Um evento revolucionário

2 jan

Começou 2012 e achar pauta tá tão fácil quanto achar coerência nos episódios de Samurai Warriors. Por isso, quando alguém me manda pauta eu solto todo o rojão que economizei na partida do Santos contra o Barcelona.

Em um post antiiiigo, o leitor Leandro postou sobre um novo evento inovador que vai ter aqui no Burajiru:

Toda trabalhada no corporativismo, fui pesquisar na Wikipédia sobre o que era CrowdSourcing e achei uma definição boa:

“O crowdsourcing possui mão-de-obra barata, pessoas no dia-a-dia usam seus momentos ociosos para criar a colaboração.”

Mão de obra barata vinda de pessoas com momentos ociosos? QUEM MAIS ALÉM DO OTAKU PODERIA SE ENCAIXAR TÃO BEM NISSO?

Mas deixa eu ver se a otaka aqui entendeu!

Ele vai fazer um evento com uma rede social, sendo que essa rede os otakus poderão participar dando sua opinião e sugestão. E mais, será o primeiro modelo a valorizar TODOS os envolvidos.

Em um furo de reportagem, eu vou divulgar uma foto diretamente do futuro mostrando como vai ser esse evento que vai ouvir todo mundo e respeitar a opinião de todos:

Parabéns a TODOS os envolvidos.

***

(@maisdeoitomil)

19 Respostas to “Um evento revolucionário”

  1. Anne Bione 02/01/2012 às 20:11 #

    FIRST

    Curtir

  2. Diego 02/01/2012 às 20:16 #

    Pior é que é verdade

    Curtir

  3. Matheus Aguiar 02/01/2012 às 20:19 #

    Nem sabia que evento de anime dava certo.

    Curtir

  4. RodTakira (@RodTakira) 02/01/2012 às 21:17 #

    Brasil pessoal…Brasil.

    Curtir

  5. Nanda 02/01/2012 às 21:27 #

    Prevejo profº Odilon torcendo por sangue e discórdia.

    Curtir

  6. andremugen 02/01/2012 às 21:45 #

    Yamato aprova este modelo já tão usado quanto os papéis de mangás.

    “O crowdsourcing possui mão-de-obra barata, pessoas no dia-a-dia usam seus momentos ociosos para criar a colaboração.” acrescentaria voluntário, logo, não pago em troca de 5s de fama.

    Curtir

  7. Leandro Godoy 02/01/2012 às 22:02 #

    Estou eu aqui de volta…

    Bom, vamos por partes:

    Mão-de-obra barata e respeitar opiniões são coisas distintas. O Anime Fair está trazendo um conceito para podermos ter o melhor modelo de evento e não ficar nas mãos dos organizadores (em seus conceitos e ideologias). Vamos a algumas diferenças em relação a outros eventos:

    Neste evento NÃO existe trabalho físico voluntário, ou seja, TODOS os que trabalham no evento são remunerados por estarem dedicando mão-de-obra no dia do evento;

    O trabalho em rede serve para se fazer a gestão do conhecimento e o open innovation (se falou em corporativismo seria bom entender estes conceitos, isso é, se já não entende…) para assim ocorrer o crescimento;

    O Anime Fair pretende ter parceiros bons para o próximo ano, para ter CONTEÚDO de verdade, e como a rede irá trabalhar junto terá apenas o conteúdo interessante para o público;

    Com os parceiros, pretende se tornar gratuito (afinal, com as empresas atuando junto ao evento, elas cobrem os custos de produção);

    A idéia de valorizar não é utópica, todos podem ser valorizados:

    – O público pagando menos ou, como nos objetivos, não pagando nada, tendo conteúdo e atrações de qualidade. Além de ter total liberdade na rede do próprio evento para sugerir ou criticar algo;

    – Os organizadores por fazerem algo que realmente gostam e sejam remunerados de alguma forma por isso;

    – Os estandistas e parceiros, que terão um público para divulgar seus produtos ou serviços;

    … mas aí repito o que o @RodTakira falou “Brasil pessoal… Brasil”, pois quando um trabalho diferente está sendo feito, desacreditam. Até entendo os motivos, mas acreditem, está sendo feito.

    A forma de se fazer esse evento está sendo totalmente diferente, e como toda ruptura tende a ser desacreditada.

    Gostaria que entrassem no site do Anime Fair: http://www.animefair.com.br

    Lá podem começar a criticar, emitir opiniões, bater papo, enfim… juntos podemos montar o maior e melhor evento de Animes do mundo, sem nos prendermos aos mundos dos organizadores.

    Abraços!

    Curtir

  8. Phillipe 02/01/2012 às 22:03 #

    Tinha que colocar uma foto do Persona 3 ae ^^

    Curtir

  9. Keroicon 02/01/2012 às 22:14 #

    Espero que dê certo de qualquer forma…
    Na falta de pauta, por que não voltar com o Afinal o que querem as otakas??

    Curtir

  10. Chris Galford 02/01/2012 às 22:23 #

    Yamato sempre fez crowdsourcing…

    Curtir

  11. Lyn 02/01/2012 às 23:43 #

    Espero que dê certo de qualquer forma…+1
    Porque aqui onde eu moro, tem eventos que nem com crowdsourcing e/ou modelo convencional saem do papel. xD

    Curtir

  12. RicardoSavageStrike 03/01/2012 às 00:38 #

    Nossa, que blogueira mais incansável! Dia 31, Dia 1, Dia 2, pra ela feriados são besteira! Viva ao Mais de Oito Mil Atualizado!! :D

    Curtir

  13. Jojo 03/01/2012 às 01:12 #

    Ricardo vc q pensa. Qm acompanha o blog faz tempo notou que nessa semana a mara deu uma puta relaxada na qualidade dos posts. deve ser por causa das festas.

    Curtir

  14. gwy 03/01/2012 às 01:20 #

    “O que isso tem de bom?”
    Sinceramente, não percebi.

    Curtir

  15. Jasque 03/01/2012 às 01:35 #

    Podiam fazer isso aqui em Brasília. ><

    Mara, veja:

    Curtir

  16. Senseinoção 03/01/2012 às 01:52 #

    Bom, eu acho que como toda revolução revolucionário este evento tem uma grande possibilidade de fracasso.

    E pq? Oras, essa idéia de crowdsourcing ou crowdfunding (que tb vai ocorrer, pq se o pessoal que organiza – que são todos os interessados – também pagam, então eles estão financiando tb) é algo muito mais antigo do que se imagina, apenas se tornou um Aiconceito (Iconcept), uma coisa que ocorre desde o ínicio dos tempos mas colocada em uma embalagem mais bonitinha.

    Se todos serão ouvidos e respeitados, isso significa que minha idéia de trazer um mangá absurdamente específico, que no país de origem foi publicado em 3 cópias e vendida apenas 1 será também tema? Posso esperar que este mangá tenha mesas de discussão, um estande com as 2 cópia que não foram vendidas e tudo mais?

    Ah não, né? Pq para que exista a viabilidade econômica e financeira existe a necessidade de que a demanda esteja, pelo menos, no mesmo nível da oferta, o que significa dizer que as empresas apenas vão ter interesse em participar se elas tiverem uma boa perspectiva de lucro. Para que elas possam ter essa perspectiva elas precisam saber quais os temas o evento abordará e quais ele abordará? Cada tema específico que aparecer? Provavelmente não, mas sim aqueles que tenham um certo crowd querendo. Então isso já mostra uma segmentação, afinal, apenas determinados grupos vão ter a chance de participar, todos os interesses não teria a menor possibilidade de ocorrer, até mesmo por falta de espaço (que custa dinheiro).

    Em resumo, se todas as idéias forem aceitas haverá a necessidade de um enorme espaço para todas serem alocadas e um tempo muito bem administrado, isso custa dinheiro que provavelmente vem do crowd – o mesmo crowd que teve as idéias – e que poderá ficar desgostoso em ter que pagar X reais para entrar e ver sua idéia dar certo. Os patrocinadores e os stands de venda precisam ter uma idéia do público, para que possam planejar o tipo de produto viável, se todas as idéias forem postas, todos os produtos valem!!! Mas, isso significa uma gama tão grande de produtos que dilui a possibilidade de lucro =( Se houver foco das empresas em determinados produtos, isso vai contra a idéia do evento e contra o trabalho do crowd, que tem um evento diferente e com tantos temas, mas com as mesmas empresas e produtos dos outros.

    Enfim, virá uma verdadeira confusão. E eu acho que é sempre bom conhecer os conceitos, como bem disse o organizador, então devemos lembrar uma coisa sobre a democracia:

    “Das três formas de Estado, a democracia é, no sentido próprio da palavra, necessariamente um despotismo, porque funda um poder executivo em que todos decidem sobre e, em todo o caso, também contra um […], portanto, todos sem no entanto serem todos decidem – o que é uma contradição da vontade geral consigo mesma e com a liberdade.” (KANT. A Paz Perpétua e Outros Opúsculos. Trad. Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1995: p. 130)

    E viva a democracia!!!

    Curtir

  17. Marskel 03/01/2012 às 03:12 #

    A idéia na TEORIA é ótima, mas também fica difícil desconsiderar a referência da Yamato e outras empresas que já estão fazendo isso… do jeito “bão” delas.

    Não tô otimista, afinal todo evento se divulga revolucionário à sua maneira, e a última vez que me vieram com uma idéia dessas, queriam usar até o Sambódromo e o diabo. Mas de qualquer forma, desejo sorte prá quem se presta a fazer algo diferente da atual referência.

    Curtir

  18. Seiya 03/01/2012 às 18:31 #

    Opa, esse layout ficou bem melhor, só a montagem na rolha que tá tosca.

    Curtir

  19. Mariana Busarello 05/01/2012 às 22:53 #

    Não vou mais em evento de anime justamente porque se tornaram uma bosta.

    Agora a pergunta que não quer calar é a seguinte: vai continuar vendendo anime PIRATEADO que é traduzido gratuitamente por fansubs como DIVULGAÇÃO e gravado em DVD’s por gordinhos tetudos que querem fazer grana nas costas dos outros?

    Se não tiver, acho sim louvável, agora se tem não mudou porra nenhuma dessa nojeira que são os eventos.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: