Mercado Nacional

JBC se explica a respeito dos mangás dela que sumiram das lojas

Em meio ao caos editorial que se instaurou com a crise na distribuição, a JBC tomou uma atitude drástica: parou de mandar seus mangás para bancas e optou por um modelo no qual ela lança vários volumes ao mesmo tempo.

Como otaku é um bicho que já foi muito picado pela cobra que atende pelo nome de “mangás da Panini que somem das lojas em menos de 3 meses“, todos ficamos aflitos com a ideia de ter… sei lá… quatro volumes de My Hero Academia para comprar de uma única vez em vez de pegar só quando eu tivesse dinheiro. Para evitar isso, a editora avisou que os títulos estariam sempre disponíveis nas lojas, então ninguém precisaria se preocupar em correr pra comprar as coisas tipo o que rola com as coisas da Panini.

Mas será que deu certo MESMO?

Essa semana eu vi um tweet que me chamou a atenção. O Troca Equivalente postou que estava meio difícil encontrar os três volumes finais de Fullmetal Alchemist, que foram lançados outro dia mesmo. Querendo confirmar essa tese, fui até a Amazon mais próxima e constatei que os volumes estavam tão esgotados que estavam sendo vendidos por 70 reais por vendedores oportunistas. Setenta reais num mangá é um absurdo que otaku não está disposto a pagar, a não ser que venha com uma capa dura e um marca página porque aí passa a compensar.

Outro episódio recente me deixou um pouco pistola. Estou com a grana meio curta, então mês passado precisei escolher o Rosa de Versalhes e deixar os quatro últimos My Hero Academia para pegar depois. Quando passei na famosa loja Comix essa semana para comprar os mangázinhos do Deku, fui pega no susto que o 13º volume tinha acabado. Como assim??? Ele havia saído há poucas semanas! Estaria eu sendo enganada pela JBC, que paninou de vez e agora os mangás são encontrados a preços inflacionados?

Antes que qualquer protesto fosse feito, Cassius Medauar (o editor responsável pela JBC) se pronunciou durante o mais recente Henshin Online (o vídeo semanal da editora que atinge muito mais gente que responder coisas no Facebook). Falando sobre a situação de Fullmetal Alchemist, ele explicou que o mangá se esgotou na maioria das lojas, e que a reposição está a caminho pois os mangás já estão na gráfica. “Em março eles já devem estar voltando para as lojas”, explicou nosso editor sem orelha.  

Pelo amor de Kami-Sama, alguém da JBC pode arrumar aquele mangá com a orelha dobrada? Está assim há muitos Henshin Online!

Para quem estava cobrando os volumes, ele explicou que a JBC não possui uma máquina mágica que faz a reimpressão acontecer no mesmo dia, precisa uma série de processos que eles têm feito mais rapidamente. E terminou falando que as reposições de My Hero Academia e The Seven Deadly Sins seguem numa boa e que os mangás podem ser encontrados facilmente (se não em uma loja, em outra). Volumes de mangás mais antigos, como eles já falaram, é uma negociação mais complicada.

Então é isso. Estamos há poucos meses desse novo esquema de distribuição da JBC, e até o momento as coisas estão caminhando como o planejado. O próprio My Hero Academia que eu apontei estar esgotado na Comix está disponível em outras lojas, até com desconto. Há também a saída dos volumes digitais, que não esgotam e agradam o anti-acumulacionismo de Marie Kondo.

Vamos continuar acompanhando o serviço deles, porque o que menos precisamos nesse momento é mais uma editora que nos faça ter que correr para as lojas com medo de esgotar um mangá.

16 comentários em “JBC se explica a respeito dos mangás dela que sumiram das lojas

  1. “Paninou” irei usar esse novo verbo da língua otakes. Sobre os mangás acabar… é algo que sofro, por isso resolve não começar mais nenhuma coleção (e porque tá tudo uma facada no coração). Agora só compro mangás em promoção de livraria, e tem que ser uma promoção muito boa.

    Curtido por 3 pessoas

  2. O termo “paninou” me deixa extremamente triste porque me lembra que a maioria dos mangás tailandeses de lutinha que eu gosto, estão na mão da Panini. Será que você poderia parar de usar esse termo, para que eu não chore de novo quando lembro-me que, jamais terei o volume 1 do Naruto loiro na minha estante? Obrigado, Mara. ;-;

    Curtir

  3. Eu sou desse q ta comprando FMA a conta gostas, já q a JBC me ferrou quando sai das bancas ( entendo o motivo e acho valido, mas ainda sim me atrapalhou infelizmente). Bem vendo a eles tão de olho já é algo q me deixa tranquilo.

    Curtir

  4. aliás por agora só vou continuar com hunter x hunter e d.gray-man por causa dos hiatos.
    lembrando que a panini manda alguns mangas pra geladeira, então sinto que d.gray-man pode parar por lá também

    Curtido por 1 pessoa

  5. O rosto da mulher ao lado do Cassius me fez ficar na bad, como se ela soubesse o que aconteceu de verdade, mas não pode falar.

    Curtido por 2 pessoas

  6. Essa prática oportunista de comprar várias ediçoes repetidas. Pra quando esgotarem, venderem custando os olhos da cara, me faz lembra da crise dos anos 90 em que a Marvel reiniciou as numeraçoes da revista e até quem nao curtia hqs compraram varias ediçoes pra fazerem um “investimento “.

    Só esperando os relançamentos, pra ver a bolha estourar e esses mercenários quebrarem a cara. E parabéns a JBC por nao deixarem quem realmente curte hqs, nas maos desses canalhas.

    Curtir

  7. Um absurdo isso. Será que FMA vende tão pouco a ponto da negociação de reimpressão ser tão travada? Nem é um mangá antigo isso que mais me irrita. Os antigos então nem se fala. Eu tô desde 2015 tentando completar Rurouni kenshin e falta ainda 10 números. Vou completar fma e parar porque esse mercado de mangás do Brasil é um lixo.

    Curtir

  8. Magi 34 e 35 sumiram das lojas e não encontro mais. Foram lançados em dezembro pela JBC… pode isso?

    Curtir

  9. “Setenta reais num mangá é um absurdo que otaku não está disposto a pagar, a não ser que venha com uma capa dura e um marca página porque aí passa a compensar.”

    Acho que a cabeça de um fã de Cavaleiros que coleciona o kanzenban funciona mais ou menos assim.

    Curtido por 1 pessoa

  10. Eu já comentei sobre esse assunto em posts lááá atrás, quando esse “modrlo” da jbc entrou em vigor.

    Entre uma ironia sarcástica ou sarcasmo irônico, eu devo ter escrito algo como,

    “A culpa dessa bagunça também é de quem compra”, algo do tipo.

    Enfim, não fiquem chateados.
    C’est La Vie.

    Curtir

  11. Fui comprar a coleção de Alita para dar de presente para um amigo, mas não achei completo para comprar na Amazon. Pensei em começar a coleção de Children of the Sea, não achei o 3º volume. Fora que não acho o último volume de Zelda e o 4º de Ancient Magus Bride. Tá difícil colecionar, não só tá tudo mais caro, como você tem que comprar na hora, pois corre o risco de não encontrar mais depois de poucos meses de lançamento.

    Curtir

  12. Já estamos na metade de Março e a reimpressão prometida pa jbc ainda não saiu do papel. Volumes na reta final de Fma continuam custando mais de 50 reais. Essa será a última coleção que farei e vou largar de vez isso de mangá. Elas gostam é de fazer o brasileiro de trouxa.

    Curtir

Os comentários estão fechados.