mt diferença pra vc. To achando que tu ta é justificando a preguiça mental de assistir algo com legenda.

    Sobre dublado x legendado vale lembrar que os seiyuus trabalham junto com o diretor da série. Por melhor que seja a dublagem, a versão original sempre vai estar mais perto da visão do diretor.

    Curtir

  8. Não tenho muitos problemas com legendas:são três décadas e meia de prática, desde que fui assistir a “E.T.” no cinema com sete anos de idade(*)! Dá pra ler em dois segundos e voltar a atenção pra cena. Se eu conheço o idioma, aí é que vou preferir mesmo ver legendado.

    Na verdade, em certos casos, como comédias, se a dublagem estiver boa eu assisto em português mesmo, mas também com legenda! Certas traduções, como a dos “Simpsons”, são campeãs em piadas perdidas, e onde a dublagem erra, a legenda costuma acertar. E vice-versa!

    (*) Sim, sou velho! Tenho 43 anos, uma mulher, dois pirraias e uma coleção homérica de gibis e desenhos. Minha amada às vezes reclama, mas aí eu lembro ela que ela mesma tem a sua homérica coleção de figurinhas!

    Curtir

  9. Especificamente quanto aos animês, acho que, pra mim, dublado é melhor. Pessoalmente, não gosto da escola japonesa de interpretação pra desenhos. Quando as atrizes não fazem aquela voz taciturna, tipo a Ravena dos “Jovens Titãs”, elas gritam e guincham. E os atores passam metade do tempo gritando, se o personagem é jovem, ou o tempo todo com a mesma voz grossona, se for adulto/velho.

    Imagino que já seja um clichê, na falta de uma palavra melhor, no sentido de algo que o público já espera de tais personagens por lá, e portanto os diretores orientam os “dubladores” (como você chama um ator que dá a voz pra um desenho que ainda não foi feito?) a impostar a voz dessa maneira. Mas ainda assim acho chato.

    Curtir

Os comentários estão fechados.