Algumas palavras sobre o caso Minami Minegishi

2 fev

akbdesabafo

Olá, pessoal. Desculpa se você veio aqui esperando um post de humor hoje, infelizmente isso vai ficar para a próxima. Eu entendo que aqui é lugar de zoeira, mas esse assunto me deixou realmente muito incomodada.

Talvez vocês tenham lido a matéria da Folha de São Paulo sobre a cantora japonesa Minami Minegishi. Caso você nem saiba o que houve, foi o seguinte: por ter sido flagrada saindo do apartamento de um homem (o que insinua que tiveram uma relação sexual), a cantora raspou a cabeça como autopunição. As idols japonesas costumam ser proibidas de manter relações, tendo que se manterem castas para agradar aquela minoria acéfala de japoneses doentes e sem vida social.

Estou sendo muito dura com as palavras? Eu não acho, a sociedade japonesa já está doente há muito tempo. A prova disso é que a menina está sendo acusada pelos fãs por “expor o Japão ao ridículo”. O Japão já está ridículo há muito tempo, caso não tenham notado.

Basta ver a lista de animes anunciados em cada temporada: o número de séries moe está ocupando um espaço que já foi de séries mais criativas. Nem estou falando nostalgicamente, porque é muito fácil eu defender a década de 1990 ou 1980, mas o mercado de animes está rumando a um buraco. Enquanto os japoneses continuarem alimentando essa doença com animes de moe etc, o mercado de animação do país vai continuar se fechando para a exportação.

Basta ver que temos, no geral, apenas três animes exibidos sem regularidade no Brasil: Pokémon, Dragon Ball e Cavaleiros. E NENHUM deles está no ar por ser anime, e sim por serem séries de animação competente. O “anime” em si perdeu o prestígio porque não soube se adaptar à universalidade, preferiu se fechar. Enquanto um coreano Gangnam Style consegue fazer sucesso mundial, os japoneses preferem criar seus produtos que alimentariam, no máximo, uma seção de bizarrices em programas de variedades.

A Minami tem uma parcela pequena da culpa (por, de certa forma, se submeter aos rigorosos contratos dos grupos musicais de Idols), mas ela é a vítima dessa história, refém de uma sociedade inteira que alimenta uma parcela hipócrita da população.

Podem achar que eu falei um monte de merda, mas eu acho muito sério quando uma mulher precisa se autopunir para conseguir “perdão” de uma sociedade escrota que exige que mulheres não possam ter relacionamentos para manter uma castidade.

 

Caso queiram ler mais sobre essa história, recomendo o post da Sandra Monte e este excelente escrito pela Valéria Fernandes.

129 Respostas to “Algumas palavras sobre o caso Minami Minegishi”

  1. filipe 02/02/2013 às 17:16 #

    Essa eh a mais pura verdade, e eh o que acontece, em escala e forma diferente, no Brasil. O nosso mercado cultural, a excessao da televisao (em parte), prefere se fechar em um publico especifico (mais “intelectual) do que se popularizar e tentar ganhar um espaco maior. Mas lah a coisa se tornou muito mais doente e triste…

    Curtir

  2. Guilherme Violin 02/02/2013 às 17:17 #

    É difícil comentar sobre isso, mas concordo totalmente com o texto. O Japão só anda decaindo nesse sentido “moral” (pelo menos no âmbito artístico/cultural).

    Tem quem fale dos islâmicos (ou o termo certo do que estou pra citar), e sua cultura de reprimir as mulheres, assim como seus direitos, colocando-a como uma sociedade primitiva perto do resto do mundo. E acho que essa repressão é primitiva mesmo, Mas dá pra ver que, como a Mara bem colocou, esta DOENÇA está presente no “grandioso Japão” também, de uma forma muito mais sutil, mas igualmente eficaz. Tudo pra que? Pra alimentar essa fome retardada de otakinhos e hikikomoris da vida.

    Dói mesmo ver essas listas de animes moe que andam sendo lançados. É um massacre à criatividade.

    Curtir

  3. Suna 02/02/2013 às 17:23 #

    Você sabe dar os puxões de orelha merecidos usando o humor, mas é perfeita quando fala sério. Assino embaixo.

    Nem tenho muito o que acrescentar, falou tudo o que eu penso à respeito desse caso e dessa fixação japonesa por uma imagem infantilizada e uma conduta casta, nem que seja só no entretenimento. Dá pena, dá raiva, mas acho que só com mais casos assim acontecendo é que alguma coisa pode mudar, de leve. Difícil é esperar que algumas dessas meninas tão novas resolvam abrir mão do dinheiro e se livrem do controle de pais e empresários pra ir um pouco além de uma noite de “rebeldia”, pra que tenham um pouco de amor próprio. Acesso à outros estilos de vida, caso precisem de um comparativo, elas tem. Duvido que estejam satisfeitas com esse tipo de vida, mas se a grana tá falando mais alto, só resta lamentar.

    Curtir

  4. Alguém que entende mais de anime que você 02/02/2013 às 17:24 #

    De boa, você curte chupar pintos? Porque eu acho que você estava chupando uma pistola quando escreveu essa merda de artigo.

    Curtir

  5. filipe 02/02/2013 às 17:25 #

    Ah, e quanto o caso em si, coitada da garota, e eh uma pena que a sociedade japonesa aceite esse tipo de tratamento com as pessoas.

    Curtir

  6. yuukisouma 02/02/2013 às 17:48 #

    Parabéns pelo post ! Eu não havia visto tal notícia, mas a que ponto uma sociedade pode chegar no quesito opressão? Se eu já havia me assustado com a notícia de que, todo dia, 2 japoneses se suicidam e que há lugares especiais para que meninas menores de idade possam se vender (sem ter o ato sexual em si) apenas para que possam consumir loucamente, essa cantora conseguiu ser a cereja podre.
    E nós, ocidentais, que vivemos criticando as culturas e glorificando as bizarrices. Os nossos valores de tão liberais que vão ficando, torna a racionalidade e o bom senso escravos.

    Curtir

  7. julio 02/02/2013 às 17:52 #

    serio que as “idols” não possuem uma vida social? tem que se vestir de santinhas pra agradar otacus tetudos e virgens??

    Curtir

  8. yuukisouma 02/02/2013 às 18:06 #

    Agora lendo a coluna do Shoujo Café, me lembrei que essa é daquele grupo absurdo. Eu não sei se ela é produto de uma cultura – e, portanto, uma vítima – ou se isso só a torna um ser incapaz de pensar por si própria – e, por isso, se torna só mais um produto de uma mentalidade doentia – tornando-a culpada por alimentar isso.

    Mas eu tenho que ter pena, really. Ela quis ter duas coisas que são incompatíveis e sua melhor solução foi se privar do símbolo-mor da sua cultura e pedir PERDÃO por ter feito sexo com um cara que ela escolheu. Ela não podia ter se revoltado e aproveitado esse momento para surtar e falar do tratamento DOENTIO que tais meninas recebem? Não podia ter feito o recalque desses otakus baterem em seu cabelo e na sua não-virgindade? No entanto, ela escolheu a humilhação pública e, se ela não recuperar sua vida ou o cara não der apoio, um futuro suicídio,

    E com essa coroação termina até mesmo a admiração que eu tinha pela história japonesa.

    Curtir

  9. Um Qualquer 02/02/2013 às 18:14 #

    Se fosse aqui no Brasil ela diria que “a buceta e o cu são meus e dou pra quem eu quiser”.

    Texto mais que perfeito, só otacos punhetinheiros fracassados e fãs tronchos de um grupelho fabricado como o AKB48 defenderiam a “donzela”.

    Curtir

  10. Jandirão 02/02/2013 às 18:25 #

    Como já dizia o poeta:

    “o negócio é comer cú e buceta.”

    Curtir

  11. Sandra Monte 02/02/2013 às 18:40 #

    Só uma coisa a dizer sobre isso…
    Quando otaku começar a endeusar demais o Japão, vou me lembrar deste caso…

    Sandra Monte
    http://www.papodebudega.com

    Curtir

  12. pacman 02/02/2013 às 19:04 #

    não falou coisa com coisa, o que esse fato tem haver com animes no brasil, nada haver tia…….

    Curtir

  13. KokoroKokoroKokoro 02/02/2013 às 19:12 #

    @julio

    Sim, o público do Japão preza pela imagem de “pureza” e até infantilidade, mesmo elas sendo já adultas. A um certo tempo atrás tinha visto uma notícia de que algumas mulheres japonesas estavam fazendo cirurgia nos dentes pra deixá-los com um aspecto mais infantil.

    Já tinha visto o vídeo dela antes, e o que mais me assustou foi que ele foi veiculado no próprio canal do AKB48, ou seja, na visão deles ela precisava se humilhar não somente pelos fãs, mas para limpar a imagem da EMPRESA AKB48. E o número de visitações em um dia já tava na casa dos milhões, pra se ter uma ideia da repercussão que isso teve por lá. Eu já achava esse grupo um saco, agora odeio mais ainda.

    Curtir

  14. JJones 02/02/2013 às 19:27 #

    Isso também é a cultura japonesa. Talvez um efeito colateral por levarem tão a sério seus valores morais e o padrão de excelência. Nem todos lidam bem com isso. Quanto aos comentários, nego sem noção tem em todo lugar. Um bom exemplo disso é rede social em época de eleição.

    Curtir

  15. Wm 02/02/2013 às 20:11 #

    É isso aí Mara, fiquei puto quando li a noticia e até fiz um crítica no facebook do Otaku banzai. Adorei as palavras, e você esta completamente correta.

    Curtir

  16. Thiago 02/02/2013 às 20:12 #

    É realmente uma pena que coisas assim sejam consideradas normais lá. É por isso que eu acho engraçado quando os otakus ficam exaltando com todas suas forças o Japão. Cada país com a sua cultura. E cada cultura tem seus prós e contras.

    Curtir

  17. Chiquita 02/02/2013 às 20:13 #

    Não vou falar muito, até porque o pessoal aí falou tudo
    Estava torcendo pra Mara falar disso, uma matéria que fez a galera relacionada à cultura japonesa parar e refletir
    Estava eu, já há muito tempo ciente dessa imagem pueril construída sobre as idols (e em alguns casos, até dos idols), prestes a pender pra um lado, sobre esse caso, quando me deparo com um dos clipes do AKB48, que uma amiga me mandou: http://www.youtube.com/watch?v=lkHlnWFnA0c
    Meu cérebro pifou, não consegui encontrar sentido. Sério.

    Curtir

  18. okumurapedro 02/02/2013 às 20:45 #

    o post tá bom… masss se eu tivesse afim de ver noticas sobre japonesas que perderam o cabelo, eu teria entrado em outro blog e nao nesse, tava afim de rir e nao de ficar chocado ou coisa do tipo. Mas o post tá muito bom, pf favor quero rir!

    Curtir

  19. Diotupi 02/02/2013 às 20:55 #

    Isso me lembra dos guardiões da virgindade da Sandy.
    Graças a Deus, no Brasil os doente não tem tanta voz assim. Já pensou se cada mulher que perdesse a virgindade tivesse que dar uma de Tirsa e saísse raspando a cabeça para “se purificar”? Iam falir a indústria de cosméticos capilares.(brincadeirinha)

    Curtir

  20. Luiz Fernando 02/02/2013 às 20:59 #

    A grande nação já teve dias melhores.

    Curtir

  21. ninguém 02/02/2013 às 21:41 #

    cacete KKK que merda vei, japoneses doentes mesmo puta que o pariu
    quer dizer, ela tem que ficar virgem só pra alimentar os pensamentos doentios de uma porrada de punheiteiros sem vida social. chega a ser triste
    a guria chorando e os supostos fãs dela ainda tem a coragem de dizer q ela dá vergonha ao japão, puta que o pariu se eu fosse essa menina mandava tudo pra merda.
    mas em fim, ela escolheu ser produto de empresa
    se alguma hora a menina se suicidar quero que eles sintam a culpa na alma, morrer pq um monte de gente imbecil não aguenta q ela faça sexo é ridiculo
    isso é uma doença mesmo
    essa banda já é estranha, quando vi o time de futebol americano de menininhas pela primeira vez ja previ merda QQ

    Curtir

  22. rafael motta 02/02/2013 às 22:29 #

    realmente me dixa constrangido ler algo, nunca vi essas coisas de idols, e agora ñ tenho mais ainda vontade de ver.l

    ela é gente, independente de ela ser idol ou ñ , ela tem vida social (ou ñ), proibir de ter relações é ridiculos, e os fãs são mais doentes e podres ainda por ridiculariza-lá

    eu fiquei realmente chocado vendo a foto ali

    Curtir

  23. Juny 02/02/2013 às 23:21 #

    A notícia é no mínimo constrangedora, e para os otakinhos, uma ferida no orgulho.

    Sim, fiquei chocada que a “pureza” dos japoneses chegasse a pontos tão extremos. Eu já havia notado uma mudança muito brusca — e pra um lado que, pessoalmente, não me agrada nem um pouco — nas lists de animes e nas músicas que eles puseram na Oricon e em canais de música que exibem o top10 japonês, como a PlayTV (rede frechada de TV). E não peço desculpas quando comparo com a cultura Ocidental e o que eles chamam de “hit”. Bem, se vocês são simpatizantes da cultura pop, não sei, mas eu não gosto, apesar de eu apenas ter 16 anos. Se formos comparar, a “lendária cultura japonesa, que uniu o antigo ao novo” está se tornando nada mais que uma cópia da cultura ocidental, mas com algumas mudanças.

    Absurdo? Claro, mas aqui no Ocidente coisas assim acontecem também. Proporções e contextos diferentes, mas que não deixam de ser bárbaros e,. acima de tudo, consequência da sociedade e o que ela obriga a tomar como normal.

    Com certeza vai vir Otakinho falando um monte do meu post. A você, ser que ficou com raiva, um aviso: Você põe o Japão num pedestal, mas será que os Japoneses fazem o mesmo? Tá certo que a cultura deles é uma das mais diversas e até certo ponto linda, mas depois dessa, perdi considerável respeito por eles.

    Curtir

  24. AL BN 02/02/2013 às 23:32 #

    Mara, só uma palavra: Estupenda.
    Exagerado o elogio,mas repito: Estupenda mais de oito mil.

    Curtir

  25. Naomi 02/02/2013 às 23:55 #

    Eu sempre achei o AKB48 algo asqueroso e esse fato foi algo que passou dos limites. É um caso de violência contra essa moça, sem exageros. Submeter alguém a uma humilhação pública é uma forma de agressão, é assédio moral.

    Curtir

  26. julio 03/02/2013 às 00:17 #

    @KokoroKokoroKokoro

    valeu pelo esclarecimento

    esse povo é doente mesmo isso sim……

    Curtir

  27. Lev 03/02/2013 às 00:18 #

    Só queria entender a relação entre os animes moe e a cantora que raspou o cabelo… Nenhuma… Aliás, forçando, vamos dizer que tanto os animes moe quanto o caso da moça são reflexos de como os japoneses são bitolados em “idealizar” demaaaais seus amores platônicos, forçando aos ridículos dos animes moe e de obrigar a guria a raspar o cabelo, tudo pra que fique perfeitamente “intocado” no cérebro doentio deles.

    Japoneses sempre tiveram uma cultura bizarra, quem já leu boas obras de época como Lobo Solitário sabem… Eles também são um povo racista, coletivista e desde a década de quarenta vem sendo cultural-washed pelos EUA… O que esperar dessa combinação maluca?

    Curtir

  28. Panino Manino 03/02/2013 às 02:43 #

    Considerando que toda a mitologia e contrato da produtora é amplamente conhecido, e as idols entram no negócio vencendo audiências concorridas, digo que raspou é pouco. Tinha que arrancar o couro para deixar de ser palhaça e raspar a cabeça direito.

    Os otakus que sustentam esse negócio tem problemas sim, mas são alimentados também por esse negócio. É lucrativo não é? Então vamos explorar, quem liga para probres coitados? Japão se importando com os mais fracos? Absurdo.
    O Japão tem um imenso histórico de se agredir em todas as suas camadas, mesmo as “sérias”, isso daí é só mais um episódio cotidiano. Ano passado o escândalo foi de uma escolha onde um garoto se matou depois de meses de sistemáticos abusos. Obra só dos alunos? Até os professores e diretor abusavam e humilhavam ele, e no fim o conselho da escola deu entrevista dizendo que eles quem eram as vítimas naquela história.

    Isso daí que estão urubuzando agora não é nada, achei leve. Ela viu que iria se ferrar, iria perder dinheiro, azar do cabelo. O importante é continuar no grupo fazendo as vontades dos fãs e tirar o máximo de dinheiro que conseguir. Tem ninguém inocente ali não.

    Curtir

  29. Za Warudo 03/02/2013 às 02:48 #

    Mara você foi muito sábia nas palavras. A muito eu digo isso aos meus amigos, sobre a decadência dos Animes e suas temáticas voltadas pra sexualização bizarra. Faz muito tempo que não vejo um anime descente, já tentei gostar desses novos mas não consigo, conteúdo zero, ao assistir você sente que é só um monte de bobagens pra acariciar o fetiche dos doentes que só podem viver se for de pensar ou ver insinuações sexuais e moe ridículo.
    É isso que me afastou quase que completamente dos animes e começo até a tomar abuso por essa parte da cultura pop. Japão se fechou uma vez durante Tokugawa, agora a gente vê o mesmo fechamento só que em relação ao mercado de animes.

    Curtir

  30. pqp 03/02/2013 às 03:16 #

    PUTA QUE PARIU, QUANTA MERDA.

    Curtir

  31. vo te contar 03/02/2013 às 03:30 #

    Eu espero que você não esteja considerando CDZ, DBZ e Pokémon como animações de qualidade que perderam espaço pro moe, porque olha… Esse texto ficou uma bosta.

    Curtir

  32. Kurama 03/02/2013 às 07:32 #

    Mas a doença desse tal “moe” infelizmente é mundial. Se acessarem um fórum intitulado “Minna Suki”, vocês encontrarão otakus que se derretem por um amontoado de pixels, “Love LIve” é um bom exemplo, prepare o saco de vômito.

    Curtir

  33. micheloliveira 03/02/2013 às 08:27 #

    Panino, essas meninas assinam contrato com a banda aos 13,14 anos. Certamente com a conivência dos pais. Ninguém com essa idade tem idéia exata das consequências da coisa. E quando elas ficam mais velhas, ficam tão enredadas no esquema que é difícil sair. E quem sai é execrada pela mídia e pelos fãs doentes. Não é assim tão fácil.

    Curtir

  34. ninguém 03/02/2013 às 09:17 #

    micheloliveira
    exatamente, e elas nem percebem que viraram produtos .-. contradizendo um post meu la em cima, pq agora a pouco q eu descobri esse trem sobre a idade q elas entram na banda
    eu vi em um video que a menina entrou na banda havia 7 anos, ela já tá tão alienada pelos conceitos e regras da banda a ponto de achar q oq ela fez foi algo terrivel e imperdoavel
    acho dificil eles chamarem alguem com mais de vinte anos pra essa coisa, a não ser que a pessoa seja completamente bitolada pq porra
    mais facil pegar menininhas de 13 anos e alienar elas
    isso é nojento :x

    Curtir

  35. Panino Manino 03/02/2013 às 10:46 #

    @micheloliveira
    É ruim de não saber ein, os pais pelo menos, mas e eles vão prevenir os filhos? Tendo ali a oportunidade da fama e do dinheiro?
    Tem um outro mercado de modelos fotográficas mirins que os pais voluntariamente levam os filhos de menos de 10 anos, bem menos, para aquelas sessões fotográficas com objetivos óbvios. Mas dá dinheiro.

    Mesmo não sabendo, o grupo é enorme, tem dezenas de garotas que estão lá a anos, que trocam experiências. Mesmo que ela consiga não perceber o que está acontecendo nos eventos que participa, uma hora alguém vai explicar para ela, e alguma sai? Não, melhor se humilhar do que perder a vaga lá, afinal sai ela imediatamente entra outra e o dinheiro e a fama vão embora.
    Elas são idols afinal, o caminho da idol é o caminho da fama, qualidades e talento não importam tanto, mesmo que algumas aproveitem aquele caminho para ter um pouco de notoriedade para depois seguir carreira solo como algumas fazem (pelo que sei de ouvir falar a Kojima é uma dessas, dizendo abertamente que VAI casar antes dos 30, ou seja, ela já decidiu quando sair e vai participar do jogo até lá). Mas esse daí é o custo disso.

    Curtir

  36. Rafa-kurosama 03/02/2013 às 11:22 #

    Que coisa triste,meu deus..coitada da menina.

    Curtir

  37. gwy 03/02/2013 às 11:38 #

    A ideia de aceitar tranquilamente que as meninas sejam um produto cuja castidade é vigiada pelos fãs é nojento.
    Aceitar um contrato desse tipo (coagida ou não) já mostra o tamanho do abuso que as mulheres sofrem no Japão.
    E pra quem acha que os moe de baixa qualidade que estão saindo por lá não tem relação com a cultura de “mulher com corpo de menina e que faz parte de um harém a minha disposição” pense de novo…

    Curtir

  38. Naomi 03/02/2013 às 11:41 #

    Acredito que a questão em discussão não seja o dinheiro, pois não acredito que seja isso que Minami esteve exposta e porque ela continuaria sendo. O Japão é muito conhecido por seus animes, e os olhos grandes são exatamente por conta do exagero de expressão. Desde sempre houve o foco em expressividade em sentimentos que outros tipos de obras clássicas não tinham até então. O anime em sí foi surgindo dessa forma e a partir de teatros japoneses que tinham a maquiagem focada nos olhos para que as pessoas pudessem ver da platéia as expressões feitas pelos atores. Ou seja, a mentalidade japonesa se foca nos sentimentos mas por ser uma sociedade individualista, cada um cuida de sí próprio e esse caso do adolescente que sofria bullying pela escola inteira não me choca em relação aos culpados dizerem que eram vítimas. Eles realmente pensam assim, e é assim que eles são levados a pensar.
    Em questão da Minami, pelo que sei (poupo de explicações complexas, não sou fã de AKB48 muito menos sei a historia de cada uma ali) cada uma delas é submetida a tais regras e aprendizados desde criança. Ou seja, ela vai crescer achando que realmente é errado sair com um homem e que a empresa pode sim ter controle sobre o corpo dela. Agora, você não pode culpar uma criança por ter escolhido isso, ela mal sabe. No entanto existe muitas meninas japonesas que sonham em poder ter uma vaga nesse grupo porque da dinheiro, eles investem pra caramba na sua imagem e ainda por cima é algo que muita gente já sonhou em fazer: cantar, dançar etc etc etc. Uma criança não vê além disso justamente por não saber se há algo além disso. O problema, como citado no artigo é a sociedade alienada. Muitas pessoas são “doentes” como foi citado, mas o motivo delas serem assim está justamente nos problemas sociais que muitos ali passam, mas não vou a fundo nisso. A preferência por animes “moe” e coisas que não exigem muita criatividade não é nada diferente da nossa televisão em questão de alienação: você não precisa pensar pra entender o que se passa. Você não precisa ir a fundo, é apenas entretenimento. Isso não muda para a música, e nem para o caso de Minami. Ela é um objeto da mídia nas quais todos os fãs podem se fantasiar de acordo com a sua pureza. Saber que ela saiu da casa de um cara é terrível, pois ela foi “corrompida” e logo, não poderá mais ser visualizada daquela forma. A imagem que as meninas do grupo passam não são nada diferentes do “moe” apresentados pelas televisões japonesas e é justamente lá onde eles se baseiam. O público gosta da ideia de menina pura. Isso vende. E tenho certeza que muitos japoneses não pensam que estão se humilhando ao botar a filha em algo assim. Pra sociedade isso é uma HONRA, como foi dito em alguns “doentes” quem quebrou as regras foi a Minami e quem está errada é ela.

    Curtir

  39. Mariana 03/02/2013 às 11:52 #

    Concordo totalmente, fico chocada vendo gente falando coisas tipo “parem de agir como se ela fosse vítima” ‘G.G gente, imagina o quão reprimida alguém tem que ser alguém a ponto de se punir por ter um namorado ._. namorar é saudável, fazer sexo é saudável! A única culpa que a Minami tem é por se submeter a isso. Sociedade dodói precisando de muita terapia, presidente japonês, por favor faça algo antes que seja tarde demais.
    E gwy, palmas para o seu comentário!

    Curtir

  40. Camila Pontes 03/02/2013 às 12:03 #

    Primeiro, eu conheço o AKB48 desde os meus 12 anos (há quase 7 anos). Desde aquele tempo eu sabia que elas não poderiam namorar ou manter relações com o sexo oposto (sexfriend, amizade-colorida, etc). Com 12 anos eu tinha a consciência disso. Essas meninas também tinham. A minami está no AKB desde 2006. Ela tinha mais ou menos 15anos. Uma menina com 15 já tem cabeça suficiente para decidir se quer ou não ser idol. O AKB é o grupo mais popular no japão atualmente. Elas vendem mais de 1 milhão de cópias só na primeira semana de vendas do novo single.
    Ela QUBROU O CONTRATO ao sair com um cara. Ela não é uma vítima disso tudo. Ela sabia que não podia. É o mesmo que pedir para um ator da globo dar entrevista para o Pânico na TV (sabemos que muitos não podem por cláusulas contratuais). Se ela sabia que não podia, por que fez? Essa forma de raspar o cabelo foi para chamar a atenção e conseguir as desculpas dos wotas (fãs). A sociedade japonesa tem a sua cultura. Machista? Talvez. Assim como nós somos atrasados em vários aspectos, mantemos uma política pão e circo, os japoneses mantém a forma deles de pensar e agir.
    Ao autor, antes de fazer um post TOTALMENTE DESINFORMADO da real situação, procure mais entender o lado DELES, da cultura DELES. A regra está ai desde os anos 70. Não é uma coisa nova, imediata. Escândalos existem há anos, mas parece que só agora a sociedade resolveu fazer uma crítica ao japão e aos fãs de j-pop.
    A Micchan errou, se puniu PORQUE QUIS (sem avisar à staff) e daqui a pouco volta ao topo. Simples.

    Curtir

  41. João Aranha 03/02/2013 às 12:11 #

    Sei que virá muita gente aqui falar que “é cultura deles” e “ela que quis fazer isso”, mas continua sendo um absurdo que, em pleno 2013, continuemos a ver situações tão tiranas assim. Sem falar que é impossível alguém fazer algo assim por livre e espontânea vontade.

    É o Japão alimentando o mercado do absurdo. E até entendo, Mara, que não queira fazer comparativos com os anos 80 e 90, mas essas décadas tem que ser usadas como parâmetro sim, pois o poço está ficando sem fundo e se não houver uma referência digna, o destino é o ultimato.

    Belo pensamento.

    Curtir

  42. Alexandre Nagado 03/02/2013 às 12:12 #

    Parabéns pela abordagem, Mara.

    Relembro aqui dois posts do meu finado blog, onde falei sobre o lado negro do mundo das celebridades japonesas e sobre o AKB48 e suas bizarrices. Acho que ajuda a entender melhor essa indústria maluca e também informa algumas “estratégias” de marketing que já foram feitas com o AKB48.

    Idolatria e perseguição no mundo otaku
    http://nagado.blogspot.com.br/2011/09/idolatria-e-perseguicao-no-mundo-otaku.html

    Sobre o fenômeno AKB48 e sua presença na cultura pop japonesa
    http://nagado.blogspot.com.br/2011/09/idolatria-e-perseguicao-no-mundo-otaku.html

    Abraços!
    Ale Nagado

    Curtir

  43. Carol 03/02/2013 às 12:14 #

    Pra quem (diz que) não entendeu a ligação entre essa vergonha q AKB48 fez e os animes moe:
    A imagem vendida nos moe é de meninas fofas, com traços e jeitos infantilizados, e que acabam sendo direcionadas a situações pseudo-eróticas. Chobits, Elfen Lied, tá tudo ali.
    Ou seja: dizendo que só as mulheres que atendem os requisitos “parecer uma menina bobinha que pode te chupar a qq momento” são bonitas e interessantes.
    Uma marca faz sucesso qdo é mto consumida, né? Pensa nisso, otaku babão…

    Curtir

  44. gwy 03/02/2013 às 12:14 #

    Exceto que dar entrevista para uma emissora concorrente não tem relação com sua intimidade. O.o

    O objetivo da Mara aqui foi mostrar aos otakinhos que o Japão não é lindo e brilhante como eles adoram pintar.

    Curtir

  45. Alexandre Nagado 03/02/2013 às 12:17 #

    Opa, postei duas vezes o mesmo link, sem querer. Desculpe.

    A matéria que explica o AKB48 e conta alguns casos sobre a banda está no link abaixo:

    http://nagado.blogspot.com.br/2012/05/sobre-febre-akb48.html

    Curtir

  46. João Aranha 03/02/2013 às 12:20 #

    E só um recadinho a Camila Pontes: quebra de contrato ou não, cultural ou não, velado ou não, esta porcaria de política das idols tem que ser banida e execrada de qualquer pensamento sadio. Afinal, é muito normal alguém sair por aí criando contratos pras pessoas não poderem mais viver e alimentar uma indústria de doentes mentais. E é muito normal também ser punida por namorar.

    Sim, eu entendo o lado deles. É um lado doentio. Precisa ser confrontado e banido. O AKB48 é um dos exemplos de que essa “dinâmica do moe” vai crescer e vai derrubar tudo até não sobrar um pedaço sequer. E se alguém acha isso normal (afinal, você diz ser alta conhecedora, então já pesquisou sobre Momoe Yamaguchi e o caso absurdo que existe dela também no final dos anos 70), precisa de uma camisa de força e internação urgente.

    Curtir

  47. Camila Pontes 03/02/2013 às 12:21 #

    Tem sim se você olhar o termo “cláusula contratual”. A pureza delas está em contrato, simples assim. Não quer passar por isso? Não vire idol. Seja uma cantora comum, como Namie Amuro, que vende muito e é casada, tem filhos e o diaba4. É um tanto ridículo, é, mas ela sabia o que estava fazendo quando pernoitou na casa do garoto.

    Curtir

  48. Camila Pontes 03/02/2013 às 12:25 #

    É, é uma indústria nojenta e doentia, João Aranha. Você já ouviu falar das cerimônias de “aperto de mão” e o que esses wotas falam pra elas? Não aceito isso como normal, mas o problema é que as pessoas que não conhecem o assunto estão entendendo que ela é uma vítima disso tudo. O Japão é assim há muito tempo, ela sabia no que estava se metendo e, caso não quisesse mais, graduasse e pronto, teria sua vida feliz. Temos ex-idols apresentadoras de tv, âncoras, MCs em programas de variedades, e todas elas podendo namorar tranquilamente e ter sua vida.
    Claro, essa regra deveria ser abolida, mas infelizmente é essa prática de pureza que alimenta as vendas. É infelizmente assim que o mundo idol existe. Não que eu concorde, mas nesses anos todos eu pude ver que caso houvesse um escândalo bastava o produtor retirar a menina do grupo…. nada mudava.

    Curtir

  49. gwy 03/02/2013 às 12:31 #

    Eu não entendo a relação entre conhecer o negócio doentio do Japão e como ela pode NÃO ser uma vítima nesse caso.

    Curtir

  50. Leonardo Kitsune (@LeoKitsune) 03/02/2013 às 12:32 #

    Lembro de uma escola onde eu trabalhava, que tinha muitos alunos estrangeiros.
    Haviam dois irmãos coreanos. Um deles na minha sala, o mais novo.
    Um dia ele foi pra aula de Educação Física de calça. E não queria participar. Não queria correr. E andava com dificuldade. O professor perguntou por quê, e depois de uma conversa, o menino mostrou a perna. Totalmente coberta de hematomas e cortes. Ele tinha apanhado dos pais.
    O irmão mais velho depois disse que era comum: o mais novo não fez lição (ou algo que o valha, era um menino de 6 anos), e a punição padrão na Coréia é 20 palmadas, ou algo assim.

    Apedrejamento também é “parte da cultura deles” em certas áreas mais fundamentalistas islâmicas.

    E tratar a mulher como pedaço de carne à venda também é “parte da NOSSA cultura”.

    Nosso papel deveria ser o de contestar essas coisas, não?
    Ou o que “é parte da cultura” (ou seja: TUDO) deve ser apenas aceito, sem oposição?

    Curtir

  51. Naomi 03/02/2013 às 12:33 #

    Camila Pontes
    O problema é justamente existir um contrato onde a pureza da mulher, ou melhor o corpo dela seja tratado como um termo de cláusula. Isso vai contra os direitos que as mulheres vem conquistando desde o século passado justamente por tratá-las como objetos que precisam passar tal imagem, ao invés de reconhecer o que elas realmente fazem. Mulheres são submetidas a muitas coisas no mundo todo, Camila. O ato sexual incrimina elas e isso é algo que está tentando ser combatido nesses anos pra cá, aos poucos. O fato de uma das potências mundiais, o Japão, ter regras que tiram essa liberdade delas, é o que está sendo discutido nas críticas e o AKB48 é um dos alvos justamente por ter um escândalo como esse.

    Curtir

  52. Camila Pontes 03/02/2013 às 12:39 #

    Deixo bem claro, EU NÃO DEFENDO A VIDA IDOL, ACHO NOJENTO O QUE ELES FAZEM COM ELAS ASSIM COMO O CONTRATO ESCRAVO.
    E sim, acho que o Japão deveria mudar.

    Curtir

  53. Phii 03/02/2013 às 12:45 #

    Não muda o fato de que precisar ter um contrato para manter algo PESSOAL seja extremamente, desculpa dizer, imbecil. Independente de ser cultural ou não, então você não pode ter uma vida pessoal? Tem que ser só uma imagem a partir de agora? Tem garotas que realmente só tem o sonho puro de ser uma idol e, para ser uma, tem que ser desde cedo, logo elas não têm realmente maturidade o suficiente para pensar em como isso pode afetar suas vidas. Todo mundo tem dificuldade para decidir sua vida pelos 18, imagina com 13, 14?

    Aliás, já viu notícias de seiyuus? Até seiyuus são afetados por isso, e até onde eu saiba, eles não precisam fazer um contrato com isso, porque se tivessem, não veríamos casamentos como o do Suzumura Kenichi com a Maaya Sakamoto, que foi um caso que nem deu realmente problema e foi considerado um milagre por causa disso. Mas ainda tem seiyuus, tanto homens quanto mulheres, que se saem com outra pessoa, os otakinhos começam a quebrar os CDs e boicotar as vendas até que estes sejam despedidos, ou até mesmo stalkear e descobrir a namorada ou namorado para mandar cartas dizendo que vai matá-lo(a).

    Então, independente de ter uma droga de contrato ou não, não muda o fato que é doentio sim e ela É sim uma vítima. É uma espécie de contrato imbecil que nem deveria existir, isso não a torna culpada por causa disso. Eles não estão tratando ela como um ser humano; apenas como um objeto sexual.

    Realmente, temos culturas muito diferentes; não muda o fato que temos cabeça o suficiente para enxergar que culturas, só por ser diferentes, não significa terem falhas e falhas graves. Temos falhas na nossa também e vivemos reclamando que deveria mudar, então por que não podemos enxergar falhas em outras culturas? Nem tudo é lindo e belo e perfeito. Se fossemos aceitar tudo que é cultural, então as mulheres não teriam conquistado os direitos que têm hoje aqui. Aliás, aceitar isso é justamente o que todos governos querem: um povo alienado que aceita tudo que acontece. Perfeito, não? Existem direitos humanos para que então? Para tudo ter a velha desculpinha que “é cultural fazer o quê”? Então não sei porque existem direitos humanos, sinto muito. Contestar algo não quer dizer que está desrespeitando uma cultura. Se você gosta das suas idols japonesas, então pensa um pouquinho antes de culpar elas dessa forma.

    Ah e só pra reforçar a dos animes moe: só lembrando que as garotas normalmente não terminam com ninguém, se for um harém, e se não for, terminam com ninguém também. E nem vou entrar no assunto da existência de tantos eroges por aí.

    Curtir

  54. Superg Gisele 03/02/2013 às 12:49 #

    Olá!
    O grande galho nessa situação é que esse povo(os dodói da cuca) não se enxergam e continuam a dizer que a culpa é dela!
    A culpa é de quem pode mudar as coisas e não muda, pois dá mais dinheiro manter as coisas assim!
    Uma empresa como a AKB poderia usar a música para mudar o mundo, para fazer as pessoas modificarem seu modo de viver! Mas eles preferem sustentar a doença e a repressão!
    Li do autor de um outro blog, que a culpa é dela, pois ela assinou o contrato pq quis!
    Não concordo com ele! Se ela, em algum momento concordou… Sinto em dizer… Ela assinou aos 15 anos e ela já tem 20!
    Sei que essa repressão existe entre os rapazes também, mas nunca havia visto algo tão grave ainda!

    Curtir

  55. Florisvaldo Guedes de Oliveira 03/02/2013 às 12:52 #

    Camila Pontes, você é incrível.

    Brasileiro = atrasado machista.
    Japonês = mantém a forma de pensar e agir.

    Igual dizer que “meu filho é homossexual, o do vizinho é um viado do cu largo.”

    Curtir

  56. Camila Pontes 03/02/2013 às 12:58 #

    Não, eu disse a minha opinião assim como você tem a sua. Eu não disse em nenhum momento que o Japão estava correto.

    Curtir

  57. Moon 03/02/2013 às 13:04 #

    E ainda tem otakinho babão que aparece aqui dizendo “Qual é a relação desse caso da Minami com os animes moe lançados no Japão?”. Ah, jura que você não consegue ver a conexão entre tudo isso? Mas eu até já presumia essa postura por parte de alguns, para eles é difícil admitir que a “Grande Nação Japonesa” não é tão linda e perfeita como eles gostam de enxergar.

    Curtir

  58. Suna 03/02/2013 às 13:25 #

    A mulher errou? Ok, peraí… Se essa mulher (só agora via a idade dela) concordasse com todas as regras impostas à ela, desde a infância até a rotina de Idol, iria querer fazer sexo? Se estivesse tudo dentro do aceitável? Duvido, ela ia se matar mas não ia dar. Se é algo que precisou ser contrariado, que estava entrando em conflito com a vida pessoal dela, é porque, na visão dela, tinha coisa errada e ponto final.

    Eu não acredito que essa retratação pública tenha sido totalmente voluntária. Foi emergencial, pra chamar a atenção e tentar salvar um pouquinho da imagem que ela vendeu e com a qual não estava totalmente satisfeita, não mesmo, mas que lhe pagava as contas. Achar que tal ato foi movido pelo peso da culpa por ter feito sexo e “envergonhado” a sociedade é ser mais inocente do que ela deveria, por contrato, ser.

    Outra coisa, acho interessante como tem gente que exige maturidade de meninas de 15 anos ou menos pra assinar um contrato. Quantos contratos vocês já leram e entenderam, cláusula por cláusula, e assinaram? Quantos de vocês diriam não, caso seus pais mandassem assinar? Quem aí diria não se um empresário lhe prometesse fama e luxo, pelo preço de ser fofinha diante das câmeras, numa sociedade onde suicídio por desemprego e concorrência é notícia rotineira, e estando ciente de que uma oportunidade dessas jamais apareceria de novo? Ainda tem gente achando que essas crianças sabem o que as espera?

    Certas questões culturais dá pra se relevar, mas uma que vira alvo de repúdio em todo o mundo (menos lá), só pode estar errada. Essa coisa de Idols na Ásia (Na Coreia do Sul também, mas em menor escala) é doentia e só existe porque há dinheiro, muito dinheiro, para sustentá-la. Não é só uma mera idealização popular, não é um estereótipo japonês perdurando ao longo dos séculos: É um fruto bizarro da indústria do entretenimento à qual os envolvidos (Idols) não concordam, mas se submetem por falta de opção. Apenas isso.

    Curtir

  59. Florisvaldo Guedes de Oliveira 03/02/2013 às 13:35 #

    Ok, Camila, admito. Mas uma coisa é isso. O Japão de hoje é totalmente indefensável. Sempre falo de zoeira que tenho medo de dois povos dominarem o mundo: os russos (só ver os videos de “driving in Russia”) e os japoneses. Já pensou? Uma máquina de vender calcinha menstruada em cada esquina. Mas nesse caso podem levar a sério.

    É por essas e outras que: eu leio cada vez menos mangá, só os mais antigos; que faz séculos que não assisto anime (tudo que chega aqui é pra pré-adolescente espinhento, não pra minha idade); que pensar em anime na TV brasileira é uma ideia que morreu e não volta mais; que os eventos são esta bosta que pra virar uma nova boate Kiss não custa muito; que somos obrigados a ver no Facebook as comunidades de otakinhos novos e suas fotos (quem não lembra? “Masashi Kishimoto não chega aos pés de Machado de Assis”, “ser otaku não é pra qualquer um, somos a salvação deste país”); que os otakus estão sendo tão (e algumas vezes merecem ser) zoados.

    Os animes estão em decadência, o Japão é ridículo há bastante tempo e os otakus brasileiros estão fechados num gueto moralmente pior do que era há 20 anos. Nossa cultura é muito pior, então? Pois entre isso e o Carnaval, prefiro a bunda da Ana Hickmann roçando na minha cara.

    Graças a Deus que Osamu Tezuka morreu pra não ver isso.

    Curtir

  60. AKiro 03/02/2013 às 13:38 #

    “só isso
    http://saindodos20.blogspot.com.br/2013/02/entendam-o-caso-miichan-para-leigos.html

    HUAHSAUHSAUSHAUHSAUSHAUSHASHAUSAUHSASHAUHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUHSAUHSAUSHAUHSAUSHAHSAUHSAUSHAUHSAUSHAHSAUSHAUHSAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSH

    “Nojo e pena desses sites e muito mais das pessoas comentando se achando moderninhas e donas da razão”

    “agora só espalhar isso nos comentarios das paginas nojentas com gente nojenta querendo pagar de moderninhas”

    HUAHSAUHSAUSHAUHSAUSHAUSHASHAUSAUHSASHAUHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUHSAUHSAUSHAUHSAUSHAHSAUHSAUSHAUHSAUSHAHSAUSHAUHSAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSH

    Curtir

  61. Jacqueline Kinomoto (@Jacqueroll) 03/02/2013 às 13:42 #

    Faço das suas palavras as minhas. Amo o Japão desde de que me entendo por gente, mas não o considero perfeito de forma alguma. Esse caso é só um dos muitos exemplos da doença crônica do país.

    Curtir

  62. rafa..! 03/02/2013 às 14:05 #

    Véii.. um ponto importante é: assim como no Brasil há certas cláusulas contratuais que mesmo estando no contrato, não possuem valor legal, tipo aquelas onde empresas de esportes radicais não se responsabilizam por eventuais acidentes que possam acontecer. No Japão, essa cláusula sobre virgindade também é ilegal. Está no contrato? Está. Tem validade? Não. Simples assim, possui apenas a função de intimidar, coagir. Baseado nisso não me venham com essa de que a mina é culpada por que quebrar o contrato pois esse termo não tem validade legal e não deveria ser usado como muleta para culpa-la. Enfim, como dito por vários outros colegas, essa indústria é nojenta.. Por isso que curto a cantora coreana Lee-Hyori, pois não tem dessa de viver numa bolha, apronta e faz musicas sobre.. xP

    Curtir

  63. AKiro 03/02/2013 às 14:14 #

    Coréia > Japão

    Curtir

  64. Panino Manino 03/02/2013 às 15:03 #

    @qwy
    “E pra quem acha que os moe de baixa qualidade que estão saindo por lá não tem relação com a cultura de “mulher com corpo de menina e que faz parte de um harém a minha disposição” pense de novo…”

    A questão de um milhão de libras é se essa é causa ou sintoma do problema.
    Nenhum otakismo conseguiu chegar em um consenso até hoje. Essa é uma discussão que já persiste por 30 anos. A @Naomi entrou nessa questão com o comentário dela.
    Entendo a facilidade de levar essa discussão exclusivamente para o lado “otakus retardados, morram!”, mas de forma nenhuma esse é todo o problema. É uma situação que envolve o japão com um todo, seja otaku ou não. É doentio e constitui um ciclo vicioso, se começa ou termina nos otakus, é apenas parte de um ciclo com o qual muitos compactuam. É óbvio que não é errado de forma nenhuma a garota ter seu namorado, ou ficante, o que seja, mas ali no meio dela ela sabia que iria causar problemas se fosse descoberta, não atoa elas sempre são fotografadas disfarçadas. Ação e reação…

    Essa situação específica entre o AKB e os fãs, que não são necessariamente fãs de animes, é semelhante ao tráfico de drogas. Os viciados estão doentes, e o vendedor se aproveita disso para lucrar, com o agravante que aqui o produto vendido é o próprio corpo, e em alguns casos a alma também. O vendedor também perde. Como todo problema social, é um problema causado pelos próprios envolvidos onde todos perdem.

    Esse episódio é apenas uma das faces do Japão atual.
    Como evitar essa situação? Acabar com o AKB? Exterminar os Otakus? Essas duas opções não parecem imediatamente razoáveis. O que falta no Japão é reflexão e autocrítica, ao invés de repensarem seus conceitos como povo eles os defendem até a morte e agridem todos que “ousam” se intrometer.

    Episódios semelhantes e esse também acontecem pelo ocidente, só que são menos dramáticos porque não tem todas essas camadas.

    “O objetivo da Mara aqui foi mostrar aos otakinhos que o Japão não é lindo e brilhante como eles adoram pintar.”

    Nunca foi bonito.

    Curtir

  65. Igor Mendonça (@igorkapyva) 03/02/2013 às 15:26 #

    Já ouvi que esse “status virginal” das idols é acentuado até em seus contratos com as produtoras. Alguém confirma?

    Independente disso, o ocorrido continua sendo um reflexo de podridão em muitos jovens de lá. É realmente uma pena. Sempre penso que por mais que uma geração de adolescentes, crianças e jovens seja considerada “desvirtuada” pelas gerações anteriores, é sempre birra. Pois quando a maioria dessas pessoas crescem acabam até melhorando o mundo. O Japão atual é o único que foge desse pensamento. Só consigo pensar que eles podem acabar se tornando mais fechados e conservadores…

    PS: recomendo um anime chamado Perfect Blue (1997), dirigido pelo grande Satoshi Kon (Paprika). Trata exatamente dessa cultura das idols e é espetacular.

    Curtir

  66. Marcus 03/02/2013 às 15:26 #

    O problema é que os japoneses sofrem muito opressão sexual, as consequências estão aí.

    Curtir

  67. Ninguém 03/02/2013 às 15:47 #

    É horrível ver as atitudes que uma pessoa toma no desespero. Agora, discordo da sugestão moralista da Mara contida nesse discurso. O perdão é uma parte importante do rito social do japonês, independente de ser homem ou mulher, e independente também se a pessoa raspa a cabeça ou não. Claro que a Mara reagiu por conta da situação de inferioridade da mulher em uma sociedade.
    Concordo com as outras coisas: o Ciclo PDCA, ou ciclo de melhoria contínua, que foi o responsável por transformar o Japão de um país destruído pela guerra em uma potência econômica, já está mostrando seus defeitos desde os anos 80, onde começou um processo de recessão que continua até hoje. o Japão se tornou essa bolha de consumo absurda, onde o que quer que dê dinheiro em algum momento é explorado até as últimas consequências. Não muito diferente do Brasil, que tem um Patati e Patatá, que também se utiliza de cláusulas ferinas, mas o Japão possui um forte mercado interno que consome toda porcaria que produzem, e vão produzindo até não render mais, e com o agravante de tornar o cidadão em apenas um instrumento de trabalho contínuo, onde não sobra muito espaço para o lazer.
    E só falei de Patati e Patatá porque resolvi deixar de lado um mercado muito mais lucrativo e que se encaixa no exemplo: o mercado gospel.

    Curtir

  68. Lud.M. 03/02/2013 às 16:43 #

    Na Coréia acontece a mesma coisa. O G-Dragon do Big Bang foi flagrado fumando um baseadinho numa festinha da empresa e o Big Bang quase ia pro limbo por lá, não fosse o prêmio MTV que eles ganharam de “melhor artista pop do planeta” de 2012. E uma atriz do Hana Yori Dango versão coreana se suicidou, segundo vi na matéria do Shoujo-Café.

    Curtir

  69. Suna 03/02/2013 às 16:44 #

    Pois é, esse Perfect Blue (vejam se tiverem estômago forte, porque o meu é fraquíssimo até hoje) é de 1997 e desde lá já se percebe a crítica quanto à esse mundo das Idols e a idéia de “posse” dos fãs em relação à elas. É bom pra que os otakus mais novinhos vejam que o problema não é de hoje, só ganhou mais atenção conforme o nível de bizarrice foi crescendo.

    Curtir

  70. ninguém 03/02/2013 às 16:51 #

    Ninguém com N maiusculo
    mas cara, como o kitsune falou láááá em cima
    só por que é cultura que não devemos reclamar? a menina precisava mesmo ser humilhada daquela maneira pra conseguir o tal perdão?
    e o japão realmente tá desse jeito q tu disse, isso chega a dar medo
    as gurias viram objetos, literalmente objetos .-.

    Curtir

  71. Panino Manino 03/02/2013 às 17:08 #

    Reforço a recomendação de Perfect Blue, ótimo filme.

    @ninguém
    Isso é certo, tem que criticar mesmo.
    Algo que eu tinha comentado em outro lugar, é que esse mesmo comportamento visto nesse caso está presente em muitos animes que as pessoas andam assistindo. Foi com o Gyabbo que eu comentei, me lembrei dele ter comentado sobre aquele anime “Sukitte Ii na yo (Diga eu te amo)”. Antes do anime eu tinha dado uma lida no mangá e senti algumas coisas estranhas nele, acabei abandonando. Ele que assistiu o anime reparou nessas mesmas coisas estranhas e escreveu sobre isso.
    Muita gente que está horrorizada agora vê essas mesmas situações de repressão da mulher nesses shoujo moderninhos de hoje e acha lindo ou simplesmente engraçado. É uma questão que está enraizada na sociedade como um todo, não é apenas coisa de anime, só que esse foi um caso extremo, normalmente é mais discreto. A polêmica agora pode até servir para atrair pessoas para a discussão mas de forma nenhuma as pessoas podem cometer o erro de se limitar apenas a esse caso.

    Curtir

  72. Raphael Soma (@RaphaelSoma) 03/02/2013 às 17:33 #

    Não vou falar muito sobre esse caso da Minegishi, pois ainda vai se estender esse lero-lero por um bom tempo: http://www.crunchyroll.com/anime-news/2013/02/03-1/akb48-apology-video-removed-from-youtube

    Mas direi apenas DUAS coisas:

    1. Por favor, sem essa de “séries criativas”: animes nunca passaram de propagandas de merchandising de 22 minutos, que por acaso serve como entretenimento. Até o Yoshiyuki Tomino ganhou uns cobres com a venda dos bonecos de plástico vagabundo de Gundam que vinham quando tu comprava uma Grapette, da mesma forma que os animes “artísticos” do noitaminA se preocupam em vender DVDs de “material diferenciado”.

    Em suma: um cara que fica nessa fantasia de “anime é arte”, “anime é cult” (que em 99,99% dos casos é parte da imprensa especializada-pff) não se difere em nada do cara que vai nos concertos do AKB48. Talvez até lhe faça pior, pois dá mais vontade de aplicar uma série de chibarais na cara desse douchebag do que dos AKB48tards virgens.

    2. O showbiz é cheio de coisas cruéis desde tempos mais primórdios, e não está restrito ao Japão. Basta mencionar os Jackson Five. O resto é por conta de vocês…

    Vamos fazer assim. Assistam o filme Perfect Blue, do saudoso Satoshi Kon. Aí você terão uma bela idéia do que é a coisa em si.

    Curtir

  73. Suna 03/02/2013 às 17:34 #

    Esse caso do G-Dragon, se não me engano, ocorreu numa festa do Japão. Ele até pediu desculpas e tal, mas nada tão alarmante feito o vídeo da moça do AKB48. Aliás, foi no Japão também que, ano passado, o SeungRi (também do BigBang) dormiu com uma japonesa e ela tirou fotos dele e mandou pra um tablóide japonês, junto com detalhes dos gostos do moço entre 4 paredes. Deu um bafafá imenso, mas o BigBang tá aí, ninguém saiu, ninguém foi rebaixado e a turnê mundial acabou agora, acho.

    Se o caso é ser com mulher, a Ga In (Brown Eyed Girls) lançou, no ano passado, o vídeo da música Bloom, que trata de forma sutil da sexualidade pelo ponto de vista feminino. O vídeo contem cenas indiretas (mas óbvias) dela fazendo sexo com um cara, também virou polêmica na Coreia e foi censuradíssimo, mas já virou passado (até pela indústria do KPOP avançar numa velocidade incrível, as memórias que ficam são poucas) e a moça continua se apresentando normalmente (até agora não foi falado em retaliação por isso) com o grupo. A Coreia também tem um histórico de censura com letras, coreografias e vídeos que eles consideram inapropriados para menores, algumas são modificadas (tipo o “I got you under my skin”, de Mirotic (TVXQ), que virou “I choose you under my sky”, cagando com o sentido da letra. Hoje, creio que a versão normal é apresentada sem problemas), mas, no geral, essas mudanças caem por terra após algumas boas audiências e processos.

    A vida dos trainees, os futuros Idols de lá, também é toda cheia de regras, mas se alguma é transgredida, a punição não é tão severa. Ao menos, não publicamente. Também existem casos de abuso sexual nesse meio, lógico, acho que foi o ocorrido com essa moça do dorama aí que se matou. Felizmente, as coisas lá tem certa facilidade de vir à luz, bem mais do que no Japão. Se a justiça se faz presente, aí eu já não sei, mas o fato é que na Coreia do Sul, essas coisas não tendem à ser ignoradas ou tidas como normal e parte da cultura.

    Ah sim, lá o fanservice rola solto, seja o feminino Kawaii, o masculino viril e até o yaoi. Tudo isso é demanda do público. Lá também existe um tipo de fã tão hardcore quanto os otakus de Idols, são as “sasaengs” (acho que é assim que escreve), gurias que, respaldadas pela leia falha, perseguem, monitoram (do tipo de mandar taxi seguir o Idol ou mandar instalar câmera na garagem do prédio dele), e, se preciso for, vão além da ameaça (sei de um que tomou um suco na maior inocência e tinha cola nele; outro, levou um tapa na cara porque a fã queria ficar na memória dele pra sempre, etc…).

    Enfim, concluindo: O KPOP tem muitos desses abusos de fãs e dessas normas contratuais ilegais, mas acho que a coisa é bem mais leve do que no Japão, onde parece que o público fã desses Idols é todo alienado e isso é aceito normalmente. Talvez pela Coreia do Sul buscar a expansão, justo o inverso do que o Japão está fazendo, eles tenham criado uma mentalidade mais flexível pra lidar com essas situações. Essa é a diferença entre esses 2 mercados de Idols.

    Curtir

  74. Sandra Monte 03/02/2013 às 18:02 #

    É curioso…
    Viram? Eu não disse que algum otaku logo apareceria para dizer que a cultura japonesa é “muito melhor que a nossa”?

    E desculpem, não me venham com este papo de “cultura milenar”… Porque se for assim, muito do que somos também é milenar. Ou vocês se esqueceram que os índios que aqui estavam nos influenciaram incrivelmente?

    Os caras copiam tudo dos EUA… Poderiam copiar um pouco o respeito para com as mulheres…

    Sandra Monte
    http://www.papodebudega.com

    Curtir

  75. Ninguém 03/02/2013 às 18:21 #

    ninguém, pode reclamar do que quiser. O que eu digo é que a menina (e os pais dela) assinou um contrato com cláusulas que, se descumpridas, gerariam algum tipo de punição, e isso não está errado, e até onde a gente sabe, ELA se humilhou. O pedido de perdão é uma prática comum japonesa, levada a sério, a ponto de figuras públicas importantes prestarem-se a isso quando cometem algum erro de conduta. A parte de cortar o cabelo destoa do protocolo, e combinado com o choro compulsivo da menina causa um impacto visual chocante para quem assiste, o que faz com que toda essa discussão se desenvolva, mas ela alegou ter ela mesma tomado essa atitude ao ver o jornal com as denúncias contra ela, tendo a vida privada exposta daquele jeito.
    O fato de a menina não ter estrutura psicológica para lidar com isso é o que é preocupante, ainda mais que, pelo que andei lendo para elaborar esta resposta, ela é da primeira geração do grupo e talvez não tenha sido expulsa por causa disso, foi apenas rebaixada na hierarquia do grupo. Esse grupinho é a vida dela, esteve nele desde o começo e conheceu todas as outras participantes, trabalhou por alguns anos até conseguir esse sucesso enorme que o grupo obteve, aquilo é a vida profissional dela inteira. Eu digo é que ela deveria ter um apoio psicológico para lidar com essa situação, mas pelo tanto que falam da sociedade japonesa, isso não tem muitas chances de ocorrer.
    Prefiro encarar que o desabafo da Mara foi mais para reclamar de toda a conjuntura machista repressora que faz parte do caso: uma jovem de um grupo de grande apelo aos hikkikomoris é flagrada tendo liberdade de ir na casa de um homem, que não necessariamente significa estar fazendo sexo com ele, aí, temendo a demissão do grupo de sucesso que ela ajudou a criar, se agride enquanto pede desesperadamente em video no canal oficial do grupo para não perder o emprego, e após conseguir repercussão mundial com o caso, ela é acusada por vários homens de ser uma libertina escandalosa. Isso é mais contundente do que todo o pano de fundo de indústria moezeira que enfeitou o discurso.

    Curtir

  76. Mateus 03/02/2013 às 18:44 #

    Tava esperando um comentário aqui do Mais de Oito Mil sobre o assunto. Simplesmente um absurdo. O Japão, pra mim, já perdeu seu charme (se é que já o teve algum dia né) há muuuuuuito tempo, quando comecei a enxergar o machismo que impera na GRANDE NAÇÃO.

    Curtir

  77. ninguém 03/02/2013 às 18:49 #

    tem um personagem em perfect blue que retrata exatamente aquele fã doente que acha q a idol é de sua posse, até o character design dele foi feito pra mostrar esse tipo de gente, não que pessoas com o rosto deformado sejam assim e as com rosto normal sejam legais, mas quando vc olha pra ele dá um desconforto horroroso. Eu vi isso como a personificação da mente desses caras
    e vei não assistam se não tiverem estomago pra isso >_<

    Ninguem
    mas pensa só, com quantos anos ela assinou esse contrato?
    uma menina de 13 anos ve uma regra escrito "tem que ser virgem e nada de namorados"
    vc realmente acha q ela vai ligar pra isso? provavelmente nem deve ligar não, só depois q essas gurias percebem no que se meteram. E se a maioria dessas gurias nem sabe no que isso pode levar imagina se elas tem mesmo o psicologico pra se manterem nessa banda

    e esse grupo deve dar dinheiro, po imagina se vc tivesse fazendo um puta susseso ae quebra uma regra e vê que pode perder aquela fama. Claro q ela ia fazer algo pra ao menos continuar no grupo. agora para pra olhar a regra absurda q fez ela fazer aquilo. Desde quando um contrato pode te privar da sua vida pessoal?
    eu vi sim comentarios de fãns dessa merdalhada toda em videos no youtube chamando ela de vaca e de vadia por ter feito algo perfeitamente normal pra garotas de 20 anos de idade. Isso é o que assusta cara, as pessoas só veem elas como mercadoria, elas e mais um monte de outros idols por aí. isso acontece muito aqui no ocidente tb mas no japão a coisa tá é séria

    Curtir

  78. Frau 03/02/2013 às 18:52 #

    O caso de certa forma chama a atenção, mas de qualquer forma, sou da opinião de que todo esse papinho maniqueista que muitos outros blogs e sites vem fazendo é demasiado irritante! E por fim, pairo neste texto, tudo bem, para algumas pessoas, esse caso tanto comove como também as deixam chocadas, mas eu pergunto, o que raios e cargas d’água desse caso tem haver com a indústria de Anime? Francamente, é sempre assim, quando não existem bons argumentos, se sequer existem, a primeira coisa é criticar a industria da animação, otaku isso, moe acolá e blá blá blá…

    A cada ano, em quatro temporadas, sim, são lançados Animes para todos os gostos e sim, realmente existem algumas temporadas em que animes do genêro moe são constantes, mas não predominantes como você indica no texto, ou seja, não estou aqui para defender ninguém, apenas para deixar a minha opinião quanto a isso. Se quer expor sua opnião em relação ao atual cenário da Animação japonesa, o faça, mas não use de escada um assunto que nada tem a ver.

    Curtir

  79. Mauricio 03/02/2013 às 18:53 #

    Lendo os comentários da pra ver que, mesmo que não estivermos lá no Japão, teremos pessoas que alimentam idéias tão… escrotas, por assim dizer.

    Gosto de ver comentários como o do Panino e da Sandra (e do Kitsune também, tanto que eu vivia lá no Video Quest, ao menos no início da criação e até começo do ano passado, mas minha vida fez 180 graus e parei com bastante coisa), parabéns por me fazer ver que ainda à sensatez nas pessoas. Não estou generalizando nem focando neles unicamente, só usei de exemplo por já os ver comentando em outros locais.

    Bem… só da pra dizer que Japão não é só anime e infelizmente esse mercado é um dos tantos que os fazem ‘rentabilizar’ e vermos as tantas coisas nojentas que, ao menos quem buscar melhor, verá. Se falaram que é culpa dos pais, talvez seja, mas eles também ‘aprenderam a viver nessa sociedade sem noção’ que é deles mesmo.
    E tantas outras coisas que eu poderia falar, mas ai estaria alimentando quem vá defender, talvez, os japoneses… Um dia já fui jovem e pensava em ‘uau como o Japão é maravilhoso’, mas não fiquei por muito tempo nisso não, como outros ainda podem estar (e tenho até alguns amigos que… sinceramente cortei contato por tanta idolatria fora do normal e sem a mínima vontade de olhar fora da caixa o que eles tem também, além daquilo que ‘amam’, seja anime, mangá ou evento de cosplay…).
    Japão é lindo? Sim, é, visitar deve ser uma maravilha, mas morar e viver naquela sociedade… prefiro aqui, mesmo com tantos “politicamente corretos”, ainda da pra se viver por aqui e construir algo.

    Curtir

  80. ninguém 03/02/2013 às 19:05 #

    mas tem uma outra coisa tb
    isso tudo pode ser estrategia de marketing cofcof
    olha como q a banda ficou famosa depois disso .-.
    mas não deixa de ser um absurdo, alias se for deixa as coisas ainda mais nojentas

    Curtir

  81. Dudu Otaku 03/02/2013 às 19:18 #

    @Ninguém: Nunca li tanta merda na minha vida. Você fumou o que para escrever tamanha tolice?

    Curtir

  82. Suunyy 03/02/2013 às 19:26 #

    @Dudu Otaku, tbm acho q não é estrategia de marketing… maaaas de AKB n se pode duvidar nada. -.-
    Esse é apenas um escândalo de AKB48 no meeio de muitos outros.

    Curtir

  83. Ninguém 03/02/2013 às 19:27 #

    O troll é totalmente incapaz de rebater meus argumentos, aí sua única esperança é tentar desvalorizá-los com xingamentos.

    Curtir

  84. micheloliveira 03/02/2013 às 19:31 #

    Sério que eu to lendo gente inventando características culturais pra justificar o que aconteceu? A que ponto chega o otakismo retardados dos outros!

    “O pedido de perdão é uma prática comum japonesa, levada a sério, a ponto de figuras públicas importantes prestarem-se a isso quando cometem algum erro de conduta.”

    Vou ficar só nisso. Agora, me respondam, porque alguém pediria perdão por ter um namorado e fazer sexo? Ah, tá no contrato que não pode? O contrato é completamente ilegal, espertão. Fere os direitos humanos. Ah, é cultura japonesa? Não, é uma doença que vem sendo incentivada desde os anos 70.

    E sabem de uma coisa? Não se falou nada sobre o cara. O sujeito com quem a menina trepou. Ele passou ileso!

    Sabe por que isso? Porque o Japão é uma sociedade extremamente machista e retrógrada e não existe tecnologia que resolva isso, só reflexão mesmo.

    Não existe a menor justificativa pra esse troço. Nâo há justificativa pra se humilhar pessoas baseado em machismo, alimentando a psicose do povo que compra esses produtos.

    Qualquer tipo de justificativa pra mim é demonstração de otakismo idiota e cegueira seletiva. Tenho medo desse tipo de gente andando na rua…

    Curtir

  85. Helio Mendes Junior 03/02/2013 às 19:38 #

    Mara é exatamente isso que deixei claro no meu blog aqui o:http://kamenhomerofficialblog.blogspot.com.br/2013_02_01_archive.html

    o moe e o evangelion deixaram a socidade japonesa muito podre, e muitos atacam o ecchi como se ele tivesse culpa por isso, mas o ecchi e obviamente o hentai ja existem a eras, e sem falar que os ecchi de antes não tinham esse negocio de moe vagabundo de merda, e evangelion é o que deixou a parte masculina da coisa um monte de bananas sem vontade, muitos ai vão dizer que estou falando merda, mas vejam o que o moe e evangelion fizeram com uma nação, analizem isso por favor, para a gente ter algum tipo de argumentos pera melhorar a situação do japão e se der no brasil e o resto do mundo tambem.

    Curtir

  86. Aaghie 03/02/2013 às 19:42 #

    @MichelOliveira
    Aplaudindo seu comentário de pé
    Tem que ser muito cego e imbecil pra achar que ferir a dignidade de outro ser humano dessa forma é algo “normal”.

    Curtir

  87. carlos 03/02/2013 às 20:27 #

    Leiam isso : http://genkidama.com.br/anikenkai/2013/01/31/coluna-do-fred-akb48-ate-que-ponto-e-demais/

    explica mt bem oque aconteceu, os 2 lados da moeda.

    Curtir

  88. Juninho Tutu 03/02/2013 às 20:36 #

    Sou filho de Brasileiros . Mas de descendências Orientais por parte paterna e negra materna. Acompanho J-pop há uns 10 anos , mas tenho contato com toda cultura oriental desde pequeno.
    E pra mim é logico duas coisas que levam a impossibilitar os atuais contratos “Idols” e a manutenção de vendas altas.
    Primeira é que não seria visto com bons olhos se elas se relacionassem “cada dia” com um garoto diferente logo elas teriam que ter um compromisso pra mim assim como pra eles é o que se chama honra e laços de família.
    Segundo é que se ela tem um relacionamento serio não seria de bom-grado ser desejada por outros homens o que leva a uma contradição e uma impossibilidade técnica.

    Mas eu sou a favor de um meio termo , no qual elas poderiam sim ter relacionamentos , mas que esses fossem sérios como se fosse um casamento. E nada de saideiras descontroladas. São humanas e …. para ae , então o auto controle não existe ???
    seria uma desonra a minha família aparecer com uma garota diferente cada dia , assim como meu pai , meu avô , meu bisavô e todas as gerações anteriores as primeiras mulheres que namoraram foram as que casaram , honra é levada a serio na minha família assim como no oriente. Por isso mina família é uma das principais de sacerdotes de vários templos pelo mundo .

    Espero que com isso consigam ver uma coisa , que não é certo o regime controlador dos contratos Idols , mas também uma liberação geral seria acabar com uma cultura , pra tudo é necessário uma moderação e achar um meio termo. O Ato de a mulher raspar o cabelo simboliza remorso verdadeiro como disseram alguns, mas entender o que é honra é difícil pra alguns entendo. Por que é muito legal pra esposa ver o marido babando por uma dançarina rebolando semi-nua , ou pro marido ver um cara fazendo gestos obscenos na dança na cara da sua mulher. Quero apenas que lembrem dos defeitos de todas as sociedades que existem.

    Peço-lhes desculpas desde já se incomodei ou ofendi alguém de alguma maneira , e reforço que não foi minha intenção fazer isso . Muito obrigado a atenção.

    Curtir

  89. Ninguém 03/02/2013 às 21:47 #

    @micheloliveira
    Enquanto no Japão ocorre esse problema causado por uma machismo crônico e uma cultura de obediência, no Brasil existem outros problemas como o analfabetismo funcional.
    Por exemplo, você me atacou sugerindo a idéia de que eu sou a favor dessa prática sendo que eu não deixei opinião favorável sobre isso. Usou de cegueira seletiva para ignorar as partes onde declarei que concordava com o que foi dito no post e, veja só,também observei o machismo que ocorreu nessa situação e o coloquei acima do problema da indústria moezeira, pois, vou até explicar: o que existe nesse mercado é consequência da cultura e obediência e machismo, e não o contrário.
    Você ficou só na parte do que eu falei sobre o pedido de perdão porque talvez tenha sido a parte que te mais chamou a atenção. Vamos deixar só por aí porque não estou aqui para fazer mal juízo de ninguém. Se eu estivesse convencido de que você me desqualificou de propósito, me acusando de ser um otaku, e ainda mais usando o que falei sobre machismo contra mim, isso seria de uma calhordice tremenda. Justamente eu, que deixei linhas e linhas de preocupações sobre o estado mental dessa moça, que viu tudo que ela havia se comprometido em risco, e que ofereci conteúdo nos comentários, diferente de muitos outros que apenas vociferaram opiniões passionais, e que pouco tinham interesse em aprofundar o diálogo.
    Mas, como disse antes, prefiro pensar que sua atitude não foi proposital. Talvez você estivesse esperando uma opinião mais acusatória contra os donos desse grupo chamado AKB48. Isso é fornecimento de conteúdo, não um “otakismo retardado”. Conhecedor da lei japonesa como você é, deve saber que o perdão é o principal motivo para muitos processos não serem levados em frente. Isso poderia render mais assunto, como até que ponto a moça realmente é culpada, porque, como o ninguém disse anteriormente, ela assinou o contrato com 13 anos de idade. A legislação japonesa certamente é assunto de muita polêmica. Acho até que seria interessante se observar o quanto a questão dos direitos humanos é levada no Japão a sério.
    Por isso, micheloliveira, espero que não se decida a fazer mais ataques assim no futuro, especialmente com outras pessoas que podem não entender e acabar gerando uma discussão sem fim recheada de ataques pessoais e que não levam a lugar algum. Somos apenas espectadores de um episódio impressionante de algo da cultura japonesa que move o senso crítico de muitas pessoas, especialmente as que frequentam este site.

    Curtir

  90. ninguém 03/02/2013 às 22:38 #

    dudu otaku
    não sei pra qual ninguem foi esse comentario
    mas a resposta do meu xara é igual a minha
    aprenda a argumentar feito gente ._.

    MIcheloliveira
    aplaudo seu comentario de pé+1

    Ninguém
    mas tu tb se defendeu com garras e dentes
    ele tb não falou q vc apoiou isso e aquilo e acola tb, vai com calma ae .-.

    Curtir

  91. ninguém 03/02/2013 às 22:50 #

    NUNCA VI TANTO COMMENT AQUI DESDE OS OPTARDS

    juninho
    não concordo contigo
    primeiro que a vida pessoal delas não devia nem ser aberta pro publico, deixa o trabalho num lado e a vida noutro. Até pq deve ser horrivel não ter liberdade pra fazer as coisas q vc quer pq um monte de fãns não deixa, independente delas namorarem um cara novo por dia ou ficarem num relacionamento serio com um só. A vida é delas e elas deviam ter seus direitos.
    e pera ae, auto controle não tem NADA a ver com a materia aqui, chega a ser meio machista o q tu disse pq quem falou que a menina não estava num relacionamento serio com o cara? por que ela quebrou a regra q é uma vaca que dorme com todo mundo? quer dizer que se essa regra de namorados sumisse elas todas iam virar um monte de putas? mulheres tem senso comum e consiencia tb sabia? olha lá esse machismo eim rapaz

    Curtir

  92. caoescritor 03/02/2013 às 22:52 #

    A condição da mulher no mundo todo é absurda, em toda parte do globo elas são inferiorizadas e sofrem violências inomináveis. Apontar o dedo para o japão, enquanto aqui no Brasil há casos de namorados que mantém namoradas em cárcere e tortura contínua, violação de menores, principalmente meninas. Mulheres que são mostras apenas como um objeto, que sujeitam seus corpos a retalhações por um padrão de sexualidade, que é no mínimo doentio, e faz com que muitas se sintam um lixo,entrem em diversas paranoias e distúrbios que os meios de comunicação nosso acobertam.
    Sabemos como o Japão é perturbado, há inúmeros filmes, textos e notas que falam disso, mas é mais curioso falar deles, como se não tivéssemos notas tão pavorosas, como o marido que matou a esposa fisiculturista, ou o grupo de Axé que promoveu um estupro coletivo com duas fãs menores de idade.
    Não só o Japão, mas o mundo todo perdeu pelo menos uma geração.

    Curtir

  93. Marskel 03/02/2013 às 23:51 #

    Vaaleu, Mara. Texto muito bom.

    Curtir

  94. KokoroKokoroKokoro 04/02/2013 às 00:06 #

    “Qualquer tipo de justificativa pra mim é demonstração de otakismo idiota e cegueira seletiva. Tenho medo desse tipo de gente andando na rua…”

    Qualquer um que discorde da sua opinião é otaku idiota e cego? Até certo ponto concordei com seu comentário, mas terminar dizendo que basta alguém ter QUALQUER justificativa diferente pra ser tachado de otaku idiota… é querer tomar a verdade pra si, não acha?

    Curtir

  95. Juninho Tutu 04/02/2013 às 00:32 #

    Acho que não deixei meu pensamento claro ou fui interpretado mal na parte de um relacionamento sério . Isso deveria valer pros dois sexos , o que não ocorre como vemos nunca dá nada pros caras.

    A parte da honra , não elas não virariam putas. Só que é de bom grado manter-se um um pilara familiar solido e estruturado para constituir um futuro mais seguro. Mas eu tô nem a e se ela quebrou regra eu “amo” essas garotas , assim como os fãs de rock gostam dos astros deles e eu também , e os de funk e os otakus e assim vai . Eu estou em uma campanha pra ela não sofrer nada e permanecer no grupo , eu sempre fui contra castigos a elas por conta disso , falo que é difícil se aguentar , cara elas tem mais de 20 anos e bem dizer não viveram ainda , pois entraram no grupo nos raios de sol de sua juventude. elas não experimentaram quase nada da vida e se repentinamente morrerem acaba a chance de terem vivido livres e felizes totalmente. Mii-chan é uma das minhas 5 mais queridas deste universo Idol , então logico que como fosse o Messi quebrasse a perna e não fosse a copa pros Argentinos , assim me causou uma tristeza esta noticia .

    Machismo ???, Eu luto pelos direitos de todos os seres do universo ,acho que qualquer forma de repressão e preconceito deve ser extinta o quanto antes , eu admito , que para manter a honra de minha família me privo do direito de assumir minha Pansexualidade , mas cada um é livre para seguir seu caminho e cada um toma suas escolhas . Repito que sou contra o que ocorreu e os contratos deveriam ser revistos e moderados de forma humana.

    Peço desculpas novamente a quem eu possa ter ofendido de qualquer forma e agradeço-lhes enormemente a atenção .

    Curtir

  96. Renan SHQ 04/02/2013 às 01:53 #

    Vamos por partes:

    – AKB48 é um lixo.
    – O sistema do AKB48 é um lixo.
    – A menina sabia que não devia fazer sexo, e ela sabia o porquê.
    – A menina NÃO DEVIA SE HUMILHAR PUBLICAMENTE.

    O que tinha que ocorrer aqui é:
    – Menina tentou fazer sexo escondida, não conseguiu, então apenas se retire do “emprego” e fim de história.

    E concordo com o que foi dito quanto ao moe. O moe e esse esquema de idolatrar virgindade das meninas é uma doença no Japão.

    Curtir

  97. okumurapedro 04/02/2013 às 03:18 #

    tipo quase 100 comentários nesse post! Mara vai parar de fazer piada, e fazer o blog ser de noticias bizarras japonesas!

    Curtir

  98. shoujofan 04/02/2013 às 09:47 #

    Ótimo texto, Mara. Recomendei onde pude. E agradeço a recomendação do meu texto, também.

    Curtir

  99. Jaque Dickinson 04/02/2013 às 10:09 #

    Excelente texto, realmente não entendo como possa ainda existir pessoas que endeusam o Japão, tenho lido inúmeras coisas a respeito de lá e há aspectos demasiados negativos em sua cultura e outros naturalmente positivos como acontece em toda a sociedade. É aburdo que essas garotas não possam levar uma vida comum para satisfazer um monte de otaku punheteiro e virgem, digo isso pois se eles tivessem namoradas não estariam obcecados por essas garotas ao ponto de exigir coisas absurdas como essa.
    Entendo que por muitas vezes é exigido que o artista tenha uma imagem digamos “perfeita” se é um ídolo voltado para o público jovem porém o Japão já passou do estado normal para o doentio. Infelizmente enquanto pessoas doentes como esses tais fãs existirem a indústria japonesa continuará se aproveitando desse fator para faturar mais e mais dinheiro.
    Se anteriormente já não era muito fã de j-pop pois na minha opinião esses artistas não passam de fabricados agora com uma notícia dessa sou menos ainda.

    Curtir

  100. peixoto999 04/02/2013 às 11:30 #

    Também escrevi uma análise sobre este caso e acrescentei as fotos mais recentes, que com certeza vão gerar MAIS polêmica:

    http://animaxmagazine.blogspot.com.br/2013/02/a-tosada-hipocrita.html

    Curtir

  101. Bruno 04/02/2013 às 11:59 #

    Só eu achei que ela ficou mais bonita careca?

    Curtir

  102. Alexander Diaz 04/02/2013 às 12:27 #

    Tenso esse lance de Idol, as estrelinhas do pop asiatico nao tem fãs, tem uma legiao de unheteiros xiitas paranoicos em sua cola. Até parece coisa de extremista arabe: a garota sai pra lubrificar o capo de fusca e os fanaticos apedrejam ela moralmente K alho! Ator/atriz tbm é gente, e precisa tomar banho, cagar, fazer compras no walmart e trepar!
    Pra mim a “industria” nerd japonesa está tropeçando que nem um zumbi sem rumo, faz anos que eles nao fazem algo expressivo. Os animes da tv aberta ficam só no punhetation semi-pedofilo oriental e os games ja nao tem o respeito de antes.

    Curtir

  103. Panino Manino 04/02/2013 às 15:07 #

    Aqui tem a declaração oficial do produtor e do grupo: https://plus.google.com/116244092830131285439/posts/FnyCV5JQ5CV

    “Tomonobu Togasaki (English page)01/02/2013 – Público
    We have received many opinions and questions from the fans regarding the video of Minegishi’s apology. I would like to add further explanations since the management hasn’t fully expressed their explanation to your questions.

    □ Why did you have to stream a video like this?

    When we were in a hurry preparing for the streaming and we have received a report that Minegishi really wants to apologize personally with her hair shaved. We felt how strong her will and feeling towards AKB48 was, so we decided to stream the video as we planned.

    □ Was it necessary to shave her hair?

    It wouldn’t be necessary even if you ask if it was necessary or not. It was just that Minegishi really wanted to convey how strong her feeling was.

    □ Did anybody stop her from shaving her hair?

    I heard that when she came out from the make up room, she had already shaved her hair. It seems that the staff beside her did stop her. However, I heard that she said that people might think of her as a fool, but she really wanted to put her reflection into action, so she cut her bangs using scissors without losing control over herself.

    □ Isn’t it unfair that the punishment for each of the members who had scandals were different?

    It would be better if we can establish the same rule. However, we are experiencing a dilemma because it is difficult to conceive a common rule since each member is under a different situation.
    For example, a member had been warned many times, but did not listen to anyone and created a scandal.
    There was also a member who wanted to pursue her dreams and was about to plan on graduating when a scandal about her was exposed.
    There was also a member whose past was discovered.
    There was also a member whose scandal was not exposed, but still had a huge rule violation.
    Please do understand that we have to make decisions with consideration to many circumstances.

    □ There was a photo of Minegishi, which has been uploaded on the internet, where she looked like she was having fun with the first generation members. Did she really reflect on her actions?

    Before the rehearsals of the theater performance of Team B, I saw Minegishi who came to apologize with an exhausted expression on her face, so I can say that she has reflected on her actions. At the same time, it seemed like she was trying her best not to make people around her feel worried. I think that is the reason why the members of the same generation as her were encouraging Minegishi who was feeling depressed.

    We, the managing team, would like to support the members who are trying their best to pursue their dreams by having continuous discussion with them.

    Tomonobu Togasaki
    AKB Group Theater General Manager”

    Curtir

  104. Panino Manino 04/02/2013 às 15:26 #

    Já que estou aqui vou aproveitar para discordar do @Soma
    “animes nunca passaram de propagandas de merchandising de 22 minutos”

    Eu discordo.
    Só porque um produto é comercial, não quer dizer que ele seja totalmente vazio e sem propósito. Dizer isso está implicando que TODOS os envolvidos na produção do anime são robôs sem alma que fazem um trabalho por encomenda somente para ganhar seu salário, sem dedicação, sem personalidade. Isso é errado, você tem profissionais ali, e alguns tem espirações artísticas, e mesmo os que não tem vão deixar sua marca. Em alguns casos o anime será feito por pessoas com a intenção de fazer algo com um pouco mais de compromisso com a qualidade, independente do público.
    Podemos entrar na discussão filosófica nesses casos argumentando que mesmo assim será algo feito para agradar o público, porque existe um público buscando isso, mas não vamos nos aprofundar no mérito da questão… De todo modo, mesmo que a hipótese seja verdadeira, nesse caso implicaria que alguns animes (estamos falando de animes aqui) não são meros produtos completamente comerciais, objetos de luxúria, e tem sim alguma qualidade neles.

    Quando as pessoas costumam criticar o mal das obras comerciais elas estão criticando o abuso do uso de FÓRMULAS. É isso que irrita as pessoas, não clichês, são as formas copiadas de um anime e coladas em outros sem triar nem por. É como se fosse um boneco inanimado, não existe diferença, é apenas aparência.
    Felizmente nem todos são assim, mas como animes mais decentes dão pouco lucro, ou pelo menos lucro insatisfatório, eles vão sendo cada vez mais desencorajados pelas produtoras e se tornando mais raros. Por isso se comemora tanto um anime como Chihaya Furu, mas ele é apenas um em uma enorme temporada de obras aparentemente sem sentido e que tem que tentar manter suas poucas qualidades acima do lamaçal de fórmulas obrigatórias que compõem seu roteiro.
    Como consequência os bons animes tiveram que encontrar abrigo dentro das salas de cinema, é lá que estamos vendo o crescimento de obras que mesmo sendo comerciais, tem qualidades que as colocam acima disso, qualidades que lhes dão o direito de esbanjar o título de “obra” e serem apreciadas por um público abrangente.

    Curtir

  105. Apo 04/02/2013 às 16:18 #

    Bom sendo o último a comentar (devido a um fim de semana agitado) só quero deixar meus comentários:

    Basta ver que temos, no geral, apenas três animes exibidos sem regularidade no Brasil: Pokémon, Dragon Ball e Cavaleiros. E NENHUM deles está no ar por ser anime, e sim por serem séries de animação competente. O “anime” em si perdeu o prestígio porque não soube se adaptar à universalidade, preferiu se fechar.

    -É aquela Mara: O mercado de animes nunca foi aberto: sempre foi tercerizado sempre são empresas ocidentais pegando os animes e investindo nos mesmos. Não há nenhum caso de estudio de animação investindo no ocidente que eu conheça.

    Quanto ao caso: não dei importância ao mesmo (até passo batido por esses lances de fofocas de mídia nacional, quanto mais da nipônica). Vivemos num mundo civilizado com atitudes retrógadas, não só no Japão como aqui. Porém lá ao que me parece as coisas estão bem piores. O Japão é que nem personagem de novela do Manoel Carlos: bem sucedido, sem problemas graves mas tem um problema psicológico bizarro.

    Curtir

  106. Alguém que entende mais de anime que você 04/02/2013 às 20:45 #

    Alguém que entende mais de anime que você
    02/02/2013 às 17:24 #
    De boa, você curte chupar pintos? Porque eu acho que você estava chupando uma pistola quando escreveu essa merda de artigo. 2 U.U

    Curtir

  107. Rodneydj 05/02/2013 às 06:44 #

    Muito bom o texto, maroca

    Curtir

  108. Janaína 05/02/2013 às 09:04 #

    Mara, você foi perfeita nesse post, assino em baixo tudo o que escreveu.
    E sobre o caso, só tenho a dizer que esse fanatismo é totalmente estúpido (na verdade fanatismo por qualquer coisa é estúpido!), porém como o que manda é o quanto de retorno financeiro isso dá, lamentávelmente isso continuará acontecer.

    Curtir

  109. velhomisantropo 05/02/2013 às 13:00 #

    Uma pena. Sera que foi autopunicao mesmo? Ou ele foi obrigada? O engracado ‘e que o cara que passou a vara sai ileso n’e? Quanto aos animes… t’a dificil! Essa mania de anime calcinha e peitoes enche o saco!

    Curtir

  110. velhomisantropo 05/02/2013 às 13:03 #

    Ei! Lembrei do filme perfect blue!

    Curtir

  111. Ingrid 05/02/2013 às 16:04 #

    O que mais se tem a dizer depois disso? Parabéns pelo post, Mara. Como é lamentável coisas assim ocorrerem nos tempos de hoje.

    Curtir

  112. E-HERO ZX 06/02/2013 às 00:09 #

    Ow sua gorda pelancuda, é claro que vc ficou chocada com a noticia dessa fulana aí, afinal, vc mora no brasil, onde otaku é sinônimo de ser poser. O problema do brasileiro é que tudo que é diferente o choca, o que deveria ser normal e talvez nem surpreender, já que se trata de uma coisinha chamada CULTURA.

    Tbm achei ridículo uma “idol” (idol de cú é rola) dar tanta importância assim à opinião de otakus masturbadores pra desenhos, mas é uma forma dela se manter popular e, de certo modo, não sair da mídia, até pq pelo que ando percebendo dessa modinha “idol”, tem que se manter na mídia pra não virar mais um anônimo sem importância, e quanto mais besteira sair de sua vida, melhor.

    Fico imaginando se os “true otakus” de lá perdem tempo escrevendo em blogs sobre as bizarices que saem aqui do Brasil, especialmente no carnaval. kkkkkkk

    Curtir

  113. Moon 06/02/2013 às 01:07 #

    E da-lhe gente usando do velho “argumento” relativista cultural.

    Curtir

  114. Mariana (@boogiepop) 06/02/2013 às 20:40 #

    @E-HERO ZX

    não sei se você percebeu, mas nem os japoneses e os “true otakus” gostaram da atitude dela, pelo contrário, acharam ridícula.

    além do mais, sim, eles perdem tempo falando sobre as bizarrices DELES mesmos. você pelo visto nunca ouviu falar do 2ch.

    Curtir

  115. Mariana (@boogiepop) 06/02/2013 às 20:51 #

    E desculpa, apesar de eu me considerar uma feminista e achar ridícula a situação, a garota ASSINOU UM CONTRATO se COMPROMETENDO a não transar com ninguém. Quebrou o contrato, perdeu a posição no grupo, como estava escrito no mesmo. Ela quis cortar o cabelo pra não ser rebaixada do AKB48 principal e tal, mas é claro que iam rebaixar anyway porque é isso que está escrito no contrato que elas assinam.
    “O contrato é ridículo”, mas mesmo assim ela assinou, foi escolha dela pra realizar o seu sonho, e com ele vêm as consequências. Não dá pra arrancar dinheiro de otaku tetudo e não ter consequência ruim nenhuma, né? :T

    Curtir

  116. johan 07/02/2013 às 02:18 #

    Eu entendi a crítica quanto a ignorância tanto da cantora como daqueles fãs mongolóides, que por sinal não é diferente do resto do mundo. Basta ver as fãs retardadas de justin biba que foram trolladas e acabaram raspando a cabeça.

    Mas a sua crítica quanto ao mercado de animes foi infeliz. Esse mercado não é voltado para o resto do mundo. O Japão nunca teve ou terá essa intenção de querer agradar o ocidente, porque não é lucrativo para eles.

    O capitalismo é a voz, e no momento o estilo “moe” está vendendo, então não tem porque eles mudarem isso.

    Curtir

  117. Shinuki 10/02/2013 às 17:49 #

    Sobre a questão da garota e do grupo, não concordo, acho idiota o que ela fez, porém não cabe a nós e uma “brasileira” ditar o que é certo e errado em uma sociedade e cultura do outro lado do mundo, isso é deles e eles resolvem.

    Agora me desculpa, mas o seu comentario sobre o mercado de animes, mostrou que você não sabe absolutamente nada sobre, não falou nada com nada. Você resume o fato que os animes não estão saindo do japão por causa do moe? ahushsausahuah o buraco é muito mais embaixo, eles não vem pra cá por causa da censura da mídia, por causa da mentalidade de que anime é coisa pra criança e por ai vai. Não tem nada a ver com o Japão e sim com o ocidente. Existem inumeros animes que podem vira pra cá mas não vem por causa exclusivamente do nosso mercado e nossa visão preconceituosa sobre “anime”.

    E só pra resumir, Japão nunca deu e nunca dará a minima pra o que o ocidente pensa, anime e mangá sempre foram destinados unicamente para o publico japones. Foi pra fora? ótimo.

    Curtir

  118. Tatiane Costa 13/02/2013 às 00:02 #

    Animes deixaram de ser interessantes pelas TVs no momento que QUALQUER UM PODE ASSISTIR DE GRAÇA em algum canal brasileiro na Internet..Muitos deles, espertamente, não permitem ser acessados por IPs estrangeiros.
    De fato, há muitos comentários ridículos que demonstram a ignorância do publico sobre o Japão, o japones e sua cultura.
    Os 4 ultimos comentários foram os mais sensatos sem desmerecer os outros.
    Entretanto, os comentários do Zé Warudo e Florisvaldo Guedes de Oliveira, por exemplo, são ridiculos e de completa ignorância.

    Curtir

  119. Vigal 14/02/2013 às 00:07 #

    As mesmas pessoas que estão falando que isso é cultural do Japão não pode reclamar dos países do Oriente Médio, pois o que ocorre la é algo cultural daquele pais

    Oh,que povo Hipócrita!

    Curtir

  120. Vigal 14/02/2013 às 00:09 #

    só pra deixar claro, não concordo com essa atitude deles!

    Curtir

  121. Pornographic Totoro 18/02/2013 às 05:57 #

    E da-lhe gente usando do velho “argumento” relativista cultural.[2]

    O Japão é que nem personagem de novela do Manoel Carlos: bem sucedido, sem problemas graves mas tem um problema psicológico bizarro. [2]

    São as frases nos comentários que melhor resumiram a coisa toda.

    Curtir

  122. Eric Roberto 22/02/2013 às 23:45 #

    VocÊ não pode faer uma critica relacionada a cultura alheia baseada em sua própria cultura….

    Curtir

  123. Cris 23/02/2013 às 11:18 #

    Eles devem pensar a mesma coisa da gente, quando vêem as mulheres se prostituindo de graça no carnaval. Quem tem telhado de vidro não deve atirar pedras no telhado do vizinho. Já ouviram esse ditado?

    Curtir

  124. Michan 23/02/2013 às 19:13 #

    Concordo com o Eric Roberto, ninguém deve criticar outras culturas baseadas na sua própria. Muita gente está dizendo que ela era muito nova na época e não sabia que isso iria afetar ela e blá blá blá, que isso fere os direitos humanos e tal… até li em algum lugar comparando essa questão às vitimas da segunda guerra mundial (!). Mas não acho essa comparação válida porque elas não estão lá porque estão sendo obrigadas a permanecer no grupo. Elas possuem toda a liberdade de deixar o grupo no momento que elas querem.
    Essas regras impostas, não é restrito ao AKB48, mas sim em todos os outros grupos do gênero “Idol”, e existem por várias razões como incentivar as meninas jovens de 12 anos a manter a sua pureza, servindo como um exemplo, já que as cantoras possuem idade semelhante.. da mesma forma que elas tbm não podem fumar, beber e consumir drogas. Além de que, elas podem sim namorar e ter algum relacionamento, só que não podem tornar isso público. Como podem ver, essas regras não são só para o deleite dos otakus tetudos.
    E também não acho que os produtores tenham obrigado ela a raspar a cabeça e gravar o vídeo, pq ela não é a primeira do grupo a quebrar essa regra do contrato, e elas só foram rebaixadas ou simplesmente deixaram o grupo. Então acho que foi a forma que ela achou “melhor” para se retratar com o grupo e com os fãs.
    Eu acho que a pessoa que é ídolo “Idol” só é porque ela quer. Se não quer se submeter a esse tipo de regras, seja um cantor de rock, pop ou enka que não tem esse tipo de coisa.

    Curtir

  125. vigal 27/02/2013 às 16:15 #

    ai ai…
    Povo que fica defendendo a “Cultura” Japonesa…
    Isso é triste..
    Vai la, nos países muçulmanos, defenderem o modo que eles tratam as mulheres!Duvido muito que alguém aqui concorde com aquilo!Isso vale também para o modo que estão tratando as Idols no Japão, com machismo e submissão.
    Pensem um pouco e parem de idolólatra um Pais!O Japão ta longe de ser um lugar perfeito de se morar, la tem violência( ate pior que aqui se vocês querem saber o problema e que la as coisas são camufladas), é uma nação Xenofóbica(conheci muitos brasileiros que foram para la e disseram que brasileiro e pessoas de fora são muito mal visto por eles, tanto é que não se tem direitos a os feriados de la), um lugar com alto índices de suicídio ( os jovens de la andam muito doente, mentalmente falando, pois são muito cobrados pela sociedade, ate por coisas banais e sem falar que quem não souber cantar, desenhar ou dançar quando forem estudantes sofrem bulllyng nas escolas,isso quem me contou foi uma amiga minha JAPONESA que por sorte sabe desenhar ) e por fim estão virando uma nação fechada e com isso tão perdendo credibilidade com o resto do mundo…
    Enfim, não tenho nada contra o Japão, afinal gosto dos Mangas e suas animações, mas eu to querendo dizer que la não se é um pais perfeito e que nem tudo que eles fazem devemos concorda.
    E quanto ao Brasil…As pessoas deveriam agradecer por terem nascido por aqui! Apesar de nossa cultura estar um pouco banalizada moramos em um pais em que não temos acidentes naturais, temos uma carga cultural de vários países fazendo com que nós sejamos mais solidário com outras nações e o Machismo, apesar de estar presente, não estar em um nível tão grande como estar la

    Bem, é isso..espero que refitem um pouco e tirem esse ideal perfeito que vocês tenham do Japão e que não vivam dizendo que tudo o que ocorre la é cultural e que não podemos falar nada!

    Curtir

  126. vigal 27/02/2013 às 16:19 #

    Idolatrar*
    Não liguem para meus erros de concordância e gramatica, pois escrevi muito rápido srsrs
    sem tempo para repensar no que escrevi.

    Curtir

  127. Mauricio 27/02/2013 às 16:24 #

    Concordo contigo, Vigal, também tenho alguns colegas que foram a trabalho lá (vantagem de ter pais ou um apenas de origem oriental). Infelizmente essa galerinha mimizando nem da vontade de retrucar, por quê? Porque dirão a mesma idéia má formada e utópica de algo deturbado por seus animezinhos… Usando de duas palavras que odeio, mas, que uso em retruque: “Na boa”, crescer é bom também, já assisti e já passei dessa fase, até posso acompanhar alguns ainda, mas não sou mais fã, de um modo saudável que era antigamente, sou agora apenas um apreciador de poucas obras lançadas.
    Mas bem… não adianta, enquanto alguns crescem, outros continuarão a achar que lá é o paraíso eterno da otakuzada e ser bem recebidos.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: