Menu

Especial – Vergonha Alheia com otakus no Encontro com Fátima

Se já é difícil arranjar pauta diária para um blog como este, imagina a dificuldade de encontrar assunto para o programa da Fátima. Tudo quanto é programa feminino já falou sobre bullying, excesso de peso e exemplos do que não se deve vestir, mas a Fátima Bernardes é a única que inovou e JUNTOU as três pautas em uma só ao falar sobre cultura otaku.

Como ninguém estava vendo o programa da Fátima, tirando os TROCENTOS leitores que me mandaram mensagens desesperadas no Twitter cobrando uma análise deste programa, estou aqui para fazer este sacrifício de analisar mais um pilar de constrangimento da televisão brasileira.

Então pare de reclamar com a sua mãe por ela ter desbotado sua camiseta de anime feita na Compacta Print e IKIMASU para a abertura do Encontro com Fátima:


O programa foi tão sugestivo que o primeiro tema foi “como reagir a um assalto”. Essa resposta os otakus sabem muito bem, porque nunca reagiram ao preço do ingresso dos eventos de anime.


PUTA QUE PARIU, a Fatinha chama a reportagem e a primeira pessoa a aparecer é o maluquinho que canta fino deste outro postCANTANDO A MESMA MÚSICA. Ou é uma grande coincidência ou então os otakus estão se transformando num nicho no qual é difícil conseguir alguma revelação na categoria vergonha alheia. Porque até o japonês com o boné temático do Jewels de celular Android está visivelmente incomodado.


A reportagem continua e toda hora são sempre os mesmos otakus em situações diferentes. Tá tipo matéria da Caras, mas sem o glamour e o faqueiro encartado.

E a música de fundo é uma das primeiras aberturas de Pokémon. CADÊ os fãs de Pokémon comentando nas redes sociais que isso deve ser um inception da Globo, que pretende exibir a versão original do desenho, sem os dedos dos americanos capitalistas. Sai o Ash e entra o Satoshi-kun.


Como levar a sério um programa apresentado por Fátima Bernardes quando ao fundo aparece a diva Haruhi Suzumiya? Aliás, me perguntaram como esses cosplayers toparam participar desta bomba de programa. É assim… Nunca chamam otaku pra sair, aí é convidado para o ENCONTRO com Fátima e topa achando que vai sair catando uma mulher.


Olha só quem apareceu, Ricardo Cruz. Provavelmente representando a cota Jam Project das pautas, mesmo sendo um membro café-com-leite. Ele só não é a pauta mais desenterrada do programa porque a Fatinha convidou…


UMA ATRIZ DO NÚCLEO JAPONÊS DE MORDE E ASSOPRA!

Para quem não lembra, ou para quem não leu a minha análise primorosa (leia aqui), a novela Morde e Assopra é aquela que ia falar sobre o Japão, aí os nossos otakus foram encher o saco do autor da novela porque acharam que ele ia manchar a imagem deles, aí o cara apareceu e falou “Mas o que é otaku?” e sambou enka na cara desses otakinhos.

A mulher do Bonner perguntou se a personagem da atriz tinha inspiração nos otakus. Acho que sim, porque isso explica por que o autor dizimou o núcleo japonês por falta de afinidade. Olha a torta de climão.


Desculpa, minna, só queria compartilhar esse print da Fátima com cara de cu.

A atriz revelou que baseou a sua personagem Hoshi em um mangá muito famoso no Burajiru, chamado Love Hina. Sinto informar que ela se preparou para o programa errado, porque esse harém do Akamatsu poderia prepará-la somente para o Vai dar Namoro do Rodrigo Faro ou para aquela série horrorosa Louco por Elas.


Em mais uma matéria, a mãe dos trigêmeos agora mostra como são os eventos. Curti esta menina cuspindo tiros de alegria dizendo que nos encontros de anime ninguém julga ninguém. Desculpa te frustrar, tomodachi ensanguentada, mas se ninguém julga ninguém, por que sua amiga está te olhando com ESTA CARA?


Uso chapéu do Chopper mas estou te julgando


Fátima começou a falar com uma mãe que acompanha os filhos para os eventos, e estava tudo muito chato (não que fosse uma surpresa o adjetivo “chato” aparecer junto do tema “Encontro com Fátima Bernardes”), mas o câmera devia ser o mesmo do Bem Estar que passou antes e ele começou a focar nesse Chopper fazendo exercício de pilates no palco.


Aí a Fátima explicou para a menina que “azaração” é “paquera”. Olha, quando uma senhora como Fátima Bernardes consegue traduzir para um jovem a sua pergunta, é hora de parar de vestir all-star e partir pro bingo. E melhor que esse diálogo foi eu só ter notado que tem uma Jasmine na platéia quando eu estava editando a imagem.


Entrou um VT super legal do Ricardo Cruz cantando com o Jam Projeczzzzzzzzz…

Desculpa, minna, mas eu acho que jornalista e cantor são coisas muito diferentes, e a única que consegue fazer isso com qualidade ímpar em todas as funções é a Sandrinha Annenberg.


Aí o assunto ficou chato a Fátima cortou todo mundo e mandou entrar a próxima pauta, que seria um blog que ensina a fazer panos para colocar em pratos quentes. Peraí, “blog” e “panos quentes”? Parabéns para a blogosfera especializada (pff), que conseguiu ser tema de uma reportagem logo após uma matéria sobre otakus! Estamos todos felizes com o reconhecimento!

Anúncios

55 comentários em “Especial – Vergonha Alheia com otakus no Encontro com Fátima

  1. Chorei de rir com essa análise. Um bom divertimento pra saber o que se passa nessa porcaria de programa. PALMAS PRA FÁTIMA COM CARA DE CU!

    Curtir

  2. Entretenimento para as mães desocupadas da manhã. Esperavam algo melhor?
    Obs: andei horrores na Liberdade esses dias e não encontrei esse povo estranho. Minha visita à São Paulo foi menos completa.

    Curtir

  3. Fátima deve ter treinado horrores a cara de c…, quer dizer esse cara apática de que tudo é normal.
    Detalhe para as meninas lambendo o sangue falso no vídeo.

    Curtir

  4. Como pude perder esse “excelente” programa, foi otaku do início ao final, incluindo os panos quentes.

    Curtir

  5. Apenas um comentário sobre essa matéria:
    Como uma coisa tão ruim como “Louco por Elas” conseguiu mais uma temporada?

    Curtir

  6. Sofri tanto com a vergonha alheia só de ler o texto. Teria morrido se tivesse que assistir o programa.
    Obrigada Mara gorda! Seu post salvou uma vida!

    (Ainda estou SOFRENDO com a menina perguntando o que é azaração, puta que pariu)

    Curtir

  7. Que tipo de pessoa com menos de 25 anos fala “azaração”?

    Btw, o que me deixa surpreso mesmo é que os otakus ainda vão nesses programas passar vergonha.

    Ser fã de animes e curtir cultura japonesa é uma coisa, ser um “otaku” de 19 anos que fala como uma criança de 12 anos com mentalidade de 5 é outra. Depois ainda reclamam de todo mundo achar que otaku é retardado, olha a imagem que eles passam.

    Curtir

  8. Mas todo adolescente fala que nem retardado e exalta seus gostos, isso faz parte da construção de identidade própria.

    Curtir

  9. Sim, TODO adolescente, assim como TODOS os japonese curtem moe e como TODAS as mulheres são submissas.

    Desculpe, não existem adolescentes que não falam como retardados, falha minha.

    Curtir

  10. Depois de ver esse post e assistir aos videos (eu precisava conferir esse momento constrangedor), cheguei a conclusão de que sou apenas uma pessoa normal que gosta de alguns quadrinhos e desenhos japoneses.

    MAS PUTA QUE PARIU, ESSE ENTRA PARA O HALL DA VERGONHA ALHEIA DOS OTAKUS!

    Curtir

  11. Achei que ninguém assistisse esse programa….(mesmo assim a audiência deve ser uma porcaria, porque sempre tem um parente medito a besta que vem dizer “outro dia vi na tvum programa com aquelas coisas que você gosta”)

    Curtir

  12. Mais um programa em que os otakus vão e demonstram suas imbecilidades… Um programa apenas confirma o anterior de outra emissora que confirma o que o terceiro concluiu: é doença, é vergonha alheia, não tem cura.

    Curtir

  13. “Desculpa, minna, só queria compartilhar esse print da Fátima com cara de cu.” hahahahahahahahahaha. Nossa mãe ganhando de presente de aniversário um faqueiro.

    Curtir

  14. Materia do ano do MDOM. Fazia tempo que a Mara não me fazia rir tanto XD

    Não sei qual a melhor parte: A atriz do núcleo japones, a fátima com cara de cu, a azaração ou a tomadoshi ensanguentada com a amiga do lado XD

    Curtir

  15. Então, eu assisti e quero dar minha opinião. O programa foi vergonhoso? SIIIM, esse programa realmente é um lixo. A matéria com os otakus foi tensa e constrangedora? Com certeza! Mas olha só, não há apenas um lado ruim. Os cosplayers no palco, além de LINDOS, falaram bem e souberam “salvar” o dia pro nosso lado, digamos assim. A mãe daqueles dois meninos deixou claro que nem todos são retardados, por exemplo os filhos dela não devem ser, porque não passaram vergonha alguma no palco, pelo contrário, me deixaram orgulhosa de ser cosplayer. Outra coisa, a menina não perguntou o que é azaração, vai ver o vídeo de novo por favor, perceba que ela perguntou “como assim azaração?”. E bem, se você não sabe o que ela quis dizer, você podia perguntar, que tal? É Mariana Ferreira no facebook, ela responde numa boa, é uma ótima pessoa ^^ Não achei justo você só apontar coisas ruins e algumas que nem faziam sentido no post. E mais, a culpa é do programa se nós otakus fomos ridicularizados, e não dos cosplayers que foram lá apenas nos representar. Eles não nos ridicularizaram. Pelo contrário, na minha opinião deixaram uma ótima impressão ^^

    Curtir

  16. Até respeito as cosplayers agora quem aparece de camisa de pikachu, sobretudo da akatsuki, touquinha…

    Por favor né, o pior que esses são os primeiros a reclamar de vergonha alheia quando veem alguém com camisa de meme rage face LOL

    Curtir

  17. Lyli,
    Não sei se você acompanha o blog da Mara, mas geralmente as postagens são nesse estilo. Também acho que a única coisa que salvou foi essa parte do programa, mas não foi suficiente para apagar a má impressão deixada pela reportagem. Todos os entrevistados deixaram a sensação de não fazer ideia do que falavam. Oras, se vocÊ realmente gosta de alguma coisa, deve saber o que está por trás daquilo, conhecer as origens e definir exatamente o que é alguma coisa.
    Maaaas, como a maioria só está interessada nos animus da temporada e ler o cap. semanal de Naruto e Blixi, a representação do “grupo otaku” acaba sendo isso aí. Perpetuada na impressa como adolescentes semi-retardados.

    E tome-lhe kawaii desu-chan.

    Curtir

  18. Puta que pariu, pior que “dona de casa desocupada” é “dona de casa desocupada tentando ser cool”.

    Anything, se eu fosse a garota, faria isso:

    -random baka: Eai, rola muita azaração nestes eventos?
    -eu: Não, não. Eu sou de Grifinória.
    -todo mundo: …

    Curtir

  19. Fatima Bernardes cara de cu.

    Fatima Bernardes Otaku Gótico.

    Fatima Bernardes Experiência.

    Fatima Bernardes TAMBÉM É CULTURA.

    Glória Maria.

    Curtir

  20. E mais, a culpa é do programa se nós otakus fomos ridicularizados, e não dos cosplayers que foram lá apenas nos representar.

    Olha, nem me liguei nos cosplayers do palco, mas na boa, nem acho que o programa tenha tanta culpa assim; a galera que apareceu na matéria gravada até que fez por onde… :)

    Pombas, tivemos um exemplo RECENTE de otaku nível épico no post sobre o CR!

    Curtir

  21. Esse programa foi uma puta falta de sacanagem. Alguns programas de emissoras de tv, pensam que falando algo sobre os otakus eles vão conseguir alguma pouca audiência, mas tudo que eles conseguem são a raiva e ódio eterno, além de xingamentos diversos em linguás variadas. Eles nãos pesquisam nada sobre nós, e ainda tentam explicar o que somos, resultado: fracasso total deles e nossa ira. Gostei muito da sua matéria, e vejo todo dia o seu blog (apesar de ser a primeira vez que comento). De uma olhadinha no meu: umomt.com

    Curtir

  22. Ai eu tenho vontade de fazer cosplay, só que não quero que me vejam como esses retardados da materia, sou só um fã de anime e mangás normal.

    o que acham? faço ou não cosplay?
    cosplay e coisa de retardado ou só aqueles que eram?
    nos eventos Aqui tem mais gente normal.

    realmente se otaku for aquilo, sou só um cara normal que gosta de anies e mangás

    Curtir

  23. @Sewrto

    Acho cosplay bem bacana, inclusive tenho vontade de fazer mas me falta coragem.
    Mas a questão é: se for fazer, que faça direito. Nada de cospobre como vemos por aí.
    Além disso, não faça disso toda a sua vida, veja como um hobbie e não uma ocupação.

    Curtir

  24. Só eu que vi problema na parte que perguntaram “qual é o sonho de todo otaku?” e responderam “ir ao WCS” como se isso fosse uma verdade absoluta? Isso daí pode até ser o sonho de todo COSPLAYER, mas definitivamente não é o sonho de todo OTAKU.
    Tem gente falando bem aí dos cosplayers que estavam no estúdio… mas eu odiei essa generalização gratuita, até porque nem todo otaku é cosplayer (assim como nem todo cosplayer pode ser otaku).

    Curtir

  25. chega de net por hoje. com essa noticia e os videos q tao circulando fátima. merece um tiro ^^

    Curtir

  26. O programa encontro é gostoso de assistir porque tem vários assuntos e muitos convidados interessantes. Dos convidados muitos cantores e bandas dos anos 70 é super interessante. Porisso venho dar uma sugestao em convidar um cantor de samba que nos anos 70 agitou o Brasil pelos sambas inesquecivel como é por exemplo mulher brasileira retalhos e cetim,
    CONVIDAR O CANTOR DE SAMBA: BENITO DI PAULA.

    mulher brasileira, retalhos e ceti, do geito que a vida quer

    Curtir

  27. para de falar que cosplayers são retardados! a maioria trabalha, tem vida normal! só por que a gente tira uns dias na nossa vida para ir a eventos de animes fazer cosplay! não significa que somos retardado e loucos! somos seres humanos! não animais! e não samos porra nenhuma de funkeiros!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s