Mais de Oito Mil Interview

Mais de Oito Mil Interview – Mara entrevista Gabrielle Valério, a cosplayer Pé Frio

Oi Minna! Finalmente uma entrevista com alguém que o Jbox não entrevistou ainda, né? Olha que evolução! A nossa convidada de hoje é Gabrielle Valério, a cosplayer que ganhou ano passado o WCS aqui no Burajiru junto com Gabriel Cacatua. E Gabrielle está aqui conosco hoje para falar um pouco de como começou no mundo cosp… o que foi, produção? Eu não perguntei isso? Bem, o que importa é que descobrimos um pouco mais sobre sua vida e sobre seus projet… eu também não perguntei isso? Que seja, o que importa é que teremos uma entrevista simpática pra falar sobre o mundo dos cosplayers e das pessoas que estão avantajadas demais para suas fantasias. Pare agora mesmo de achar que o Anime Friends voltou as salas por clamor do público e IKIMASU ver essa entrevista!

 

Mara – Gabrielle, muito obrigada por aceitar dar uma entrevista para um blog como o meu, mesmo depois de eu espalhar boatos que você era pé-frio.  Agora me diga, depois de ter perdido o WCS na Grande Nação Japonesa ano passado e de ter acontecido um terremoto e um tsunami no país coincidentemente quando você estava lá, você se considera uma pessoa sortuda?

Gabrielle – Valeu pelo convite (e desde já perdoe as mil gírias que uso, é mais forte do que eu :D)! Mas discordo da parte “boato”. Pé-frio aqui é fato!  Coitado do Juno só conseguiu ganhar o WCS quando eu desisti de participar e ele arrumou outra dupla. Só ganhei no Brasil também porque não botava fé, e logicamente perdi no Japão porque aí sim eu botei fé (Comentário da Mara: É porque ela não acreditou no meu post profético.). lol. O terremoto no Japão foi culpa da agencia, que exagerou no pacote “com emoção” que pedi. Mas conseguiu tornar a viagem inesquecível.

Mara – Você já disse em entrevistas que gastou centenas de reais em uma única fantasia. Você acha que só gente das classes mais abastadas consegue  aproveitar o cosplay ou você acha que alguém que não consegue nem comprar uma cesta básica também consegue brincar de cosplay?

Gabrielle – Pô, a cesta básica também tá cara… Mas pra “brincar de cosplay” basta gostar do que está fazendo e não sair comprando tudo na primeira loja, pesquisa e gasta um pouquinho por mês pra não pesar tanto no bolso. E não precisa escolher um cosplay caro pra garantir a diversão. Fiz uma Ino (de Naruto) com R$30, só pra fazer grupo com uma amiga, por exemplo. O cosplay que mais curti até hoje foi um Cactuar de Final Fantasy que gastei menos de R$ 50, todo de espuma e com tecido colado. O problema é premio? O Cactuar me rendeu Gamecube (Comentário da Mara: E você achando ruim os prêmios de hoje em dia, heim minna?) , radio, diskman (na época ainda usava, ok. E eu não sou velha! :D), e outros brindes… O cosplay mais caro foi a Rozalin, nele gastei a centena de real, mas porque não sei costurar, aí não acho justo minha tia fazer essa parte e não receber nada, então paguei por metros e mais metros de saias. Se a pessoa sabe costurar e onde comprar tecidos baratos (tipo, Brás, Bom Retiro, 25 de março em São Paulo), sai bem mais em conta.

Ou usa material reciclado, tipo a Silmeria :) eu acabei com os jornais de casa pra fazer a armadura (Comentário da Mara: Pelo menos alguém achou utilidade para aquela assinatura da Folha de São Paulo) e paguei 1 real (literalmente um real) nas botas, que comprei em um brechó de igreja na Zona Leste! Gasto mesmo foi só com os tubos de cola branca e tinta.

Então gastar pouco é possível e também garante diversão nesse meio. (Principalmente nas fotos, se você achar uma desse meu Cactuar até eu morro de rir, ele é muito tensoooo hauahuahaua E mesmo assim tem um espaço no meu coração!) (Comentário da Mara: E lógico que fui atrás dessa foto para ilustrar o post e a vergonha alheia da entrevistada)

(Deu pra ler até aqui sem dormir e sem que eu confundisse tudo? :D)

Mara – O mundo dos cosplayers é cheio de gente que quer puxar tapete e acabar com o outro. Você acha que esse mundo é cor-de-rosa ou já sofreu com gente tentando te prejudicar?

Gabrielle – Só no mundo dos cosplayers?? Ali o negocio é sussa se for ver verdadeiras “puxadas de tapete”! Mas a diferença é que cosplay é hobby, não é profissão. Então que “tapete” exatamente tem pra ser puxado? Não existe um “lugar” pra ser tomado, campeão é por concurso, final do dia todo mundo é abóbora de novo (Comentário da Mara: Gabrielle samba na cara de quem se acha só por fazer cosplay. Amo meus entrevistados.) e ano/mês/dia ou até hora seguinte tem mais. Tem inveja sim, briga de ego, disputa de popularidade, mentiras… Igual tem em colégio, empresas, em qualquer concurso, na vida num geral.

Pra mim o que tem são pessoas, com todas suas imperfeições em concursos onde vale o “que vença o melhor” (na opinião dos juízes, claro). E eu to muito filosófica lol. (Comentário da Mara: Agora frase motivacional virou filosofia. Daqui a pouco J-Rock vira música.)

Eu também não sou nada perfeita, não sou obrigada a gostar de tudo e muito menos agradar a todos. Mas não curto armar nem estar em um barraco, se tem alguém querendo me prejudicar seja como for eu me afasto, simples assim. Ou se valer MUITO a pena tento resolver com a pessoa, vai que foi um mal entendido… Senão foda-se, sigo minha vida, e cai no esquecimento, porque a memória de peixe dourado aqui não ajuda muito também. Aí meu mundo fica azul, bem real, e não esse rosa falso feio.

Mara – Tem certos cosplayers que não aceitam muito bem críticas e vêm em blogs que quinta categoria como o meu para reclamar e ameaçar minha pessoa. Os cosplayers deveriam aceitar melhor as críticas ou os críticos deveriam parar de emitir suas opiniões?

Gabrielle – Eu acho que deveria existir uma prisão pra quem tem opinião, onde eles deveriam ser amarrados com arame farpado, mordidos por dragões-de-komodo, jogados no ácido e torturados também de outras formas pelo resto da vida! Principalmente pra você que quer um mundo cor-de-rosa e não azul, que obviamente é muito melhor. Epa, isso foi uma opinião! O.o Oh noes!!! (Comentário da Mara: Minna, isso foi uma piada da entrevistada)

Mas falando sério, nem todo mundo gosta de ser criticado e nem todo mundo tem senso de humor. Eu acho criticas muito melhor que elogios. Costumam ser mais sinceras e ajudam a melhorar algo que muitas vezes não enxergamos. Tem as criticas toscas, do tipo “isso é uma bosta”. Ta, opinião da pessoa, ela achou uma bosta, ta no direito dela, mas uma bosta PQ? Disserte! Ajude a pessoa a melhorar ou ignorar sua opinião :D Alguns casos também são pessoas escrevendo qualquer coisa só pra causar. Aí não dá corda, é só abstrair (Comentário da Mara: Senti uma alfinetada)

Mara – Você é linda, loira e magra, então todo cosplay cai bem em você. Um verdadeiro cosplayer deveria procurar um personagem que tenha a ver com seu físico ou devemos aturar Sailors gordas e heróis com barriga de chopp?

Gabrielle – Ai, assim eu fico metida! Só melhoraria se no lugar de magra fosse gorda, to cansada do modelito palitinho (Comentário da Mara: Amiga, tem muitas cosplayers que comentam no meu blog que adorariam lhe ceder umas arrobas). Só falta criar vergonha na cara e comer que nem gente e não passarinho. Mas voltando!

Fake isso que tudo cai bem, hein, se eu quiser fazer um cosplay de Whitebeard (ou Barba branca, o do One Piece) não rola, ia gastar muito com espuma e enchimentos! Nem cospelada, falta peito e bunda! (Comentário da Mara: Esse termo é novo pra mim. Adorei!) Mas aí vai muito de opinião. Eu procuro personagens que tenham um tipo físico raquítico ou infantil, porque cai melhor em mim, prefiro assim.

Mas se a pessoa quer fazer um personagem e não tem o tipo físico não acho que tenha que se matar na academia, nem parar de comer e ficar doente por isso. Vale a diversão, deixa a pessoa ser feliz :D Agora, fazer pra se sentir mal depois também não rola! Se já vai pensando no que os outros vão dizer melhor nem começar (Comentário da Mara: Algumas cosplayers gordas sentiram uma alfinetada). Ou agüenta e leva na esportiva ou sofra com opinião alheia, pois na internet ninguém pega leve… (Comentário da Mara: Vixeeeee!) Ta na dúvida pede ajuda, pergunta pra alguém, mas não pra mãe. Opinião de mãe não vale. Mas eu apoio versão SD fofíssimos! *-*

Mara – Atualmente, qualquer pessoa de qualquer canto do Brasil pode participar das seletivas do WCS (por exemplo, uma dupla de São Paulo pode concorrer em um evento do Nordeste), mas, na sua opinião, isso não estaria limitando os participantes locais que não têm tanta tradição nos cosplays?

Gabrielle – Eu sou contra separar por região. Todo mundo é brasileiro. Separar é menosprezar o potencial deles, vão enfrentar os mais “tradicionais” de qualquer forma na final. Prefiro a mistura, trocar experiências, aprender. Perguntar direto pra uma pessoa como ela fez algo que você gostou é mais fácil que adivinhar por videos e fotos. Olha a dupla do SANA mesmo, a Mara e o Paulo. (Comentário da Mara: Precisa avisar que não sou eu?) Eu adorei a apresentação deles. Eles foram ainda pro Rio, competiram com “tradicionais” e venceram. E eu aprendi a fazer uma espada de LED que vira um chicote 8D

Mara – Muitos programas, como o Esquenta e o Programa da Eliana, andam exibindo pautas de cosplay para ocupar espaço no programa, só que eles sempre exibem como algo incomum, de gente “moderninha” e desocupada. Esse tipo de abordagem não acaba prejudicando como as pessoas vêm o cosplay no Brasil?

Gabrielle – Divulga o cosplay, mas de uma forma muito superficial. Não acho que prejudica, porque as pessoas que não conhecem mal prestam atenção no que foi falado, só olham as roupas. (Comentário da Mara: Coice na cara de quem curte essas matérias porque “divulga a cultura da Grande Nação Japonesa mimimi”) Quem se interessar mesmo, vai pra internet, aí sim pode prejudicar ou melhorar a imagem, tudo depende da onde o Google levou a pessoa! O resto vai dizer “ah, isso é o tal de cosplay? hm.” e esquecer.

Mara – Antigamente, a maior atração de um evento de anime era o concurso cosplay, e hoje em dia é a apresentação de cantores japoneses que não têm relevância alguma em seu país. O interesse pela criatividade das apresentações de cosplay perdeu para o interesse de ver o Kageyama cantando Soldier Dream de novo? 

Gabrielle – Opa, mas como assim sem relevância? Kageyama tava na final do WCS japonês também, e o povo tava delirando lá. (Comentário da Mara: Delírios, delírios) Eu nunca vi um show aqui desses artistas pra ser honesta…

Agora, quando o assunto é cosplay, lá fora ainda é valorizado, o pessoal realmente gosta. Aqui foi perdendo o interesse por vários motivos, e aí entra a minha opinião, não que seja um fato consumado, mas quem afastou as pessoas do cosplay foram os próprios cosplayers, os eventos só fizeram nossas vontades pensando no lucro.

Deixa eu tentar explicar, se prepara pra biblia… (Comentário da Mara: Já estou aqui com o livro aberto em Coríntios)

Antes as pessoas se interessavam pelo hobby por andar em eventos e conversar com cosplayers, O acesso era muito mais fácil, e as pessoas mais simpáticas também, o interesse surgia pelo amor que os cosplayers passavam para outras pessoas, seja por fazer tudo da roupa, interpretar ou simplesmente por uma homenagem a um personagem que curtia. Ou até pela oportunidade de conhecer muitas pessoas nos eventos. Mas aí nós (eu me coloco nessa também ._.) queriamos uma área pra facilitar o conserto de roupas, espelhos pra maquiagem, com água e comida, vestiário e etc… A área cosplay.

Foi sensacional pros cosplayers, péssimo pro público e entusiastas. Afastou os cosplayers mais trabalhados do público, pessoal mal conseguia uma foto, imagina conversar mesmo com eles… Aos poucos parecia uma barreira entre “dois mundos” (Comentário da Mara: Pocahontas Feelings). E amor pra virar ódio é rapidinho, ainda mais quando alguém se sente menos privilegiado, afinal publico pagava igual cosplayer, porque o tratamento especial? Assim foi morrendo o interesse de boa parte dos que não sabiam por onde começar pra entrar nesse clubinho. As fofocas também ajudaram a afastar. Quem se interessa hoje ou conhece alguém do meio já ou arriscou algo depois de ver na internet. Os eventos pra tentar atrair mais melhoraram os prêmios. Mas nem isso ta segurando tanto mais… A maioria agora só olha, fala que é coisa de criança e vai embora. Aí o que resta em eventos? Compras e shows (quase sempre dos mesmos japoneses).

Mara – Atualmente houve uma certa orkutização do cosplay, ou seja, tem gente fazendo cosplay de personagem do Zorra Total, de desenho americano e de coisas genéricas como Gothic Lolita. E esse mesmo tipo de gente tá conseguindo ganhar primeiros lugares em muitas premiações. Em eventos de anime e mangá, você acha que deveria haver um foco nas coisas japonesas ou continuar esse samba do afro descendente com disfunção mental?

Gabrielle – Vai do evento, se os caras liberaram… Fala pra uma Lolita no Japão que ela é cosplayer pra você ver uma coisinha doce ficar puta da vida… Mas como cosplay não começou no Japão muito menos com animação japonesa, creio que não há nada de errado nos eventos em liberar essa festa do caqui… (Comentário da Mara: Como dizem nos comentários do blog, inventa de ir de Naruto num evento de Star Wars pra ver a boa recepção.)

Mara – Muito obrigada de novo pela entrevista, Gabrielle. Queria deixar alguma mensagem, algum alô, alguma pequena dica, qualquer coisa para os leitores do Mais de Oito Mil?

Gabrielle – oi :) Beijo pro Juh, senão ele fica enciumado! :D Ta, além disso, né? Sem estresse, levem a vida mais na boa, não alimente os trolls, num gostou pegaeo. Bjs, me twitta. Tchau.

***

(Eu tenho Twitter!)

(Já me curtiram no FACEBOOK?)

23 comentários em “Mais de Oito Mil Interview – Mara entrevista Gabrielle Valério, a cosplayer Pé Frio

  1. A entrevista foi ótima, gostei muito.
    Alias um fan de Naruto seria muito bem tratado um evento de Star Wars do um Trekker.

    Curtir

  2. Mara.

    Eu te amo.

    Parei. Enfim, eu fico sem palavras pra comentar q q eu achei do seu blog, uma amiga minha me passou, e foi o melhor dia do ano pra mim. (eu já comento da entrevista D:)

    Faz um tempo que não compareço aos eventos devido a todos os contras q vc relata tão bem aki no seu blog, mas já fui piolho de cosplayer estrelinha, sei mto bem a quantas anda essa vida. Ler seu blog é fantástico. Seus comentários, suas fanfarronices, é tudo sensacional, vc tah de parabéns. E é tudo na dose certa (insana), tudo montado maravilhosamente bem.

    Seus reviews de animes, *********** fiquei abismado com a realidade oculta desses animes ninjas que se escondem atrás de peitos e fanservice xD

    Vc conseguiu arrumar um fã de carteirinha *_*

    Voltando a entrevista, muito boa, a gabrielle parece ter uma noção de mundo bem a frente da que temos nos cosplayers de hj, mas tb tah explicado, ela já é bem “experiente” no assunto xDDD

    Orkutização do cosplay foi sensacional xD

    Continua com esse belo trabalho crítico moça *_*

    Super duper parabéns pra vc ;D

    Curtir

  3. Entrevista excelente, parabéns pras duas. Só não concordo na parte da orkutização do cosplay, cosplay é cosplay e não tem que ser necessariamente de anime (eu mesma fiz cosplay de The Guild).
    Enfim, Gabrielle Valério é DIVA.
    Ah, e /2 no comentário do @arbalesco, seu blog é realmente fantástico.

    Curtir

  4. A única parte ruim é ficar de mimimi dizendo que só agora arrumou “uma entrevista com alguém que o Jbox não entrevistou ainda”. Se quisesse, aposto que o Zé Roberto (BK) dava uma entrevista exclusiva. Fica a dica.

    PS: detratores, CHUPEM!

    Curtir

  5. gostei da parte da cospelada. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk agora a mara vai usar esse termo(oremos que sim)

    Curtir

  6. Viu Mara,
    Existe vida inteligente no mundo dos cosplayers. Realmente, a cesta básica está cara, bemmmm cara!!!

    Sério, a Gabrielle não parece ser “deslumbrada” como muita gente aí. E nem faz do WCS um foco de vida (ao que parece).

    Realmente, muito boa a entrevista! Qual o Twitter dela? Fiquei com vontade de segui-la!!!

    Sandra Monte
    http://www.papodebudega.com

    Curtir

  7. kaoli eh kaoli , fui agraciado de conhece-la na final do ycc duplas de 2009 e ela eh assim mesmo gente boa demais
    pena que nao tive mais oportunidades mas ela nao me escapa …. adore ela e o juno que me deram muito apoio !
    parabenssss

    Curtir

  8. “Ótima entrevista Mara, mas pelo visto o blog já tem sua mais nova musa, a Gabi.”

    corrigindo, o blog nunka teve uma musa, agora tem =}

    Curtir

  9. (Comentário da Mara: Como dizem nos comentários do blog, inventa de ir de Naruto num evento de Star Wars pra ver a boa recepção.)

    Ai fui citado, sujou.

    *Apo rouba um patinete do Ben 10 e salta sob uma rampa plagiando o filme do ET.

    Curtir

  10. Alias um fan de Naruto seria muito bem tratado um evento de Star Wars do um Trekker.

    ——————————————–

    Sem bandana ou roupa de Akatsuki, você é aceito por todo mundo. Fikdik.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s