Barraco

Aquele post falando da treta com o documentário brasileiro de Sailor Moon

Na verdade eu nem ia falar sobre esse assunto, mas teve tanto leitor mandando a pauta que decidi dar uma palavrinha sobre a polêmica que rolou ontem com o tal documentário de Sailor Moon. IKIMASU!

Tudo começou quando fãs do grupo SOS Sailor Moon (a fanbase do que quer tanto ~salvar~ a franquia dos anos 90 que deixa isso bem claro no nome) publicou um projeto no Catarse feito por fãs da franquia das guerreiras lunares. Elas pediam 22 mil reais para a realização de um documentário de duas horas comemorando os 25 anos de Sailor Moon. Metade do dinheiro seria usada para enviar uma galera para a Grande Nação Japonesa, com o intuito de gravar lá e mostrar lugares que aparecem na série, e o resto seria mesmo para a produção de entrevistas com pessoas que tiveram sua vida mudada por Sailor Moon. Assim, meio sem foco mesmo. Enfim, elas até haviam conseguido um apoio de empresas sérias como a Crunchyroll e a editora JBC.

Mas o barraco mesmo apareceu quando uma acadêmica (obviamente estou falando de alguém produzindo um TCC, e não de uma levantadora de supino) veio com uma denúncia. Ela afirmou que havia entrado em contato com a idealizadora deste tal documentário alguns meses atrás pedindo ajuda para um próprio documentário que estava fazendo como trabalho de conclusão de curso. POLÊMICA!!! E para jogar mais lenha da fogueira da internet, a moça expôs prints de messenger mostrando que havia mandado o projeto para a moça do documentário do Catarse dois meses antes do anúncio, e que daquela época até ontem não teve resposta.

O que aconteceu logo depois disso foi o equivalente a tentar manter a Sailor Marte lutando dentro de um armazém repleto de palha: o negócio pegou fogo numa velocidade que trocentos leitores entraram em contato comigo para cobrir essa discussão. O negócio se alastrou realmente muito rápido, a ponto da página SOS Sailor Moon apagar a publicação falando sobre o documentário e do tal Bodas de Cristal de Prata (o ~atrativo~ nome da produção) soltar um post com prints de messenger explicando que a ideia havia surgido há pelo menos dois anos.

A história deste blog mostra que sou uma grande aficionada por barracos virtuais, ainda mais os que eu não estou envolvida. Quem me conhece há tempos sabe de toda a saga envolvendo o famoso projeto que prometia games sem impostos, o arco do mineiro altruísta fã de tokusatsus e, mais recentemente, a cobertura especial da fanfic distópica avaliada por advogados imaginários. Porém, esse caso era delicado demais e eu seria muito leviana de fazer um post correndo apontando o dedo para um lado ou para o outro. Adoro um barraco e discussão, mas não vale qualquer coisa.

O tempo que esperei para escrever isso fez bem e ajudou a desmistificar o que tava rolando, com a apresentação de argumentos dos dois lados. Depois da postagem do documentário com prints de 2015 (que muita gente acusou de ser claramente uma montagem), eles gravaram um longuíssimo vídeo explicando toda a situação, contando o histórico de onde surgiu a ideia do documentário e mostrando em vídeo as mesmas conversas que muitos afirmaram que eram claramente montagens. E para quem teve saco para assistir à meia hora de vídeo explicativo, a coisa ficou meio clara.

O que é fato é que havia sim a intenção do grupo fazer um documentário sobre Sailor Moon e colocar no Catarse, e mostraram conversas provando que isso já tem anos. E eu acredito (aqui sou eu no achismo conciliador) que foi um exemplo de ideias semelhantes tidas por pessoas diferentes. Ou seja, ao mesmo tempo houve a ideia de se fazer o TCC e do documentário, e as datas coincidiram de forma infeliz. Defensores de um lado ou do outro, vamos assumir que fazer um documentário sobre algo não é a coisa mais inovadora e criativa do mundo, até porque essa mesma ideia já foi feita num documentário americano de 2016 que pode ser encontrado na Internet. Até mesmo no Brasil isso não é inédito, porque tempos atrás fãs de One Piece fizeram algo parecido. Aliás, no tal vídeo longo a moça do documentário ainda aproveitou para pedir desculpas por não ter lido o projeto do TCC e não ter respondido, e que se tivesse feito aquilo essa bagunça toda poderia não ter acontecido.

No meio de um mal entendido que estou apenas opinando (afinal não sou juíza de briguinha da Internet), a parte mais decepcionante não foi nem o grupo que pede dinheiro para o documentário e nem a moça que se sentiu traída por um grupo que confiou para lhe ajudarem no TCC: as pessoas da Internet fizeram suas internetices e começaram a se digladiar em fanpages tomando partido antes que qualquer um dos lados se pronunciasse ou explicasse a situação. E no meio disso tudo rolaram xingamentos, ofensas e muito emoji porque é assim que a galera discute hoje em dia.

Posso estar errada? Posso, claro. Posso mudar de ideia daqui um dia, uma semana, e defender outra coisa diante de novas evidências? Claro que posso também. Mas minha posição atual continua sendo de que isso se trata de um mal-entendido. Como o próprio pessoal do documentário explicou numa declaração cafona pra caralho, não foi isso que a Sailor Moon ensinou pra gente. Se tem algo que aprendemos com a Sailor Moon, além de que é aceitável você ser relapsa nos estudos e apoiar sua vida nas amigas se você é a reencarnação de uma princesa lunar, é que as mulheres devem estar juntas e não ficar arranjando briga assim.

Anúncios

13 comentários em “Aquele post falando da treta com o documentário brasileiro de Sailor Moon

  1. Informações adicionais a matéria:
    -A acusadora tem o TCC documentado na faculdade
    -A Leticia do SOS escondeu a conversa que teve a dois anos de outras admins da época como a Cecília.
    -Todos os posts e comentários sobre o assunto foram apagados.

    Curtido por 2 pessoas

  2. Olha, só fiquei sabendo do rolo pelas fofocas, tipo, não quero julgar ninguém, mas está me parecendo um flame war planejado com o intuito de queimar a reputação da SOS.
    Uma vez provado o uso de material acadêmico documentado na faculdade, ela poderia acionar judicialmente a SOS por plágio na lei 9.610 do Código Penal Brasileiro. Não era necessário todo esse papelão mas…

    Curtir

  3. Tretas à parte, só posso dizer que adorei a montagem do Bonde das Maravilhas como Sailors e já dou todo apoio pra elas gravarem um videoclipe vestidas assim (ou um documentár… epa, não, peraí…).

    Quadradinho de oito do Bonde das Maravilhas rainha, vagina demoníaca da Naoko Takeuchi nadinha

    Curtir

  4. Nossa, que tempestade em copo da água isso, ein. Não é prq uma pessoa tem a mesma ideia que a sua que é plágio, as pessoas as vezes pensam igual, e não é como se elas fossem colocar o TCC da menina lá. Concordo, também acho que tudo isso foi um tremendo mal entendido com uma reação super exagerada da internet por uma coisa que poderia ser resolvida sem tudo isso que aconteceu.

    Curtir

  5. a parte mais decepcionante não foi nem o grupo que pede dinheiro para o documentário e nem a moça que se sentiu traída por um grupo que confiou para lhe ajudarem no TCC: as pessoas da Internet fizeram suas internetices e começaram a se digladiar em fanpages tomando partido antes que qualquer um dos lados se pronunciasse ou explicasse a situação. E no meio disso tudo rolaram xingamentos, ofensas e muito emoji porque é assim que a galera discute hoje em dia.

    A história deste blog mostra que sou uma grande aficionada por barracos virtuais, ainda mais os que eu não estou envolvida.

    Contraditório… (acho que até para mim mesmo que venho aqui comentar sobre isso…)

    Curtir

  6. Desculpa, mas é coincidência demais uma pessoa apresentar um projeto todo estruturado pra uma menina e dois meses depois a menina vir com aquela proposta. Mesmo que a mina do SOS tivesse a ideia a mais tempo, ficou parecendo que ela usou sim o TCC da moça pra organizar as coisas e lançar, ignorando totalmente o esforço da coitada e não dando nenhum crédito. Pq diabos ela não mencionou pra moça do TCC ANTES que tinha uma ideia parecida e que elas poderiam trabalhar juntas e tal? Mal entendido é o caramba.

    Curtir

  7. Sério… Eu me espanto que fiquei um bom tempo sem ver nada sobre animes na rede e quando vejo, é sempre um barraco… A bola da vez é Sailor Moon.
    E vejo que alguns problemas se repetem pura e simplesmente porque as pessoas estão com problemas sérios de interpretação. E sim, falta de tempo é uma coisa muito complicada e ideias em datas comemorativas podem sim ocorrer…
    Enfim… Só um grande adendo: um documentário de duas horas (maçante hein este tempo para este tipo de produção, já cansei só de pensar em ver algo tão longo assim…) e uma reportagem de 7 minutos são duas coisas muito diferentes… Bom, é a minha impressão…

    Sandra Monte

    Curtir

  8. Quando eu comecei a ler achei que se tratava de um mal entendido mesmo. Talvez o email da moça do TCC até tenha atiçado elas a “fazerem logo” pra serem as primeiras.Mas sendo um fan clube me parece algo que já devia ser discutido a bastante tempo. Se elas tivessem sido um pouco mais leais e sem esse espírito conspiratório, podiam ter respondido a moça de que elas já tinham um projeto assim em andamento, que já tinham formulado um projeto e tudo. Deus sabe que tem gente querendo fazer TCC de tudo e mandando email pra Deus e o mundo pra ajudarem, e dificilmente são idéia realmente inovadoras.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s