Animes

Dois anos após festa com kombi de chopp, Cavaleiros e Dragon Ball se despedem da Rede Brasil

Assim como o brasileiro tem um grande fetiche pela categoria “novinhas” nos sites pornôs, a grande idealização erótica do otaku médio brasileiro é o sonho do retorno da Manchete. Contaminada pela nostalgia e pelo Mupy de maçã, a pessoa acredita cegamente que a fase da Manchete foi o paraíso na terra, com a exibição irrestrita de animes sem corte e de vários gêneros, ignorando reprises, troca de horários, animes idênticos e, sobretudo, o desrespeito com o público que assistia a esse canal.

Mesmo assim, qualquer outra tentativa de uma emissora trazer animes no Brasil ganhava a torcida por ser uma nova Manchete no Brasil. Foi assim com a Record (na época de Pokémon-SailorMoon-UltramanTiga), na Band (DragonBall-TenchiMuyo-Bucky), SBT (Naruto-OnePiece-BlueDragon), Canal 21 (Ranma1/2-LoveHina-Trigun) e até mesmo a RedeTV (FullmetalAlchemist-HunterxHunter-SuperCampeões). A Manchete da vez era a Rede Brasil, que conseguiu um contrato com a Toei para exibir as versões remasterizadas de Dragon Ball Z e dos incansáveis Cavaleiros do Zodíaco, alardeados com uma grande festa com kombi de chopp, cloth myths decorando bolos e a presença da Miss Pará (!?).

Foi um sucesso, mais de repercussão e produtos licenciados que de audiência. Inclusive os responsáveis pela emissora e pelos direitos autorais disseram várias vezes que queriam ser como a Manchete. Dito e feito, a Rede Brasil fez tudo o que esperaríamos da emissora do Seu Bloch: mudava de horário como a Katy Perry muda de roupa num show, começava reprises do nada além de discutir ãnimes nos programas da casa com um toque de Sonia Abrão.

Por fim, chegou a hora da Manchetada final. Após não exibir Cavaleiros do Zodíaco no último dia 15 (sábado, que era o novo dia do negócio) e de não passar Dragon Ball Z no dia 17 (em sua enésima mudança de horário), a Rede Brasil atualizou suas redes sociais avisando que o contrato chegou ao fim e ainda explicaram que Toei não quis mais. Confira:

Então é isso, a nossa nova Manchete brasileira perdeu os animes cheirando a mofo, mas ainda tem coisa otaka sendo exibida. Segue no ar a Crunchyroll TV (que atualmente exibe o isekai do smartphone, aquele anime da viciada em MMO, Free e Bungou Stray Dogs) e o pessoal do Senpai TV. Ou seja, teremos animes modernos na televisão, o que é até bom. Afinal, quem é que gostaria de exibir atualmente um anime de décadas atrás cheirando a mofo, não é mesmo?

Ah….

19 comentários em “Dois anos após festa com kombi de chopp, Cavaleiros e Dragon Ball se despedem da Rede Brasil

  1. Faz tempo que o sinal desse canal não pega no conversor de casa. E quando pega e uma tristeza. Onde a Toei foi colocar seus animes, viu?

    Retirar o Senpai TV teria sido melhor, quem sabe na próxima.

    Curtido por 2 pessoas

  2. Engraçado eles falarem no comunicado que ainda tem Black Clover na programação, sendo que já desde dois fds atrás, o substituiram por exibições extras de BSD e Free, atrapalhados esses caras kkkk

    Curtido por 1 pessoa

  3. Ao menos a Rede Brasil agora tem seu YuYu Hakusho. Aquele isekai tosco que tá passando agora tem o protagonista dublado pelo tiozão que dublou o Yusuke lol

    Curtido por 1 pessoa

  4. Te dizer q durou muito ainda.
    Pelo andar da carruagem achei q duraria menos, bem logo o Crunchyroll TV deve roda tbm.
    E po até q enfim alguem mandando a real sobre a machete. Porra o formato de exibição era terrivel e tinha mais reprise q outra coisa, nostálgista tinha era q tomar uns socos de realidade.

    Curtido por 3 pessoas

  5. @Ken-Oh, tá estreiando uns animes novos no bloco, mas com essa gestão questionável tanto por parte da CR quanto da emissora, tô impressionada que ainda passa.
    Mas pra mim, pior ainda que os que enaltecem a era da Manchete a qualquer custo, são os que ficam chorando pra SBT e a Globo voltar a passar animes, sendo que eles passavam tudo mais picotado e editado que a pqp

    Curtido por 1 pessoa

  6. Querem ter o produto na TV só pra zapear e dizer “que legal, tá passando anime”.
    Mas convenhamos, quem é que vai limitar-se a assistir um episódio por dia (de um anime que todo mundo já viu), num horário pré-estabelecido quando criaram há pouco tempo um negócio chamado internet?!

    Curtido por 1 pessoa

  7. Voces queria o que de um canal que a tempos atras exibia producoes ilegalmente e ainda continua questionavel na maneira como adquire material pra exibição? Acho estranho até fazer parcerias com um canal assim, convenhamos.

    Curtido por 1 pessoa

  8. Droga e agora como vou assistir meus animes favoritos que já passaram 50 vezes na TV aberta? se pelo menos existisse um serviço em que eu pagaria uma mensalidade e assim tivesse acesso a um catálogo de várias produções nipônicas pra assistir a qualquer hora e lugar.

    Curtido por 1 pessoa

  9. Quem lembra de um grupo de fãs que anos atrás fez uma campanha pra arrecadar grana e ressuscitar a gloriosa (pfff) Manchete? vergonhoso, não entra na cabeça dessa gente que desenho/anime é só tapa buraco na programação dessas emissoras, é mais rentável vender o horário pra igrejas evangélicas do que passar desenho mofado pra alimentar nostalgia de marmanjo.

    Curtido por 1 pessoa

  10. Bom, pelo menos a Rede Brasil dá alguma importância para os fãs de anime, só isso explicaria a emissora ter o trabalho de colocar uma mensagem tanto no ar quanto nas redes sociais.
    De qualquer forma, é bom vocês continuarem a Crunchyroll TV enquanto podem, pois, iniciativas de exibição de animes na TV estão cada vez mais raras e não estão durando muito tempo.

    Curtido por 1 pessoa

  11. Ou a Toei cancelou a parceria pra fechar com a Band que não fechou com a Disney… ou foi a própria Rede Brasil que cancelou pq viu que não valia a pena pagar por esses desenhos mofados do mesmo modo que as outras emissoras locais do porte dela não pagam (e os exibem da mesma forma).

    O importante é que tem Free! com muito romance. Eu amo animes de romance com traços bonitos.

    Curtido por 1 pessoa

  12. Durou até bastante tempo, no começo eu não dava 1 ano pra acabar, e de qualquer modo, CDZ já estava na sua 4ª ou 5ª reprise, DBZ não chegou a passar Boo mas até Cell foram umas 3 reprises, e ainda veio a mudança de horário…nesse caso parar de passar nem faz falta, pode até ser benéfico, porque a emissora pode dar uma atenção especial ao Crunchy TV, que é muito mais interessante, e quem sabe negociam de uma vez a exibição de Lost Canvas.

    Curtido por 1 pessoa

  13. Eu ja dei minha opinião sobre manchete, rede brasil e animes antigos em posts anteriores, então não me repetirei.

    No entanto, o “artista” mediocre tem a platéia que merece e a platéia obtusa tem o artista que merece.

    Curtir

  14. Sério que Dragon Ball Z ainda não está em streaming gratuito com propagandas?

    Curtir

  15. Quanto sera que custaria para uma emissora brasileira comprar os 146 episodios de Hunter X Hunter?

    Dragon Ball Z, Cavaleiros do Zodiaco. essas emissoras de TV esquecem que tem Hunter ♡ Hunter, o classico dos classicos. e digo mais, merecia ate um Live Action EUA. DBZ, Akira, Naruto, One Piece, SAO, Gundam, Alita, Cowboy, Ghost, Robotech, My Hero, Attack on Titan, ate Your Name… nada de Live Action de Hunter X Hunter (e um absurdo isso)

    Curtir

  16. Até que ficou tempo demais nessa emissora chumbrega, cujo sinal nem pega mais direito na TV aberta. Pode tentar o 10.1, 50.1 ou 57.1 que são as faixas do canal na Grande São Paulo, ou fica fora do ar ou aparece tudo quadriculando.

    E convenhamos, os virjões que ainda se iludem com um boom de anime ou tokusatsu novamente na TV aberta não são apenas saudosistas, são masoquistas mesmo.

    Ao rapaz que perguntou sobre HxH: em 2010 um desses jornalistas especializados pegou em mãos o contrato para licenciamento de Gurren Lagan. Cada episódio sairia por 2000 dólares, sendo cobrado por fora o licenciamento de produtos e lançamento em mídias físicas e/ou digitais. Devem ter havido variações nestes quase 10 anos de diferença, logo a saga de Gon custaria por volta de 1 milhãozinho de talqueis, com os mimos negociados à parte. Valeria a pena pagar por isso em um título sem qualquer marketing e sem certeza de retorno de audiência?

    Curtido por 1 pessoa

Os comentários estão fechados.