Mercado Nacional

Vem aí o grande Festival de Papel Jornal da Panini [ATUALIZADO]

Quem é de São Paulo já deve ter se deparado sempre com eventos de Facebook de festivais que acontecem no Memorial da América Latina: é de churros, brigadeiro, temaki, pastel, coxinha e de música conceitual. Mas os organizadores de lá já devem se preparar para o mais novo festival que está a caminho e que vai unir todos os otacos do Burajiru: o incrível FESTIVAL DE PAPEL JORNAL!!! Vamos aos fatos.

Tudo começou quando o site Biblioteca Brasileira de Mangás, cujo editor confere ISBN sempre ao acordar, publicou uma notícia sobre os dois novos mangás da Panini para o próximo mês: o mangá do Rock Lee e o Opus do renomado autor Satoshi Kon (famoso diretor de animes que Kami-Sama já levou). Acontece que, pelas informações obtidas, já se pode ter uma ideia do que será o formato de Opus:

Até entendemos que o Rock Lee, por ser uma série maior e mais popular, seja lançado em preço mais acessível e num papel de qualidade menor, mas é bem estranho que Opus (de apenas dois volumes e com um nome importantíssimo na capa) ganhe também esse formato. O caso de Opus não é único, porque a página O Mercado de Mangás Que Deu Certo também lembrou de um outro lançamento importante que também foi lançado em papel jornal:

Realmente muito estranho. Como disse a página, tanto Satoshi Kon quanto Inio Asano são autores que abraçam não só o leitor otaku de sempre, como aquele público mais velho lê seus títulos em biblioteca enquanto saboreia um vinho. Inio Asano já teve outros dois mangás publicados no Brasil (Solanin, que saiu pela L&PM, e o chato Nijigahara Holograph, que saiu pela JBC, os dois em papel de qualidade maior) e quando seu mangá saiu pela Panini foi o famoso jornalzão. Em contrapartida, o mangá único Hal foi lançado na mesma época e saiu com papel melhor, vai entender.

Não estou aqui falando que a Panini deveria lançar esses títulos num encadernadão de 70 reais (alô, JBC) e deixar pouco acessível. Na verdade até acho muito válida a tentativa de popularizar esses quadrinhos. Mas a própria Panini tem formato de maior qualidade por poucos reais a mais (como o próprio Hal ou famoso “formato Vagabond”) que poderia ser o meio termo ideal nesses projetos.

A Panini não se manifestou sobre essa questão do papel em Opus (no caso do Cidade da Luz ela comentou no Anime Friends que se trata de um contrato mais antigo), mas a impressão que fica para o leitor é que se trata realmente de um Festival de Papel Jornal. Depois que a NewPOP aboliu o uso do papel jornal e a JBC tem até buscado um material diferente, talvez a Panini tenha comprado a preço de banana toneladas desse papel e está desovando em todos os títulos, sejam eles importantes e de “colecionador” quanto o mangázinho simples de todo dia.

***

[ATUALIZAÇÃO] Beth Kodama, a editora responsável pelos mangás da Panini, aproveitou uma postagem em sua rede social particular para explicar o caso. Pelo visto, foi algo relacionado a contratos antigos e parece ser algo resolvido pelo pessoal “de cima” na empresa. Confira o print:

21 comentários em “Vem aí o grande Festival de Papel Jornal da Panini [ATUALIZADO]

  1. Pois é, lançaram Dr Slump num papel mais xexelento que o que usaram em Dragon Ball, eles devem estar adorando lançar tudo de forma descartável pra sacanear os leitores

    Curtido por 1 pessoa

  2. “Tudo começou quando o site Biblioteca Brasileira de Mangás, cujo editor confere ISBN sempre ao acordar”, você não sabe de nada, Mara, o negócio é checar no final do dia! Ninguém cadastra ISBN no meio da madrugada! rs

    Curtido por 5 pessoas

  3. Fiquei deveras decepcionado quando Cidade da Luz chegou e veio nesse papel porco reciclado. Enfim,não estou pedindo por edições como Fragmentos do Horror, mas edições horrorosas como essa não chamam a atenção de ninguém.

    Curtir

  4. Eu acho q o Formato VAGABOND, está dando prejuízo para a Panini. só acho mesmo.
    porque é muito estranho, todos os oneshots estavam vindo nesse formato bacana ai eles começaram a lançar tudo emjornal, seila. eu acho q os BAM BAM BAM, estão ficando puto com o pessoal da panini jogando dinheiro no lixo, seila. ou não tendo uma margem muito grande de lucro. espero que em dezembro, ZELDA venha um um fucking formato. tipo Fragmentos do Horror da DarkSide.

    Curtir

  5. Acho que Opus vou pegar em ING mesmo, já que a dos EUA além de ser 2-1, é em formato deluxe (e por mais que eu vá “perder dinheiro” por ser mais caro, como é um só, não vou morrer).

    Curtir

  6. Ora dizem que os japas não gostam de papel offset (essa foi boa) e/ou que o contrato é muito antigo, que à época foi fechado em papel jornal e não há possibilidades de mudança, etc. Penso que a verdade é bem mais simples, a editora quer lucrar mais.
    Aos descontentes com esse festival de borrões, edições bilíngues e com índices à toa, aproveitem as opções na Amazon Brasil, Book Depository, Wordery, entre outros.
    Vendendo menos, quem sabe, a editora possa esboçar alguma mudança. Se não fizerem, a concorrência fará (já estão fazendo). Não é necessário brigar, xingar, espernear, o bolso fala mais alto.

    Curtido por 3 pessoas

  7. Quase fiquei com dó Beth nessa citação haha
    Não reclamo de Dr Slump estar com esse formato, pois é uma publicação comprida e capaz de atrair leito mais casual, mas o Opus e Cidade da Luz doeram no Kokoro.

    Curtido por 3 pessoas

  8. Ué, off-set não começou em planetes. em 2014 lançaram Hideout nesse mesmo papel e com orelhas. No mesmo ano foi lançado Berserk em qualidade superior. isso ai pareceu meio desculpa esfarrapada

    Curtido por 2 pessoas

  9. Esses contratos da Panini sao iguais aos da FIFA: feitos com 10 anos de antecedencia e quando chega a hora do “evento”, só dá problema.

    Curtir

  10. É nojento esse papel jornal… tem q ser mto imbecil pra gastar dinheiro em algo que vai amarelar em dois dias msm q vc guarde em um cofre a vácuo!

    Curtido por 3 pessoas

  11. E os otakinho não vão nem se pronunciar a respeito de Satoshi Kon, porque o que interessa mesmo é o Narutinho!Aliás, essa ultima frase da Beth ficou bem esquisita, quase que desmerecendo o autor ‘-‘

    Curtido por 2 pessoas

  12. E eu que tava na torcida da Panini trazer Umineko pro Brasil (nada contra as outras editoras, é só que pela Panini ser uma empresa grande as chances poderiam ser maiores)… melhor deixar pra próxima.

    Curtir

  13. Contrato de antes de Planetes? Até parece! Eu é que não acredito nisso mesmo!!
    Por que não lançaram nessa época ou um pouco depois? Nem sequer anunciaram a aquisição desse título. Nessa eu não caio mesmo Beth, guarda aí mesmo no fundo do seu poço todos os volumes, dessa vez você merece por tentar nos enganar com uma desculpa tão esfarrapada!

    Curtido por 1 pessoa

  14. Acredito que se a JBC tivesse trazido o Opus seria num formato de pelo menos offset em um volume. É uma pena a Panini me decepcionou tanto neste quanto na Cidade da Luz do Inio Asano. Complicado viu.

    Curtir

Os comentários estão fechados.