Mercado Nacional

E aí, os mangás digitais da JBC prestam?

Essa semana rolou um grande avanço na história dos mangás no Brasil, pela primeira vez temos mangás digitais através da Editora JBC!!!! Tá, na verdade ela não é tãããão pioneira assim, afinal a Alto Astral já tinha lançado seus hentaizões no Social Comics, mas essa é a primeira vez que podemos comprar volumes digitais em serviços como o Google Play, o Kobo e o Kindle. Nessa primeira etapa, a editora disponibilizou os primeiros volumes de The Seven Deadly Sins, Blame e Fairy Tail (ainda com a tradução do famoso dublador e com a piada das zebras), e por enquanto (no momento de publicação dessa matéria) só no Kindle da Amazon.

Mas isso você já sabe dos releases da JBC e do post da Biblioteca Brasileira de Mangás, você entrou aqui no Mais de Oito Mil para ver se o negócio está funcionando, não é mesmo? Pois euzinha preparei um teste em vários aparelhos diferentes para saber se essa jogada da JBC prestou ou não. IKIMASU conferir!!!

A loja

Os mangás estão na loja do Kindle, dentro do site da Amazon, e estão bem difíceis de achar por um motivo simples: lá você encontra também as versões americanas de Fairy Tail e The Seven Deadly Sins. Tirando a descrição em português e a capa com um pequeno logo da JBC, é bem possível que o leitor se confunda e compre a versão errada. Para refinar sua busca, o ideal é colocar “nome do mangá + jbc” no campo de busca.

O preço é menor que o valor da versão física, o que já é um grande avanço se compararmos com algumas editoras de livros aê que botam o digital no mesmo valor do físico. Para uma lista de valores, recomendo o site Biblioteca Brasileira de Mangás que tá fazendo quase uma cobertura ao vivo com o Kyon acampado na porta da loja Kindle.

Testando no Kindle

O Kindle é um adorável leitor de livros digitais da Amazon cuja proposta é não cansar os olhos: ele teria uma tela sem iluminação e uma espécie de tinta que se molda para formar as palavras. Bem, essa era a proposta original do bagulho, porque o Kindle foi evoluindo e hoje tem iluminação, acessa redes sociais e possivelmente até toca AMV de Naruto. Baixei amostras dos mangás da JBC (afinal não sou louca de gastar dinheiros comprando Nanatsu ou Fairy Tail, e a JBC nem pra mandar umas edições de graça pra imprensa especializada testar) e testei em três aparelhos diferentes, que são:

  • Um Kindle modelo mais velhinho (o meu), sem possibilidade de alteração de contraste.
  • Um Kindle mais moderno que peguei do meu Kareshi enquanto ele jogava Overwatch, com iluminação e possibilidade de ajuste de brilho e contraste.
  • Um celular da Motorola

Testei primeiro no meu Kindle velho de guerra (modelo que nem é mais vendido) e não fiquei muito satisfeita com o resultado. Embora ele funcione bem com mangás tipo Fairy Tail e Nanatsu que são mais “brancos”, um mangá de arte carregada como o Blame ficou meio complicado de ler. Fora que as falas pareciam meio embaçadas (a foto que tirei ficou bem mais nítida do que eu consegui ver):

Como não posso simplesmente falar “tá uma bosta, voltem com o papel transparente de Orange!“, fui testar no Kindle do meu kareshi (modelo mais novinho) e me surpreendi: a qualidade está realmente incrível quando não se usa um Kindle velhão. Tudo é bem nítido, dá pra se ler direitinho e tal. Confira algumas páginas de Blame edição 01:

Fiz algumas comparações colocando os dois Kindles lado a lado na mesma página, os dois a 80km/h. O da esquerda é o meu e o da direita é o do kareshi:

Perceba como o meu Kindle velho de guerra (que vale a pena avisar que nem é mais encontrado nas lojas) até quebra um galho, mas que não exibe as coisas bem como os modelos que estão disponíveis para venda.

E no celular?

“Mas Mara, sua blogueira rica que tem dois Kindles em casa, eu sou um pobre leitor de mangás, não tenho um Kindle =(“

Não ter um Kindle não é motivo para que você não possa ler mangás no Kindle. Eu explico: você pode criar uma conta Kindle no site da Amazon e utilizar o aplicativo de celular do serviço que funciona da mesma forma: você compra as coisas na loja online e lê no seu aparelho iOS ou Android. Testei os mesmos mangás no meu celular da Motorola e fiquei honestamente muito surpresa com o que vi. A qualidade é bem alta, tudo é bem nítido e ainda tem a vantagem de ver as páginas coloridas.

Infelizmente não consegui tirar fotos porque estava usando o celular com câmera para fazer o teste…

Para você que vai argumentar que não tem celular ou tablet, outra forma possível é ler através do site ler.amazon.com.br (Dica do Arara).

Mas se não quiser usar o aplicativo do Kindle, em breve a JBC colocará os mangás também nas app stores dos celulares. Para fins de testes, baixei uma prévia do Combo Rangers que já está disponível para Android e o sistema (que será o mesmo dos mangás) funciona muito bem, e é tudo bem nítido e prático. E tem as facilidades de pagamento: se você não tem cartão de crédito ou débito, basta comprar aqueles cartões pré-pagos do Google Play em muitas lojas ou mercados.

Tá aprovado então, Mara?

Sou uma grande entusiasta das leitura digital porque ela resolve alguns problemas que temos em mangás físicos, como a distribuição demorada e a falta de espaço para guardar mangás. Claro que a galera colecionista e viciada em lombadas alinhadas ainda terá seus mangázinhos em papel para guardar em casa dentro de sacos plásticos, mas é ótimo ter a opção digital. E qualquer que seja a editora brasileira que me fizer economizar espaço em casa vai ganhar minha simpatia.

(E realmente a JBC não me deu nem um Fairytailzinho pra fazer essa análise favorável, vamos trabalhar melhor nisso aí, dona JBC!)

18 comentários em “E aí, os mangás digitais da JBC prestam?

  1. Concordo com o Israel, ainda estou no aguardo de uma plataforma (à la netflix/crunchyroll) só de mangás :P

    Curtir

  2. Sou usuario de Kindle (não sou rico, foi mesmo para economizar)
    Situação:
    PRATICAMENTE MESMO PREÇO da versão fisica (papel deve ser 10 centavos o kilo)
    A leitura é invertida do mangá (sendo que é obvio apertar para direita e não para esquerda)

    A JBC deveria pensar um pouco a praticidade

    Curtir

  3. O único porém que eu tenho com amazon é o fato deles não aceitarem boletos, é bem chatinho isso. Mas o serviço kindle, seja pelo aparelho seja pelos aplicativos, são bons, e práticos. Apesar de que eu acho que a coisa da assinatura poderia ser um chamariz a parte e evitar a “canibilização” que eles tanto temem.

    Curtir

  4. A coisa mais próxima de plataforma de mangás (e comics) que temos é o Social Comics, mesmo :P

    Curtir

  5. Opa, quem sabe isso me faz voltar a comprar os mangás publicados no Brasil.

    Resta conferir agora as traduções que são sofríveis e as descaracterizações, ocultas sob o eufemismo de “adaptações”.

    Curtir

  6. Acabei de encontrar Fairy Tail e Blame, da jbc, na Google Play Livros. O bom é que as amostras dessa loja tem bem mais páginas, do que as amostras do Kindle. haha
    E quem responde pesquisas da Google, no app Google Opinion Rewards, ganha créditos na Google Play, que ajudará a economizar nas compras.

    Curtir

  7. Isso resolveria o meu maior problema… traças e baratas comendo meus mangás…

    E causaria outro.. Aqui às vezes fico dias sem energia elétrica e leria o quê?

    Morar na roça é duro, tia.

    Curtir

  8. Aê, Mara! Seu criador arranjou um novo kareshi pra você e nem pra noticiar? Quem é? É o Lionel Richie do “Baú de Jogos”, como eu sugeri?

    Quanto aos livros e revistas eletrônicos, só me renderei a eles quando puder fazer anotações em suas páginas da mesma forma que faço nos de papel. Meus livros, revistas e gibis são repletos de correções de erros de ortografia e impressão e de notas explicativas, além de glossários na contracapa, no caso dos livros.

    O livro eletrônico não tem essa flexibilidade. Mesmo corrigindo um erro mentalmente, fico agoniado ao voltar a algo já lido e reencontrar o dito-cujo lá.

    (Além do mais, da minha experiência com leitores de “e-tinta” como o Kindle, percebi que eles não são muito bons de “zoom”, coisa indispensável em algo com definição limitada como uma tela portátil.)

    Curtir

  9. ivan linares, na verdade eu sou uma menina trans super sensível e jamais teria um relacionamento com quem põe adchoices no seu bloguinho.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s