Problematizando a objetificação feminina em Nanatsu no Taizai

10 fev

Como diriam aqueles dois simpáticos limões na propaganda da Pepsi Twist, o mundo está muito chato. Imagina, não podemos nem mais fazer piadas racistas, humilhar mulheres, chochar gays que eles já surgem em bando na internet querendo uma coisa besta como “direitos iguais”. Os tempos estão mudando e muito rápido, a internet está dando voz tanto para pessoas que reclamam da qualidade de animação da Toei quanto para pessoas que estão aí lutando para que sejam tratadas com respeito, e isso tudo é maravilhoso. O próprio Mais de Oito Mil é um reflexo disso, pois passamos das críticas pré-adolescentes às fantasias de cosplayers lá pelos idos de 2009 para análises um pouco mais apuradas sobre as coisas dese universo tokuanimangático. Tudo muda, minna!

Pensando nisso, decidi criar mais uma seção fixa aqui no Mais de Oito Mil, a “Problematizando“. A ideia está longe de escrever um textão longo de Facebook que as pessoas apenas curtem ou comentam “sai sua comunista, fora PT”, o plano na verdade é fazer uma análise um pouco mais séria sobre muitos problemas que encontramos nos quadrinhos japoneses. Porque embora a Grande Nação Japonesa esteja à nossa frente no quesito educação, tecnologia e ocupação de vagas de engenharia em vestibulares brasileiros, eles ainda têm muitos problemas sociais que se refletem nos quadrinhos e animes. A ideia dessa seção é pegar um único tema sobre uma única série e conversar sobre isso, e decidi começar justamente com a objetificação feminina de Nanatsu no Taizai, algo que já comentei por cima no post dos piores mangás que li em 2015. Então vamos lá, IKIMASU problematizar.

meliodas-assedia-elizabeth-05

Para você que entrou no evento de anime agora e já quer sentar na primeira fila do desfile Cosplay, preciso contar que Nanatsu no Taizai (ou The Seven Deadly Sins, como a JBC e outros países chamam) é um mangá shonen escrito por Nakaba Suzuki, um autor que conseguiu muito sucesso misturando a ambientação das histórias medievais do Rei Arthur, um traço limpo quase sem retículas e uma história bem empolgante. “Mas Mara, sua blogueira de peso excessivo, se você deu tantas qualidades assim para o mangá, por que você o considerou como uma das piores leituras do ano?”. Simples: pelo papel que o autor submete as mulheres de sua trama.

Até onde aguentei acompanhar (li longos 7 volumes pra poder criticar isso), Nanatsu tem duas personagens femininas importantes como protagonistas, a princesa Elizabeth e a giganta Diane. E as duas têm uma relação envolvendo amor com o protagonista da série, o loirinho de 600 anos (e violentador nas horas vagas) Meliodas. Usei uma palavra pesada, né? Mas que termo eu posso usar para se referir a esses momentos?

meliodas-assedia-elizabeth-04

meliodas-assedia-elizabeth-03

meliodas-assedia-elizabeth-01

As apalpadas de Meliodas em Elizabeth são completamente inexplicáveis na narrativa, afinal não são importantes para a trama, não ajudam a desenvolver nenhum personagem e nem ao menos servem como alívio cômico, pois elas são tão engraçadas quanto ler reviews positivos da saga atual de Bleach (mentira, isso é bem hilário). E sabem o que é pior? A Elizabeth não gosta desse assédio nem um pouco, ela fica constrangida com a situação. “Mas é fácil, é só ela chegar para o cara e falar ‘para aê, não curti’, certo?”. Não é bem assim, migo! A posição de Elizabeth diante do abuso sexual de Meliodas é muito parecida com a de mulheres que são roçadas num ônibus e ficam com medo de chamar a atenção do violentador.

O mundo é machista sim, e isso se reflete na forma como o Nakaba conduz sua história, pois o autor deve achar apenas engraçado colocar uma mulher numa situação de objetificação. E como a Elizabeth não tem poderes de luta ou qualquer outra habilidade (pelo menos nos sete volumes iniciais), não vejo outra função para ela além de ser um brinquedo sexual na mão do personagem e do autor, que sempre arranja um jeito de colocar tanto ela quanto Diane em trajes provocantes e em situações sexualmente constrangedoras. No anime é ainda pior, porque os peitos da Diane funcionam com a mesma física que rodeia a região do busto das lutadoras de Dead or Alive por puro e desnecessário punhetismo, fora os zooms dignos do quadro da banheira do Gugu. Duvida? Então me diz qual é a necessidade desse foco no decote dela?

peito-diane-gif

Voltando para a Elizabeth… seria isso um fetiche extremo em ver uma mulher numa situação indefesa? Se esse é o caso, podemos colocar o carimbo de violentador em Meliodas sim. E olha que nem vou olhar do ponto da pedofilia, afinal teoricamente a personagem tem 16 anos enquanto seu apalpador tem mais de 600.

Mas vamos deixar um pouquinho de lado a problematização, afinal já estou vendo alguns leitores incomodadíssimos com essa “interpretação” de que Meliodas abusa sexualmente da Elizabeth só por apalpá-la de forma não consensual. Queria mostrar o seguinte print tirado de um grupo de mangás, no qual um simpático rapaz de cabeça raspada decidiu questionar um pouco o mangá. Acompanhe também o comentário logo depois:

nanatsu-face

Curiosamente, parte do público gosta desse lado do Meliodas porque o consideram menos ~virgem~ que outros protagonistas de mangás que não assediam mulheres ou mesmo demonstram interesse nelas (COFCOFLuffyCOFCOFGokuCOFCOF). E a resposta do cidadão também vai de acordo com o pensamento enraizado na cabeça dos homens de uma sociedade machista: o Meliodas tem mais que apalpar a Elizabeth, afinal ela usa umas roupas provocantes, certo? Mas é claro que não, que lógica é essa minha gente?

Devemos lembrar que qualquer toque em seu corpo sem consentimento e que te cause constrangimento é um abuso, não importa se a Elizabeth está usando uma burca ou se ela está apenas com uma pintura corporal de esfera do dragão no peito e um tapa-sexo anti-Dilma. NENHUM TRAJE convida qualquer pessoa a apalpar a outra sem consentimento. Isso é violência sexual sim!

meliodas-assedia-elizabeth-02

Você, rapaz que está em formação tanto física quanto intelectual (ou mesmo você mais velho que deveria aprender a desconstruir alguns conceitos para viver em sociedade), vamos ao ponto principal: foram séculos de objetificação da mulher, seja em propagandas de cerveja, nos mangás harém do Akamatsu ou até em cosplayers de pernas de fora apenas para atrair público, mas devemos mudar isso já. Independente da tua roupa, se qualquer pessoa te tocar sem você querer é motivo sim para fazer barraco e reclamar com as autoridades competentes, não importa se você é uma cosplayer num evento repleto de nerd machista e babaca ou se você é uma princesa que procura sete bandidos para salvarem o seu reino de um grupo criminoso que se passa por bonzinho, o corpo é seu e só toca quem você quiser. E não compactue com esse tipo de história que mesmo sendo publicado no século XXI tem pensamentos tão retrógrados quanto esse machismo todo.

Meliodas e Nakaba Suzuki, melhorem porque tá feio.

204 Respostas to “Problematizando a objetificação feminina em Nanatsu no Taizai”

  1. mimimimi 10/02/2016 às 20:40 #

    Mimimi mimi mimimimi, mimi mimimimi mimimi.

    Curtir

  2. Julia Stiliano 10/02/2016 às 20:52 #

    Gostei muito desse post! Não pode deixar essas coisas passarem não! Já estamos em 2016! Espero ver mais posts como esse, sempre gosto de ler seus textos, muito bons~~ :^))))

    Curtir

  3. Imperatrix 10/02/2016 às 20:54 #

    Estou amando essa Mara feminista <3

    Curtir

  4. rafaelqa 10/02/2016 às 20:56 #

    Graças a Deus alguém falou uma das verdades sobre a vergonha que é esse lixo de mangá.

    Curtir

  5. Matheus Guedes 10/02/2016 às 21:03 #

    Nanatsu é escrachado demais, tá ali na tua cara, uma leitura que dispenso sem hesitar nada, nojo apenas!!
    Olha, se você for fazer mesmo o “problematizando” uma coluna regular, nos animes em geral você terá pauta até 2017, quiça mais.
    É tanta coisa errada que fica difícil saber por onde começar…bom, mas Natatsu foi um bom começo.

    Curtir

  6. Julia Stiliano 10/02/2016 às 21:04 #

    Esse tipo de coisa tambem acontece em Magi as vezes….Só que o povo geralmente meio que ‘deixa passar’ por ser ‘apenas um garotinho’ fazendo isso… Sei lá, eu geralmente ignoro, mas isso não deixa de me incomodar um pouco…
    Magi é um caso que me deixa com sentimentos confusos as vezes, porque ao mesmo tempo que tem personagens femininas bem fortes e importantes, as vezes tambem faz alguns fanservices desnecessarios ( tipo a cena que a Toto, uma personagem recem apresentada e muito forte, perde a luta só porque o ali baba cortou a roupa dela e deixando com os seios de fora) isso não teria acontecido se ela fosse um homem… porque tem que existir essa diferença?
    Ja to vendo uns fuckboys vindo aqui falar mimimi AAAH QUE INESPERADO…. -.-

    Curtir

  7. Preto Nerd (@nerd_on_reality) 10/02/2016 às 21:06 #

    Eu gosto da historia de Nanatsu e dos personagens, exceto Meliodas, principalmente por esse motivo, acho mega desnecessário essas cenas. Ótimo post e tem mesmo que destacar que não tem graça nenhuma nesse tipo de humor, se é que dá pra chamar de humor… rs

    Curtir

  8. Alison 10/02/2016 às 21:13 #

    Tem muito mimimi de sociedade machista e tals (coisa de femimimista), mas ela tem razão nos pontos em que meliodas é um violentador. E por isso não me desceu esse anime.

    Curtir

  9. Kyon_45 10/02/2016 às 21:19 #

    Aplausos para a postagem.

    Como disseram por aí no Facebook: Mais de oito mil realmente se tornando o melhor blog da imprensa especializada^^.

    Curtir

  10. bluegirlr 10/02/2016 às 21:25 #

    Só li verdades

    Curtir

  11. Baratinha 10/02/2016 às 21:30 #

    Boa noite Mara, muito boa essa análise! Assisti os dois primeiros episódios e larguei juntamente por esse motivo. A historinha não me interessava, e realmente incomoda como ninguém dá a mínima por essas coisas “bobinhas”.

    Curtir

  12. Lucas Paiva 10/02/2016 às 21:38 #

    Ué, gente comentando “é mimimi,mas tem razão” o.o

    Em todo o caso: critica certíssima. Gosto de Nanatsu pela história, ambientação, diferentes poderes de personagens e a representação femininima que, por mais que seja BEM objetificadora e sexualizada, possui algumas personagens marcantes e empoderadas, tipo Gila, Jerico, Diane e Merlin!
    Um amigo mesmo já quis dropar o anime logo no primeiro episódio, uma vez que essa coisa desnecessária do Meliodas acontece DIRETO. É ridículo, quebra o ritmo do mangá, não tem graça e faz do meliodas um dos protagonistas mais “meh” dos mangás mais atuais.

    E como bem referenciou a Julia aqui em cima, Magi [que eu ADORO e é um dos meus favoritos] sofre muuuito disso, de cenas com mulheres só aparecendo com o peito quase de fora como uma desculpa pro Aladdin apertar… terrível. E isso que a mangaká de Magi, salvo engano, é mulher. E olha que não faltam exemplos a serem seguidos de personagens femininas empoderadas e respeitadas [ou perto disso…] dentro de um shonen, como Reborn, Kuroshitsuji e D-Gray Man!

    Curtir

  13. kpop trash (@mackasan) 10/02/2016 às 21:38 #

    NOssa, sim. Muito sim. Eu adoro Nanatsu (acho uma das narrativas mais ricas e bem feitas da atualidade, ainda que o cenário atual aponte o começo da maldição do power sacalling cagado afetando o troço) mas isso é uma coisa que me incomoda absurdamente. O autor tem diminuído o peso nessas partes (e a Elizabeth é útil, o que é algo) mas vira e mexe ainda rola um momento desses que chega a dar vergonha de ler. Tem que problematizar sim e quem não vê problema nisso infelizmente é o problema vivo. Ah, e queria ver um post desse estilo sobre Fairy Tail. Ali sim a jiripoca piaria até nçao poder mais.

    Curtir

  14. Ed 10/02/2016 às 21:48 #

    Sou homem e fiquei indignado com a maneira que as personagens femininas são tratadas em Nanatsu no Taisai, esse foi um um dos principais quesitos que me fez parar de ler o mangá. Seu texto está muito bom, antes de me despedir gostaria de te recomendar um dorama chamado MONDAI NO ARU RESTAURANT que abordar a maneira com que as mulheres são tratadas no Japão, principalmente no ambiente de trabalho.

    Curtir

  15. Pussy Destroyer 10/02/2016 às 21:51 #

    Ué não gostou?, para de assistir/ler o bagulho…simples

    Curtir

  16. Julia Stiliano 10/02/2016 às 21:55 #

    É Lucas, eu tambem gosto MUITO de magi porque a historia é muito bem construida e tem tem algumas personagens femininas (apesar do festival de cuecas ahaha) bem fortes e legais que nunca foram sexualizadas que eu lembre, tipo a morgiana. Mas tambem tem a yamlikha que é uma maga super poderosa mas infelizmente sofre assédio ( PELO MENOS ela não deixa barato haha) Só que FELIZMENTE, isso não acontece com TAAANTA frequencia em magi como parece acontecer em nanatsu… ( eu nunca li nem assisti esse e AGORA que não vou ler mesmo pff)
    É uma pena maior ainda considerando que a autora de magi é mulher… :/ É pra ver que até mulheres podem ser machistas… ou então ela faz isso por realmente achar engraçado ( e não é) e ser só uma ‘piadinha’ ja que o aladin é só uma criança…

    Curtir

  17. Florisvaldo 10/02/2016 às 21:59 #

    ESSES GIBIS FEITOS POR OMICIS QUE REFLETEM A OPRESSÃO DO PATRIARCADO CIS HETERONORMATIVO BURGUÊS

    NÃO VEJO NEGROS
    NÃO VEJO TRANS
    NÃO VEJO GORDOS
    NÃO VEJO CICLISTAS
    NÃO VEJO LUMBERS
    NÃO VEJO GENDERBENDER BIFLUX CADONEUTROIS
    NÃO VEJO PESSOAS EM SITU DE RUA
    GIBI EXCLUDENTE ELITISTA ALIENANTE

    FELIZMENTE APARECEU A MANA MARA LACRANDO NA SORORIDADE
    MARA VEM DE MARIA SOMOS TODAS MARIA RIMA COM FRIDA

    VAI TER PROTESTO NA SEDE DA JBC SIM
    VAI TER QUEIMAÇO EM PRAÇA PÚBLICA SIM
    QUEM RECLAMAR É MACHO E MACHO NÃO FALA

    #RACHAMACHO RESPEITA AS MINA

    Curtir

  18. Florisvaldo 10/02/2016 às 22:10 #

    E AGORA, FÃS?
    Mara vai virar radfem?
    Vai pintar de roxo e rosa os pelos do sovaco?
    Vai entrar pro grupo de percussão que toca todo sábado na Praça Roosevelt?
    Vamos ter cobertura da Marcha das Vadias?
    Vai ter candidatura dela pelo PSTU?

    Aguardemos os tensos próximos capítulos.

    Curtir

  19. Diogo0095 10/02/2016 às 22:16 #

    mimimimi, esse anime é um ecchi “ECCHI” como já diz o nome é algo pervertido, as apalpadas, ela gosta sim! tanto que em uma cena ele olha a calcinha dela e ela fala “o que é isso?” meliodas responde “sou só eu” e ela “ah, então tudo bem”, isso tudo é um mimimi grande de pessoas que se acham no direito de reclamar de um desenho, isso nem existe, quer combater estupro e assédio na vida real? até eu apoio, mas em animes é muita sacanagem

    Curtir

  20. Ana Clara Campideli 10/02/2016 às 22:31 #

    Arrazou Mara!

    Curtir

  21. Alice 10/02/2016 às 22:41 #

    Que mega contra-argumento hein Diogo0095

    Curtir

  22. João 10/02/2016 às 22:51 #

    Mara, muito bom post, realmente isso incomoda muito, além de que nas lutas também tem uns closes desnecessários nos peitos e nas bundas, o que me lembra bleach na saga atual ( você podia fazer um post de zoação elogiando a saga atual :) ) . Continue fazendo esse tipo de Post, tá muit legal.

    Curtir

  23. Flame Pegaso 10/02/2016 às 22:51 #

    De pleno acordo. Apesar de eu ainda estar lendo Nanatsu.

    Curtir

  24. sage 10/02/2016 às 22:56 #

    depois tu não sabe pq ninguem le esse blog de merda, olha a ideia, qual o problema disso tudo? Isso é uma porra de um desenho, anime, não muda nada na vida real. Gente pra caralho morreu em milhares de histórias, tem que saber o que é ficção e o que é realidade. Gente besta

    Curtir

  25. Ricardo Zenatti 10/02/2016 às 22:56 #

    Boa!
    Dias desses eu estava pensando nisso, mas focado no Shinji Ikari de Evangelion.
    Fica a dica para um próximo post desconstruído haha

    Curtir

  26. jair messias bolsonaro 10/02/2016 às 23:00 #

    Ñ quer ler n leia… deixa o cara fazer como quiser mimimi da porra, cada um com seus gostos ue. A eelizabeth nunca teve esse contato antes ai ela fica envergonhada e assustada, n to dizendo q ta certo, claro q ele apela bastante nessa parte de ficar apalpando mas qual é, isso n eh nem 1% da historia u.u julgar um manga/anime inteito so por uma piada de mal gosto eh bem lixo da sua parte. Quer feministizar tudo, vai ver otome dori entao porra e quero ver se.o criador vai ouvor seu choro. Agora duas crianças transando em boku no pico tudo bem pq elas ja nasceram com sua orientação sexual entao tudo bem ne? Tanta coisa mais importante pra se preocupar e fica.chorando por desenho kkkkkkkk olha. Nanatsu n chega aos pes de muita coisa pior q tem por ai flws

    Curtir

  27. rei dragao 10/02/2016 às 23:03 #

    Show. Nunca comento, mas não poderia deixar de mostrar apoio.

    Nunca li esse mangá, mas o anime tá sempre pipocando na Netflix. Vou passar longe.

    Curtir

  28. TLeaf 10/02/2016 às 23:08 #

    Achei uma porcaria. Nada haver o q Vc escreveu.

    Curtir

  29. Paula Luiza 10/02/2016 às 23:12 #

    Anime apela para peitos e bundas. Algo bem desnecessário,porque nem graça isso tem na história

    Curtir

  30. ninguém 10/02/2016 às 23:17 #

    admiro os japoneses por não darem absolutamente a minima para o que o resto do mundo pensa. Quem reclama de nanatsu claramente não assiste muitos animes.

    Curtir

  31. Rafael 10/02/2016 às 23:21 #

    Nada a ver isso aí que você falou.
    Ainda mais vindo de alguém que, acreditava eu, entende a cultura oriental.

    Mas seu objetivo foi atingido, não o de gerar uma discussão saudável (esse nunca foi o objetivo) digo o de conseguir atenção para seu blog. Meus parabéns, agora as feministas que não sabem porra nenhuma sobre animes tem mais uma coisa para reclamar.

    Curtir

  32. Raison Grund 10/02/2016 às 23:25 #

    É impressionante a necessidade de atenção que simplesmente leva o sujeito a tamanha falta de senso do ridículo. O autor está c@gando para o que vocês guerreiros da justiça social pensam, o mangá atinge seu público alvo com maestria e atende aos requisitos do mesmo, esse público que é japonês. Ficar criando textinho politicamente correto colando as baboseiras que vocês aprendem na falcudade não vai mudar o universo japonês, não está satisfeito? Apenas pare de ler.

    Você percebe o nível de alienação quando o sujeito começa a “problematizar” uma situação numa revista em quadrinhos, quando começa a se importar com o irreal e insignificante, apenas acordem e parem de se sentir especiais porque esse mimimi todo apenas enche o saco. Esse lugar já foi muito interessante antigamente.

    Curtir

  33. Estê 10/02/2016 às 23:34 #

    Eu estou assistindo Nanatsu no Taizai e estou curtindo bastante, mas o que me incomoda muito é que a Elizabeth é uma personagem beeeem sem graça, e o pior é que ela é super importante pra história Eu pessoalmente não ligo muito para fan servisse, o que me incomoda mesmo é a passividade da personagem, e é muito contraditório: geralmente ela é uma personagem forte e determinada, mas quando o Meliodas apalpa ela, ela parece que não entende o que se passa.
    Sobre os decotões e etc, não tenho muita coisa contra, já falei que não tenho nada contrário a isso, ainda mais se houver um certo equilíbrio entre fan services masculino ou femininos (é ÓBVIO que nesse anime/mangá tem muito mais frminino, ainda há muitos animes voltados ao publico masculino que adora umas tetinhas, mas pelo meno eu vejo um mínimo de… “tentativa de equilíbrio (?)” em Nanatsu no Taizai, quando mostra o Ban sem camisa diversas vezes e de vez em quando alguns personagens que usam poucas vestimentas)
    Aliás, acho que foi um tanto radical você ter dropado apenas por causa disso (que muito provavelmente não é tão “apenas” para você), o que é bastante criticável sim, mas por outro lado também há muitas personagens mulheres bastante fortes e que com certeza não agiriam como a Elizabeth se fossem assediadas dessa maneira.

    Curtir

  34. Estê 10/02/2016 às 23:35 #

    *fan service

    Curtir

  35. melts10 10/02/2016 às 23:48 #

    Deixei de comprar o mangá justamente por causa destes assédios absurdos. Consegue ultrapassar o assédio que já existe até em outros animes shounen.

    Curtir

  36. Mari 11/02/2016 às 00:08 #

    Para gente, sou mulher e não me sinto ofendida com isso.

    Anime Shonen é sinônimo de sexista desde que existem. O dia que o Japão parar de objetificar mulheres nos animes, não vai existir mais pq a maioria do público é masculino.

    Curtir

  37. jasque 11/02/2016 às 00:09 #

    10/10

    Curtir

  38. Ruan 11/02/2016 às 00:11 #

    Qual o problema com essa turma? Isso tudo é falta do que fazer? vao carpiir um terreno, lavar uma louça, nego acha problema em absolutamente tudo, vão roubar um cavalo. É falta de rola isso?

    Curtir

  39. Neko Neka 11/02/2016 às 00:12 #

    Aos críticos da critica que o texto da Mara fez, reparem em apenas uma coisa:
    os quadrinhos, sejam mangás, hqs e etc, são reflexo da sociedade e cultura de onde vem.
    Recentemente os quadrinhos americanos estão acompanhando as mudanças que estão acontecendo na sociedade e incluindo em suas obras protagonistas fora do padrão que domina a industria a mais de 60 anos. E isso e bom, isso e muito bom mesmo. Mas pra quem não esta no lado de cá, realmente nunca vai entender o quão bom e se ver representado em alguma coisa.
    Já no japão, ao contrario de boa parte do mundo, estacionou e não parece querer acompanhar essas mudanças, mas vamos ver até quando a industria deles vai aguentar sendo assim.
    Esse assedio no mangá só reflete o sistema de crenças do autor, que por sua vez reflete o sistema de toda uma sociedade, e se na arte eles já se mostram assim, e assustador pensar como e na realidade. E assustador pra quem esta no lado de cá, claro, pois pra quem esta ai, confortável e reclamando o quanto isso e desnecessário, nunca vai entender o horror que é estar aqui deste lado.

    Curtir

  40. Maycon Douglas Moreira 11/02/2016 às 00:13 #

    Foi tanta merda q vi q tive q chamar o limpa fossa

    Curtir

  41. jasque 11/02/2016 às 00:19 #

    Quero ver a galera mandando ver no share

    Curtir

  42. Lizzie 11/02/2016 às 00:35 #

    O que mais me choca é que a galera nos comentários reclama dizendo que problematizar uma situação de abuso feminino é feminismo… Sério mesmo gente? Eu não sou feminista e acho que tanto os homens quanto as mulheres tem o direito de decidir onde e quando seus corpos serão tocados, não tem nada de feminista em dizer que o Meliodas toca a Elizabeth indevidamente, porque todo mundo que viu o animê já sabe (ou pelo menos devia saber, né). Dizer que o post é claramente feminista só porque ela taxa a atitude de ficar apalpando o corpo da Elizabeth como machista é ridículo, se não for machista, o que é? Neutro? Igualdade entre os sexos em que só as mulheres recebem toques em suas partes íntimas para vender mais? Bem, óbvio que isso acontece porque a maioria do público é homem.
    E aliás, qual é o problema de criticar essa atitude num mangá? Só porque não é a vida real tá valendo tudo agora? Não é possível mudar a opinião do autor e realmente um post não vai mudar nada pra obra, mas talvez mude no modo como algumas pessoas encaram a situação. Só porque não é de verdade não quer dizer que não educa as crianças que assistem que elas podem fazer o que elas quiserem com as mulheres. E nem me venham dizer que estou exagerando, porque é assim com qualquer preconceito.
    Adorei esse post mais crítico, espero que também levantem pontos relevantes em outras obras no futuro :)

    Curtir

  43. lory31 11/02/2016 às 00:35 #

    Apoiado! Ridículas essas pessoas que curtem esse tipo de coisa, muitos veem a situação da mulher negar, reagir, não consentir como algo excitante. Creio que em hentai seja só o que exista.. deplorável

    Curtir

  44. Jessi 11/02/2016 às 00:38 #

    O gif que tu deu de exemplo não focou necessariamente no busto, e sim no movimento das mãos da Diane. Não acho que dá pra chamar close em si de apelativo…
    E Elizabeth tem uma função bem definida no plot sim, até porque foi ela que deu o pontapé pra começar a história toda. E mesmo não tendo poderes e sendo bobinha, acho que dá pra considerar que ela tem uma personalidade bem forte e é decidida.
    (Não to concordando ou discordando com o texto, só levantando umas observações).

    Curtir

  45. Carlinhos Americano - SUPREMACIA AMERICANA VIVA OS EUA FORA PT 11/02/2016 às 00:38 #

    é por essas e outras que animes foram um erro e sempre serão

    japones fdp

    Curtir

  46. Israel de Oliveira 11/02/2016 às 00:44 #

    Tava mais do que na hora de um texto como esse na cara desse fandom otaco que acha que tudo é mimimi!!

    Parabéns pelo texto!!

    Curtir

  47. O Judeu Ateu 11/02/2016 às 00:44 #

    Pena que a van escolar resolveu deixar a criançada nos comentários desse post.
    Sério, ninguém tá falando que o anime inteiro é ruim, ou que você é uma pessoa ruim por gostar dele, só que tem esse aspecto em específico que está perpetuando uma imagem e uma cultura ultrapassada para com a mulher.

    É até algo meio óbvio, não sei como alguém com mais de 12 anos pode ver isso e achar que não tem problema nenhum. Não precisava parar de ver esse shounen genérico e óbvio, pode continuar se satisfazendo com mais essa história mal planejada e com personagens rasos, é só estar ciente de que, de fato, o tratamento às mulheres nessa obra é algo do século passado.

    E só pra constar, a obra podia ser do Azerbaijão, mas o fato é que ela chegou nas suas mãos aqui no Brasil, legalmente ou não. É óbvio que ninguém acha que o autor de Nanatsu vai repensar o trabalho depois da crítica de brasileiros, a gente tem que pensar na mensagem que a obra passa sobre o nosso contexto, porque no final, por mais que otakinho queira, você não tá no japão.

    Curtir

  48. Panino Manino 11/02/2016 às 00:51 #

    O que quer dizer esse paulistês “chochar”?

    Curtir

  49. Simão 11/02/2016 às 01:27 #

    Gostei do tema. Porém, não vejo muito motivo para a problematização. O mangá retrata o mundo medieval, portanto não podemos esperar outra coisa senão comportamentos e pensamentos medievais nessa obra, ora.

    A mesma problematização sobre Chobits seria mais lógica. Mas este mangá, ao contrário daquele, é até que bom. Se esquecermos o machismo nele presente, claro.

    Curtir

  50. lorya1 11/02/2016 às 01:58 #

    Bem, algumas pessoas podem não ver graça, mas as apalpadas do Meliodas misturadas com os comentários irritados do Hawk formam uma certa comedia. Como você disse, leu 7 mangás. O Meliodas tem uma atração muito grande pela Elizabeth que é a reencarnação da Liz -desculpem o spoiler- e tem uma forma estranha de agir, talvez simplesmente por viver num grupo de “desordeiros” ou até mesmo por na verdade ser um demônio. A Elizabeth pode sim ficar envergonhada, ela é uma princesa que nunca teve esse tipo de contato. Mas o relacionamento dela com o Meliodas não é abusivo. Vamos diminuir o feminismo e voltar para o realismo né? Shounens tem sim fanservice ainda mais um ecchi…

    O Meliodas é tido como um personagem pervertido, como o mestre kami o miroku e tantos outros, o apalpar é para mostrar mais disso, lembrar que o Meliodas apesar de um herói tem essas características erradas e não é só um menino que quer salvar o reino.

    Os personagens não são rasos, mas são trabalhados lentamente em um mangá longo. Tanto o Meliodas quanto a Elizabeth e os outros vão revelando aos poucos sua história e presença na trama.

    Meliodas protege ela, cuida dela, faz de tudo para deixar a elizabeth bem, feliz, viva, alimentada, sai pelo mundo a fora para salvar o reino que fez com que ele e os companheiros fossem considerados traidores por que ela pediu. Acha realmente que ele é um violentador? Pelo amor da deusa.

    Claro que apertar os seios de uma garota não é algo bonito ou legal, porém tem que entender o contexto do personagem e não lendo sete mangás, que diga-se de passagem não revelam quase nada da trama . Então sério, parem com esse exagero de ver treta em tudo.

    http://img.mangahost.com/br/images/nanatsu-no-taizai-pt-br/159/06-07.png.webp
    http://img.mangahost.com/br/images/nanatsu-no-taizai-pt-br/159/08.png.webp

    Pelo amor da deusa. Menos

    Curtir

  51. Mogi 11/02/2016 às 01:59 #

    Eu me senti dividido em relação ao texto, provavelmente porque minhas idéias sobre o assunto são bem confusas, mas vamos lá. É fato que a objetificação da mulher é um problema(sou homem aliás, se isso for relevante) e que o machismo está impregnado na raiz da nossa sociedade, e acho a indignação da autora totalmente fundamentada.
    Mas por outro lado não fico tão surpreso do manga/anime ter atingido o mainstream, observando a qualidade e o conteúdo da cultura pop japonesa atual.
    As publicações estão só pelo dinheiro, e o fan service alimenta todo mercado otaku: bonécos, games, midias em geral, cosplay, merchã, utencílios, PORN, etc etc etc.
    Não gostei do mangá. Não achei nenhum personagem realmente carismático, e os assédios começaram a me fazer questionar se o fóco do mangá é o echi. Analisando que o titulo é Os sete pecados mortais, características seinem em um henredo shonem, talvez o desnecessário fosse o henredo usado pra mascarar um hentai tenso. Não me surpreendo. O japão nunca teve vergonha de colocar no desenho todo tipo de subversidade, é quase como se essa sociedade permeada de transtornos de comunicação precisase disso.
    A impressão que eu tenho, é como se a objetificação da mulher fosse parte da agenda da mídia, e a sua metralhadora giratória apontada pras pessoas. Junto vem a banalização do sexo, milionário lifestyle, escravidão dos padrões de beleza… esses conceitos em um contexto japones, é mais alarmante ainda.
    “Empatizo” com o comentario do usuario Neko Neka, e com a indignação da autora, mas não sei até que ponto uma obra como essa poderia, ou deveria, ser restringida. Justamente porque a proposta do mesmo é nebulosa, mesmo podendo ser intencional (e eu acho que é), não consegui julgar o mangá.

    Curtir

  52. Ichigo kurosaki 11/02/2016 às 02:20 #

    Falta de lola

    Curtir

  53. MrFox 11/02/2016 às 02:23 #

    O anime nem e tão bom assim, mas sabe, acho que você esqueceu que existem animes de todo o tipo. sim esse anime ofende as mulheres, só que também existe animes que podem ofender homens, estou falando daqueles animes com protagonistas fracos e manipulaveis que sempre apanham de uma garota que normalmente e uma amiga, e também animes onde garotas assediam garotos, animes onde garotos assediam outros garotos… Oque eu quero dizer e que existem vários tipos de animes com vários tipos de fetiches desagradaveis e ver só o lado que ofende as mulheres não e legal. Animes quase sempre tem um fetiche ou situação que pode desagradar.
    Se você já parou pra ver outros erros em outros animes (com certeza, você já deve ter feito isso) legal…

    Curtir

  54. aeonmax 11/02/2016 às 02:28 #

    ué… isso é por que esse anime/ mangá atingiu um publico maior? eu não li mas conheço exemplos bem piores eu acho, então o que será que acontece, ele esta direcionado para o público errado? bom, não concordo com nenhum tipo de “abuso”, ainda mais se não tem contexto nenhum como parecem mencionar alguns comentários que li, mas como muitos disseram tb, é opção sua desistir dele né? o que mantem algo ruim na mídia? provavelmente isso da dinheiro, isso influencia de alguma forma os leitores, mas não deixo de pensar que o problema esta alem disso. Esta em quem lê e assiste e não sabe a diferença da fantasia e da realidade. Se alguem esta formando o carater apenas baseado nos animes e mangas que consome, essa pessoa precisa de tratamento. srrrs

    Curtir

  55. Tablis Costa Junior 11/02/2016 às 02:37 #

    aguardando o texto com os haréns e os jovi q são abusados por meninas violentadoras

    Curtir

  56. Christian "Chorafeminazi" 11/02/2016 às 03:13 #

    É mimimi sim,isso é o alivio cômico do anime…tirando as feminazi todos riem disso…aqui porque isso acontece de surpresa,se não aguenta não leia o anime…e outra lê 7 capítulos e já sai julgando? Legal hein

    Curtir

  57. Não existem pessoas feias, existem pessoas burras 11/02/2016 às 03:25 #

    Judeu ateu maravilhooooso, sou mais sua fã ainda. Li todos os comentários cheia de pensamentos e você retratou exatamente no seu comentário. De qualquer forma isso é assustador, crianças ou não é terrivel ver que tem gente que realmente pensa o que digitou nos comentarios abaixo…
    Pessoas que nem sabem o significado de feminismo T-T

    Curtir

  58. kyochan 11/02/2016 às 03:34 #

    Mara, muito obrigada por criar essa nova sessão do blog.
    Está mais que na hora de descontruir essa garotada/velharada otaku que acha bonito/normal essa objetificação de mulheres no mundo “tokuanimangático”

    Curtir

  59. Murilo Furlan 11/02/2016 às 04:18 #

    Ai, ai. Queria muito entender pq pessoas levam ecchi tão a sério… Vão analisar hentais agora que meninas são estupradas por tentáculos? Se sim. Ok vou entender essa analise como algo realmente importante. Agora pegar um mangá que é fantástico, com 2 personagens femininas extremamente muito bem criadas e muito bem estruturadas e só citar isso que o autor fez? Calma, não é a primeira vez que um autor faz isso em um mangá e ainda sim pegar essa parte e QUEIMA o mangá dessa forma, acho que você não entende o contexto do Japão e como funciona o mangá para eles. Precisa aprender a criar uma analise abrangendo algo realmente o contexto geral da obra. Ou vai me dizer que só por que um filme existe um estupro que o filme inteiro vai ser ruim? Ou ainda não sabe separar de ficção de realidade? Desculpe, mas isso é mais um discurso achado paras base de mimimi, aonde não vejo algo concreto de acordo com o que a obra é feita e sim uma justificativa para achar pelo em ovo.

    Att,

    Curtir

  60. hayabusa 11/02/2016 às 04:20 #

    A porra do nome do anime é “Os Sete Pecados Capitais” e você quer vir falar de coisa errada? A relação de amor entre o Meliodas e a Elizabeth também não importa né? Faça-me o favor menina, você ainda quer criticar uma obra tendo apenas uma visão superficial dela? A sua ignorância é mais de 8000 e sua crítica baseada em uma opinião tendenciosa que não agrega valor nenhum ao texto. Não estou aqui para defender a atitude de um personagem fictício de uma obra entre milhares, estou aqui para lamentar que pessoas se incomodem com isso atualmente. A geração mimimi é realmente um tumor na sociedade.

    Curtir

  61. Otaku Doente 11/02/2016 às 04:52 #

    Queria ler um texto seu sobre lolitas, moe e lolicon/shotacon. Arrasou Mara.

    Curtir

  62. Hueg Huefner 11/02/2016 às 06:34 #

    Cala a boca, sua comunista. #ForaPT.

    Curtir

  63. Victor Tadeu Oliveira 11/02/2016 às 07:34 #

    Só passando para dizer que em muitos casos anime e mangas são imbecis, mesmo, e os personagens frequentemente estereótipos banais, fúteis e repetitivos. Mesmo eu achando esses caras que problematizam tudo uns bitolados, numa coisa eles estão certos: a cultura japonesa em geral, particularmente animes e mangas, objetificam a mulher pra caralho. Portanto eu entendo ou não tenho argumento contra quem queira problematizar isso, mesmo quando o faz por mimimi.

    Bem, por outro lado… o que você espera de um país cheio de virjões de 40 anos que namoram travesseiros?

    Curtir

  64. Vlad Schüler (@vladschuler) 11/02/2016 às 08:29 #

    Eita, faz tempo que não vejo um post com tantos comentários, #marapolemica = melhor Mara.

    Eu queria dizer, Mara, que o mangá continua a mesma apelação e a história perde boa parte do carisma mais pra frente, virando algo meio Bleach – um milhão de coisas acontecendo just because, sem nenhum desenvolvimento de trama decente. Então você não perdeu muito parando no volume 7.

    Esse caso da Elizabeth eu acho particularmente complicado porque não só ele se sente constrangida pela principal figura de autoridade da vida atual dela estar tendo esse contato corporal indesejado, ela NÃO entende muito bem o conteúdo sexual desse contato – parece, honestamente, que estamos lendo uma metáfora pra abuso sexual de menores, com o responsável por uma criança tendo uma miríade de comportamentos inapropriados com ela, e ela indefesa, sem entender direito porque ela não gosta daquilo mas ainda assim sem poder suficiente na relação pra se posicionar abertamente contra.

    Agora quero ver o que vai acontecer no próximo post dessa série, continue assim.

    Curtir

  65. Apo 11/02/2016 às 08:52 #

    Ai, ai dona Mara.

    Sei que é opinião, mas vejo muito ativismo nessa postagem.

    Mas você não acha que reclamar de um personagem passar a mão nas meninas é meio tardio não? Mestre Kame, Yusuke já faziam isso nos anos 90 na TV aberta com crianças assitindo e não teve todo esse mimimimi ativista. Acho que porque não tinha Facebook e internet.

    No mais dizer que é o reflexo de uma sociedade uma obra de ficção é o mesmo dizer que os filmes de terror também o são, e nem por isso as pessoas saem matando por aí por causa de um filme de slasher e nem acredito que algum Otaku saia por aí apalpando garotas a torto e a direito.

    Reclamar de clichês de um gênero como o Shounen que sempre teve isso (aliás desde os anos 70 com Machiko Sensei) é totalmente surreal.

    Você tem todo direito de reclamar do excesso de situações, de fanservice etc… Agora achar que isso é reflexo da sociedade é meio demais, eu prefiro acreditar que é brincadeira e tal. Da mesma forma que não gosto do conteúdo de um programa de TV eu simplesmente paro de assistir e consumir aquele determinado produto.

    Melhor seria se cada um consumisse o que gosta sem enxergar problematização nisso, mas sem impedir críticas ao conteúdo o que essa postagem poderia ter focado um pouco melhor.

    No mais Frank Miller tem toda razão de reclamar, mesmo que não tenha muito haver com mangá:

    https://supercaixadegibis.wordpress.com/2015/11/18/frank-miller-ironiza-a-decadencia-dos-quadrinhos/

    Curtir

  66. riickss 11/02/2016 às 09:08 #

    “Agora pegar um mangá que é fantástico, com 2 personagens femininas extremamente muito bem criadas e muito bem estruturadas e só citar isso que o autor fez?”

    Definitivamente não estamos lendo a mesma obra. Todo o pretenso desenvolvimento dessas duas personagens é raso tal uma colher de chá. Tanto que uma só existe como ressonância de um amor passado e a outra teve a sua memória APAGADA para o autor conseguir utilizá-la em outro contexto.

    Aceitem, esse mangá está uma zona agora, e esses detalhes apenas a estragam ainda mais. Perpetuar atitudes como essas como se não fossem nada ou como se fosse algo natural não traz proveito para ninguém, sequer é comédia ou fan service.

    Curtir

  67. Anna Guzzo 11/02/2016 às 09:29 #

    Sabe o que é ainda pior ?
    A Elizabeth acaba se apaixonando pelo Meliodas apesar desses assédios que ele faz com ela !

    Curtir

  68. izumi 11/02/2016 às 09:38 #

    Aplaudindo de pé esse post!!
    Deixando aqui meu apoio e já esperando as próximas postagens da série.
    Go Mara! hwaiting!

    Curtir

  69. luiz 11/02/2016 às 09:40 #

    mimimimimi kkkkkkkkk

    Curtir

  70. Dra 11/02/2016 às 09:44 #

    2016 problematizando anime. OK, vamos lá. Mara, como você bem sabe, anime vem do Japão. No Japão, existe toda uma cultura machista que acaba até sendo normal pra eles, mesmo que não seja pra nós, porém todo mundo sabe que esse tipo de conteúdo é bem direcionado pra pessoas que querem ver isso. Outro ponto é que ficar problematizando aqui não vai nos levar a lugar nenhum. Estamos no Brasil, o conteúdo é do Japão pra vender pro Japão. Deixar de assistir aqui ou criticar não vai mudar nada lá e o conteúdo vai continuar o mesmo. Todos nós sabemos também que lá existem muitas pessoas que gostam desse tipo coisa além de outros animes que abordam vários outros problemas (pedofilia, agressão, homofobia, etc) mas isso tá EM TODO ANIME. mesmo que em uma parcela pequena. Você teria que barrar toda cultura japonesa se quisesse mesmo fazer “diferença” e ninguém aqui vai fazer isso. Pegar um anime específico e jogar nessa problematização só tem vindo gente a ver anime com outra concepção. (Sim, o post está sendo compartilhado afinal). Infelizmente é uma problematização banal, é problematizar uma cultura que não é nossa e criticar algo procurando mudança sendo que não vai acontecer nunca. De modo geral: se quiser lê/assistir, assista ou leia e se não quiser, não faça. Como eu disse, todo anime que eu já vi tem esse tipo de coisa (principalmente focar em seios ou bunda, isso é super normal nesse meio). Seria hipocrisia reclamar de machismo mas continuar consumindo mesmo que em outro anime a freqüência seja baixa, etc.

    Curtir

  71. Ronaldo 11/02/2016 às 10:16 #

    Imagino as críticas ao mestre kame se drangon ball tivesse sendo lançado agora, morei no Japão durante seis meses foi o suficiente pra notar muitas diferenças da nossa cultura o que aqui é chamado de assédio lá é humor ” hentai” é como o humor inglês ou humor negro nem todo mundo entende, nem todo mundo gosta, esse tipo de humor japonês ou abuso se prefirir faz sucesso com os garotos e com as garotas, em algumas regiões lá com 13 anos pode se namorar um cara bem mais velho sem ser pedófilia em outras é um pouco mais mais fica entre 13 e 17 e a alguns anos atras com 16 anos VC podia entrar na indústria porno. Culturas diferentes,humor diferente, leis diferentes por que são países diferentes.
    PS: eles não comem cachorros mais comem golfinho.

    Curtir

  72. Babyface (@douglanmar) 11/02/2016 às 10:20 #

    Excelente texto, tocou num ponto raramente dito e ainda o fez com ponderação e coerência. Porém (aquela palavra proibida que invalida qualquer coisa escrita depois dela), senti falta de um elemento da história que não vi sendo comentado nem no texto, nem nos comentários: o Hawk.

    Sempre que o Meliodas tem atitudes libidinosas com a Elizabeth, o Hawk o repreende. Ou seja, o próprio mangá diz que a atitude do Meliodas é errada. Se fosse só o Meliodas abusando da Elizabeth sem nenhum outro tipo de perspectiva contrária a essa atitude, o mangá estaria realmente endossando esse comportamento. Mas, a partir do momento que existe alguém explicitamente dizendo que o personagem está errado, isso não pode ser considerado uma crítica? É um elemento de comédia clássico japonês, o famoso tsukkomi-boke, onde o tsukkomi Hawk corrige as atitudes do boke Meliodas. Lembrando que não estou dizendo que é engraçado, só estou dizendo que é um estilo de roteiro de comédia.

    Claro, não estou dizendo que isso justifica a presença desse elemento no mangá, muito menos dizendo que ele é menos desnecessário por causa disso. Só estou questionando a intenção do autor. Talvez seja menos condescendente do que parece.

    Curtir

  73. asdasdasdasc@asdasd.com 11/02/2016 às 10:23 #

    pura frescura sua

    Curtir

  74. Juliano 11/02/2016 às 10:35 #

    Qual a necessidade do zoom no decote da Diane? Uai, porque é LEGAL LEGAL LEGAL!

    Curtir

  75. Ivan 11/02/2016 às 10:38 #

    Muito bom o texto.
    Qualquer produção muitas vezes é o espelho da sociedade, porém isso não significa que estejam corretas.
    Compreender que algumas atitudes ou pensamentos não são aceitaveis faz parte da evolução de uma sociedade.
    Podemos gostar de uma obra e ainda sim criticar características dela. Só só permitirá uma evolução da obra e/ou do autor.

    Curtir

  76. R. 11/02/2016 às 10:44 #

    Mais um bom site de humor estragado pela geração politicamente correta….

    Curtir

  77. Moelover 11/02/2016 às 11:07 #

    Nanatsu é um shounen com ecchi, isso já diz muita coisa, o meliodas vive fazendo isso, e eu confesso que acho o alívio cômico legal, se você vai ler algo com ecchi você sabe exatamente o tipo de situação que te espera, a Elizabeth na série nunca reclamou desse tipo de atitude.

    Curtir

  78. Guilherme 11/02/2016 às 11:24 #

    Nem leu o mangá inteiro e já ta falando merda procura saber de tudo primeiro antes de vim com mimimi.
    Leia todo o mangá primeiro pra você pelo menos entender a história pra depois falar merda.

    Curtir

  79. Felipe Bende 11/02/2016 às 11:55 #

    Eu quase levei a sério até ver o comentário sobre focar a câmera nos peitos e percebi a zoeira XD, eu caí nessa, parabéns e continuem o bom trabalho! ;D

    Curtir

  80. Sandra Monte 11/02/2016 às 11:58 #

    Pois é…
    Um dos motivos os quais eu me desinteressei e muito pelos mangás atuais – além do péssimo trabalho gráfico e técnico – são estas histórias idiotas… Sério. Este tipo de história não me interessa nenhum pouco.

    E parece que tem se tornado usual nos títulos que têm chegado no Brasil… O que me pergunto é: é este tipo de coisa que os leitores brasileiros estão querendo? Se for, estamos realmente de mal a pior… E é uma pena ver que as editoras trazem porque “vende”, mas têm receio de tentar algo NOVO…

    Ou seja.. uma sinuca de bico total…

    Sandra Monte
    http://www.papodebudega.com

    Curtir

  81. Jango 11/02/2016 às 12:12 #

    Não é mimimi, é uma forma de mostrar aos machinhos de sofá que as mulheres não estão aceitando mais. Não é o mundo que está chato, é a mulher abrindo os olhos e ganhando coragem para se expor e falar.
    Queria ver se um babaca passasse a mão ou cantasse sua irmã, mãe ou parente se vc acharia isso normal. Ou vc diria? Não, deixa pra lá, no meu manga é assim tbm.

    Curtir

  82. ALBN 11/02/2016 às 12:26 #

    Às vezes parece que querem por uma burca ou ditar o que um autor deve ou não fazer.Eu fui veementemente contra aquela censura sobre a autora Akiko Higashimura por retratar homens que são fracasados sociais e que tentam subir na vida se casando co mulheres ricas, e aqui sobre Nanatsu, discordo pela proporção de colocar como abuso sexual, em vez de, como crítico, por como relação mal contruída para justificar as apalpadas sendo o fato dos doia se amarem.E Mara, para tecer uma crítica, deve-se ao menos se dá o trabalho de ler todas as edições lançadas para determinar o estilo do autor e conseguir ver melhor seus defeitos. Esse “assedio” só ocorre entre Meliodas e Elisabeth, não ocorre o mesmo com outras personagens femininas, de personas diversificados, desde donzelas a tomboys,além de personagens gays como Gowther ou Slader.Não há na estória retratando todas as mulheres como seres frágeis que devem ter um homem, e esse fazer o que bem entende com elas.As mulheres em Nanatsu tem vida própria.Nakaba não soube construir essa relação de Meliodas e Elisabeth para justificar essa intimidade repentina, esse foi o erro dele, mas nâo devemos pegar um erro de construção e transformar como o grande problema sociológico que influencia os novos jovens, para se comportar que nem idiota, basta não ter o mínimo de respeito pelos outros.Lá na frente Elisabeth é decisiva na vitória dos sete pecados no final do primeiro arco, sem ela, todos estariam condenados, e dá-se a entender que ela será peça fundamental na derrota da família demoniaca de Meliodas, além dela e Hawk serem reencarnações de Liz, sua amada na qual se relacionavam na mesma forma com a Elisabeth, o que faz sentido e fuciona melhor por terem intimidade de longa data, e o porco era um papagaio falante.
    No geral, deveria ter feito um texto para tecer uma crítica ao Nanatsu, problematizar e desconstrução soa clichê e é mais apropriado para análise da sociedade com um maior embasamento dados, sendo escrito de qualquer forma a discussão para convencer as pessoas a mudarem de comportamento se perde em xigamentos e brigas inférteis. Se quiser discutir melhor esse machismo, deve-se apurar na forma em que separam as estórias, dizendo que isso é de menino e isso é de menina, em vez de são boas estórias ou péssimas estórias.

    Curtir

  83. Quem sabe quem eu sou sabe quem eu sou quem não sabe não sabe 11/02/2016 às 12:31 #

    Vejo que alguns usam como argumento as distancias entre países/culturas.

    Distanciar-se usando como ponto de vista de que estamos no Brasil e isso de fato não afeta a construção do mangá em relação a terrível ideia machista do Japão só nos mostra uma forma de fuga que encontraram para esta discussão.

    Então, voltando a discussão para nosso país, eu gostaria de chamar a atenção para dois pontos:

    1. Pelo que li nos comentários, algumas pessoas parecem se identificar com o tema e conseguem lidar bem com o conteúdo. O quão vocês se distanciam da ideia do machismo brasileiro e o quanto se aproximam da japonesa, nesse caso?

    2. “mimimi”. Usando como referência a quantidade de posts que usam-se desse “”””argumento”””” e derivados (#forapt, etc), os comentaristas que usam-se desse recurso confirmam o quanto o “conteúdo” do mangá está embutido na cabeça dessas pessoas. Entendam conteúdo como uma interpretação minha sobre o quanto alguns se acostumaram com esses assédios apresentados em obras ficcionais que acabaram incluindo no discurso a despreocupação com o problema.

    Não se afastem do problema, leiam além das linhas.

    Curtir

  84. Para de mimimi 11/02/2016 às 12:33 #

    Mimimi minimi

    Curtir

  85. Guina 11/02/2016 às 12:39 #

    Eu só vos digo que Nanatsu no Taizai é um LIXO só por causa do personagem principal, Meliodas. O personagem mata a serie, ele é pior até que o Natsu como personagem principal. Eu o odeio do fundo da minha alma!

    Curtir

  86. Cris 11/02/2016 às 12:42 #

    Tão bom ler coisas sensatas na internet. Anda difícil achar textos de opinião bem escritos assim. Espero que continuem com essa seção. Confesso às vezes canso de tentar explicar que machismo é tão entranhado no “comum/diário” que os praticantes nem percebem, sejam homens ou mulheres, ainda que o pano de fundo possa ser muito interessante.
    Gostaria de ver um texto sobre as doenças sociais (japonesas) como em No game no Life.
    Parabéns pelo texto. E, sim, já ficou feio mesmo.

    Curtir

  87. Fanservice Mandou lembranças 11/02/2016 às 12:46 #

    ‘-‘

    Curtir

  88. Lua-chan 11/02/2016 às 13:00 #

    Isso mesmo! Desde chobits, que vc liga a boneca pelas intimidades dela! E todo mundo acha que é fofo! Até esses ecchis q acham super engraçado peitos balançando e calcinhas ocupando a tela toda.

    Chega de harém! Chega personagens femininas que só servem para servir os protagonistas! Eu não quero gastar meu dinheiro com mangás que não me representam! A história pode ser boa sim! Mas o autor não pode sair escrevendo o que bem entende só por ser autor!

    Não é fácil assim: “compra quem quer”, “existem outros gêneros”! Muito menos isso de “só vende pq tem audiencia” ou “a pessoa tem que saber a diferença entre ficção e realidade pq o autor não é obrigado a educar filho de ninguém”!

    E aos machistas… nem adianta falar de bêbados em Yaoi que acabam sendo levados pra cama, pq é totalmente diferente!

    Curtir

  89. Jim Jinkins 11/02/2016 às 13:29 #

    Ah, que falta faz o BK nessas horas…

    Curtir

  90. Jim Jinkins 11/02/2016 às 13:31 #

    Aliás, as considerações da Dra são as únicas que prestam aqui. É a mesma coisa que fazer textão e campanha militante pra que deixem de mutilar meninas na puta que pariu do cu do mundo da África.

    Curtir

  91. Lucy Gimenez 11/02/2016 às 13:31 #

    Dois pontos importantes:

    1º Nanatsu no Taizai é um plano grandioso para uma revolução dos conceitos machistas presentes na atualidade, Elizabeth vai revidar todos os assédios de Meliodas despertando seu sétimo sentido.

    2º Excelente estrategia para conseguir um fluxo maior de comentários e discórdia no MdOM, bjs na careca!

    Curtir

  92. Horacio T. Mctetas 11/02/2016 às 13:39 #

    mimimimimimimi mimimimi… machismo…mimimimimimimimimimimimimimimimimi…politicamente correto…mimimimimimimi

    Curtir

  93. mimimi 11/02/2016 às 13:48 #

    mimimimimimimi mimimimimimimi mimmimimimimimimi mmimimimimimmim mimimimi mimimimimim mimimimimimimi mimimimim mimimimimimmi mimimimimimimmimimi mimimmimimimimimmimimimimi mmimimimimimimimim imimimimimimi mimimmimimimimimimim mimimimimi mmimimimimimm imimimi mimmimimimimi mimimimimimimi mimimimimimmimimimimimimi mmimimimimimmimimi mimimmimimimimimmimi

    Curtir

  94. Cavaleiro Negro 11/02/2016 às 14:20 #

    Então esse mangá tem um protagonista que é estuprador e pedófilo? Que merda, hein?! Os ‘machinazi” devem adorar.

    Curtir

  95. asdasdasdasc@asdasd.com 11/02/2016 às 14:50 #

    tem que estuprar memo

    Curtir

  96. Flavio 11/02/2016 às 15:23 #

    Isso só é uma grande inutilidade.
    Se não gosta do anime, não veja, se não gosta do manga, não leia.
    Se não vender manga a publicação é cancelada e se não der audiência o anime não tem segunda temporada.
    Eu gosto do anime e pretendo comprar o manga.
    Se os q pensam como eu forem maioria, as feministas q se danam.
    Pelo q eu acabei de ver já é certo ter um OVA e a segunda temporada tb.
    Quem gosta entre nesse link: https://www.youtube.com/watch?v=L16lbM3LjLo curta e se inscreva, para mostrar q apoia a obra.

    Curtir

  97. chora 11/02/2016 às 15:57 #

    pq vcs não vai toma no cú só bota problema atoa

    Curtir

  98. Chimæra 11/02/2016 às 16:30 #

    Nossa, fazia tempo que não lia o blog mas muito bom voltar e ler um texto bom desses, cê tá com toda a razão, a gente tem que discutir isso mesmo.
    Eu comecei a ler esse mangá por scans e sempre me incomodou esses momentos, prq é muito repentino e forçado, não orna com o resto da trama, é uma “humor” nojento e forçado.
    Parei de ler o mangá online um tempo prq ia ser lançado no Brasil e desde então tô comprando os volumes pra ler alguma hora, e tinha esquecido completamente dessa questao até então (prq nem vi o anime), agora acho que vou ter que começar a ler pra ver se meu dinheiro ta sendo gastado atoa.
    Quanto a Magi que mencionaram aqui eu também tenho o mesmo problema, me incomoda mas eu relevo por gostar muito do mangá, eu quero acreditar que a autora não põe essas coisas por vontade próprio mas pelo mercado ter essa visão de que mangá pra garotos por mais que tenha personagens femininas fortes tem que ter essa punhetação nojenta pra agradar os homi.
    Acho que a gente tem que parar de fazer vista grossa e falar sobre essas coisas, mesmo que talvez nossa indignação e preocupação va chegar até até a indústria e os mangakas japoneses, pelo menos podemos fazer as editoras nacionais se preocuparem mais com isso e trazer o assunto pra o público otaku que as vezes é um público de Veras escroto.
    Obrigado por se preocupar e falar.

    Curtir

  99. Léo Lima 11/02/2016 às 16:33 #

    Engraçado ver que a maioria dos que contestam a matéria nem tem argumentos para se defender, utilizam “mimimi” para desmerecer o post e não sabem sequer argumentar a seu favor. Pelo amor de Deus! Era de se esperar de pessoas que não tem o mínimo de inteligência para debater o assunto de forma civilizada, fico surpreso que eles tenha conseguido ler a matéria até o fim (se é que realmente o fizeram).
    Mas teve três pontos interessantes que foram citados nos comentários:
    1- A Júlia comentou sobre elementos similares em Magi, sendo que trata-se de uma mulher quem escreve este, algo a se pensar. Influência editorial ou pensamento machista agregado também as mulheres?
    2- MrFox citou que há mangás de todos os tipos no Japão, incluindo mangás que falem mal dos homens, mas e aquele mangá que crítica os homens que são sustentados por mulheres que foi cancelado por lá (inclusive também citado nesse blog)? Quer dizer que criticar os homens não pode? Ou seja, argumento inválido Mr.Fox. Num país que não vê problema nenhum na atitude de um personagem de mangá mainstream como Meliodas e cancela um mangá que crítica homens vagabundos e exploradores de um mangá não mainstream, é óbvio que trata-se de machismo exacerbado. Não há um equilíbrio aqui.
    3-Muita gente que defende essa atitude do Meliodas é bem conformista, “as coisas são e sempre foram assim, você não pode mudar isso”. RIDÍCULO! Ser sempre assim não justifica ser certo e tampouco justifica que continue assim. Se muitas pessoas compartilham da mesma ideia desse post, mesmo no Japão, isso fará com o tempo que o público passe a repudiar essas idéias e isso deixe de ser feito. Nem que para isso seja feita pressão internacional, assim como já aconteceu com relação a mangás moe e de sexualizacao infantil (também já citado nesse blog). Existe uma diferença gritante entre erotismo e abuso, e quem não é capaz de entender ao menos isso, não devia nem perder tempo tentando defender essa atitude deplorável.

    Curtir

  100. Diego Marques 11/02/2016 às 16:33 #

    Quando vi a palavra ” problematizando ” já imaginei que seria uma falacia, mas o conteúdo é bastante prudente, nessário e… Olha, acho que estava até demorando pra surgir algo assim.

    Leio diversos tipos de quadrinhos, só que, para mim, tudo começou com os mangás ( e Turma da Mônica, claro ), e desde sempre achei algumas características bem bizarras. Aí vem aquele pensamento que, algumas coisas vem em detrimento da cultura, porém têm certas coisas que devem ser universais, como por exemplo; algo tão simples e importante como o respeito.

    Que fique registrado os meus parabéns pela iniciativa, o conteúdo do post e o caminho que está sendo criado.

    Curtir

  101. Flávio 11/02/2016 às 16:56 #

    Sabem o que é mais delicioso? Por mais que vocês choraminguem e falem besteiras paranoicas, o anime vai continuar sendo produzido, e outros no mesmo estilo serão feitos também. Ô geraçãozinha fresca viu…

    Curtir

  102. Ramón 11/02/2016 às 17:06 #

    É tão difícil assim não consumir um produto que não os agrada? Tem gente que gosta, sabiam? Se não curtem, não assistam, simples assim. Esse pessoal que fala mal da censura, normalmente são os primeiros a querer proibir o que não gostam.

    Curtir

  103. asdasdasdasc@asdasd.com 11/02/2016 às 17:13 #

    isso é coisa de bichinha barraqueira eleitora do Jean Wyllis

    Curtir

  104. Mateus Bueno 11/02/2016 às 17:13 #

    Click Bait da Mara de novo S2

    Meus 2 centavos: Free!

    Moral da história: machismo é um saco, mas fanservice é um cú. Seja pra homens, pra mulheres ou para Fábios.

    Curtir

  105. bruno alves rodrigues 11/02/2016 às 17:47 #

    só digo umas coisa leia o manga pq a elizabeth é reencarnação da ex-mulher dele sem contar q ele n faz isso com mais ninguem e mais ele tem mais de 3k de anos vc n leu quase nada e tem outra isso ai é quase nada em animes cara desenho japones tem essas apelações mesmo e ta reclamando pq ainda n viu hentai pq se n tem um enfarto e outa chega de mimimi se n gosto vai ver highi school dxd/of the dead e se n gosta vai ver boku no pico ond é um desenho com homens transando com homens(sapoha n é do bem mas tem gente q gosta só vi pq muita gente zueira da net falo q era anime de luta) então para com esse mimimi todo ai praticamente 99% dos desenho japones(ou como é chamado pela maioria animes) tem isso até mesmo um q muita gente viu na infancia dragon ball(n to falando do z e sim do classico q tinha) entao para de choro q é so um desenho se n quer q seus filhos veja n deixe ele ver isso na internet(pq nem na tv tem ainda só na japonesa) e outra vc exagerou muito violentador pqp violentador é o cara de um anime q esqueci o nome q ele arranca a perna da propria filha e enfia no cu dela literalmente falando(e se tiver erro de portugues q se foda to com preguiça de corrigir)

    Curtir

  106. bruno alves rodrigues 11/02/2016 às 17:50 #

    ps:a maioria fan de anime q viu isso ta rindo disso pq ja viu coisa muito pior em animes

    exemplo:high school dxd q falei ali em cima ou corpsy party q apesar de n tem sexo putaria nem nada assim tem uma pessoa cordando a outra pela metade enquanto as tripas da pessoa cai no chão

    Curtir

  107. bruno alves rodrigues 11/02/2016 às 18:04 #

    e a galera falando dos mangas atuais esse n viu nem atual nem antigo pq esse tipo de coisa tem em yuyu hakusho,dragon ball e muitos outros antigos

    Curtir

  108. Tsuss 11/02/2016 às 18:08 #

    Qual a necessidade do foco no decote? Ora, simples! O público alvo do mangá são moleques cheio de hormônios. Qual moleque nessa idade que não gosta de ver decotes?

    Curtir

  109. Tsuss 11/02/2016 às 18:10 #

    Ah, e só pra lembrar a vocês, nem a Princesa Elizabeth nem a giganta Diane são reais, e nem o autor vai mudar alguma coisa no mangá dele por causa da reclamação de brasileiros. Primeiro porque eu acho que ele não deve ler o MdOM, segundo porque ele está cagando para o que público fora do Japão pensa sobre o trabalho dele.

    Curtir

  110. Gus_Wakaba1 11/02/2016 às 18:15 #

    Pomba, que poste tosco. O mangá e anime são ecchi, tem cenas de cunhos sexual e são voltadosao público masculino. Só falta agora querer criticar hentai pela objetificação feminina. Pense antes de falar. Isso é um produto de nicho. Não deixe a ignorar cegar. Vlw.

    Curtir

  111. Arnold PJ 11/02/2016 às 18:31 #

    Muito bom.. nem sou desses que compram briga pelo feminismo na internet, apenas faço minha parte quando posso, pois é um assunto mais complexo do que parece. Acho que é tudo muito mal abordado e as próprias mulheres dificultam essa causa… costumo dizer que enquanto existir MULHER MACHISTA, os homens nunca deixarão de ser (uma frase que costuma irritar certas feministas por algum motivo, mas enfim)… no caso do universo de animes e mangás, muitas garotas gostam de piadelas como essas de Nanatsu, sem se tocarem na realidade esdrúxula que elas representam… ou simplesmente por não se importarem.. algumas obras que usam esses elementos são até FEITAS por mulheres como lembrou o Léo Lima… Mas eu acho que existem casos e casos.. para não dizer que concordo com tudo da postagem, o mundo está MESMO cada vez mais chato e existe SIM muito “mimimi”, ainda mais aqui no Brasil onde muitos sempre querem levar vantagem… Então quando aparece uma crítica feminista bem fundamentada como essa, muito cueca de plantão já chega tachando de “chororô”.. mas não é bem assim…

    Curtir

  112. Só vi macho chorando 11/02/2016 às 18:32 #

    Gente que fala “vamos parar de criticar, não vai mudar nada, é mimimi” e blablabla é a mesma que tá lá, enchendo comentário em grupo criticando pq anime x é melhor que anime y, pq a temporada desse ano é pior que a do ano passado… sendo que também não vai mudar nada. Só pode haver crítica quando ela efetivamente vai mudar algo? Coitados dos resenhistas profissionais! Tadinho de quem faz resenha no Omelete. Chunan, então, morreu!

    E, seguindo essa linha de raciocínio, parem VOCÊS de criticar o post, porque a Mara não vai mudar o discurso dela.

    Curtir

  113. rebecagimenes18 11/02/2016 às 18:33 #

    Ai Meu Deus!! Obrigada! Parabéns! Q texto lindo!! Eu quase chorei de ver q ainda resta esperança pra humanidade(tô quase imprimindo e colocando num quadro). Desde q eu li o primeiro volume e comentei no meu blog(http://livrosenipon.blogspot.com.br/2015/04/manga-operacao-big-hero-haruki-ueno.html) e com amigos otakus, td mundo veio pra cima de mim falando q eu tava vendo “pelo em ovo”, colocando problema onde não tem. Mas tem sim! Esse mangá é um dos mais vendido e lidos não só no Japão(nação de primeiro mundo, sei) mas no mundo! E tem muito moleque q lê isso e acha bonito. Tem q criticar sim! É tendo olhar crítico q a gente impede mangás misóginos como esse ficassem tão populares e fizessem o autor ganhar dinheiro em cima de abuso. Eu fico p* quando começam a falar q Nanatsu é o melhor mangá da década e eu vejo cenas como as q vc colocou na postagem fazerem parte da “história”.

    Curtir

  114. Arnold PJ 11/02/2016 às 18:36 #

    Então, falando apenas em termos dessa obra em si… gosto é gosto.. mas para mim é um bagulho muito sem graça realmente.. e estupidamente forçado, mesmo levando em conta essa objetificação desenfreada já comum em animes/mangás que todos estamos acostumados… o Nakaba na maior parte das vezes nem faz questão de colocar um contexto para a piada, ele simplesmente bota lá o Meliodas abusando a mina e pronto “Dêem risada!”. Imagino que pessoas com um senso de humor menos exigente até achem engraçado, mas no geral é COM CERTEZA um fanservice descarado para os tarados e bronheiros de plantão! Respeito quem goste, aliás tenho amigos que gostam, mas pra mim esse tipo de imbecilidade não agrada… também prefiro os “virgens”, pois apesar de clichês, eles são bem mais engraçados, rs

    Parabéns pela postagem. Como já disseram, até demorou para alguém botar isso em pauta desse anime/mangá tão overrated…

    Curtir

  115. Júlio C. 11/02/2016 às 18:43 #

    Parabéns, Mara! Isto precisava ser dito.

    Curtir

  116. WindLother 11/02/2016 às 18:54 #

    Eu ia ler o texto, mas tá tão parcial que não consegui continuar. Nunca se é pesquisado o motivo ou a causa de aquilo ser assim, só é feita a crítica sem análise e fundamento porque “é mais fácil”.
    E é por isso que vai ficar só escrevendo em blog e não ser levada a séria em lugar nenhum.

    Curtir

  117. hans 11/02/2016 às 19:03 #

    antes de contestar o anime e supor que o protagonista realiza algum tipo de abuso, é necessário ver o período que o anime se passa, os reinos imaginários ao que tudo indica são baseados na idade média. durante esse período a mulher não tinha praticamente voz nenhuma, é claro que o que o protagonista faz é repudiado hoje com toda razão mas durante a idade media ela seria tratada de maneira bem pior; uma jovem com roupas curtas chega num bar sozinha dificilmente seria defendida mesmo se fosse da realeza. creio que a violência contra a mulher só não é mais explicita neste anime por causa da faixa etária. se forem assistir animes com classificação de 18 anos para épocas e períodos semelhantes verão como as mulheres eram mal tratadas como o casa da Casca em Berserk em que foi estuprada por demônios ate ficar doida.
    Não quero dizer que o protagonista esta certo em suas ações e nem que deve ser imitado, mas sim e que ele faz em relação ao comportamento dele com as mulheres condis com a época em supostamente estão.

    Curtir

  118. L......o 11/02/2016 às 19:51 #

    nunca vi ninguem falar sobre “objetificação masculina”
    só enchem o saco qnd o personagem é feminino.

    Curtir

  119. Kayrus Maou 11/02/2016 às 20:23 #

    Cara… pra que isso, por que vc faz isso ? Pra que postar tanta merda.Você tem down, sua mãe não te abraça, você que atenção…..é só falar, não precisa desconta em algo sem nexo nenhum.

    Curtir

  120. Mithsiel Daniel 11/02/2016 às 20:58 #

    Achei ofensivo.

    Posta mais.

    Que saudades de ver isso aqui bombando.

    Curtir

  121. Erik 11/02/2016 às 21:08 #

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk nunca li tanta merda de uma vez só ‘-‘ tem o que fazer não ?

    Curtir

  122. Black50895 11/02/2016 às 21:28 #

    Nossa… estou até perplexo pra responder o que acabei de ler… justamente por não acreditar que chegamos a esse ponto. Mas vamos por partes.

    [nem mais fazer piadas racistas, humilhar mulheres, chochar gays que eles já surgem em bando na internet querendo uma coisa besta como “direitos iguais”]

    O racismo (humilhação, opressão, whatever) está nos olhos de quem vê, essa é a verdade. Vou citar como exemplo um caso recente de uma família que se fantasiou com personagens do desenho “Alladin” pro carnaval. Enquanto o pai foi como o próprio Alladin, o filho (adotivo) foi como o macaquinho (esqueci o nome do personagem, mas é companheiro do protagonista). Enfim, não deu outra. O mero fato do garoto ser negr- quer dizer, “afrodescendente”, fez com que esse “bando de besta” citado no texto, atacasse de todas as formas possíveis. É… Acho que o maior desafio da minha vida é tentar compreender a mentalidade dessa galerinha que consegue ver malícia até nas coisas mais banais.

    O que quero dizer com isso é: Onde você vê “assedio”, “humilhação” (entre outros mimimis), eu vejo mais um fanservice, entre milhares de incontáveis animes. Usar o mesmo como justificativa pra dropar uma obra (onde tal coisa está longe de ser um dos “focos”), é realmente preocupante, e deprimente.

    [E sabem o que é pior? A Elizabeth não gosta desse assédio nem um pouco, ela fica constrangida com a situação.]

    Onde isso? Isso é algo oficial que foi citado no mangá ou pelo próprio autor? Ou é mais um fruto da sua mentalidade vitimista?

    [A posição de Elizabeth diante do abuso sexual de Meliodas é muito parecida com a de mulheres que são roçadas num ônibus e ficam com medo de chamar a atenção do violentador.]

    Muito parecida. Realmente. As mulheres que são roçadas, não só conhecem como admiram seus respectivos “violentadores”.

    [O autor deve achar apenas engraçado colocar uma mulher numa situação de objetificação.]

    Engraçado? Hm, até parei pra pensar agora. Por que o autor coloca esse fanservice? Aliás, por que diversos mangás/animes contém fanservice? Em que isso ajuda na história? Essas são perguntas que muitos fazem até hoje, e acho que é o mais próximo que nossas linhas de raciocínio podem chegar. No fim, o público alvo não só desse, mas de diversos outros mangás e animes, são moleques cheio de hormônios, que por algum motivo fazem questão de ver o menor centímetro de peitos que for possível.

    No geral, seu texto a todo momento mistura o fanservice com esse suposto “assédio”, e alguns até responderam isso nos comentários: “Esse “assedio” só ocorre entre Meliodas e Elisabeth, não ocorre o mesmo com outras personagens femininas, de personas diversificados, desde donzelas a tomboys.”

    “Sempre que o Meliodas tem atitudes libidinosas com a Elizabeth, o Hawk o repreende. Ou seja, o próprio mangá diz que a atitude do Meliodas é errada. A partir do momento que existe alguém explicitamente dizendo que o personagem está errado, isso não pode ser considerado uma crítica? É um elemento de comédia clássico japonês, o famoso tsukkomi-boke, onde o tsukkomi Hawk corrige as atitudes do boke Meliodas.” Além do fato de que essas cenas de “assédio” são totalmente descontraídas (afinal, o objetivo desse elemento sempre foi dar um toque de comédia) e apesar de serem normais nos episódios, não são constantes. Ou vai me dizer que o “idoso de 600 anos” (eu não lembraria se você não tivesse citado, sério) leva a “novinha de 16” pra um canto escuro aonde abusa da mesma sem mais nem menos.

    Desculpe, isso é mais um discurso achado paras base de mimimi, aonde não vejo algo concreto de acordo com o que a obra é feita e sim uma justificativa para achar pelo em ovo.

    Curtir

  123. Tiago 11/02/2016 às 21:41 #

    Por isso que que os japoneses tem que parar de publicar coisas no ocidente (como muitos outros itens que são publicados apenas lá). a cambada de chorão não tem mais o que fazer da vida. gostam de zoar e fazer todas as outras merdas que esses tal “opressores” fazem. mas quando fazem com eles, ficam de chororô…Quer dizer…chorar o cu pra fora porque fizeram uma piadinha, porque algo tem duplo sentido (lógico. na cabeça do/da complexado(a), virou “justiça” e esconde a frescura numa palavra chamada “igualdade”. lógico, mas se são esses “oprimidinhos coitadinhos da sociedade” que fazem a merda, dá nada. coloca como “reação dos oprimidos” que tá ok.

    Ainda bem mesmo que os japoneses pouco se fodem para os coitadinhos da internet.
    foi assim com a Samus, o jogo “rapelay” e outros animes (sem citar os hentais ou ecchi), e, para o mau dos chorões, nenhum desses itens foram boicotados e continuam vivos em todos os lugares.

    Já ouvi falar mas nunca tive vontade de assistir esse tal de Nanatsu no Taizai. Mas só de saber que os chorões ficam constipados com esse anime, eu vou fazer questão de assistir e farei o que puder pra esse anime continuar intacto e fazendo os episódios DA FORMA QUE O CRIADOR, DONO DO ANIME QUISER FAZER. até porque ele não põe uma arma na sua cabeça te obrigando a assistir.

    Muito obrigado pela indicação do anime. estou indo assistir agora.

    Curtir

  124. Gabriel 11/02/2016 às 21:41 #

    “…e se n gosta vai ver boku no pico ond é um desenho com homens transando com homens(sapoha n é do bem mas tem gente q gosta só vi pq muita gente zueira da net falo q era anime de luta)…”

    Hahaha, clássico.

    Curtir

  125. Kisuke 11/02/2016 às 21:43 #

    “Mas vamos deixar um pouquinho de lado a problematização, afinal já estou vendo alguns leitores incomodadíssimos com essa “interpretação” de que Meliodas abusa sexualmente da Elizabeth só por apalpá-la de forma não consensual.”
    Hahaha, amo esse blog ♥♥
    Concordo com literalmente tudo que foi citado.

    Curtir

  126. Adriana C. Sousa (@drikacs) 11/02/2016 às 22:22 #

    Concordo com 99% da análise (discordo do 1% que diz que a Elizabeth é só objeto sexual: num momento posterior – que a autora do texto confessou não ter lido – ela se revela como uma das últimas descendentes de um poderoso clã de curandeiros druidas). Mas apesar desse aspecto, Nanatsu No Taizai, junto com Shokugeki No Soma (que felizmente não peca pelo menos nessa coisa de abuso banalizado), é um dos meus guilty pleasures… E ainda bancando a advogada do diabo (trocadilho intencional pra quem acompanha o mangá), alguns dos problemas apontados no texto diminuem no curso da história na medida em que ela fica cada vez menos centrada na relação entre o Meliodas e a Elizabeth, ou são mais ou menos “compensados” por elementos interessantes. A Diane (a giganta), por exemplo – pra ficar só entre as personagens femininas consideradas pelo artigo, passa a ter outro(s) interesses românticos retroativamente, além de ter explorada a sua relação (bem bacana) com uma mentora giganta… Enfim, não estou dizendo que o mangá não é problemático (poucos shounens não são), mas pra quem consegue não vomitar com essas cenas que aparecem uma vez ou outra (e, como eu disse, com cada vez menos frequência), o mangá não é totalmente descartável, não…

    Curtir

  127. jasque 11/02/2016 às 22:33 #

    O melhor é que quanto mais vocês reclamarem, mais postagens desse tipo vão existir.

    Por isso reclamem mais que tá pouco.

    Curtir

  128. Gustavo Lisbôa Pereira 11/02/2016 às 23:40 #

    Post realmente interessante, inclusive o achei inovador, mas infelizmente tenho que dizer que você “forçou” a barra. Por que? É porque existe uma coisa chamada Humor Negro, dizer que as coisas em Nanatsu no Taizai vão contra o que algumas pessoas pensam acontece mas devemos lembrar que isso faz parte do gênero, bons exemplos disso são Os Simpsons, The Family Guy, South Park, etc. Certas coisas nessas series podem causar frustração em algumas pessoas e é assim porque o foco é a polemica ou então nem dar a minima à polemica, se existem comédias desse gênero é porque existem pessoas que as assistem porque simplesmente não se incomodam (é o q eu gosto de chamar de “levar na esportiva”). Sim, o autor as vezes pode até pegar pesado mas porque isso faz parte do gênero, se fossemos levar em conta o que disse não existiriam mais comédias ecchi, Issei não iria realizar seu sonho de virar o rei do harém porque isso seria tratar mulheres como objeto. Uma vez li em um lugar, “São tempos difíceis para a comédia, se for contar uma piada você deve prestar atenção em cada palavra, caso contrario você pode acabar ofendendo algum grupo e então todos desse grupo vão querer te “crucificar” e te classificar como o lixo da sociedade”.
    NÃO sou machista, racista, homofóbico, narcizista, nazista, satanista, sou uma pessoa normal que assim como qualquer outra tem um ponto de vista, não vim aqui querendo arrumar confusão, só espero que tenham entendido onde quero chegar, se você leu até aqui, obrigado e boa noite

    Curtir

  129. E é por causa disso q Dead or Alive Xtreme 3 não vem pra cá (ocidente). Sem necessidade esse post do blog, não tem objetificação da mulher como a santa M. escreveu, existem várias outras guerreiras e demônias lá que não passam pelo apelo $exual dos homens. Nego quer fazer tempestade em 1 conta-gotas, daqui a alguns dias vão proibir filmes pornôs. Mas eu duvido muito que algo assim aconteça, o ser humano é hipócrita, faz um ser ou espécie/raça/classe/etc de objeto enquanto tenta livrar outro. Resultado: [ ]

    Curtir

  130. Syrius 12/02/2016 às 00:20 #

    Gente isso tudo é o pensamento correto qndo estamos falando de uma sociedade que passou pelos mesmas revoluções culturais e tecnológicas como a nossa atual.
    + gente o anime/manga se passa na ERA MEDIEVAL que era qundo as mulheres eram usadas apenas como moeda de troca tanto para a paz qunto para a guerra outro ponto para quem leu o mangá até os últimos cap(ALERTA DE SPOILERS)sabe que a Elizabeth é a reencarnação da antiga esposa do Meliodas(quem nunca brincou com a namorada/o ou marido ou mulher)
    E se fosse para colocar o Meliodas no nosso mundo de hj vcs por acaso lutariam no lado dos humanos depois do mesmos matarem as unicas raças que podem reconhecer quem vc é? E é a claro que o mesmo iria aprender sobre as nossas leis ne?

    Curtir

  131. a verdade dói 12/02/2016 às 01:25 #

    Fan service é uma coisa…estupro é outra.

    Tem uma cena que enfiam a mão dentro da shorts da Elizabeth e a reação dela ao ver meliodas é “yokatta” (ainda bem), o que dá um duplo sentido, de que ela talvez tenha gostado do assedio. Isso pode passar uma imagem errada de que mulheres gostam que do nada alguém enfie o mão nelas.

    Aliás, o unico incomodado é o porco, mas isso pouco importa uma vez que a propria elizabeth não faz NADA contra o Meliodas.

    Se você acha normal isso em um anime shonen, queria ver se no dia que algum “fanboy de nanatsu” metesse a mão na ***** da sua mãe, dentro do metro/busao, ela diria “yokatta” ;)

    …Sobre Magi e One piece, o nível é outro: são crianças, teoricamente livres de malícia, que praticam o “assedio”. Vê se o brook enfia a cara nas tetas da nami, claro que não. Magi a mesma coisa, o aladdin é o unico que pratica assédio. Pode ser hipocrisia minha, mas é mais facil aceitar o aladdin enfiando a cara nas tetas de mulheres random no puteiro do que um adolescente (na aparência) enfiar mão no *** de outra personagem principal (sem falar em outros assédios menos que ele pratica constantemente). Pra mim nanatsu ultrapassa uma linha que nenhum outro shounen cruzou (que eu saiba).

    É claro, pra maioria dos leitores isso não faz diferença, ninguém vai sair batendo calcinha por ai. Mas se um cara de 12 anos que more em lugar com cultura machista forte vê isso, o peso é outro.

    Sobre o argumento “é só um desenho”, eu apenas me pergunto se esses estupros seriam normais em um live-action, ou na novela das 8. Afinal, nada disso é real, apenas ficção, não é?

    Curtir

  132. The Fool 12/02/2016 às 03:16 #

    Belo texto.
    Me causa alguma estranheza que esses clichês de shounen dificilmente somem, independente do tempo que se passe.
    E considerando os comentários colocados no post, tem mais gente por aí que fica incomodada com isso, mas não chega a falar, exteriorizar esse sentimento.
    Não somos japoneses, ainda bem!
    Me lembra o povo que assiste hentai, mas quando tem sequência de estupro envolvendo garotas, fica incomodado.

    Curtir

  133. Apo 12/02/2016 às 08:58 #

    Acho que esse tópico vai ter comentário até 2017. Se minhas previsões estiverem certas esse tópico vai gerar algo futuramente.

    Curtir

  134. ºBrunoº 12/02/2016 às 10:27 #

    A autora ou autor desse texto, já pensou na possibilidade de ir até o Japão ensinar o Autor do mangá a desenhar/criar a história? Eu vejo tudo isso ai como uma hipocrisia bem grande. Sim, o mundo está chato além da conta (Se eu olhar para uma Mulher já sou considerado um Estuprador em potencial, qual a lógica disso?), o que prova isso é toda aquela polêmica desnecessária em cima do Comercial da Pepsi, que é sensacional e deveriam haver mais comerciais assim. Por que criticar somente uma Obra que poucos tem acesso? Ou será que os 200 Milhões de Brasileiros compram mangá? Sabia que até esse tipo de obra tem uma Classificação Indicativa? Por que não criticar as Novelas, Filmes, Seriados de TV e principalmente Música (Funk e Sertanejo)? E o que dizer dos filmes adultos? Não deveriam entrar na lista?
    É fácil apontar o dedo para isso ou para aquilo…
    E se não gosta da obra, só não acompanhar, valores pré-estabelecidos de criação não serão mudados por uma obra de ficção. Ou será que um “Gamer” que joga Call Of Duty já está qualificado para entrar para a SWAT?
    Post completamente desnecessário. Quem acompanha a obra vai continuar acompanhando mesmo tendo lendo esse texto que tenta criar um problema onde não existe.
    No aguardo do Post que fala sobre a “Problematização” que as Novelas, Filmes, Seriados de TV, Música (Funk e Sertanejo) e Filmes Adultos causam em seus expectadores! Não podemos deixar a zueira terminar!

    Curtir

  135. Igor Vilela 12/02/2016 às 10:38 #

    ”Melhorem porque tá feio” já dai já da pra perceber que é uma da geração chororô, então vai ter que fazer esse tipo de texto pra 80% DOS ANIMES, para de frescura porque não é só em 1 ou 2 animes que isso acontece e não é só com MULHERES que esse tipo de cena acontece, vai lavar uma louça!

    Curtir

  136. =(^_^)= 12/02/2016 às 11:24 #

    Anime bom, com os “Sete Pecados Capitais” como personagens e sem essa coisa que estão discutindo, que claramente é ruim é FMA: Brotherhood :)

    Pensa que legal tua mãe lá no busão e um cara começa a encoxar ela.

    Curtir

  137. Zed 12/02/2016 às 11:26 #

    frescura do caralho vai se fuder

    Curtir

  138. erik wellington 12/02/2016 às 12:08 #

    hauhueuaeuha meu existe anisme para todos os tipos de pessoas se um anime não te agrada é problema seu. existe uma tarja de classificação, ninguém é obrigado a gosta do que voce gosta por achar que esse é certo. daqui a pouco vai ta criticando os hentais, mas sério existem diferentes gostos o seu nao é o unico certo. se estiverem insatisfeitos mandem o e-mail ryuunakamura123@gmail.com

    Curtir

  139. Madao 12/02/2016 às 13:54 #

    So espero que o japao nunca ouca o politicamente correto, mundo ocidental ta indo pro saco mesmo.
    Ja falei que nao ligo pra fanservice antes quando vc fez a mesma critica, e continuo achando , mesmo nunca lendo este manga, que isso e uma reacao que voce tem depois de ter sua cabeca lavada por justiceiros sociais.
    Espero que os grandes nomes do mundo do entretenimento aqui no ocidente vejam como progressividade eh a mesma coisa que a igreja catolica fazia a muito tempo atras so que ainda pior, mas tambem se quiserem continuar tentando agradar quem nao ta ali pra se entreter mas pra militar suas visoes de mundo, vao ver o resultado.
    Realmente eu nao sou religioso, mas quanto menos religiao mais “moralidade” vai se ter, como mecanismo de compensação.

    Curtir

  140. XX 12/02/2016 às 15:59 #

    Reclamar da objetificação masculina e do fanservice exagerado em animes como Free ninguém quer, né? Mas tudo bem, afinal só tem problema se for uma mulher pelada pra agradar meninos adolescentes punheteiros, se for um monte de homem musculoso sem camisa se agarrando pra agradar as menininhas está tudo bem.

    Curtir

  141. Oler 12/02/2016 às 16:09 #

    aaah que cagada digital

    Curtir

  142. Lucy Gimenez 12/02/2016 às 16:10 #

    Estamos em mais de uma semana com taxa de juros negativa lá do outro lado do mundo, e aqui com cartão de crédito que chega a 430% ao ano.

    Bem, acho que temos mais assuntos para discutir que os fetiches machistas de mangakás desajustados.

    Curtir

  143. Sasha Cardozo 12/02/2016 às 16:33 #

    Muito boa a análise, é bom ver que tem pessoas com senso crítico em meio ao fandom, que não se deixam calar pelo bando de machistinhas que ficam gritando por ai a fora.

    Curtir

  144. Anônimo 12/02/2016 às 18:48 #

    mimimimi choro mimimimimi mimimi choro por causa de anime ecchi mimimimimi mimimimimimimimimi

    na moral,vai tomar no cu, ninguém tem que parar de assistir o quer ou deixar de gostar do que gosta pq alguem acha que é errado no seu ponto de vista
    se quiser parar de assistir, PARE
    ninguém está te obrigando
    e falar que só mulher é objetificada é claramente puro mimimi, se você ver alguns MUITOS animes e jogos sempre vai ter um personagem bonito,ou musculoso,forte, “fofo”.

    se eu divulgar aqui que eu tenho waifu,que prefiro garotas 2d do que 3d e que eu queria ter um dakimakura (travesseiro estampado com sua waifu) todo mundo ia me chamar de virjao doente que n pega ninguem.
    Virgem? sim,não posso mentir,mas duvido que quem respode isso provavelmente tem a mesma maturidade de um virgem.
    Doente? tenho lá meus gostos estranhos mas isso qualquer um tem.
    n pego ninguem? Não!POR QUE EU NÃO QUERO PORRA!
    O pessoal acha que eu preciso ser o pegador, comer mulher e gostar de 3d pra eu ser normal e legal

    isso segue a mesma logica idiota de feminismo que vocês tem, só que pra MIM eu tenho mais a razão.

    Curtir

  145. MC 12/02/2016 às 20:28 #

    Sofrendo com quem tá cobrando da mara ler todos os capítulos to date para poder criticar. Foram 7 volumes. Se com 7 fucking volumes você não consegue formar uma opinião sólida sobre a obra, ou essa porra é um grande filler ou quem tá fazendo a reclamação tem um sério problema em absorver informação.

    É tipo alguém querer refutar um “li dois livros daquele Crepúsculo e achei uma merda” com base na pessoa n ter lido os outros 2 lol

    Curtir

  146. Luis Gomes 12/02/2016 às 20:39 #

    Achei válida a crítica da matéria.
    Sobre o Aladdin em Magi (que estavam comentando lá em cima), Magi se passa nos tempos antigos (ok, Nanatsu no Taizai também), mas que eu me lembro, os peitos que Aladdin ficam apertando são de maioria, de prostitutas em cabarés, com consentimento ‘-‘. As que eu me lembro que foi sem consentimento foi a apalpada na Yamuraiha, que pegou e queimou ele com o poder dela, os peitos do chefe do Alibaba que é homem, e as assediadas na Dunya (essa não tenho o que dizer). Também é errado, mesmo que o Aladdin seja uma criança de 9 anos no começo do mangá. Mas, pelo menos, essas coisas só tem no comecinho. Depois isso fica quase inexistente. Acho que em suma, o que eu queria dizer é que em Nanatsu isso é MUITO mais pesado e frequente do que em Magi, que já nem tem mais isso. Agora em Nanatsu o cara aperta bunda, b*cet*, peito e ainda fica olhando por debaixo da roupa.

    Curtir

  147. Ricardo 12/02/2016 às 20:46 #

    Olha , até entendo o seu ponto de vista, mas desculpe, Nanatsu no Taizai não é nada perto de alguns animes/mangás…isso é apenas fanservice, algo para atrair um público mais adulto….e no Japão, isso é extremamente comum…é bom lembrar que a maioria dos animes não são feitos para o Ocidente, o foco é o público alvo de lá…e isso sempre foi presente, não só em Nanatsu, mas vá ler one piece, fairy tail, naruto e inclusive DRAGON BALL! Cujo o mesmo teve cenas de nudez da Bulma censuradas….achei seu texto bem fundamentado, porém esse tipo de cena só aparece mesmo no começo do anime….lá pela metade, diminui drasticamente, e no final da primeira temporada isso nem acontece mais…..como eu disse, é só pra atrair um público….

    Curtir

  148. chirimoyascarlet 12/02/2016 às 21:50 #

    ‘leia o mangá todo p poder criticar’ (pq se em 7 volumes não dá pra explicar uma situação de assédio, essas coisas requerem tempo e tals)
    ‘não vai mudar nada falar mal’
    ‘ENVEJA’
    ‘sempre foi assim’
    ‘tem outras coisas pra ler’
    ‘vá ensinar o autor a escrever melhor’
    ‘mimimi’
    O post pode não ter sido um textão do facebook, mas a maioria dos comentaristas com certeza saiu de lá.

    Curtir

  149. jasque 12/02/2016 às 22:40 #

    Se o foco é o público alvo de lá, a gente nem deveria estar assistindo/lendo então.

    Eu cada vez menos tenho vontade de ver anime e é uma progressão natural, eu acho.

    Tanto que se for reparar quem vai nesses eventos de anime é a galera de 14, 15 anos, etc a maioria. Quando chega em certa idade eles partem pra outras coisas. E por isso o público que gosta de anime no BR é tão enjoado também.

    Generalizei mas enfim, to nem aí.

    Curtir

  150. NGA 13/02/2016 às 01:34 #

    Menos, bem menos, o personagem é trash sim, mas é segundo nossos parâmetros, só que quando o objetivo é fazer um mundo sem regra e sem politicamente correto de fantasia tem que ser livre. Senão vai fazer beicinho pra mundos como Game of Thrones porque usaram imaginação. A mensagem é clara se não curte mundo cão então não leia, era só o que faltava…

    Curtir

  151. robot k0 13/02/2016 às 01:50 #

    “Mari
    11/02/2016 às 00:08 #
    Para gente, sou mulher e não me sinto ofendida com isso.

    Anime Shonen é sinônimo de sexista desde que existem. O dia que o Japão parar de objetificar mulheres nos animes, não vai existir mais pq a maioria do público é masculino.”

    Mari, eu já assisti centenas de animes, muitos BONS(incluindo shounens) que não tem essa objetificação feminina, se fossem todos assim eu sequer gostaria de animes, se você não sabe, a maioria do publico se for mesmo masculino, é uma porcentagem pequena de diferença entre o masculino e feminino

    Curtir

  152. magodometal 13/02/2016 às 02:17 #

    Só pra deixar registrado meus parabens pelo texto. Você deixou muito bem escrito o principal fator que me fez dropar o anime disso daí (somando a história genérica).

    Curtir

  153. Grazy Ribeiro 13/02/2016 às 02:43 #

    se fez esse texto besta pra discutir sobre um ecchi que obviamente TEM QUE TER ISSO magine se vc assistisse boku no pico KKKKKKKKK

    Curtir

  154. Grazy Ribeiro 13/02/2016 às 02:49 #

    na moral man, é muita porcaria viu, por isso eu fiquei preocupada quando eles dublam o anime pro Brasil… os cara não entende o que é um ecchi, e ainda mais, tão discutindo por causa de ANIME, UM DESENHO sim é desenho, mais voltado pra o publico jovem, na real… vcs tem muito problema vey… saudades de quando ser feminista e chamar os outros de machista opressor não era modinha

    Curtir

  155. Ellias Matheus 13/02/2016 às 10:47 #

    Calma, apesar de não ser engraçado – pelo menos pra mim – ainda não se pode categorizar como uma atitude machista e tão pouco como abuso dado que o universo do anime é fictício e obedece as leis e padrões criadas pelo autor. Não se pode dizer que é machismo justamente pelo conceito de machismo não existir dentro da trama – Falar isso seria o mesmo que dizer que a sociedade do séc I era machista, e ja existem diversos textos explicando o porque de não ser, caso queira saber mais leia sobre anacronismo(a lógica para o mangá é a mesma). Tanto é que a elizabeth, se vc continuar a acompanhar o mangá, se apaixona pelo meliodas provando que, no universo da série, isso que na nossa realidade é categorizado como abuso na realidade da série é uma forma de flerte. Deve-se pensar que naquela realidade os padrões são outros e os costumes também: imagine uma realidade onde o contato físico, em qualquer escala, fosse considerado abuso, e alguém dessa realidade observasse a nossa realidade(para os padrões dela estaríamos nos abusando diariamente, mas para nós, não é bem assim). O ponto é, não pode existir abuso se não existe vitima, e pra que se exista vitima o abuso deve ser reconhecido e se o conceito de determinado abuso não existe então ele não pode ser reconhecido, não tendo vitima e portanto não existindo abuso. Analisar uma realidade fictícia( lembre-se que estou falando da realidade fictícia, o autor claramente pode ser julgado pelos nosso padrões) a partir dos nossos padrões é extremamente etnocentrico(outro conceito que recomendo estudar para que seus textos fique ainda mais profundos).

    Curtir

  156. Falo a verdade 13/02/2016 às 13:15 #

    Mimimi É uma história deixe ele “assediar'” pode ter.história de assasino psicopata o karalhoo a 4 sabe mas agora não pode mais ter um personagem que ê pervertido? É errado ele ser a sim é mas é daí é uma porta de uma história ela reflete o caráter humano ela não manda ninguém ser igual, senão teríamos curingas nas ruas cortando pessoas para faz elas sorri pfv parem de mimimi sempre a envolve algo como feminismo é blá blá bla

    Curtir

  157. Giovanna Merda Fernandes 13/02/2016 às 18:34 #

    Esse monte de gente dizendo “ain mimimi” “n gostou n le” “julga o anime inteiro só por causa disso” Gente, ela mesma deu várias qualidades para o anime no post, ela só não acha certo essas atitudes do protagonista, e eu concordo plenamente. Abuso não é engraçado, nem em um anime. É só um desenho? É, mas e quanto a quem assiste? Vai achar isso legal e certo? Não dá né galera.

    Curtir

  158. Dani 13/02/2016 às 21:28 #

    Um texto EXCELENTE!
    Parabéns, foi muito bem escrito, a autora soube expressar bem suas ideias e passar seu ponto de vista de uma forma leve, direta e como foi dito, sem parecer um texto gigante de facebook!
    Quanto ao conteúdo do texto, não vi o manga nem o anime, mas não compactuo com esse tipo de excesso, é degradante para qualquer mulher e banaliza totalmente o direitos ao próprio corpo. Além de destruir a história, parece mesmo uma banheira do Gugu..

    Curtir

  159. Ricardo Santoro 14/02/2016 às 01:30 #

    Isso explica porque o japão está anos na frente. Porque ele não fica de mimimi com ficção que envolve:
    1. Mundo FICTÍCIO, ou seja, longe da nossa chatice.
    2. O Protagonista, aquele que foi dito com 600 anos, não é humano.
    3. Shonen já tem um publico alvo. Só estudar comunicação que você vai entender como isso funciona. E sim, todas as piadas são engraçadas.

    Muito mimimi num post só. Termina de assistir ou ler para ter uma opinião concisa e mesmo empirica sobre as coisas. Recomendo fazer uma critica sobre o filme Doce Vingança, vai ter mais respaldo.

    Curtir

  160. Tsuss 14/02/2016 às 02:16 #

    Queria poder dar like nos comentários do Florisvaldo.

    Curtir

  161. Senpai (@N_adario) 14/02/2016 às 02:55 #

    Gostei muito do seu post! Serio! de tudo que já li isso era o que espera (bem, mais ou menos o que eu esperava haha) Ficou bem legal, muito bem explicado, com as imagens para demonstrar o que estava falando.
    Só achei que faltou uma analise de personagem (como li em um dos comentários falando que a Elizabeth tem uma personalidade mais forte, porem quando é apalpada fica perdida, como se não soubesse o que estava acontecendo)
    Talvez comentar um pouco mais sobre o estilo do anime (como também foi comentado, ele é mais para um Ecchi do que para um Shonen) e o porque da sua popularidade, até mesmo puxando para uma reflexão sobre a sociedade japonesa (já que estamos tratando de algo que não é da nossa “cultura”) um intercambio cultural poderia ajudar muito, trocar uma ideia com alguém de lá para ver como esses animes são visto dentro da cultura, pois pode haver uma critica que nós não enxergamos por não está vivendo isso, ou talvez um anime desse tenha seja visto do mesmo jeito que uma grande maioria brasileira ver o “Funk”

    Mas parabéns pelo post! HDSAIUDAHDIUSADH

    Curtir

  162. Eu_ 14/02/2016 às 08:29 #

    Bem, eu realmente acho esse mangá machista porque os homens geralmente são mais fortes que as mulheres e detesto essas passadas de mão do Meliodas, que são, sim, abuso sexual. Mas acho que querer problematizar closes em peitos e coxas em um mangá ecchi é demais. Até mesmo porque esse mesmo mangá também dá vários closes nos gominhos da barriga de homens sem camisa e ninguém fala nada.
    A objetificacao, apesar de antigamente só atingir as mulheres, atualmente está acontecendo com ambos os sexos e em todas as mídias (Seu próprio alterego careca disse uma vez que só assistia a série Arrow para ver o protagonista sem camisa) e eu não vejo problema nenhum nisso, inclusive assisto algumas coisas só pra ver os homens gostosos que aparecem.
    O problema é ter dois pesos e duas medidas: achar lindo a objetificação de um sexo e inaceitável a objetificacão do outro.
    Espero que quem leia isso aqui e queira argumentar realmente pense no que eu escrevi e não venha com discurso pré pronto dizendo que eu sou um “omi opressor” defendendo os “mascu”.

    Curtir

  163. Juliana Soares 14/02/2016 às 14:10 #

    Texto M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O!!!
    Muito bem dito!
    Leio porque o que me interessa é o desenrolar da história em si e não consigo deixar algo pela metade, mesmo quando não curti nada de nada nas histórias, mas… cada vez que o Meliodas começa com a apalpação o sangue sobe pra cabeça! Tanto que, pela minha esperança (sqn) no mundo atual, imagino que seja proposital pra incomodar mesmo (SÓ QUE NÃO).
    Só que, sei que não é assim… é só pra vender! Agora Elizabeth tem um papel mais importante na história de NnT e na vida do Meliodas, só que o problema é que justamente por gostar dela que ele devia respeitar!!!
    Elizabeth e Diane são duas personagens F-O-D-A-S! Mas suas imagens são aproveitadas apenas pra isso =(
    Acho que só cheguei tão longe na leitura por ser teimosa e esperar o momento que elas deixem de ser apenas o sex appeal da série… mas não sei quanto mais eu aguento. Outro motivo talvez seja a base machista de minha educação que eu ainda não consegui me livrar completamente (esforço constante).

    Quanto a quem disse nos comentários que não precisa necessariamente ser feminista para reclamar desse tipo de coisa, qual seu conceito de Feminismo?
    Estou me descobrindo/tornando feminista, e me orgulho muito disso! Não quero e não vou mais deixar de fazer o que quero porque não é algo que uma mulher faça! Não me deixarei mais sentir que não posso sair na rua, por “não ser meu lugar”! Querer respeito ao feminino não é feio, não!
    Talvez eu tenha entendido errado o comentário, mas digo isso porque já vi quem fizesse cara feia e dissesse que a luta por igualdade e respeito é legal, “o problema é tal pessoa ser feminista”. Dizendo que feminismo e machismo são extremos, só que não é assim. Feminismo é (no geral, porque tem gente que age de maneira extrema – chamados feminazi) um movimento pacifista, procurando direitos e respeito (por favor) iguais, sem necessidade de descontar n@ outr@ o mesmo tipo de violência recebida, mas garantido que @ culpad@ seja responsabilizad@ por isso.

    Não tenho ideia se meu comentário será lido, ou se consigo me fazer entender (sou uma negação pra escrever), mas senti que deveria fazer uma pontinha na discussão.
    Mais uma vez, post INCRÍVEL!!!

    Curtir

  164. Olá! Gostei muito do texto. Apenas discordo em relação à vestimenta. As roupas tem uma função de proteger o corpo, mas nos mangas e animes tem muitas vezes uma função erótica que torna a mulher um fetiche. Nesse ponto eu sou chato. O manga citado tem elementos medievais. Prá quê vestir uma saia cheia de babados? É óbvio que é para tornar a mulher um objeto. Uma taverneira da idade media de verdade nao se veitiria assim. Eu acredito numa palavra chamada noção e em outra chamada respeito. Nem homem, nem mulher deveria se tornar um objeto. É isso que eu penso.

    Curtir

  165. Nelsolino 15/02/2016 às 00:13 #

    Eu queria saber se você concorda com o assédio feminino que o Shido sofria no Date a Live ou que o Ranma sofria no Ranma 1/2 (Ranma era hipnotizado, paralizado por spray paralizante, etc).

    Curtir

  166. Nelsolino 15/02/2016 às 09:24 #

    Animes yuri também tem esse tipo de assédio

    Curtir

  167. Mr Strange 15/02/2016 às 09:41 #

    Tem um monte de pessoas tolas falando que por ser só um anime e/ou mangá tá tudo bem ter assédio, sem pensar que “Os livros mudam as pessoas”, isso inclui mangás, animes, a CARAS e etc.

    Curtir

  168. Mr Strange 15/02/2016 às 09:44 #

    Que tipo de ser humano inocente acredita que no Japão ou qualquer outro país não existe problematização de temas como este? Resposta: O tipo Ricardo Santoro.

    Curtir

  169. ナツ 15/02/2016 às 15:25 #

    Ou essa postagem é pura zoeira, ou a pessoa que escreveu isso não sabe o significado de “problematizar”, não é possível ahahahahaah

    Curtir

  170. M. 16/02/2016 às 17:25 #

    Nessa caixa de comentários vemos claramente porque otaCUS são a vergonha nacional e só servem para ser ridicularizados em programas da Rede Globo. A criançada não sabe ler e interpretar textos simples. Tenho pena dos professores deles.

    O post é ótimo (como sempre). Melhor blog da imprensa especializada (pff) <3

    Curtir

  171. biazacha 17/02/2016 às 18:52 #

    Me sinto de certa forma aliviada. Essa foi uma das razões pelas quais eu larguei essa obra e é bom saber que não estou sozinha, que a obra tem sim defeitos gravíssimos e desagradou muita gente. Até Fairy Tail, um dos ápices de battle shounen popular com ecchi sem necessidade, chegou num nível tão baixo e desrespeitoso como Nanatsu.

    Curtir

  172. Alguém 17/02/2016 às 22:48 #

    Se eu já não tinha vontade de ver esse anime antes agora minha vontade foi para 0.
    Assédio, machismo e objetificação, infelizmente, é um problema muito grave tanto no Japão quanto nos mangás, e assédio é a principal razão para eu passar longe de animes que foquem em romance ou sexo independente de ser casal gay, lésbico ou hétero. Já vi animes dos três gêneros e a maioria deles tem assédio. Nojo desses abusos romantizados. É por isso que eu amo Shingeki no Kyojin. É um dos pouquíssimos animes/mangás onde não tem essas coisas, e ainda tem personagens e história foda.
    Problematize o machismo de Naruto, pelo amor de Kira, que é uma das principais razões para eu odiar esse anime/mangá (a única coisa que eu gosto nele são os personagens e alguns arcos)

    Curtir

  173. Chola mais 18/02/2016 às 15:24 #

    Eu não gosto de mulheres sendo apalpadas ou coisa do tipo, mas vamos levar em conta que foi o segundo mangá mais vendido de 2015 com mais de 11 milhões de copias vendidas, nem a empresa que está publicando be o autor vão mudar algo que está vendendo, como o dis ditado time que está ganhando não se muda, mas ou autor ou a editora poderiam colocar o gênero como Echi ,aumentar a idade indicativa ou deixar na sinopse que esse tem tipo de cena, mas mudar não, assim só iria ver que realmente quer ver.

    Curtir

  174. Nada a ver irmão 18/02/2016 às 15:33 #

    Não quer falar dos Hentais também? para mano o anime ecchi (ECCHI) lógico que vai ter apalpada, se não gostou não assite.

    Curtir

  175. Yachiru 19/02/2016 às 00:30 #

    Mara, eu achei que o seu blog tivesse morrido, até que me deparei com uma postagem no facebook compartilhada por um contato e vim correndo pra cá, hahaha :)

    BTW, eu ainda não tinha lido ou assistido Nanatsu no Tazai, mas vendo você falar sobre esse assunto, até desanimei em conferi-lo. Sério, eu tenho deixado de ver animes mais recentes por causa desse tipo de coisa, porque muitas vezes uma história com potencial é ofuscada para dar lugar a um ecchi que chega a ser abusivo em muitos casos. E eu nem tou falando de anime ecchi propriamente dito, e sim de outros gêneros que tem “apelado” pra ganhar mais repercussão. Até assisto uma coisa ou outra (vou até falar de uma dessas coisas mais à frente), mas não suporto quando naturaliza abusos e etc.

    E vejo uma galera rebatendo o seu post, alegando que não há nada de errado porque anime de putaria é assim mesmo (aí eu pesquiso sobre NnT na web e encontro “Genero: Ação, Aventura, Fantasia, Shounen, Sobrenatural – Ou seja, nada de ecchi u_u). Mas eles também não entendem que até mesmo na mais “quente” das putarias, é necessário haver consentimento entre ambas as partes para que seja saudável. Se alguém dá a entender que não curte a coisa, então para que insistir, não é? Por outro lado, eu vejo obras (algumas nem são animes) como Game of Thrones que, apesar de retratar uma época – até próxima de Nanatsu – onde o machismo era mais forte e escancará-lo aos telespectadores, o autor consegue desconstruir a ideia de que mulheres deveriam servir somente como enfeite ou objeto sexual, só porque o contexto favorece isso.

    PS: Continue fazendo esses posts, são ótimos! XD

    ====
    De uma pessoa que não visitava seu blog desde aquela declaração bombástica sobre sua identidade, lá pra 2014 o_õ

    Curtir

  176. marcela 19/02/2016 às 14:43 #

    Eu adoro esse anime/manga, mas me irrito dê mais com esse comportamento do Meliodas.
    Isso me lembra que Fairy tail esta com umas cenas bem desnecessárias também.
    Gente. Alguém de um toque nesses mangakas pfvr

    Curtir

  177. Iago Lima Soares 20/02/2016 às 20:39 #

    Tanto a animação quanto o manga são ótimos, se não gosta do estilo te dou um conselho, não leia ou assista, não sou machista antes que diga, mas até onde li e assisti, Elizabeth tem uma paixão pelo Meliodas e onde mostrou que ela não gostou ?, isso é sua opinião, posso citar vários momentos em que Elizabeth gostou , como quando ela até chama Meliodas para sua cama, onde ele dorme amarrado com cordas , mas não por ela, e sim por seu porco, e me lembro dela pedir para dessamara-lo.
    minha opinião é vocês estão focando no lugar errado.

    Curtir

  178. Wintojmsdf 26/02/2016 às 09:41 #

    Vá se foder, vadia. Tem que ter putaria sim. Mulher deve ser objetificada sim. Não gostou, não lê. Se fode aí.

    Curtir

  179. Gabriel 02/03/2016 às 22:01 #

    Texto absolutamente genial. Faz mais Mara, eu imploro.

    Curtir

  180. Leandro Espinol 05/03/2016 às 00:28 #

    NENHUMA SURPRESA AQUI
    É A PORCARIA DE UM ANIME
    JAPÃO É UM PAIS DIFERENTE COM UMA CULTURA EXTREMAMENTE MACHISTA
    BASTA NÃO ASSISTIR

    Curtir

  181. rafaga 11/03/2016 às 17:29 #

    Ahhhh é zueira entao esse post?

    Porra, foi mto bem feito em dona do blog… quase acreditei q vc era feminazi…..

    Menos MIMIMI e mais MORMORMOR

    Curtir

  182. Não é só um textão #LIMITEDOHUMOR 12/03/2016 às 21:37 #

    Eu estava aqui pensando com os meus botões, existem muitos mangas e animes que possuem características iguais ou parecidas.

    Por exemplo Dr. Slump o Doutor passa o tempo todo querendo ver a calcinha da professora Midori e alguma força do universo impede que isso aconteça. Em Azumanga Daioh tem um professor que fica observando as alunas, se declara para elas e talz, apesar de ele ser casado. Em Dragon ball Bulma mostra a suas partes íntimas para o mestre Kame. Em Kill la Kill as personagens sempre estão mostrando o corpo. Em Bleach também é absurdo como as personagens se vestem.

    Então o meu questionamento é o seguinte: o problema está na reação dos personagens? Na falta de importância das personagens? Na própria exploração do corpo feminino? A faixa etária para quem deveria ser produzido o mangá? Em discernimento entre comédia e abuso? E o que me deixa mais bolado é o quanto algo pode ser ofensivo para ser considerado inaceitável?(Eu sei, essa ultima é fruto de uma ignorância grande, mas também muita vontade de ouvir)

    Eu gostei do post, realmente chamou minha atenção e grudou este assunto na minha mente, espero que numa oportunidade você possa discutir estes assuntos também(ou não).

    Curtir

  183. Anders Bateva 14/03/2016 às 11:15 #

    “os peitos da Diane funcionam com a mesma física que rodeia a região do busto das lutadoras de Dead or Alive por puro e desnecessário punhetismo”

    Sei lá que porra é essa de Dead or Alive! Pra mim isso é uma banda de rock dos anos 80.

    Curtir

  184. MaisDeOitoMilComentários 20/03/2016 às 19:52 #

    Claro, como essa pauta rendeu mais views e comments pro blog do que todas as visitas somadas desde o início dele, eu tinha que vir aqui comentar também, né, Marinha?

    Bom, seu ponto é válido até certo… ponto. Se a cultura japonesa é machista ou não (e até onde vai essa definição tão elástica e genérica quanto conveniente que é o machismo) aí não posso dizer pois não conheço a cultura do Japão, só dá para ver os reflexos disso nos animes como bem falastes.

    Realmente acho gratuito essa forçação de barra em Seven Deadly Sins, pois ultrapassa o limite do fanservice e ainda tem agravantes ao contrário das “inocentes” cenas de Dragon Ball ou Magi. Se isso é um big deal? Não, só tirando o fato de que é uma obra mainstream. Se fosse um hentaizinho ou coisa de nicho isso passaria despercebido e ninguém sairia ofendidinho e mimimi.

    Objetificação em si aí já creio que é exagero, é um termo muito forte, basta tentar aplicar pra o sexo oposto pra ver se cola ou se isso é apenas aquele lengalenga padrão que prega o discurso ideológico feminista. Eu vejo mais isso como questão de mercado e ter um público que aceite isso. Pra se ter apelo ao público alvo um fanservice já é de praxe, não que eu defenda da forma gratuita e exagerada que se passa no referido mangá/anime.

    Tem que haver exemplos opostos pra comparar: Vai dizer que não há “objetificação” masculina também, com ideais de homens bonitos e sarados que as mulheres molham suas calcinhas? (e aqueles casais Yaoi/Yuri que não convém nem entrar no mérito). Isso é basicamente pornografia para mulheres (pois todos sabemos bem que a pornografia feminina e muito mais sutil e menos gráfica que a masculina, ela se passa muito mais no reino da imaginação). Se eles são minorias não creio que seja por questão cultural e sim por que não há público alvo suficiente para que tais obras sejam maioria no mainstream. Ou você acha que se tivesse público eles iam perder essa oportunidade?

    No mais, quem somos nós pra criticar a cultura alheia? Que a reflexão que você fez seja válida apenas para nossa própria cultura para vermos que ideais das outras valem a pena que tragamos para a nossa. Aí apoio legal e acho que vale a reflexão, apenas para nós mesmos. Abração e parabéns pela volta do blog, ganhou mais um leitor de volta esses últimos meses!

    Curtir

  185. matheuzzz 26/03/2016 às 15:24 #

    e isso ai acabei de conhecer o site e to gostando, eu assisti 1 ep dessa merda e odiei o jeito como ele trata ela com objeto

    Curtir

  186. Jorge 08/04/2016 às 07:59 #

    essa geração nascida nos anos 2000 e muito pau no cu mesmo,imagina eles assistirem os animes antigos vao morrer

    Curtir

  187. UC 15/04/2016 às 04:44 #

    O texto é interessante, isso foi uma coisa que me incomodou bastante no anime. Fora Elizabeth, vejo muitas personagens femininas fortes e interessants, mas as que nao sao sexualizadas nem ganham muito tempo na tela. Entao achei um texto interessante. Agora, duas coisas: A idade de consentimento no japão é 14 anos. Voce mencionou que nao ia falar em pedofilia, realmente nao fale, porque nao cabe. Sinceramente, anda sendo muito comum as pessoas analisarem cenas, tirando elas de seu contexto, e jogando no mundinho delas. Existe inclusive um nome em filosofia pra esse tipo de “análise” mal feita. Você não pode julgar um ato sem contexto. Ou melhor voce nao pode julgar um ato baseado no SEU unico contexto. Por exemplo, sendo a idade de consenso no japao 14, dizer que é pedofilia se a moça de 16 é apaixonado pelo cara de 600 (porque ela é apaixonada por ele), sendo que o anime é japones, é simplesmente julgar a cultura do outro baseado na sua propria. No ocidente, ou melhor, no brasil, até 16 anos é pedofilia, as coisas no japão sao diferentes.
    Segundo: O anime se passa em uma era medieval. “Crianças” de 16 anos nao existiam. Inclusive o conceito de infancia só foi criado depois da segunda revolução industrial, se voce quer saber. Uma pessoa de 16 anos, homem ou mulher, ja tinha mentalidade adulta nessa época. E eu nao vou nem entrar nos casos em que a relação é recíproca e acontece com sentimento mesmo por parte da pessoa mais nova, porque pode ser um bum na sua cabecinha, mas acontece, amor. Desculpa, eu tinha muito que falar isso, porque me dá nos nervos vê um bando de gente despreparada tirar de cotextos relaçoes com sentimento entre personagens ficticios para transforma-las em situações de abuso, e usa-las em caça as bruxas. A parte do abuso na relação do Meliodas com a Elizabeth existe fisicamente, na parte do “humor” do assedio, mas daí pra voce tirar o relacionamento deles todo de contexto e jogar a pedofilia para cima para endemonizar o negocio, é um longo caminho, faça-me o favor.
    Segundo: Achei muito ofensivo voce dizer que “cosplayer com perna de fora é só para atrair publico”. Tipo, serio mesmo? No mesmo parágrafo que voce diz que ninguem pode te tocar independente do tamanho da sua roupa voce vem e diz uma bosta dessas? Agora as cosplayers tem que “se dar ao respeito” e cobrir todo o corpinho, porque se nao elas só tão atraindo publico? E mesmo que seja para atrair publico, o corpo da cosplayer é dela, e ela usa o que ela bem entender. Se ela quiser enfiar a parte debaixo do maiô no rego para aparecer a bunda, o direito é dela. Se ela quiser se hipersexualizar, o direito é dela. Ou só pode usar roupa cura quando voce acha adequado? Tu vai me dizer que nao viu a contradição nessa partezinha aqui?
    No mais, fora essas bostas, analise interessante.

    Curtir

  188. Xnic2005 20/05/2016 às 14:26 #

    Na minha opinião não tem nada a ver com abuso sexual até porque no episódio que eles acham a Diane na floresta que ele aperta a bunda dela ela se assusta é quando ele fala pra relaxar que é só ele ela fala ainda bem ou seja a partir do momento que ela fala isso ela está falando não se importa com o que ele faz com ela

    Curtir

  189. Fernando Almeida 28/05/2016 às 20:55 #

    Concordo 100% 👏👏👏

    Curtir

  190. Redfox 28/05/2016 às 23:29 #

    Exatamente o motivo pelo qual eu parei de ler Fairy Tail. Objetificação excessiva. Aliás, esse é o problema de muitos shonens. A narrativa de um e outro pode ser boa, mas essa objetificação, essa naturalização de abuso… É de enojar.

    Curtir

  191. Rafael 09/06/2016 às 12:50 #

    Eu li isso mesmo? Pulta vida

    Curtir

  192. FRIDA CALO 26/06/2016 às 15:17 #

    ARRASOU AMIGA! MOSTRA PRA ESSES OMIS COMO É QUE SE DEVE TRATAR MULHER! UM ABSURDO ESSES ANIMES ECCHI TEREM MULHER PELADA, VAMOS PROBLEMATIZAR TUDO

    ACHO UM ABSURDO TAMBÉM O FATO DE O PROTAGONISTA DESSE ANIME SER HÉTERO, BRANCO E CIS. GENTE???? QUAL A NECESSIDADE???/ QUEM VAI GOSTAR DE UM ANIME COM ISSO, QUERO É UM TRANS NEGRO MARAVILHOSO OU UMA MULHER TRANS LÉSBICA PRA EMPODERAR AS MANAS E MOSTRAR QUE ESSES HOMENS DE HOJE EM DIA NÃO ESTÃO COM NADA! CHAMA AS PRETA, AS VIADA, CHAMA AS LÉSBICAS E AS TRANS PRA PISAR NA CARA DA HETERONORMATIVIDADE CISSEXISTA E NO MACHISMO DOS ANIMES DE HOJE EM DIA QUE SÓ NOS OPRIMEM, O EX NAMORADO DA MINHA AMIGA ASSEDIOU ELA DEPOIS DE ASSISTIR ESSE ANIME EU ESTOU MUITO CHOCADA TEM QUE SER BANIDO DO MUNDO ESSA PORCARIA MACHISTA E PATRIARCAL
    PRA QUEM ACHA QUE PROBLEMATIZAR É DESNECESSARIO ME DE OUTRA EXPLICAÇAO O MEU PAI ASSISTIU ISSO E AGORA ELE FAZ O MESMO COM A MINHA MÃE COITADA ELA ESTA MUITO TRISTE E SOFRENDO AJUDEM LIGUEM PRA POLICIA E MANDEM O NUMERO DA NOSSA CASA 4002-8922

    Curtir

  193. Miguel 02/07/2016 às 22:46 #

    nao gosta do mangá? nao gosta do anime? ENTAO NAO ASSISTE E PRONTO, FIM DA HISTORIA!!! Ninguem é obrigado a ver animes do genero ecchi, e nem tds os animes ecchi mostram somente as mulheres sendo sexualizadas, preocupe-se mais em se envolver com o q vc gosta em vez de tentar tirar algo q alguem gosta so por vc n gostar. Nao há como agradar á tds, se fossemos nessa ideia de q temos q proibir td so pq alguem n gosta, entao n poderiamos nem comer.

    Curtir

  194. Foxdash 23/07/2016 às 13:41 #

    Não concordo nem discordo, muito pelo contrário.
    Não tenho objeções pela perversão do protagonista, pra mim que tenho um humor um pouco “cítrico” eu rio de muitas coisas do anime, tenho consciência, sim, das ações do protagonista, ele tá errado, claro, mas eu vejo isso como uma peculiaridade do caráter do personagem. Não deixa de ser errado, claro, mas eu não levarei isso a sério…

    Agora, se você quer levantar a raiva de gregos e troianos, então fale sobre To Love-Ru e aí sim, você terá todo um material pra falar sobre isso de violência feminina and shit. Divirta-se e espero que tenha lido esse trecho do meu comentário. :D

    Curtir

  195. Fausto Salvadori Filho 31/08/2016 às 11:10 #

    E, para piorar, no anime (episódio 10), tem um trecho em Diane, de tamanho reduzido, levanta a saia para Meliodas e diz para ele fazer o que quiser com ela. E o garoto responde que, quando é consentido, ele não acha graça. Não é essa a própria definição de estuprador?

    Curtir

  196. Lucas Costa Campelo 03/09/2016 às 17:29 #

    Vc esta certa s, mas por um outro lado veja pelo lado deles. lá eles fazem mts animes assim(que expressem a mulher mais sexy).Eles não fazem os animes pensando em pessoas do outro lado do mundo do verem.Acho s desnecessário o meliodas apalpar a Elizabeth,mas tb acho desnecessário vc falar cm se vc na vida real isso,usando leis falando que isso é assédio.

    Curtir

  197. mimimimi 03/09/2016 às 20:03 #

    shshsahshsahsahhashas mimi ,mimimi, mimi ,mimimimi!!! chora shsahsahas

    Curtir

  198. mimimimi 03/09/2016 às 20:13 #

    Pessoal e melhor fica calando do que anime e exclusividade do japao e ele passa pro resto do mundo pra assisti caso queira ele nao coloco assim: coloque no cu e assista . colocarão vc assisti por que vc que seus carai cale suas boca por que vc nao tem direito de fala sobre ele em uma vez ser nao gosto nao assista ninguém obriga vc da bunda na esquina entao vc nao tem obrigação de assisti entao cale-se.

    Curtir

  199. joão 12/09/2016 às 18:55 #

    Aff, tava curtindo esse blog até descobrir que a autora é feminista, td bem, tem mt artigo legal, eu sempre rio, então ta td bem XD

    Curtir

  200. Calígula 12/09/2016 às 21:05 #

    Só quero saber, quando o Meliodas vai comer a Elizabeth, já tô no 3º episódio, e até agora nada!

    Curtir

  201. Hunter Lowis 13/09/2016 às 11:32 #

    MARA MUITO OBRIGADO! Tava me sentido um et por odiar esse assédio sem motivo e constante! Inadmissível isso passar sem a devida problematização

    Curtir

  202. Yrs 19/09/2016 às 23:28 #

    Ahh.. na verdade a Elizabeth fica um pouco constragida sim, não é exatamente consentido mas ela realmente deixa o Meliodas fazer isso, tem como parar ele sim, se ela dissesse “não” (mas claro que ela é uma criança, mas na moral, quem com 16 anos é criança por aqui? ‘-‘) como fez a “atecessora” dela, a amante morta do Meliodas que bateu nele por esse “assédio”, e ainda tem o porco que “defende” a Elizabeth desse “abuso”, é só um porco, se o Meliodas é alguém que não pode ser contrariado, porque esse porco ainda estaria vivo?
    Não sou a favor do excesso dessas cenas nesse animê, que como a autora do post diz, é sem graça, e na minha opinião, por ser repetitivo, fica *MUITO* chato de se ver. Sou contra chamar o Meliodas de “violentador”.
    E o que a autora esperava ao ver um animê ecchi? Se eu não gosto de cenas sensualizadas eu não vou ver animês com categoria “ecchi”, se eu não gosto de ver gays se beijando, não vou ver animês na categoria “yuri”.
    Sobre racismo, gays e outras coisas, o mundo está sensível demais, os assuntos sérios estão sendo confundidos com besteiras, se importam com alguém sendo chamado de macaco e acham super normal um assalto seguido de morte, quem não viu as piadas dos trapalhões? se aquele programa estivesse no ar as pessoas estariam “horrorizadas”, seria errado rir. Podem chamar de fdp mas de negro não, aliás, eu não sou branco. Sobre gays e mulheres talvez não sejam muito exagero, o país é muito machista, por ter mãe e irmã eu tenho medo do que pode acontecer com ela em um país desses.

    Curtir

  203. Matheus 29/09/2016 às 07:04 #

    Concordemos em relação ao Meliodas, mas por ter lido apenas sete capítulos, acho que você não viu coisas como quantas vezes Meliodas a salvou, ou o quão forte a diane se mostrou.

    Curtir

  204. não te enterresa google 03/12/2016 às 19:20 #

    Mano o anime e bom mas só vaca lha esse virjao da porra pondo a mão nela então pq não chega perto dela e pedela pra fazer… emas vez de ficar alisando
    ✌✌

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: