Aleatoriedades

Filme de Yu-Gi-Oh chega ao Brasil e usa o “Monstro Que Renasce” nos dubladores originais

Curtir o anime de Yu-Gi-Oh é praticamente uma sessão de masoquismo pesado, e olha que não estou falando dos pouco confortáveis trajes de couro usados por Yugi em boa parte da série. Além de ser extremamente picotado pela 4Kids, a versão brasileira ganhou ares de bagunça generalizada por mudanças constantes de dubladores, termos e com uma mariposa traduzida como “boca” (“moth”/”mouth”). O pobre Bakura, coitado, deve ter tido 57 vozes na centena de episódios que participou, sem contar o finado José Parisi Jr dublando todos os figurantes de vozes masculinas (além do vilão Marik).

Considerando a zona completa que é essa dublagem, é até bem louvável o que fizeram com o mais recente filme, “Yu-Gi-Oh! O Lado Negro das Dimensões” (lançado em 2016 no Japão). O filme será lançado no Brasil no próximo dia 1º de novembro, exclusivamente nos serviços Looke, NOW, iTunes, Google Play, Vivo Play e Microsoft Store. O título foi trazido pela empresa Encripta, que fez algo nem tão comum assim para lançamento de animes grandes no Brasil: cuidado com a dublagem.

Segundo o release que recebi da empresa, eles chamaram boa parte dos dubladores originais de Yu-Gi-Oh para esse longa, inclusive o sr Marcelo Campos. O dublador não gritava a frase “yugioooooh” há quinze anos, e se mostrou muito feliz com o retorno. “Voltar a dublar Yugi depois de mais de 15 anos é um reencontro incrível que parece uma viagem no tempo“, comentou o dublador em algo que eu quero acreditar ser uma indireta por ele não ter feito o filme de Yu-Gi-Oh sobre viagem no tempo (quando o Yugi foi dublado por Marco Aurélio Campos).

Além de Marcelinho, vários outros nomes do anime retornaram. O Kaiba será dublado pelo mesmo Mauro Eduardo, o Joey ainda tem a voz de Rodrigo Andreatto assim como o desinteressante Tristan continua com a voz de Vagner Fagundes. Surpreendendo até a mim, a voz de Tea será de Melissa Garcia, a primeira voz do anime (e a mais adorada pelos fãs e pelo Sahgo). Outros personagens ganharam vozes de versões mais recentes: Thiago Longo é o dublador do Mokuba e Fábio Lucindo será o Bakura (ele foi um dos 57 dubladores do personagem).

 

Terminando a lista, o Shadi será dublado por Cassiano Ávila, Sera por Monalisa Capella, Mannu por Dlaigenlles Riba (não é typo) e, por fim, o personagem principal Aigame será feito por Marco Aurélio Campos, nada menos que o dublador substituto do Yugi.

Vamos ver se o filme, que chega dia 1º de novembro (como já disse) vai valer a pena esse esforço para reunir as vozes.

12 comentários em “Filme de Yu-Gi-Oh chega ao Brasil e usa o “Monstro Que Renasce” nos dubladores originais

  1. Pena que não será disponibilizado na Netflix ou no Crunchyroll. Quem sabe algum dia eu alugue/compre na Microsoft Store.

    Curtir

  2. Po isso foi maneiro pra caramba e outra desde q volto a dublar DBS, Marcelo Campos pegou outros trabalhos, ele tá até na serie animada lá do Operação Big Hero dublando o vilão.
    Bem n curto esse filme, apesar do desenvolvimento otimo do Yugi, acho ele arrastado pacas, talvez veja dublado só pela nostalgia.
    E aprende ae Netflix.

    Curtido por 3 pessoas

  3. Só pelo filme ter chegado mais rápido (ou com menos atraso) que “Vínculos Além do Tempo”, já é um progresso.
    Claro que nenhum dos dois superará a rapidez com que “Pirâmide de Luz” chegou por aqui (apenas duas semanas após a estreia nos Estados Unidos, e dois meses antes da estreia no próprio Japão).
    É dizem que além do filme, em breve teremos ainda Yu-Gi-Oh! ARC-V e Yu-Gi-Oh! VRAINS com dublagem realizada pela Atma Entretenimentos.

    Quanto a dublagem, a reunião das vozes clássicas só não foi completa porque o Shadi e o Solomon não terão nenhuma das três vozes que cada um teve anteriormente.
    Mas, de resto, nos brasileiros tivemos muito mais sorte que os mexicanos, cuja dublagem latina não reaproveitou praticamente nenhuma voz clássica.

    Lamentável é ver que o Marcelo Campos já demonstrou diversas vezes disposição em dublar o Yugi (principalmente nos dias de hoje, onde dublagem já não é a sua prioridade), e não existir nenhum plano de providenciar a redublagem, pelo menos, do Yugi, no filme “Vínculos Além do Tempo”.

    No mais, dado o lançamento em serviços menos prestigiados, tomara que a pirataria não cause danos expressivos ao filme em si, e que futuramente se possa considerar algo que a PlayArte deveria ter considerado antes (ao invés de preferir o Yu-Gi-Oh! Duel Monsters): lançar os três filmes em DVD e (ou) Blu-Ray num único box (o que parece ser mais vendável do que lançar as séries nesse mesmo esquema).

    Curtido por 3 pessoas

  4. ” tomara que a pirataria não cause danos expressivos ao filme em si”
    Aí já quer demais né? Dou uma semana pra achar DVDs piratas dele por aí!

    Curtir

  5. É muito bom sim a volta dos dubladores clássicos no filme, mesmo sendo a versão EUA, que deve censurar algumas cenas(ou não) e muda a trilha sonora(certeza), mas prefiro assim do que nunca ter sido dublado.

    Curtir

  6. O que vocês esperavam de uma IP da Konami? A empresa nunca soube trabalhar adequadamente o licenciamento por aqui. E olha que a Nintendo por mais problemática que seja ainda consegue manter alguma coisa.

    Curtido por 1 pessoa

  7. Cês sabem o quanto essa franquia faz o povo gastar em cartinhas? O META GAME É OPRESSOR, não dá pra jogar na vera sem gastar uma bagatela.
    Nem mesmo as dicas do Patric Hoban salvam o bolso dos jogadores e até o 4fun é captalismo puro.
    quem viu esse filme e colecionava as cartinhas com certeza gostaria de montar algum dos decks dos personagens pra jogar com os aminguinhos, mas vai ver quanto tá custando as cartas desse filme….Tá osso..

    Curtir

  8. Tava vendo uns episódios do Doug da Nicklodeon e cara, o Marcelo dublando o Roger Klotz é muito engraçado!!! O trabalho que ele fez dublando o Yugi também ficou muito bom, além dos já citados Kaiba, Téa e Joey. As mudanças mais incômodas foram a do Marik e Bakura, mudançs que ficaram muito trash.

    Curtir

  9. engraçado ver a diferença de discurso da versão japonesa e americana do Kaiba, quando apresenta o novo disco de duelo: em uma ele faz todo uma propaganda capitalista pra vender o troço e na outra fica falando numas viagens filosófico-espirituais.

    Curtir

  10. Pelo menos não houve o inferno na terra, como acontece com os defensores da santa athena, ne….

    Só isso ja vale assistir….

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s