Mangá

Professor do Rio cria projeto para desenvolver o hábito de leitura através do mangá

Posso começar essa matéria dizendo que acredito que exista também uma função social nos quadrinhos. Além de entretenimento, com lutinhas ou com histórias que nos levam a acompanhar personagens em mundos de fantasia, as histórias em quadrinho no geral servem para desenvolver os leitores, mesmo indiretamente. A estrutura de histórias em quadrinhos é algo muito acessível mesmo para o público leigo, vide a forma como boa parte dos memes segue uma estrutura próxima de HQs, então é um pouco triste ver que as escolas e demais instituições educacionais do país ainda não adotaram decentemente histórias em quadrinhos nas salas de aula.

Há algum tempo, escrevi uma matéria mostrando como Assassination Classroom (mangá publicado pela Panini) discutia a educação, e uma das coisas que o mangá levantava é que é possível você tornar o conteúdo educacional mais atrativo ao aluno através da utilização do entretenimento. Entretanto, aqui no Brasil ainda vemos tentativas pouco atrativas de incentivar a leitura nas escolas, seja por causa da temática dos livros escolhidos quanto por causa da época que eles foram escritos. E aí MUITA gente acaba perdendo o hábito da leitura no caminho.

Isso afeta inclusive o nosso mercado de mangás. Ou você acha que os títulos não vendem tão bem assim por causa da falta de divulgação das editoras? Existe também todo um problema da falta de leitura generalizada no país. O Brasil é um país com MILHÕES de pessoas, e o livro mais vendido nessa última semana (“A Sutil Arte de Ligar o Foda-se“, de Markl Manson, segundo o PublishNews) tem cerca de 12 mil cópias vendidas. Repito, o país tem quase 200 MILHÕES de pessoas e todo um público em potencial não compra livros por fatores como falta de hábito ou desigualdade social.

Enfim, fiz essa matéria inteira só pra reclamar de uma falha grave do país e receber comentários reclamando que eu devia voltar a assistir ao novo anime de Sakura? Claro que não, queria dar apenas uma introdução para poder vir falar de coisa boa. Porque se não há qualquer ajuda das esferas superiores, é sempre muito bonito ver as pessoas que tentam fazer a diferença.

Através do grupo Mangás Brasil lá do Facebook descobri o projeto “Ler Mangá na Escola“, comandado pelos professores Maxwell Da Silva Alves e Eliete Fonseca na Escola Municipal Washington Luiz, lá no município de Barra Mansa, no Rio de Janeiro. A ideia do projeto dos professores é simplesmente estimular o hábito pela leitura e utilizar mangás para realizar atividades, seja em exercícios de interpretação até mesmo incentivo à prática do desenho (infelizmente como não há um professor especializado nisso, os alunos são orientados pelos professores e usando como base um manual que ensina a desenhar mangás).

Conversei com o professor Maxwell para perguntar mais sobre o projeto e, segundo ele, a ideia veio quando ele viu a ~maravilhosa~ (só que não) posição do Brasil no PISA (Programme for International Student Assessment) na área de interpretação e leitura. Como ele viu que os alunos conversavam sobre mangás, ele criou uma biblioteca de mangás na escola (que funciona na base das doações) para melhorar a capacidade de interpretação.

“Além da biblioteca, promovemos campeonatos de redação e interpretação de textos com brindes que conseguimos entre os professores mesmos.”, revelou o professor ao Mais de Oito Mil, mas ainda assim revelando as limitações do projeto: “Nos concursos que organizamos, as vezes direcionamos a leitura sobre referido tema, mas não é todas as vezes pois ainda não temos muitos exemplares em nossa biblioteca“.

Acompanho palestras de editoras há tempo o bastante para saber o quão especial é esse projeto do professor Maxwell (e de outros que desconheço, espalhados pelo Brasil) até para o próprio mercado nacional de mangás, afinal sem público leitor a Panini lançaria apenas álbum de figurinha da Copa e a JBC ficaria só nos mangás de Cavaleiros eternamente para um público extremamente nichado. E é interessante porque contam com a ajuda dos professores como apoio de leitura, para discussão de temas das histórias etc.

Iniciativas ótimas como essa merecem sim divulgação, assim como o apoio das pessoas que podem colaborar. O projeto “Ler Mangá na Escola” conta com a ajuda de doações, e quem quiser doar algo (seja pessoa física quanto editoras de mangás) pode entrar em contato com o professor Maxwell através do email maxhistorian@gmail.com e acompanhando a página do projeto no Facebook (o link está aqui), lembrando que a escola fica no Rio de Janeiro. Quem sabe esse tipo de projeto não vai se multiplicando pelo país?

Anúncios

10 comentários em “Professor do Rio cria projeto para desenvolver o hábito de leitura através do mangá

  1. Volta a assistir Sakura sua gorda! Quero ver qto tempo vc consegue ficar sem dormir nos prox eps!

    Curtir

  2. Que lindo projeto!! Fiquei até com inveja desses alunos podendo fazer interpretação de texto de mangá enquanto eu fui (e continuo sendo, na faculdade) obrigada a interpretar Os Lusíadas e afins kkkkkkkkkkk

    Quando eu virar professora, certamente vou tentar reproduzir esse projeto. Mais escolas pelo país deveriam tomar essa iniciativa!

    Curtido por 3 pessoas

  3. Maxwell, pode contar com meu apoio nesse projeto! Moro em Volta Redonda, então é bem fácil para eu ir aí doar uns mangá que tenho aqui em casa.

    Curtir

  4. Ótima matéria. Lembrou meu professor de Sociologia do Ensino Médio que o mestrado dele era justamente sobre o uso de RPG e histórias em quadrinhos na educação. Acho uma iniciativa legal pra porra

    Curtido por 1 pessoa

  5. É tão bacana ver esse tipo de projeto, essas coisas precisam de mais divulgação.

    Ano passado doei mais de 100 livros da minha biblioteca particular e na falta de um lugar, fui na base da conversa tentando encontrar possíveis locais de doações que iriam fazer um bom uso.

    Boa sorte ao professor.

    Curtir

  6. Maxwell da Silva Alves que massa esta iniciativa! Também fiz este mesmo tipo de projeto com meus alunos. E agora expandir palestras nas escolas públicas da minha cidade. Eu lhe adicionei no faceboo, se quiser ver umas fotos e a alegria dos alunos quanto ao pegar e conhecer os tão amados mangás e comics!

    Curtir

  7. Nem tudo está perdido, ainda há esperança. Estamos prestes a presenciar um trágica decadencia moral em nossa sociedade, onde nós, com nossos mangás e HQs saciaremos a sede por cultura e intreternimento saudável das pessoas vitimadas por tal decadência cada vez mais evidente no mundo.
    Parabéms professores.
    Grato.

    Curtir

  8. Logo hoje que comecei meu projeto de ler light novel, aquela coisa, sem tempo pela faculdade bora começar a ler umas coisas leves…
    A propósito, aceito sugestões 😉

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s