Os CINCO problemas GRAVES do 2º Dia do Jogo Justo

23 maio

Assim como o cometa Halley, um post sobre o segundo Dia do Jogo Justo era previsível aqui no Mais de Oito Mil. Nesse último final de semana, centenas de gamers se aglomeraram em lojas físicas e onlines para comprar seus joguinhos tão queridos por apenas noventa e nove dilmas. O primeiro dia do Jogo Justo, que aconteceu no começo do ano, trouxe 5 mil cópias de três joguinhos para os gamers, mas dessa vez tivemos 50 mil cópias, e a variedade de games aumentou de cinco para 19! Outra das mudanças foi que o número de dias também aumentou, passando de um para três. Que legal, né minna?

Muitos imaginaram que eu pegaria leve com esse dia do Jogo Justo por ter ficado amiguinha do Moacyr, mas é aí que vocês vão se surpreender novamente, pois essa introdução de texto foi tudo o que de bom teve no evento. A partir daqui, teremos um tradicional post do Mais de Oito Mil com esta blogueira reclamando das coisas. Então segura a mão da gordinha de bumbum lindo e IKIMASU ver OS CINCO PROBLEMAS GRAVES que aconteceram no segundo dia do Jogo Justo!

Antes que Moacyr começasse seu altruístico plano de livrar os games dos impostos injustos, ele recebeu um golpe inesperado de Felipe Neto. O vlogueiro que tem o dom de se aparecer mais que um certo dublador fez um vídeo cheio de palavrão para dizer que ia lutar por impostos mais justos em produtos supérfluos e que era pra todo mundo confiar nele, que era só colocar seu nome e CPF numa lista que ele ia fazer algo através do programa Preço Justo. Bem, numa época em que grandes empresas são hackeadas, o abaixo-assinado de Felipe Neto é praticamente um catálogo de documentos necessários para uma fraude. Mas não é isso que importa.

O que importa é que o  Moacyr, em seu evento para falar as próximas ações do Jogo Justo, falou para a equipe do KotakuBR o que ele acha sobre o Felipe Neto. IKIMASU dar uma olhadinha?

Deixa eu ver se a otaka aqui entendeu!

O pessoal da Acigames acha que o vlogueiro com necessidade de aceitação deveria falar menos palavrão e que descartam uma junção de forças?

Olha, nem vou falar que é idiotice as pessoas se separarem quando lutam por uma mesma causa, porque isso acaba dividindo a força, o que eu quero falar é da inconsistência do discurso da Acigames, porque olhem o que eles postaram essa semana:

“Ai Mara, sua gorda teimosa, ele tá só agradecendo porque o Felipe Neto divulgou essa semana o segundo Dia do Jogo Justo! Ele não tá sendo incoerente em seu discurso!”

Concordo, mas o que você diria quando olhamos o que ele falou EM MARÇO desse ano, ANTES da divulgação do Preço Justo?

Se isso fosse uma fábula de La Fontaine, o Jogo Justo seria a raposa e o Felipe Neto a uva.

Vamos para o próximo problema grave?

O evento teve umas mudanças estruturais, e elas evidenciaram uma falta de preparo do pessoal do Jogo Justo. O primeiro problema foi o aumento de um dia para três dias e a multiplicação dos pães… digo, dos jogos.

No primeiro dia do Jogo Justo, as atividades culturais aconteceram ao mesmo tempo da venda dos jogos, então imagino que pouca gente tenha ido acompanhar Moacyr e seus famosos powerpoints falando. Com três dias de eventos, imaginei que o primeiro seria dedicado à parte cultural e os outros dois para vendas, mas não aconteceu muito bem isso. De novo tivemos palestras do senhor ao mesmo tempo da venda, só que dessa vez, para atrair o público que não parece muito interessado no assunto, eles prometeram sorteio de jogos.

Coerência: não trabalhamos

E as vendas, como foram? Do ponto de vista das vendas apenas, foi ótimo. Os jogos se esgotaram em poucos minutos como Mupy em evento de anime, e ao final de sábado não tinha sobrado nem a raspa do bolo.

Se tudo acabou no sábado, pra que ter vários dias de evento? Será que é porque o Jogo Justo não esperava que os 50 mil jogos fossem vender em um dia apenas?

E não foi o único problema encontrado. Ligue o Datena de dentro de você e veja a d-d-d-denúncia direto do KotakuBR:

E isso mostra outro problema: Moacyr não conseguiu mudar a imagem do Dia do Jogo Justo, que continua sendo visto pelo público em geral como uma grande promoção de jogos, perdendo o lado ativístico do negócio.

Bem, pelo menos os lojistas sabem que isso é apenas um protesto do público, e não uma promoç

Bem… vamos para o próximo problema grave.

O primeiro Dia do Jogo Justo foi divulgado em todos os lugares, do Jornal Nacional até o microondas da sua casa. Só se falava em Jogo Justo. E lógico que tivemos uma cobertura parecida nesse segundo dia, não é mesmo?

Bem, não foi bem assim.

Talvez preocupados em assuntos mais relevantes (tipo a morte do aluno da Usp ou a presença da Luisa Marilac no programa da Eliana), a imprensa não deu muita atenção para o projeto do Moacyr de novo. Não tivemos Jornal Nacional e nem no Jornal da TV Aparecida. Mas o que importa é a nossa internet, não é mesmo minna?

Às 10 da manhã de sábado, esta blogueira ficou atenta ao Twitter pra ver como estava rolando. Segundo os tweets, muita gente conseguiu comprar sem problemas os jogos, mas uma coisa achei bem engraçada: a tag #jogojusto não apareceu nos TTs. E mais engraçado ainda é que Black Ops, que era um dos jogos disponíveis, apareceu. Estariam as pessoas mais interessadas em jogos que na campanha?

A imprensa da internet também deu sua contribuição ao grande evento do Moacyr:

Bem, não vou culpar a imprensa por essa falta de cobertura, pois a culpa é do Jogo Justo (e que me comprem um sorvete). A meu ver, foi um erro gravíssimo fazer o segundo Dia do Jogo Justo perto do primeiro dia. Dá a impressão pro público que o Moacyr falou “Aparecemos no Jornal Nacional, agilizem aí o segundo dia pra ontem!!!”.

Bem, um evento, por mais poderoso que seja, ele perde um pouco o seu valor e importância com repetições. Ou vocês acham que o 23º ato contra o aumento da passagem de ônibus em São Paulo vai ser mais efetivo que os outros 22 atos que aconteceram no intervalo de alguns meses?

E a repercusão negativa também teve aos montes. Digite “jogojusto” na busca do Twitter e você verá diversos sites de lojas associadas ao Jogo Justo fazendo promoções (aquelas que pedem para dar RT) usando o nome do Jogo Justo. É a Orkutização do nome Jogo Justo.

Mas teve gente que conseguiu aparecer nessa história, o que nos leva ao quarto problema GRAVE do evento.

Muitas pessoas aproveitaram a campanha do Moacyr para auto-promoção. Além de diversas lojas que nem sei o nome, o maior exemplo foi do Submarino. Veja o que eles postaram no Twitter e que me chamou a atenção:

Jogada Certa? Com hashtag e tudo? É porque vocês não viram o que tava no site de games do Submarino:

Eles criaram um logotipo e no banner publicitário estão três jogos que participaram do Jogo Justo. Aí você vê a lista de jogos e vê que ela engloba todos os anunciados pelo Jogo Justo e muitos outros num saldão de games. IKIMASU olhar?

Esse tipo de coisa apenas serve para contradizer o próprio Moacyr, que vive dizendo que esse tipo de preço é impraticável. Se é tão impraticável assim, por que eles já praticam?

“Ai Mara, sua gorda teimosa, mas o Submarino só colocou jogos velhos e ruins.”

Quanto a idade dos jogos não posso falar muito, mas vamos veralguns dos jogos ruins que fazem parte da lista de mais de cem jogos?

E a loja Saraiva, que participa do Jogo Justo, estava vendendo o Zelda de DS a 99 reais normalmente, sem contar como Jogo Justo. Só não coloco o print aqui porque vocês iam falar que eu tirei no dia do Jogo Justo etc. Não que eu me importe com o choro dos leitores.

E, depois de tudo isso, vamos para o ÚLTIMO e MAIS GRAVE problema do segundo dia do Jogo Justo!

No primeiro Dia do Jogo Justo, foi alardeado para todo mundo que era um dia em que os jogos seriam vendidos sem seus impostos abusivos, para mostrar ao público como que seria se os impostos fossem justos. E aí os jogos foram vendidos a 99 reais.

Para o segundo dia do Jogo Justo, o lema usado foi o OPOSTO. IKIMASU ver?

O JOGO É DE GRAÇA, VOCÊ SÓ PAGA O IMPOSTO

Ou seja, dessa vez, estamos pagando o valor do imposto, e não do jogo. Entendi, pagamos 99 reais de imposto nos jogos e o resto é o valor real. Vamos botar isso na ponta da caneta (tenho que parar de andar com minha vó, tô pegando essas expressões idosas) e fazer umas contas usando um dos jogos do Jogo Justo.

Nesse jogo deu mais ou menos certo, mas tem certo jogo que essa conta não faz o menor sentido.

Ou seja, o imposto no Burajiru é tão ofensivo que, se você o remover, o preço final fica MENOR que o preço original do produto. Com o Jogo Justo, então, o país vai PAGAR uma parte do seu jogo pra que você compre mais barato que se trouxer de fora. Olhando o preço, é até mais negócio para os gringos comprarem no Burajiru que em seus próprios países.

Sei que nesse valor estão inclusos o lucro do lojista, cotação do dólar etc etc, então adoraria que meu amigão Moacyr viessa a público pra, além de mostrar uma transparência nessa ação dele, explique esse valores porque a coisa tá fazendo tanto sentido quanto o último episódio de Evangelion. E quanto será que um associado paga para a Acigames? Pois eu adoraria também fazer uma continha disso.

Afinal, já que eles lutam por um objetivo público, a prestação de contas também devia ser…

Bem, esse foi o resultado do segundo dia do Jogo Justo. Muitos gamers felizes por terem comprado joguinhos na promoção (esta gorda também ficou feliz com o que comprou) e o Moacyr tentando dizer que aquilo não era uma promoção, e sim uma ação cultural.

No fim, só podemos dizer UMA COISA sobre toda essa patacoada do fim de semana:

E se você curtiu isso, talvez você curta esses outros posts:

Cobertura do Primeiro Dia do Jogo Justo

Análise do Impacto do Jogo Justo

Considerações sobre o Preço Justo

***

(Me siga no Twitter!)

(Já me curtiram no FACEBOOK?)

62 Respostas to “Os CINCO problemas GRAVES do 2º Dia do Jogo Justo”

  1. Embaixador de Alga 23/05/2011 às 20:36 #

    Fala aew, Mara!
    Curto muito teu blog e acho que posts “sérios” como este são, além de divertidos de ler, informativos.

    Uma coisa que não foi dita nas “regras” do dia do jogo justo é que só se podia levar UM jogo por pessoa. Eu queria dois, tive que ir com a namorada comprar os títulos que queríamos, porque se fosse somente eu, levaria apenas um e beijos, não reclame!
    Sacanagem ou sacanagem? No final, ambos os jogos que compramos foram pagos com o meu cartão de crédito mesmo, então, na teoria, foi comprado por uma pessoa só! Achei meio ridículo isso, mas enfim, dei meu jeito de conseguir os jogos que eu queria.
    Vamos ver se haverá um terceiro dia do jogo justo, né… E que paguemos menos, porque 100 reais por um jogo ainda está caro considerando que lá fora não pagam essa quantia toda pelos jogos. (sonho meu…)

    Curtir

  2. Marskel 23/05/2011 às 20:48 #

    YEAH!!! Post mais aguardado da semana!

    Éééé, eu ainda não entendo que porra de política de exclusão de “aliados” é essa, que fica limando loja de participar… não faz sentido. E essa de ter loja ajustando o preço por conta da campanha é real: tem muita loja na Sta. Efigênia que vende jogos nessa média de preços da promoç… digo, da campanha, e até por menos, o ano todo.

    Agora, a trollada do Submarino, com loguinho e tudo mais… não tem preço… :D

    Curtir

  3. Marcelo 23/05/2011 às 21:09 #

    Shoptime tb fez promoção tb, era Compra alguma coisa.
    E tava vendendo edição limitada de jogo (Soul Calibur por exemplo, que vem com camisa, livro e o diabo à 4) por 99 reais

    Curtir

  4. francisca 23/05/2011 às 21:14 #

    a galerinha devia abrir os olhos e ver que HÁ SIM INCENTIVO E REDUÇÃO DE IMPOSTOS DOS JOGOS, quem não baixa o preço SÃO OS LOJISTAS e A PRÓPRIA ACIGAMES.

    fucem um pouco por baixo da coberta colorida do Tio Moacyr que a verdade vai surgir. se sem imposto custa só 99, por que sites que não estão associados conseguem cobrar esse preço? tsc tsc, VERGONHA Acigames, TRANSPARÊNCIA NOW (“agora” em inglês).

    Curtir

  5. Anderson 23/05/2011 às 22:57 #

    Impressionado com a falta de noção de como um mercado financeiro funciona aos olhos da escritora e de seus leitores.

    Curtir

  6. MMC 23/05/2011 às 22:58 #

    As lojas não afliadas do jogo justo se aproveitaram da campanha para fazer suas promoções acho que chamam isso de marketing de emboscada, algo parecido. Mas a verdade é que ninguém sabe como eles formam o preço, por exemplo no Submarino estão vendendo FIFA 09 PS3 por 280 pilas, quem em sã consciência vai comprar um jogo de 2 anos atrás ?

    Curtir

  7. Akira Suzuki 23/05/2011 às 23:09 #

    Muito legal sua análise do Jogo Justo, bem mais crítico e coerente que de muito site “sério” por aí.

    Concordo com as várias críticas em relação ao projeto. Sou amigo do Moacyr há mais de 15 anos já comentei sobre essas coisas várias vezes com ele – e que ele ganharia muito mais (ou sua orelha não ficaria vermelha) aproveitando a vida.

    Mas, como é um idealista, achou que a questão dos impostos é uma boa luta – e não precisa ser empresário para saber quanto os tributos pesam no bolso. Aplaudo o cara por levar esse projeto na cara e na coragem.

    Eu apenas quero comentar que, bem ou mal, o Jogo Justo criou uma consciência sobre o problema e se um dia vingar uma queda de tributos, a contribuição do Moacyr, seja direta ou indiretamente, não poderá ser negada.

    E sobre o Submarino e outras lojas não associadas digo que trollar é fácil, mas por que não fazem esse tipo de promoção mais vezes? Taí mais uma contribuição, indireta que seja, do Jogo Justo.

    Curtir

  8. oldgamemaster 23/05/2011 às 23:54 #

    Saudações Mara:

    Parabéns pelo artigo, gostei bastante da forma como analisou os fatos e levantou os diversos pontos redundantes sobre o evento e o projeto Jogo Justo com muito bom humor.

    Destaque também para as comparações de preços e as devidas conversões, isso mostra o quanto algumas pessoas ainda se deixam enganar por números e o quanto o jogador (consumidor em potencial) deveria estar atento a tudo isso e reivindicar a ACIGAMES (Já para o próximo evento)uma explicação detalhada de como estaria funcionando todo o processo de venda de jogos.

    Gostei também da maneira como você levanta a importância do Jogo Justo como projeto cultural e uma cosncientização por parte dos jogadores para que o preço dos jogos no Brasil tenham de fato um preço justo e se torne uma realidade ideal para todos. E principalmente que não perca o seu foco se tornando um evento apenas voltado para venda de jogos.

    Eu apoio o projeto idealizado pelo Moacyr e suas intenções para com ele, mas, os empresários e lojas coligadas ao projeto tem que fazer a sua parte “Justa” e nada mais “Justo” que nós jogadores também façamos nossa parte cobrando mais transparência e organização nos eventos seguindo ao pé da letra e a risca o que esta sendo prometido.

    Mias uma vez parabéns pela iniciativa do artigo.

    Curtir

  9. johnny-sasaki 24/05/2011 às 00:26 #

    no Mercado Livre,posso comprar alguns desses mesmos jogos que apareceram aí por 60 reais…sei,a maioria é de jogos usados,mas se presta e tá em bom estado,então tá valendo…

    Curtir

  10. Diego 24/05/2011 às 02:41 #

    1) No seu próprio exemplo, você _mudou_ o preço do jogo. Lá no screenshot está a $20 e não $35!! $20 convertido para reais dá R$ 34, bem próximo dos 30 reais que você zombou. E não me venha dizer que $35 é que é o preço real, pois todos sabem que os jogos nos EUA só custam o full price na data do lançamento, depois caem mês a mês e nunca mais voltam.

    Mas isto não importa tanto, pois você entendeu errado a frase, e portanto sua conta pode até dar certo, que não significa nada.

    2) A frase é… cuidado que agora vem uma revelação… é para fins de marketing, moça!! Não é regra de mercado! Ninguém vai seguir frase de ninguém no mercado.

    Vou traduzir a semântica por trás da frase: “Imposto é o fator que, de longe, mais onera um jogo”. Só isto, tio? É, só isto! E seu exemplo mostrou isto mesmo: mesmo na sua interpretação errada, o jogo custaria no brasil 3,79 vezes mais do que lá fora (R$129/R$34), e com certeza esta não é a margem de lucro do vendedor + custos de transporte. É imposto!

    3) Putz, é tão “críptico” assim? É uma ação cultural que engloba uma promoção. A promoção chama atenção para a ação cultural. Só.

    Ninguém fez jura de sangue pra vender o jogo só pelo preço do imposto, nem para levar prejuízo ou vender a preço de custo. É simbóolico. Como se fosse pra valer, mas não é.

    É uma promoção, sim… Mas se o Maocyr resumir desta forma, os repórteres tapados não entenderiam que faz parte de algo maior, uma ação cultural (como muitos não entenderam no 1o dia do jogo justo).

    Aff.

    E os outros argumentos são fracos que se desmancham sozinhos…

    Curtir

  11. Patty K 24/05/2011 às 08:43 #

    Tava esperando esse post, Mara <3 Conheci o seu blog graças ao primeiro post falando mal, digo, analisando o primeiro dia do jogo justo!

    Só digo uma coisa: todo dia é dia do jogo justo no steam.

    Curtir

  12. Apo 24/05/2011 às 08:55 #

    Era previsível essa lambança: Agora cadê Moacyr pra se justificar? Submarino deu um mega chute no tal do Jogo Justo. Taí, dá pra comprar jogos originais a bom preço e não precisa dessa iniciativa xoxa. E sim, pesquisar. Seja no ML, Submarino, Ebay, no site da Xuxa…

    Mais uma prova que esse Jogo Justo nunca fez sentido!

    Curtir

  13. Murilo 24/05/2011 às 10:27 #

    Na boa, para de reclamar… O Jogo Justo foi um sucesso e tu ainda reclama disso tudo.

    Curtir

  14. Roberta 24/05/2011 às 10:37 #

    duas dilmas? Três dilmas? EURI uhahuahuahuaahuahua

    Post épico Mara, está de parabéns por essa cobertura, que com certeza é a melhor.

    Curtir

  15. Carlos 24/05/2011 às 10:42 #

    Na boa, não sabe o que fala, fica quieto. Se baseia em fatos virtuais. Típico de um nerd gordo virgem que não sai de casa nem pra cagar. Sai de trás do PC e tenta fazer algo melhor, já que deve ter perdido uns 10 dias pra escrever este tópico.

    Já que o senhor é um grande sabichão, porque não usa sua artimanha para ajudar o projeto ou então criar um melhor?

    Ah, esqueci, é mais fácil destruir do que construir, não é mesmo, espertalhão?

    Curtir

  16. Apo 24/05/2011 às 10:58 #

    Jogo Justo é ativismo de sofá.

    Curtir

  17. PanelaJusta 24/05/2011 às 11:15 #

    Muito bom seu texto sobre o Jogojusto,
    Com um olhar sereno e sem a empolgação daqueles que acreditam em tudo até em Papai Noel, não é mesmo.
    A parte mais absurda, acredito que foi o Moacyr pedir boicote para as empresas que não pagam ele e a Acigame, veja se ele tem um problema com o Submarino isso não pode refletir no Projeto(se é que podemos chamar isso de Projeto né), uma empresa vendendo barato está sim ajudando o movimento, no principio não era isso que o jogojusto queria?? a ajuda das empresas, e agora só aceita ajuda se pagar???
    Então se uma empresa vender barato tem que pedir permissão para o Moacyr e CIA, para vender??
    Outra coisa e a transparencia do Projeto, as informações não são claras, não é divulgado nada, principalmente numeros, enfim era um projeto que tinha tudo para ser bom, mas virou uma panela, a panelinha do Moacyr, só eles defender jogojusto, ninguém mais.
    Gostei de ver seu post, pois pensei que somente eu estava vendo essa palhaçada, o projeto virando uma maquina de ganhar dinheiro, e promoção do proprio Moacyr.
    Que bom que tem mais pessoas vendo as falhas, que eles repensem suas atitudes, e retomem o projeto como um todo, e parem de “picuinha” e que todas as lojas possam vender juntando forças, e não só as aquelas que o Moacyr gosta.

    Parabéns pelo Blog.

    Curtir

  18. Eder 24/05/2011 às 11:48 #

    Melhor “promoção” do Submarino: http://postimage.org/image/2atwp7gv8/

    Curtir

  19. David Denis 24/05/2011 às 11:53 #

    Comprei o jogo Fling Smash nas Americanas e ele veio mesmo com o controle de Wii com Motion Plus incluído. Valeu os 99,00 (pelo controle preto).

    Curtir

  20. Apo 24/05/2011 às 12:52 #

    Jogos que ficam acessíveis um dia nunca vão solucionar o problema dos preços dos jogos. Eu sou uma pessoa que não me contento com esmolas (o que realmente esse projeto faz) e prefiro ter uma solução para o problema. E o Jogo Justo até agora não solucionou! Só serviu pra encher de fama e de grana o nerd de Moleton.

    E como ele disse no último comentário: enquanto eu o critico ele fica cada vez mais rico.

    Parafraseando a Sandra Monte quando ela foi falar dos eventos da Yamato em seu blog: O mundo é mesmo dos espertos.

    Curtir

  21. PoliticoJusto 24/05/2011 às 13:09 #

    Logo mais vcs vão ver o Moacyr sair candidato para alguma coisa, perfil político ele já tem né.
    É capaz de fim com a conversa que ele como político vai conseguir resolver todos os problemas, pois vai estar dentro da politicagem e tal.
    Aguardem,

    Curtir

  22. Apo 24/05/2011 às 14:00 #

    Logo mais vcs vão ver o Moacyr sair candidato para alguma coisa, perfil político ele já tem né.
    É capaz de fim com a conversa que ele como político vai conseguir resolver todos os problemas, pois vai estar dentro da politicagem e tal.
    Aguardem,

    ——————————————–

    Mas é pra isso aí que ele tá preparando o terreno. Já vi um cara de um fórum de games dizer o mesmo!

    Curtir

  23. Diego 24/05/2011 às 14:05 #

    Gostaria também que vissem esta outra perspectiva: http://www.gameblox.com.br/2011/05/projeto-jogo-justo-ja-venceu-e-nao-sabe/

    O Jogo Justo procura baratear jogos importados, mas Mortal Kombat já é produzido aqui, Killzone também: porque estes jogos já não são mais baratos? Jogos de PC produzidos aqui já custam R$ 99,00 no lançamento, mas MK custa R$ 200,00! Procon neles? Preços abusivos?

    Acho mais coerente “derrubar o Jogo Justo” através de propostas ainda mais interessantes e lutas que vocês acreditam mais. Vão(mos) trabalhar.

    Vejam minha opinião sobre as teorias mirabolantes sobre o Jogo Justo: https://maisdeoitomil.wordpress.com/2011/04/02/mais-de-oito-mil-investigations-%e2%80%93-o-impacto-do-jogo-justo/#comment-6751

    Curtir

  24. Otaku Louco 24/05/2011 às 14:23 #

    Diego
    Imposto é uma porcentagem que vai sobre o produto. Você realmente acredita que é 99 reais em todos? igualzinho?

    Quando cai o preço do game la fora, sai mais barato para comprar e o imposto por sua vez é menor, no entanto os preços aqui não descem… será porque?

    http://jogos.uol.com.br/ultnot/multi/2010/07/14/ult530u7924.jhtm

    80% para 15%
    Se é 80% então não é 99 reais para todos os jogos.

    Jogo no Brasil sempre teve imposto alto, o que precisa é classificar “Game” de video game, como “brinquedo” que é um imposto menor.

    Card Game e outros jogos que visam disputa, são taxados mais caro, que é para evitar propagação de vicio etc etc etc (apesar de no Brasil muita coisa é até ilegal, como casinos, bingos etc).

    Importação:
    Uma loja quando compra tem um desconto no valor do produto de 40% a 60%
    Um jogo de US$ 50 fica em media 25 que em reais da 40 + 80% de imposto 72 Reais, com lucro de 100% fica 144 reais. Agora porque custa 250?
    Tempo perdido em alfandega, cada dia preso no porto de Santos custa bem caro, muitas vezes compensa desistir de uma carga. Ai você perdeu uma carga, você recupera na próxima cobrando a diferença. Por ai vai…

    Esse cara não esta fazendo caridade, está se promovendo as custas da burrice alheia, se você comprar um jogo em uma loja americana e pagar os impostos gastará menos que no “Jogo Justo”.

    (Isso que estamos falando de produto importado com 80% de imposto, o nascional tem menos e ainda sim o jogo custa 250$ – o mercado acostumou aos preços e não tem porque decer)

    Curtir

  25. mariana 24/05/2011 às 15:03 #

    porra Diego, você acha que alguém quer DERRUBAR o Jogo Justo? I JUST DON’T CARE, sei importar e tenho amiguinho que traz pra mim, quem não tem, sinto muito snif ;(

    Como já disseram, quem é que quer faturar menos? O “novo” Xbox 360 custa O MESMO PREÇO QUE O ANTIGO nos EUA, aí foi lançado aqui e… O PREÇO É MAIOR. A tecnologia ficou mais barata, o mundo inteiro paga o mesmo, mas aqui é mais caro? Geral já se acostumou a pagar 1200 num console e 250 num jogo, nenhum lojista é trouxa de perder essa margem de lucro.

    Minha sugestão? Arrumem cartão de crédito internacional, quem compra jogo é em sua maioria gente que já trabalha etc, a anuidade não é tão alta assim e compensa pra todo mundo comprar seus jogos em outros países por preços realmente justos. O melhor protesto na minha opinião é o true boicoite.

    Curtir

  26. Diego 24/05/2011 às 15:32 #

    @Otaku_Louco Não acho que é sempre a mesma proporção de imposto, mas se convenciona nos EUA, por exemplo, cobrar um valor fixo ($60) por um jogo lançamento, acho que é o caminho natural no Brasil, independente do imposto. Lembre-se que custará 99 reais no lançamento, não durante toda a vida útil do game, que tem que sofrer dramáticas reduções.

    Os preços aqui não descem aqui quando cai o preço lá fora por vários motivos: sacanagem das distribuidoras, sacanagem dos lojistas, padronização de preços, estoque de produtos comprados por preços antigos, péssima estratégia de vendas e estoque (a primeira leva de bioshock está “morto” no galpão da Saraiva de minha cidade, pois só podem ser vendidos por 150 reais, o rapaz de lá me disse que o mesmo ocorre com vários jogos), entre outros.

    Dependendo do resultado das “investigações” que estou realizando, sobre o custo de jogos produzidos no Brasil, posso até sugerir o contrário do Jogo Justo: NÃO COMPRAR jogos, a não ser que o preço baixe. Acho que o Moacyr teria a mesma posição, caso tivesse provas disto. Ainda não tentei falar com o Moacyr. Não tenho nenhum rabo preso, como pode ser visto pelas minhas diversas postagens pela web, quero justamente o objetivo final, jogos a preços justos.

    @mariana Pode até não ser intencional para derrubar o JJ Mariana, mas influencia sim e para pior a opinião pública, que esta sim, deixa de ajudar por desconfiança boba. Você não percebe, mas vcs estão fazendo política. Sim! Política contra, e pelos comentários, vcs já tem partidários. Mas que seja, que venham mais posts. Só acho uma “falta de sacanagem” ver Brasileiros com esta – falta de – postura.

    Curtir

  27. Diego 24/05/2011 às 15:41 #

    @Otaku_Louco @mariana Sobre desistir e comprar lá fora, é basicamente o que destrói nossas chances de produzir conteúdo nacional. Sou de uma produtora de games, como já citei, e sei que enquanto não tivermos compradores nacionais de jogo, mostrando ao governo e aos investidores que há sim possibilidade comercial no Brasil, continuaremos nulos no mercado de games.

    Um investidor me disse exatamente isto: não investimos no Brasil pois não há dados estatísticos de que sequer há uma cultura de games. Não há nada, absolutamente nada de dados, só sobre pirataria. Temos que convencer que somos compradores, consumidores em potencial.

    Vocês estão me dizendo basicamente o seguinte: dane-se o mercado nacional, dane-se quem não tem know-how para comprar game importado, dane-se o Brasil. Isto é que me entristesse mais: vocês não conseguem ver que estão se rendendo. É muita ingenuidade da parte de vocês não ver que é o marasmo do Brasileiro que nos traz a esta situação. Ninguém protesta.

    É guerrilha meus colegas. Com o jogo justo estamos fazendo algo, já estão surgindo questionamentos, pessoas como eu questionando o preço de jogos fabricados no Brasil, por exemplo. Logo surgirão novos movimentos, talvez “mais coerentes” e assim vamos.

    Curtir

  28. MMC 24/05/2011 às 16:15 #

    O Moacir deveria lançar a campanha Jogo Justo: o Inimigo agora é Outro.

    Curtir

  29. Dih 24/05/2011 às 16:39 #

    Mais de oito mil jogos em promoção no Submarino e só meia duzia de gato pingado no Jogo Justo. Parabéns.

    Por isso tenho PS2 mesmo, não tenho minha conta invadida na PSN e nem meu video dando 3RL. SHAME ON YOU NEXT GEN! :D

    Curtir

  30. mariana 24/05/2011 às 16:55 #

    Correção, Diego: e assim vai VOCÊ, beijos. Pessoas têm o direito de não dar a mínima se assim desejarem. Existem coisas pelas quais eu realmente levanto minha bunda, só que VIDEO GAME com certeza não vai ser uma delas (a não ser que estejam distribuindo de graça).

    Se é teu ganha pão, eu meio que só lamento por ter escolhido algo assim no Brasil, te desejo tanta sorte quanto é possível a um desconhecido (?).

    Curtir

  31. Beatriz 24/05/2011 às 17:25 #

    EU IRIA RESPONDER A ALTURA DO QUE VC MERECE, OU ALIAS NAO MERECE, MAIS VOU POUPAR EU MESMA DE ME RIDICULARIZAR PARA ISSO

    Curtir

  32. mariana 24/05/2011 às 17:27 #

    é isso Beatriz, não se ridicularize, a vida já faz isso por ti ;(

    Curtir

  33. Beatriz 24/05/2011 às 17:32 #

    POR VC FILHA, PRESTE ATENCAO NO QUE ESCREVEU E RETIRE PRA NAO FICAR TAO FEIO PRO TEU LADO..

    Curtir

  34. mariana 24/05/2011 às 17:37 #

    entrei num DeLorean e voltei pra 2005 aonde as pessoas me fazem AMEAÇAS ONLINE ;( só faltou um “você não sabe com quem está se metendo!” hahahahhah own Beatriz, obrigado por me lembrar dos bons tempos de net discada! <3

    Curtir

  35. Diego 24/05/2011 às 17:47 #

    @mariana Também lamento este país atrasado, mas mariana indo junto ou não, assim vamos nós (os que se importam).. Você tem o direito de não se importar, tudo bem. Estou levantando alguns pontos só para contrabalancear as críticas, para não ficar a voz de apenas um dos lados aqui no post, só isto.

    A luta não é por “joguinho”, aliás, é assim que nossos políticos pensam. Nós estamos sob uma efetiva sensura cultural no que diz respeito a mídias interativas, cabe a cada um avaliar o que fará a respeito disto.

    Curtir

  36. Ricardo Lima 24/05/2011 às 18:12 #

    Eu sou mais um dos que estou extremamente descrente com o proposito do jogojusto.

    O fato que me fez desacreditar no projeto foram 2:

    – a nao divulgação das vendas obtidas;
    – o nao envio dos dados para a apreciação da Presidência da República, onde que com estes dados e uma petição, apenas a assinatura da atual Presidenta já faria com que a readequação tributaria dos jogos e softwares de videogame valessem no dia seguinte por decreto presidencial, simples e obvio.

    Nenhuma destas duas situações foram concretizadas, ou seja, nós gamers estamos sendo feito de otarios e massa de manobra por conta disso.

    Agora o mais grave, entao se nao for associado a Acigames nós gamers nao devemos comprar? Que historia é essa? Que ridículo é esse? O dinheiro é meu e meu poder de compra também!

    Fica aqui minhas palavras e um excelente parabens para a postagem e o blog.

    Parabens absoluto!

    Curtir

  37. Diego 24/05/2011 às 19:18 #

    Ricardo Lima, as redes não vão divulgar isto e não há nada que o Moacyr possa fazer a respeito. Nós não vivemos em um mundo ideal.

    E achar que uma assinatura da Dilma vai mudar a tributação é viver no mundo das nuvens! A coisa não vai se resolver assim do dia para a noite. Se fosse simples e óbvio já teria sido feito antes.

    Curtir

  38. Ricardo Lima 24/05/2011 às 19:31 #

    Diego concordo com vc, mas se a proposiçao nao for levada para a apreciação da Presidência realmente nunca sera mesmo feito nada, e o proposito do jogojusto era justamente esse.

    O primeiro dia do jogo justo foi para mostrar a capacidade de vendas, colocar tudo em uma planilha em excel, anexar tudo e enviar para a Presidência, isso foi feito? Não, ou seja, estamos sendo usados como gado.

    E tem até agravante, esta associação quer mandar no que eu devo comprar, ou seja, se o lojista pagar “propina” eles vao me direcionar para as lojas conveniadas, se nao for (submarino) serao incentivados a boicotar.

    Absurdo total isso ai.

    Curtir

  39. OtakuLouco 24/05/2011 às 22:08 #

    Diego

    Quando esse tal de Moacyr conseguir um valor que vale a pena, ok, até lá é melhor comprar de fora, e nao é se render a porcaria nenhuma, mais o simples fato que meu dinheiro não e capim para engordar essa cambada de boi manso.

    Vai lutar para mudar o jogo de video game para uma categoria menos tributada e junto a lojas especializadas preços mais adequados.

    Quando as lojas verem q estão perdendo até para lojas gringas, ou elas correm atraz como manda o capitalismos, ou morre de vez o mercado nascional e trabalhamos só com importação direta atraves de sites que entregam no Brasil.

    (Desculpem algum erro no portugues, mais sem saco de revisar)

    Curtir

  40. OtakuLouco 24/05/2011 às 22:14 #

    mariana

    Cuidado “você não sabe com quem está se metendo!” a Beatrizsabe usar o Caps Lock.

    Curtir

  41. Tayson 25/05/2011 às 01:29 #

    1) Felipe Neto é um problema no Jogo Justo? Como assim? Pelo que eu vi nesses screen shots, o pessoal do Jogo Justo entrou em contato com o Felipe Neto pra ver se ele ajudava a divulgar o projeto, pelo jeito o mesmo não se interessou e ainda copiou a idéia na cara dura de um modo mais abrangente com o tal de “Preço Justo” com o intuito de se promover sozinho. O Moacyr não fez nada além de ser educado agradecendo a divulgação, em nenhum momento foi passada uma idéia de união, pois o quando o Moacyr quis ajuda, o Felipe Neto ainda não tinha copiado o Jogo Justo. Se ele tivesse usado a influência dele pra ajudar no projeto a repercussão seria absurda, mas aí não seria ideia dele e ele não seria o “fodão” da história.

    2) Ninguém tem bola de cristal pra saber em quanto tempo 50 mil cópias de jogos vão se esgotar. E se tivessem mais recursos disponíveis seriam umas 200 mil cópias pra atender uma demanda maior, mas o número de cópias de títulos disponíveis é de acordo com os recursos. Quanto às palestras, quem comprou seu jogo poderia ir assistir a palestra depois, ou quem não tinha dinheiro e queria prestigiar o evento de outro jeito, poderia ir direto pra lá. Não tem nada a ver começar simultaneamente, até porque nem todo mundo pretendia comparecer, e se acontecesse não teria lugar pra todos.

    3)Não apareceu no Jornal Nacional mas apareceu em um jornal do SBT, eu acho que isso é melhor do que aparecer na TV Aparecida. Confira o link: http://www.sbt.com.br/jornalismo/noticias/?c=5489&t=Empresarios+reclamam+de+impostos+cobrados+por+jogos

    4) O Submarino fez isso pra não ficar apagado no meio do Jogo Justo e pra se promover. Os maiores concorrentes do Submarino estavam participando do Jogo Justo, era necessário criar algo pra aparecer. Então a empresa criou a própria campanha. A maioria desses jogos que ela promoveu já estavam sendo vendidos mais ou menos a esse preço, como Assassin’s Creed II e Resident Evil 4 pra Wii. Agora é claro que o Submarino perdeu um pouco em jogos como Call of Duty: Black Ops pra se promover. Pode pesquisar o preço do jogo novo em qualquer site lá fora, convertido pro real dá em torno de R$ 89,00. Agora aplica imposto, lucro e frete pra ver se dá pra fazer a R$ 99,00. Ainda não dá pra aplicar certos preços em jogos que lançaram a menos de 1 ano, nem se forem comprados direto nos EUA.

    5) Não precisa nem falar que você usou o preço errado de Golden Sun, o preço correto do jogo é $US 19.90 em vários sites. Isso dá em média 32 reais, o que bate mais ou menos com esses seus cálculos irrelevantes.

    Curtir

  42. mariana 25/05/2011 às 07:18 #

    Tyson, brotip: quem não tem dinheiro nem tira a bunda de casa pra valer PALESTRA sobre CONTAS de impostos, tomando por exemplo o seu próprio comentário, podemos considerar isso “cálculos irrelevantes” também.

    Curtir

  43. Apo 25/05/2011 às 09:00 #

    – o nao envio dos dados para a apreciação da Presidência da República, onde que com estes dados e uma petição, apenas a assinatura da atual Presidenta já faria com que a readequação tributaria dos jogos e softwares de videogame valessem no dia seguinte por decreto presidencial, simples e obvio.

    O primeiro dia do jogo justo foi para mostrar a capacidade de vendas, colocar tudo em uma planilha em excel, anexar tudo e enviar para a Presidência, isso foi feito? Não, ou seja, estamos sendo usados como gado.
    ——————————————–

    E não é isso mesmo? Nos comentários do Post Anterior fica explícito isso que o Moacyr está echendo a rabiola de dinheiro em cima desse engodo.
    ——————————————–
    Vai lutar para mudar o jogo de video game para uma categoria menos tributada e junto a lojas especializadas preços mais adequados.
    ——————————————–

    Tá na cara que o NDM (Nerd de Moleton) não vai fazer isso. Vai ficar com essa de esmola virtual com seu projetinho de quinta e tudo fica legal para os incautos e a vida se segue.

    Acabei concluindo que o Brasil é um país de aproveitadores!

    Curtir

  44. Marskel 25/05/2011 às 10:11 #

    O primeiro dia do jogo justo foi para mostrar a capacidade de vendas, colocar tudo em uma planilha em excel, anexar tudo e enviar para a Presidência, isso foi feito? Não, ou seja, estamos sendo usados como gado.

    Exato. Ninguém tem a ilusão de que a Dilma faça o reajuste nos encargos, mas isso é algo que só pode ser feito através do governo. E é por isso que eu não tenho fé nessa idéia: não é o tipo de coisa que vinga com o “sucesso” de um dia (que é visto como queima de estoque tanto pelos lojistas quanto pelo público-alvo), mas se baseando em cima de quais encargos existem em cima desse produto, quais desses encargos podem ser reajustados, se é possível mudar o produto de categoria (o que mudaria os encargos) e por aí vai. Sim, dá um puta trabalho, mas é assim que se faz. Não promovendo uma pseudo-consultoria que não deixa claro como quer atingir seus objetivos – convenhamos que se “baixar o preço” é um bocado vago prá nós, imagine para um deputado.

    O Moacir deveria lançar a campanha Jogo Justo: o Inimigo agora é Outro.

    HAUHEUAHUEHAUHEUAHUEHAUH!!! GENIAL!!!

    Curtir

  45. Marskel 25/05/2011 às 10:17 #

    O primeiro dia do jogo justo foi para mostrar a capacidade de vendas, colocar tudo em uma planilha em excel, anexar tudo e enviar para a Presidência, isso foi feito? Não, ou seja, estamos sendo usados como gado.

    Exato. Ninguém tem a ilusão de que a Dilma (e única e exclusivamente a Dilma) faça o reajuste nos encargos, mas isso é algo que só pode ser feito através do governo. E é por isso que eu não tenho fé nessa idéia: não é o tipo de coisa que vinga com o “sucesso” de um dia (que é visto como queima de estoque tanto pelos lojistas quanto pelo público-alvo), mas se baseando em cima de quais encargos existem em cima desse produto, quais desses encargos podem ser reajustados, se é possível mudar o produto de categoria (o que mudaria os encargos) e por aí vai. Sim, dá um puta trabalho, mas é assim que se faz. Não promovendo uma pseudo-consultoria que não deixa claro como quer atingir seus objetivos – convenhamos que se “baixar o preço” é um bocado vago prá nós, imagine para um deputado.

    O Moacir deveria lançar a campanha Jogo Justo: o Inimigo agora é Outro.

    HAUHEUAHUEHAUHEUAHUEHAUH!!! GENIAL!!!

    Curtir

  46. Beatriz 25/05/2011 às 11:06 #

    concordo…”O Moacir deveria lançar a campanha Jogo Justo: o Inimigo agora é Outro”

    filha.. nao foi ameaça nao, e nao entro em briga de quem so quer IBOPE e que o BLOG tenha acessos as custas de maldade sobre pessoas.

    Curtir

  47. Panina Manina 25/05/2011 às 12:33 #

    Esse é o site do flame.
    A Mara é muito esperta, posta e depois fica só observando os comentários de longe, rindo.

    Trouxas.

    Curtir

  48. Ritalinando 25/05/2011 às 12:50 #

    “O jogo é grátis! — Você só Paga o Imposto!”

    Seria o máximo, mas não é. Quem paga o jogo então?
    Alguem está pagando o jogo e não é por bondade.

    Curtir

  49. Apo 25/05/2011 às 13:06 #

    Esse é o site do flame.
    A Mara é muito esperta, posta e depois fica só observando os comentários de longe, rindo tomando aquárius fresh, comendo cheetos se balançando numa rede assistindo a tudo com o seu Notebook Vaio.

    Kaskaskaskas

    Curtir

  50. Bruno Palaoro 25/05/2011 às 13:27 #

    Isso chega a ser deprimente. Galera enaltecendo o Submarino pelo que fez, que foi um tapa na cara do Jogo Justo. Que absurdo, pqp, é muita falta de noção.

    Curtir

  51. Vic 25/05/2011 às 15:26 #

    cara, se vc quer ser tratado como gente grande tem que agir como tal. O que vc esta sitando como erros, são pedras no caminho, que acredito fogem do controle da ACIGAMES.
    Queria ver alguem dos que reclama organizando um evento desse tamanho, sem todos os “erros” mostrados aqui.

    Curtir

  52. Marskel 25/05/2011 às 16:37 #

    Galera enaltecendo o Submarino pelo que fez, que foi um tapa na cara do Jogo Justo. Que absurdo, pqp, é muita falta de noção.

    Realmente é muita falta de noção. É isso que dá a falta de informação e ficar dividindo forças em uma ação que deveria ser conjunta.

    O que vc esta sitando como erros, são pedras no caminho, que acredito fogem do controle da ACIGAMES. Queria ver alguem dos que reclama organizando um evento desse tamanho, sem todos os “erros” mostrados aqui.

    Eu entendi que a Mara postou apenas questões, que foram justificadas. O importante é que alguém os responda (se puder), e que apresente alguma idéia do que possa ser feito a respeito, afinal só assim prá se atingir qualquer objetivo que seja. Não pense que a Acigames faz o que faz por filantropia. Sendo assim, se ela precisa de apoio, tem que conquistar o público-avo sanando as suas dúvidas, e não apelando prá “colher de chá”.

    Curtir

  53. mariana 25/05/2011 às 18:55 #

    Adoro como as pessoas sempre mandam um “se não gosta, faz melhor”. puta que pariu, não posso apenas NÃO GOSTAR E PRONTO? quando tu não gosta da música duma banda, vc sai por aí aprendendo a tocar guitarra pra tocar melhor? não, ora bolas, você não escuta e pronto, segue sua vida.

    E Beatriz, não quero IBOPE não querida, quero que você volte pra cozinha e faça um sanduíche.

    Curtir

  54. Ricardo Lima 25/05/2011 às 19:44 #

    Nossa, é de desacreditar que uma discussão muito válida tenha se tornado uma critica contra um site.

    É nessas horas que eu agradeço a Deus por não viver em lugares como Afeganistao, “naoseioquenistao” da vida.

    O nome disso é liberdade de expressão, todos nós devemos praticar um pouco disso sim e principalmente respeitar a opiniao das outras pessoas.

    Eu tenho minha opiniao formulada conforme estão nas postagens acima e que foi citada várias vezes nas postagens seguintes. Quem concorda com o rumo que o projeto está tomando, tudo bem, qual o problema?

    Agora vir aqui e criticar o blog?

    Lembre-se de que o ponteiro do mouse obedece à pessoa que o conduz e não o contrário.

    Existe também uma liberdade de não acessar, já que está dizendo que o site não deveria chamar esta questão para o debate.

    Curtir

  55. Fernando 25/05/2011 às 20:47 #

    Eu estou esperando você publicar um post: “5 coisas que poderiam melhorar no Jogo Justo”, ou, no estilo mariana de ser: “5 coisas que o Jogo Justo fez errado e eu sei como resolver”. Não é questão de fazer melhor (até pq tenho minhas dúvidas sobre a capacidade para tal), mas sim participar, tentar melhorar, afinal, vc também não quer comprar jogos com um preço justo no Brasil? Vc não quer um mercado de games forte, com grandes produtoras e desenvolvedoras por aqui? Seria até capaz de apostar que vc gostaria de trabalhar com isso.
    Não vou entrar no mérito dos 5 problemas que vc citou, até pq culpar o Jogo Justo pelo fato do submarino ter feito promoção é, se não o fim da picada, pior do que isso.
    Agora à vc, que já foi líder de 3 movimentos populares e que graças a vc conseguiu atingir o objetivo de primeira, vc que já presidiu 3 ou 4 associações de mercado e que atendeu à todas as necessidades e exigências do mercado com louvor, crescendo as respectivas áreas que estavam sob seu domínio, te peço, encarecidamente, que ajude nós, meros mortais, a fazer o Jogo Justo (ou os ideais dele) acontecerem o mais rápido possível. Tenho certeza de que com todo o seu conhecimento e talento, vc vai conseguir fazer tudo o que precisa para que, até o lançamento de Duke Nukem, possamos comprá-lo por 89 reais no carnê das casas bahia (afinal somos todos pobres para achar que 99 reais é um preço absurdo a se pagar para tentar melhorar alguma coisa neste país).
    Se vc não estivesse atrás de audiência, tenho certeza que já teria enviado um email particular para o Moacyr citando os problemas (eu disse problemas, que, dos 5 que vc listou, juntos, não dão nem umzinho se quer), e como vc acredita que poderia melhorar. Tente entender a causa primeiro antes de ficar falando bobagem. Use o seu precioso tempo livre para fazer algo de útil para a população, quem sabe vc pode até ganhar um Obrigado do Moacyr pelo Twitter que, para quem não quer audiência, acredito ser uma boa forma de receber um obrigado.
    Também peço que vc não perca seu tempo respondendo algo para mim. Use este tempo para fazer o post que eu falei. Se cada desocupado que fica falando bobagem sugerisse 5 coisas que poderiam melhorar no Jogo Justo, o trabalho pesado não ficaria só para a AciGames e eles poderiam, por exemplo, passar mais tempo fazendo continhas de matemática e reduzir o seu trabalho fazendo as tais continhas.

    Curtir

  56. Apo 25/05/2011 às 20:52 #

    Adoro como as pessoas sempre mandam um “se não gosta, faz melhor”. puta que pariu, não posso apenas NÃO GOSTAR E PRONTO?

    ———————————————————-

    Sem contar o papo de você está com inveja e o tititi básico. Vejo gente não ganhando nada com isso (ou achando que ganha com esse projeto) vir aqui defender com unhas e dentes o Nerd de Moleton. Ou será que o Moacyr também paga pra essas pessoas encherem o saco com mimimi em comentários de blogs que não vão contra seus interesses?

    Curtir

  57. Apo 25/05/2011 às 20:59 #

    Também peço que vc não perca seu tempo respondendo algo para mim. Use este tempo para fazer o post que eu falei. Se cada desocupado que fica falando bobagem sugerisse 5 coisas que poderiam melhorar no Jogo Justo, o trabalho pesado não ficaria só para a AciGames e eles poderiam, por exemplo, passar mais tempo fazendo continhas de matemática e reduzir o seu trabalho fazendo as tais continhas.

    ——————————————————–

    Ótimo fico com o argumentos de um dos comentários:

    – o nao envio dos dados para a apreciação da Presidência da República, onde que com estes dados e uma petição, apenas a assinatura da atual Presidenta já faria com que a readequação tributaria dos jogos e softwares de videogame valessem no dia seguinte por decreto presidencial, simples e obvio.

    Por que ele não conversa com os poderosos do governo para começo de conversa? Engraçado que quando é pra se pensar em preços mais convidativos pros jogos deveria se pensar nos impostos embutidos por trás deles e como fazer com que esses produtos sejam acessíveis. Mas ele quer fazer disso um evento para se promover. E depois não quer ser criticado!

    Curtir

  58. mariana 25/05/2011 às 21:05 #

    Fernando, qual parte do I DON’T GIVE A SINGLE FUCK sobre games no Brasil tu não entendeu?

    Não compro jogos aqui, nem consoles, eu importo. Se tá difícil pra quem compra aqui, tá facio p/ ninguém, não fiz Universidade Madre Teresa de Calcutá pra ficar pensando em como melhorar a vida dos outros no sentido COMPRAR JOGOS DE VIDEO GAME.

    Curtir

  59. Apo 26/05/2011 às 09:38 #

    Por essas e outra que acho o comportamento dos Gamers não difere em nada do Otakus. De um lado um bando que acha que os games podem fazer o mundo melhor do outro acham que são os animes os salvadores do mundo. Convivi durante muito tempo com as duas tribos e cada dia que passa se comprova vejo muitos adeptos se fanatizarem ao ponto de defender causas escusas. Chega a ser cômico e patético ao mesmo tempo onde um ser humano pode chegar!

    Curtir

  60. Beatriz 30/05/2011 às 11:27 #

    ridícula.. e sem noção

    Curtir

  61. mariana 30/05/2011 às 11:33 #

    Beatriz comenta em matéria velha pra fingir que ganhou uma internet fight, VEM VER SÓ, GENTE!

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: