MdOM Mangás

MdOM Mangás – A segunda parte do encontro da Turma da Mônica Jovem com Osamu Tezuka!

Eu tenho sido uma má blogueira. Completamente relapsa, não postando por dois domingos seguidos, os leitores encontraram a punição perfeita para mim. Fazer piquete na frente da Panini pelo fim dos glossários gigantescos? Esfregar a crise mundial da economia na cara do Marcelo Del Greco para quebrar a desculpa do aumento do preço dos mangás da JBC? Tampouco. Meus leitores me obrigaram a… analisar a segunda parte de Turma da Mônica Jovem feat. Osamu Tezuka. Um suplício!

Na edição anterior, Mônica e seus amigos foram para a Amazônia conhecer o projeto politicamente correto do senhor Amoroso, ao lado de personagens de Osamu Tezuka. O doutor tentou vender o Astro Boy pro Amoroso, o chato não quis e agora tá todo mundo cercado por animais selvagens.

Produção, é sério, quem autorizou a publicação disso?


A história começa com um flashback mostrando que Kimba, o leão branco, estava sendo carregado por caçadores num barco que afundou, e então ele foi parar no meio da selva amazônica. É, minna, foi uma forçada de barra tipo quando a Deborah Secco atravessou o Golfo do México numa canoa e chegou em Miami na novela América.


Os textos dos quadrinhos comentam que é necessário que joguemos com as cartas que a vida dá. Uma bela lição de vida. Porque, vai saber como é o destino, um dia você ganha o direito de escrever uma história com os personagens do Kami-Sama dos mangás e seu chefe manda que a história seja mais didática que a programação do Discovery Kids multiplicada pelo Playhouse Disney. Vai ficar uma merda, mas temos que jogar com as cartas que a vida dá.


Como você descobre se alguém é uma mulher? Basta falar “você deu uma engordada” e você reconhecerá as mulheres naquelas pessoas que saltarem a veia na testa . Por isso, é idiota a Mônica só descobrir que a Safiri é menina porque existe um macaco que só curte cromossomo XX.

Safiri começa a contar sua longa vida e como ela precisa fingir ser homem por causa do reino dela. Mas nos flashbacks dá a entender que essa aventura no Brasil se passa depois da história do mangá, mas no fim de A Princesa e o Cavaleiro ela é mulher assumida. Acho que faltou leitura de alguém, né? Só não ganha o troféu Furo de Roteiro do Ano porque ainda quero saber como vai ficar o vilarejo sem proteção do primeiro capítulo de Rapsódia.


Enquanto isso, no lustre do castelo que fez dezoito anos… no outro núcleo da história, os heróis (?) ainda estão encurralados por animais mandados por Kimba. E quando Cebolinha tem uma ideia coerente de usar o Astro pra fugir, Franjinha fala que não dará tempo de salvar todo mundo. Legal, só que 70% da edição são eles lá sendo encurralados e pensando em planos pra sair.

E eu acho cafona agora ser Franja e Cebola, como se o uso de diminutivo fosse fazer alguém deixar de ser “jovem” e “cool”.

O doutor maléfico tem a ideia de usar o Astro pra destruir todos os animais do bosque e Magali dá um exemplo da interpretação que conseguiu na Escola de Atores do Wolf Maya


linda! Tá Nina!

Lógico que Astro decide não destruir os animais, porque ele tem um coração e decidiu ouvir. Se um dia o Mauricio tuitar algo do tipo “klfgnkefnefnfnfnf” podem ter certeza que é o espírito criativo do Tezuka que voltou dos mortos pra puxá-lo pela perna.


Depois de ensinar às crianças que é legal alimentar animais selvagens com lanches naturais cheios de conservantes, Magali consegue convencer Kimba a parar de atacar o grupo de personagens que se encontravam encurralados por animais para facilitar a vida do desenhista.


Seu Amoroso fica inconformado com a devastação ilegal. Enquanto eu lia a história eu pensava “Que cara mais chato. Ele parece aqueles protagonistas de biografias de pessoas vivas, que não pode colocar qualquer característica negativa porque a pessoa tá viva e pode sentar uma chuva de processo na vida de quem escreveu.”

Depois, no “Fala Maurício” ele revela que o cara e a organização existem, então toda essa história de proteção à natureza é uma propaganda em dois volumes de uma madeireira politicamente correta. Parabéns, Tezuka curtiu isso.


Simulado surpresa do Enem!

Observando atentamente as duas personagens do mangá Turma da Mônica Jovem, o que elas estão fazendo?

a) Elas foram arremessadas de um furgão em movimento.

b) Elas saltaram um penhasco.

c) Elas estão dançando a abertura da novela das oito. OIOIOI!

d) Elas são robôs atraídos por um imã gigante.

e) Elas saíram correndo.

Acertou quem escolheu a alternativa E. Errou quem contratou este exímio anatomista.


Mônica leva um golpe violento de uma onça e contra ataca.

Isso mesmo que eu disse. Mônica levou um golpe violento de uma ONÇA.

Como essa história tá pior que purgante, vamos resumir o que acontece no final?


Apareceu um exército de robôs (mas heim?) que foram destruídos pelos animais amazônicos (Cuma?), e no fim todo mundo descobriu o amor, a harmonia e essa consciência pela proteção da Amazônia que o Osamu Tezuka planejou com o Mauricio de Sousa em 1988. Curioso, isso cinco anos antes da Rio 92, que levantou a questão pela primeira vez…

Tezuka era um vanguardista e não sabíamos.

 Relembre a parte 1 clicando aqui.

Anúncios

19 comentários em “MdOM Mangás – A segunda parte do encontro da Turma da Mônica Jovem com Osamu Tezuka!

  1. “Na União Soviética, a pantera dá um tapa em você!”

    Forte concorrente à piada mais memorável do MdOM

    Curtir

  2. Peraí… pra expulsar um exercito de invasores e destruidores da natureza a turminha se uniu aos animais da floresta, os mesmos animais que tentaram mata-los no começo da história? E a roteirista ainda não tem culpa desse lixo de história? Isso aí é plágio descarado de Avatar.

    Nahhh esqueci… Nos estudios do mauricio de souza não existe plágio. Só homenagens.

    Curtir

  3. Só eu que me liguei no fail da tartaruga/jabuti avançando com a velocidade dos outros animais?

    Curtir

  4. Puxa vida Mara, seu post está ótimo, mas essas imagens que não abrem… O que poderia ser feito à respeito? (eu fico pensando se as imagens que eu não vejo são tão engraçadas quanto a Reversal Russa, aquela valeu minha madrugada).

    E quanto as tags: HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    Curtir

  5. @Thiago Costa, eu também reparei, foda…

    Adorei a Reversal Russa, mas para mim o ápice foi o Cebola (concordo, é ridículo chama-lo assim…) dizendo “chama o Kubo pra ajudar na enrolação”. Hahahaha, ótima referência…

    Curtir

  6. Essa parceria do MSP com o fantasma do Tezuka só tá valendo alguma coisa pelas análises do MdOM.

    E, meu, me senti uma “rabiscadora” mil vezes melhor depois desse quadro, feito por PROFISSIONAIS, da Safiri e da Mônica correndo. Taquepariu! Sendo assim eu tenho chances no mercado!

    Tem mais: Na Magali Jovem #1 também tem uma cena da Magali correndo de um jeito tão bizarro quanto esse, logo, concluo serem do mesmo desenhista. Pergunto se não tinha ninguém ali pra ver que ficou estranho e dar uma dica, ou se acharam que tava de bom tamanho pro roteiro proposto e pro público alvo que tem.

    Curtir

  7. Caramba esse final foi mt WTF :D

    Eu comprei a primeira edição, mas não estou com muito ânimo de comprar essa segunda não…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s