Mais de Oito Mil Interview – Entrevista com Mário Lúcio de Freitas, o dono da Gota Mágica

26 jul

Alguma vez na vida você já ouviu “Versão Brasileira – Gota Mágica, São Paulo”. Nem que seja vendo anime na Manchete ou baixando episódio de Guerreiras Mágicas de Rayearth dublado né? Então, a Gota Mágica era onde 11 entre 9 animes eram dublados durante a década de 90. Eles gravaram Cavaleiros do Zodíaco, Sailor Moon, Dragon Ball e muitas outras pérolas que fazem os nostálgicos acharem que o tempo dos Mamonas Assassinas era melhor que hoje. E por trás desse estúdio marcante havia a direção de Mário Lúcio de Freitas, que é o entrevistado de hoje do Mais de Oito Mil. E essa entrevista é especial, sabem por quê? Porque eu decidi me abster de todo e qualquer comentário sobre o que o nosso entrevistado falou! Dessa vez, cuidei apenas de formatar o texto e de selecionar adequadamente a melhor imagem para cada resposta, deixando que o leitor atento tire suas próprias conclusões do entrevistado. E lembrando que eu não altero UMA VÍRGULA do que os convidados falam.  Então vamos começar esse bate papo e não me desapontem!

Mara – A primeira grande produção japonesa aqui no Brasil foi Cavaleiros do Zodíaco, e foi dublada pela Gota Mágica. O anime foi mandado sob encomenda para a empresa ou a Gota Mágica pegou a série porque ninguém mais pegou?

Mário – Na realidade, foi a primeira dublagem da Gota, que foi indicada por alguém. Não sei até hoje quem foi esse louco que indicou (rsrsrs). Poderia ter dado zebra. Mas como a Samtoy insistiu, pegamos, né?

Mara – Na dublagem de Cavaleiros, Gilberto Baroli fazia os vilões, seu filho Hermes fazia o Seiya e a sua filha fazia a Saori. O que você tem a dizer sobre o nepotismo na política brasileira?

Mário – É muito forte. Inclusive, o curso de direção de dublagem do Baroli parece que foi feito em Brasília. Família que fatura unida permanece unida (rsrsrs). Mas, a bem da verdade, quem escalou o Hermes e a Letícia fui eu e não ele. O Baroli nem queria que eles dublassem a série, para não levantar suspeitas (rsrsrs).

Mara – A dublagem de Cavaleiros tinha golpes que mudavam de nome a cada episódio, dubladores que eram trocados e senhores de idade fazendo a voz de pessoas jovens. Pode citar o nome do culpado para que possamos colocá-lo no Macumba Online? Obrigada.

Mário – O próprio Baroli. Talvez para confundir (rsrsrs). O que ocorreu mesmo é que  a série veio para o Brasil já dublada em espanhol, e acho que esses enganos já haviam acontecido. Não sei se de propósito ou não.

Mara – Em algumas empresas, os funcionários costumam fazer piadinhas internas e pequenas zoações. Por que, sempre que aparecia um personagem de sexualidade suspeita, vocês colocavam o Marcelo Campos pra dublar? Foi o Misty, foi o Jabu, foi o Mu, foi o General Blue…

Mário – Pra ficar mais real (rsrsrs). Mas essa pergunta somente o Baroli poderá responder. Ele que o escalava (rsrsrs). Mas falando sério, o Marcelo faz bem qualquer personagem. É um excelente profissional.

Mara – A história da Gota Mágica tem muitas lendas urbanas. Dizem os boatos, por exemplo, que Sailor Moon teve uma pausa no meio da dublagem por causa da greve dos dubladores. Essas histórias são verdades ou é tudo intriga da imprensa Sônia Abrão?

Mário – Aconteceram, sim, greves de dubladores, mas não me lembro se foram durante a dublagem de Sailor Moon.

Mara – Vocês compuseram músicas que, infelizmente, ouvimos até hoje de fãs em eventos de anime. Isso se deve à qualidade das músicas compostas pela Gota Mágica, pelo atenuado nostalgismo dos fãs ou os dois?

Mário – Acho que aos dois (rsrsr). A qualidade das músicas da Gota, realmente, ajudaram. Veja que séries como Punk, a levada da breca; Chaves; Ursinhos Carinhosos; Jem e as Hologramas, Dragon Ball, etc. estão em nossa memória até hoje. Não é por acaso, né?

Mara – Falando nas músicas, vocês produziam também CDs das séries. Tirando o de Cavaleiros do Zodíaco, os CDs de Super Campeões, Guerreiras Mágicas e outros do gênero venderam ou apenas somaram despesas a essas séries que já não tinham uma audiência muito boa?

Mário – Por incrível que parece, não é que venderam (rsrsrs). Fizemos também Bananas de Pijamas, Chaves, US Mangá, Turma da Mônica…

Mara – A Larissa Tassi gravou a primeira música de Cavaleiros do Zodíaco e, muitos anos depois e já adulta, ela foi chamada para gravar novas músicas para a série. Você se sente orgulhoso por ter descoberto esse talento ou dá sua risada maligna porque ainda temos que aturar ela em pleno século XXI?

Mário – Acho que as duas coisas (rsrs). Mas na realidade a Larissa e seu amigo gravaram a segunda abertura e não a primeira, e foram descobertos pela Sony e não por mim. Eu produzi a parte de São Paulo (Marin, Shina, Mestre do Mal, Rap do Zodíaco e Força Astral).

Mara – E agora a única pergunta sem piadinhas desta entrevista: por que motivos a Gota Mágica fechou as portas?

Mário – Essa é uma pergunta que todos me fazem, já que o estúdio fez muito sucesso. Acontece que os motivos que fizeram a empresa fechar suas portas foram particulares e não profissionais. Ela era uma empresa familiar, onde vários integrantes de uma família trabalhavam, e esses integrantes abandonaram o barco, me deixando sozinho. Eu não poderia gravar voz de mulher, de criança, etc. Ficou impraticável. Outro motivo também foi que o estúdio foi montado para ser utilizado por três empresas, que não eram sócias, e essas duas outras empresas não emplacaram e deixaram com a Gota uma estrutura muita grande para uma firma só. Foi isso. Mas o que dá para ver hoje em dia é que os fãs sentem saudade do estilo de trabalho da Gota. Ela era realmente diferente.

Mara – A Gota Mágica era chamada de Casa dos Animes. E aí fechou. A Parisi Vídeo era chamada de Casa dos Animes. E aí fechou. A Álamo começou a ser chamada de Casa dos Animes. E aí fechou. Trabalhar com anime dá tanta urucubaca assim?

Mário – Talvez a gente não cuidasse das mandigas com tanta eficiência como fazíamos com os trabalhos (srsrsrs). Mas, na verdade, o sucesso incomoda, mesmo, e isso provoca muita energia negativa nos concorrentes. Também, para quem ainda não sabe, dublagem é uma atividade que dá pouco lucro. Se você não fizer como fazia a Gota, que buscava em atividades paralelas outras formas de rendimento, fazendo discos, comerciais, disc 900, shows em circo, etc. dá zebra, mesmo. Outra coisa que ocorre com a dublagem é que os estúdios nivelam por baixo a produção. Acham que somente abaixando o preço é que pegam serviço, o que não é verdade. O que aumenta a procura é a qualidade e não o preço baixo.

Mara – Obrigada pela entrevista, Mário Lúcio de Freitas. Tem algum recado para os leitores do Mais de Oito Mil?

Mário – Agradeço muito pela oportunidade e gostaria de dar os parabéns pelo blog. É bem legal e criativo. O recado a dar é esse: faça um trabalho honesto, bem feito, de qualidade, que ele será sempre lembrado com carinho. Essa era a filosofia da Gota.

(Fonte das Fotos: Google)

***

(Me siga no Twitter!)

(Já me curtiram no FACEBOOK?)

20 Respostas to “Mais de Oito Mil Interview – Entrevista com Mário Lúcio de Freitas, o dono da Gota Mágica”

  1. Yucca 26/07/2011 às 20:21 #

    Tadinho do Marcelo Campos!
    MAHAUHAUHAUHA XDDD

    Curtir

  2. Takeru 26/07/2011 às 20:24 #

    saudades de ouvir “versão brasileira, Gota Mágica” xD
    não sou fã das dublagens brasileiras, mas a Gota deixa saudades mesmo =/
    enfim… muito boa entrevista =]

    Curtir

  3. João Pedro Lacerda 26/07/2011 às 20:33 #

    Sobre a Larissa: ”A porra do amigo era dela, não meu. Não me culpem.”

    Sobre CDZ e o lucro da família Baroli: O nome já lembra macarrão, sabe como é, eles fizeram uma ”proposta irrecusável.” ;D

    Curtir

  4. Houndurr 26/07/2011 às 20:52 #

    porra mara, ri alto aqui com a pergunta sobre o nepotismo

    ei JRP, queremos uma entrevista sua tambem!

    Curtir

  5. J.r. Pereira 26/07/2011 às 21:50 #

    Mara, compare as duas imagens a seguir:

    Maurício de Souza cometendo plágio? E justamente em sua biografia?
    Ato falho…

    Curtir

  6. Vinicius Araujo 26/07/2011 às 22:13 #

    (rsrsrs)

    Curtir

  7. David Denis 26/07/2011 às 22:19 #

    Gostei da entrevista, muito melhor do que as feitas por “sites profissionais”.

    Curtir

  8. JaqueDickinson ☆ アッ 26/07/2011 às 22:33 #

    Gota Mágica é bem nostálgico, bons tempos me lembro de quando eu assistia Dragon Ball.

    Curtir

  9. julio 27/07/2011 às 10:51 #

    mara sua gorda escrota, jaja os fãs da abertura de sailor moon vao vir aqui… porran eu ia mendigar pra vc fazer uma entrevista com ele, faltou vc citar a SARAH REGINA que alem de ser esposa do mário foi a cantora de sailor moon e algumas outras músicas.. mais a entrevista foi boa valeu mara.

    Curtir

  10. Betto Mendes 27/07/2011 às 14:30 #

    (rsrsrs) +1

    Curtir

  11. Eros 27/07/2011 às 15:31 #

    “Essa era a filosofia da Gota.” – FREITAS, Mario Lúcio.

    Quem é do NE (ou não) entendeu a piada, rs.

    Curtir

  12. humberto 27/07/2011 às 16:39 #

    poderia entrevistar tambem o Sr. J.R Pereirra

    Curtir

  13. Melora 27/07/2011 às 18:05 #

    Ih, Mara você vai ter que admitir. É fã da gota ou ta ficando velha. Não teve nenhum comentário cruel.

    Curtir

  14. Lud.M 27/07/2011 às 18:59 #

    Rsrsrs e olha a pontada pra leitora que sugeriu o cuidado nos comentários pós-produzidos. rsrs

    Fiquei surpresa em ter me escutado. rsrs Que bom que você é aberta a críticas.(mesmo reclamando ainda rsrsrs)

    Não acho que doeu em nada, doeu? (ui)

    Agora sim eu vejo TAMBÉM a visão do seu entrevistado, e não só a sua – que já está bastante clara no tom das perguntas: seu momento de fala.

    Gostaria que você entendesse que não é uma questão de manual de jornalismo, de você perseguir um ideal de objetividade. É bem mais profundo que isso.

    É respeito, entrevista é uma conversa, não sua opinião exclusiva.

    Interferir daquele jeito é praticamente igual a cortar maldosamente várias vezes uma pessoa enquanto conversa com ela.

    Só que conversando em tempo real, a pessoa teria a chance de simplesmente se retirar e não falar mais com você.

    Chance que não é dada quando se concede sua fala por e-mail.

    Acho que as pessoas são livres para dizer o que querem nos seus blogs, afinal é um espaço pessoal. Tem a liberdade até de excluirem comentários de oposição.

    Mas quando se propõem a trocar opiniões, como numa entrevista, deve ceder. Se não quer ceder, pelo menos tem que arcar com as conseqüências disso.

    Não significa baixar a cabeça pro entrevistado, como você não baixou.

    Mas você precisava de uma pauta, e o tio da Gota Mágica é uma interessante. Então, tem que dar no mínimo a chance da pessoa querer ou não responder suas provocações.

    Não por regrinha jornalística. Por pessoa!

    *momentinho lição de moral duma graduanda em jornalismo XDDD*

    Aliás a entrevista foi ótima, gostosa e ácida na medida! O tiuzinho é tão bem humorado quanto e pareceu sincero.

    E eu sou saudosista mermu! “Não sei por que não posso ser sincera…”*cantarola*

    Curtir

  15. Mickie-chan 27/07/2011 às 19:11 #

    Nas dublagens de CDZ e Sailor Moon havia erros demais… mas pelo menos não havia ninguém imitanto o Silvio Santos ou fazendo outros gracejos para a dublagem ficar “mais natural”. Apesar de tudo, tenho saudades da Gota e da extinta Manchete.

    Curtir

  16. Lud.M 27/07/2011 às 19:13 #

    e a mara é do tempo do Fly no SBT :

    tags: “Vovô sempre quis me ensinar” ” Ser um herói de verdade”

    LOL

    Curtir

  17. Mônica de Mattos 27/07/2011 às 21:10 #

    (rsrsrs) [3]

    Também adorei a entrevista. Foi a melhor de todas, na minha opinião.

    Curtir

  18. Ingrid 28/07/2011 às 15:00 #

    Adorei a entrevista!! Muito legal!

    Curtir

  19. Rummenigge 29/07/2011 às 15:49 #

    MARAvilhosa a entrevista. O Mário é MARIOavilhoso mesmo. Um exemplo de profissional que vai ficar pra sempre em nossos corações. Show demais o trabalho produzido na Gota Mágica. Sofro de uma semi morte sempre que penso na possibilidade de Guerreiras mágicas ser lançado aqui em dvd e não ter o elenco integral da Gota mágica (Noeli Santesteban que o diga). Seja como for, amei a entrevista. Mara, pedido-encarecido-velocidade 5: Vê se vc consegue fazer uma entrevista com a Sarah Regina: Please!!!

    Curtir

  20. klequinho Jr 22/05/2013 às 00:07 #

    Muito boaa entrevista e saudades quando no começo falavam “gota mágica SP”.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: