Arquivos | MdOM Doramas Feed RSS para esta seção

MdOM Doramas – Gustavo Card Captor

31 out

Eu nunca mais compartilho meus momentos com vocês, leitores ingratos! Como, em quase três anos de Mais de Oito Mil (é, o aniversário tá pertinho), ninguém NUNCA me mostrou Gustavo Card Captor? Isso é tão imperdoável que vocês merecem ficar presos numa palestra com blogueiros explicando que Haruhi Suzumiya deve ser visto na ordem de lançamento ou na ordem cronológica.

Se você, assim como eu, como sua mãe, como a dona Maria, não sabe o que é Gustavo Card Captor, eu explico em poucas palavras: tekpix + vergonha alheia.

O episódio completo de oito minutos você pode ver aqui, mas sabemos que você não assiste nada maior que uma abertura de anime, então preparei uma análise ESPECIAL deste primeiro capítulo.

Se esqueça que você pegava a chave da sua casa falando “chave que guarda o poder das trevas…” e IKIMASU ver a análise desse vídeo gentilmente enviado pelo leitor Matheus Vieira.


Uma cena especial para todos nós que sonhávamos em fazer que nem a chuva de cartas do programa da Xuxa… ou da Eliana… ou da Angélica… ou da Mariane… ou da Dudalegria… ou da Patty Beijo… ou da Mitsui… ah não, essa não tinha carta porque ela foi retirada do ar depois de umas duas semanas.

Só que no lugar das cartinhas de crianças semi-analfabetas, na abertura de Gustavo Card Captor são as cartas que ele pegou daquela revista oficial da Conrad, que ensinava até a prever o futuro com elas. Eu era o sucesso da minha escola com aquilo…


Gustavo só deve ter se submetido a esse papel pelos seguintes motivos:

1- Foi ameaçado por uma amiga que sabia algum podre

2- Foi ameaçado por sua irmã que sabia algum podre

3- É tão consciente de sua virilidade que não se importa em fazer um papel desses

Se a resposta for a número 3, e sabendo que o vídeo é de 2009, o Gustavo deve estar uma graça hoje em dia. Cadê meus leitores detetives para encontrar Gustavo?


Gustavo Delicinha encontra o livro do mago Clow enquanto a história é narrada por uma garota imitando a voz do Netotin. Esse começo parece uma apresentação de slides no PowerPoint, então a qualquer momento você sente que vai dormzzzzzzzz


Como cosplay não tá fácil pra ninguém, Gustavo pegou sua amiga, vestiu de Noiva do Kill Bill e colocou orelhinhas de gato e óculos de hipster para parecer otaka. Voilá, temos um Kero-chan!

Os dois conversam como se fossem pessoas andando em um Anime Friends, sabe? Imitando aqueles gritos inesperados e as interjeições desnecessária? Só não reclamo mais porque o som está pior que os primeiros Video Quests, então não preciso entender.


O Kero faz a magia e aparece o báculo para Gustavo, e a arma é um cabo de vassoura. Não estou exigindo grandes orçamentos em um filme caseiro despretensioso, mas fiquei achando que a qualquer momento o protagonista ia botar a vassoura no chão e começar a dançar:


Voltando, aparece um barulho gigante no lado de fora da casa, e você imagina que é um daqueles bichões que apareciam em Sakura Card Captor. E você se pergunta “mas ué, como eles farão os efeitos especiais daquelas criaturas fabulosas”? E a resposta é mais fácil que achar um episódio de reunião do anime em uma casa de banhos:


Eles usaram o mesmo truque safado de Power Rangers de robar as cenas elaboradas do original e trocar as outras por de atores nacionais. Ganhou 7 pontos na categoria Sabanização, Gustavo!


Ai…

…meu…


…KAMI-SAMA! Esse é o melhor dorama do mundo! Sambou de sapatilha em cima de Hana Yori Dango e ainda soltou um “Liberte-seeeee” no fim.

Quero um Gustavo Card Captor pra mim!

Um Otaku no Casos de Família – Você é o ridículo da família!

1 jun

Para uma pessoa acostumada aos debates profundos e relevantes promovidos pela múmia pelo William Whaack no Globo News, um programa de debates que usa o tema “Você é o ridículo da família!” só pode ser algo digno de ser comentado aqui no Mais de Oito Mil.

A pauta do programa do último dia 31 de Maio foi essa que tá no título da postagem, e é claro que teve otaku no meio e fazendo otakices. IKIMASU ver a chamadinha!


Como o SBT não coloca a íntegra do Casos de Família na internet (#chatiada) e ninguém no Youtube tem o interesse em mostrar o melhor tribunal do mundo depois do Phoenix Wright (#chatiadézima), o que temos pra hoje é analisar dois vídeos mostrando o programa.


O texto do gc indica o tema da discussão do dia, e a gente fica em dúvida se o ridículo da família é o garoto que tem coragem de usar gola V, se é a moça fazendo cosplay de Adriana Bombom na eliminação da Fazenda 2 ou se é a senhora que me aparece em rede nacional com uma calça jeans de andar no brejo. Mas não, era um parente deles que se fantasiava de Freddy Krueger, e que é o mais comedido na hora de discutir.

Mas como fantasias, senso de ridículo e total falta de compostura são os combustíveis para o otaku moderno, o caso seguinte apresentado por Alô Cristina Rocha é o trágico relato de uma família separada por cosplays.

Só que aparece a pessoa e…


É O OTAKU QUE SAIU COM A RAQUEL EVANGÉLICA NO O.V.A. DE “UMA OTAKA NO ROLA OU ENROLA!!!

Se ele apareceu no SBT mais uma vez com a mesma roupa, imaginamos que este programa foi gravado no mesmo dia do Programa da Eliana, e ele aproveitou a viagem para passar vergonha em dois produtos do mesmo canal. Não é uma ideia muito inteligente, mas o que imaginar de uma pessoa que levou uma bolsada cristã repreendedora na cabeça?

O caso é o seguinte, o primo funkeiro do otaku se sente incomodado com as atitudes e otakices do parente. Não queria me posicionar, mas para um FUNKEIRO estar incomodado com as atitudes, o otaku pode ser o tipo de pessoa que limpa a boca na cortina da sala etc.

Para ajudar na defesa, o otaku chama seu parceiro:


TOBI, DA AKATSUKI! Nem a brincadeira de tocar o sino do “Sexo a 3” do Doctor Rey chega a esse nível de completa falta de sentido na televisão brasileira.

Depois da entrada de Tobi, Cristina mostra que é inteirada dos assuntos e faz o símbolo da Hang Loose com a mão e diz “Isso aqui é rock PESADO”. Aguardo otakus e metaleiros revoltosos falando que Cristina Rocha está lesada e é a próxima na lista do Retiro dos Artistas.

Quem ganha a discussão é o otaku, porque o primo não representa:


Caso queira ver todo o programa, clique aqui e faça sua oração para alguma alma caridosa colocar o programa online. Se quiser ver só uns pedaços com o otaku, veja esse vídeo aqui gravado com uma tekpix.

Se você me perguntar quem ganhou ou quem perdeu a discussão, eu digo que todos nós perdemos esta batalha. Porque NINGUÉM conseguirá rebater os argumentos incríveis que encontrei nos comentários do vídeo:

Carlos Nascimento, é você?

MdOM Doramas – Sailor Moon The Movie (Post Gigante)

2 dez

Depois do enorme sucesso, só que ao contrário, do lançamento de Sailor Moon S em DVD no Burajiru, os leitores ficaram com medo das garotas da Naoko Takeuchi nunca mais aparecerem no blog. Na verdade, eu só estava com pautas melhores aguardando este grande momento da história do audiovisual norte-americano. O FAN-FILME DE SAILOR MOON ESTÁ PRONTO! Depois de anos na incubadora, finalmente os fãs americanos soltaram o Sailor Moon The Movie, uma produção que não é checklist da Panini, mas também tem problemas em cumprir o prometido. IKIMASU para essa grande pérola do cinema!

Já começa com um longo texto falando que o filme é uma produção que não visa lucros, texto muito conhecido como o famoso “POR FAVOR NÃO ME PROCESSE!”. E os fãs estão menosprezando a criadora da série: ela vai proibir qualquer coisa de Sailor Moon, dando lucro ou não.

A primeira cena já traz a vilã. Agora eu não entendi por que colocaram a Chocola de Sugar Sugar Rune como vilã. Não seria melhor a Rainha Beryl?

Parabéns à equipe de produção que usou um computador que gera gráficos de Nintendo 64 para fazer esse cenário computadorizado. Já conseguiram as texturas borradas, agora falta apenas o som abafado.

A gente começa já vendo a princesa Serenity (Era esse o nome? Eu via isso quando era criança…) chorando para o Endymion, tomando cuidado para deixar a cabeça inclinada para não cair a lua de lantejoula que tem na testa. Poxa vida, produção, cadê o glamour de Hollywood?

A Serenity começa a ter uma cólica violenta e fica nessa posição de agonia e profundidade psicológica. Ao fundo, explosões. Aliás, pela visão que ela tem da sacada, já podemos deduzir que ela é vizinha da Rita Repulsa.

E de uma lágrima, nasce a esperança. Dez gotículas de luz são enviadas para a Terra. Cada uma representa uma Sailor Moon. No anime eram muito menos luzes, mas isso porque a Naoko não tinha planejado ainda esticar a série pra conseguir grana o suficiente porque ainda não tinha a intenção de comprar a alma do Togashi.

Vemos então Serenity e Endymion andando por aquele parque bonito de Curitiba, e os créditos continuam passando fazendo tudo isso parecer uma abertura de novela da Televisa. Falta apenas todo o elenco surgir e fazer uma pose que caracteriza sua personalidade, tipo a vilão cruzando o braço e fazendo cara de quem tá gostando demais.

Ai, chega de namoro nesse cenário de fundo do Videokê. Se não tem história, que façam um filme mais curto! Esta bagaça tem 16 minutos e gastou 5 minutos com CGs e abertura. Se quero ver enrolação em CG, eu prefiro ver o Lanterna Verde.

OBS: Eu sei que a letra tá errada, mas eu tô com má vontade de editar. Conviva com isso.

Passaram-se mil anos. Olha, o começo foi tão chato que eu senti que passaram mil anos aqui de verdade. Não quero nem saber, não vou mais analisar esta porcaria. Que essa Serena gorda e esse Darien filho do Dalton Vigh que me perdoem, mas eu vou abandonar isso agor…

…ra que não largo essa série mesmo! Olha que saúde, olha que graça, olha que ultra-discreta essa arma do Tuxedo Mask encostada no quarto.

Achando que é ator da Globo, Dalton Vigh decide correr pelas ruas, passando por um cartaz do FBI procurando uma ladra de jóias. Não quero viver nesse mundo em que o FBI coloca cartaz de procura-se com fotos saídas de um site de lendas urbanas. Até aquele cachorro da propaganda do Google Chrome teve uma divulgação mais inteligente!

Esse cenário e esse figurino são tão capengas que apenas aguardo o momento que o Daltien Vigh vai bater na porta e perguntar “É daqui que pediram um entregador de pizza de salame?”, aí a Serena fica de joelhos para procurar o salame ao som de uma música típica da programação de madrugada do Multishow. Que baixaria!!!

Na saída da escola, Serena está arrumando a sua blusa por algum motivo que não deve envolver sexo com o professor. Aí chega o Kevin, o nerd chato que só é identificável porque a competente figurinista entende como nerd alguém com roupa social, sem senso de moda e com um óculos roubado da Sylvia Weinstock.

A Maisa estava sumida da TV porque foi fazer Carrossel ou porque tava tomando hormônios de crescimento para aparecer no fã filme de Sailor Moon?

AI MINHA SANTA BULMA! QUEM CHAMOU O SINISTRO DO HARRY POTTER PARA FAZER O PAPEL DE LUA???

Elas vão para um fliperama que é tão conceituado e freqüentado que o FBI sente a necessidade de colocar um cartaz de procurado preso a uma máquina. Imagino um agente de terno e óculos escuros chegando para o dono e falando “Sr Andrew, me permita colocar esse cartaz de procurado aqui neste seu arcade de Tetris, já que ele deve ser o mais jogado aqui”.

Alguém me explica como que a Serena tá jogando um jogo de Mugen adaptado no começo e termina jogando Metal Slug? Deve ser uma explicação emocionante, tipo jogar Bust-A-Move num Arcade que nem a Molly tá fazendo. Vamos sair dessa cena? Tem tanto vermelho e preto que parece que to jogando o Virtual Boy.

Voltando para casa de noite por um caminho que nunca fez antes, Serena está cara a cara com um monstro que está sugando a energia vital de uma colegial. Ele começa a correr e Serena fica encurralada numa grade, com o Sinistro do outro lado. Se eu visse esse gato de CG eu pedia para o monstro segurar a minha mão.

PORRA, gastaram milhões para fazer CGs no começo para enrolar e na hora da transformação, que é quando todo mundo aproveitava para ir na cozinha encher o copo de refrigerante, eles me fazem ela se transformar só piscando? Faça-me o favor!

O Tuxedo Mask apareceu pra salvar a Sailor Moon, mas não entendi porque ela foi transformada em uma velha de cabelos brancos. Será que foi a vilã daquele episódio do relógio que suga a energia vital?

E o golpe da tiara lunar é apenas um Alex Full Sonic Boom do Guile. A Capcom só não vai processar porque eles estão bem humorados por arrancar dinheiro dos gamers com o Ultimate Marvel VS Capcom 3 e com DLCs que já estavam dentro dos jogos.

Quando apareceram os caras do FBI, Tuxedo Mask usou sua força para arrombar a porta e possibilitar a fuga de Sailor Moon. Aí ele aproveitou… e fugiu escalando a grade. O que se espera do filho do Dalton Vigh, não é mesmo?

Aliás, todo o glamour que faltou no filme inteiro está combinado no figurino dessa detetive. Sempre sonhei em uma carreira que precisasse me vestir elegante assim, vou tentar entrar pro FBI, já que vai ser difícil arranjar um dono de emissora para dar uma chave de coxa e conseguir uma vaga de apresentadora matinal.

E essa foi a análise da primeira parte do filme americano de Sailor Moon, que encerra cheio de ação, qualidade, brilho e probabilidade de processos pela Toei. Parabéns a todos os envolvidos e aguardamos mais uma parte, com mais sailors e mais Darien sem blazer verde.

***

(Me siga no Twitter!)

(Já me curtiram no FACEBOOK?)

MdOM Doramas: A Virgem Maria tá de olho nessa molecada esperta

5 ago

As séries japonesas estão fazendo tanto sucesso que começaram a exportar idéias para outros países. O Burajiru, por exemplo, fez vários remakes de animes de sucesso, posso citar Morde & Assopra, que é uma releitura do delicioso anime Vanguard. O México aproveitou a moda e fez um dorama mexicano que é a história de vários personagens que têm pequenos milagres feitos pela Virgem de Guadalupe e… É REMAKE DE MARIA-SAMA GA MITERU!!! É A ORKUTIZAÇÃO DOS DORAMAS! Depois da polêmica dessa semana, vamos ver como foi o capítulo de La Rosa de Guadalupe, a novela mexicana que abordou o tema dos cosplays e das otakices!

O episódio começa com dois jovens chegando na escola. Só que, por algum motivo, eles decidiram ir de cosplay. O garoto está com cosplay de Hiroshi-San, o Guardião do Horóscopo, e ela de Namiko Moon, a alguma-coisa-que-não-entendi-porque-não-sei-espanhol do Gênesis.

Olha, com uma caracterização discreta e criativa, os figurinistas provavelmente tiveram umas aulas de como se esquivar de direitos autorais com os desenhistas do Mauricio de Sousa.

E aí chegou a vilã e começou a baixaria. A coisa é tão bagunçada que acho que o diretor foi fazer um teste do sofá com algum ator bonito e deixou a tia da faxina dirigindo essa pérola audiovisual da vergonha alheia.

Por causa da briga, todos foram para a diretoria. E a diretora, que tá mais incomodada em tirar dinheiro da associação de pais e mestres para comprar jóias mandou todo mundo ir pra casa dar meia hora de bunda.

A Namiko Moon mora com a vó e a mãe, que não entende por que sua filha gasta dinheiro e tempo com essas bizarrices da cultura mais rica. Ela fala para a filha “Perla, vamos conversar”, mas a menina fala “Eu sou Namiko Moon”.

Eu responderia a mesma coisa se meu nome também fosse PERLA.

E na hora do almoço, a menina vai fantasiada de Namiko Moon e come seus doces japoneses. Tá bom, roteirista, eu já entendi que ela é alienada. Podemos continuar com a história?

Dá quatro e meia da madrugada e ela acorda para fazer o ritual da Namiko Moon.

QUATRO E MEIA DA MADRUGADA.

Olha, nem se viesse o Caio Castro com cueca de elefantinho dançando a abertura de Fly o Pequeno Guerreiro no meu quarto eu acordava às quatro e meia da madrugada.

A mãe da Namiko Moon tá trabalhando e chega a amiga alívio cômico e fica chocada com o site que a mãe tá vendo: UM SITE DE ANIME. Isso porque a mãe quer entender a filha melhor.

Acho que o roteiro ficaria muito mais interessante se fosse outro tipo de revelação. Algumas sugestões minhas:

Entonces a mãe achou que era uma idéia muito inteligente entender a filha ao invés de botá-la de castigo acorrentada à cama de concreto com apenas bolacha água e sal. Mas esse não foi o único plano da mãe.

Ela também tentou fisgar a filha pelo estômago, e fez uma quantidade obcena de Yakisoba para comer com a filha enquanto ela conta sobre o incrível mundo dos animes e mangás. E a ingrata da Perla manda a mãe pastar.

Com a fome que eu tô, essa mulher pode vir aqui que eu chamo de mãe, faço carinho nos pés e baixo o Nosso Lar para ela assistir.

E que tamanho de cama é essa??? Cabe uma orgia de Hatsune Miku!

O menino do mal pegou a Namiko Moon para violentá-la. Só eu que achei que o menino precisa de tratamento por achar sexy essa versão colorida da Wandinha Adams?

A mãe desesperada pede ajuda divina da Virgem de Guadalupe porque tem que se manter fiel à estrutura da novela porque só ela pode ajudar. E a virgem manda uma flor branca.

Se fosse comigo, pedia devolução e o estorno no meu cartão.

E com a paz de cristo e da Virgem Maria, mãe e filha começaram a se entender. Ela foi na escola defender a cosplayer, começou a entender mais do mundo japonês, começou a levar DVDs de anime para a filhazzzzzzzzzzzzzzzzzz

A vilã, que foi deixada de lado porque a protagonista problemática era mais vilã que ela, voltou e fez a maléfica malvadeza de esconder a mochila da Namiko Moon. Tudo como vingança porque o aluno que tentou comer a Namiko a força foi suspenso.

Sim, minha gênia do mal, seu amigo foi suspenso injustamente por ter tentado violentar uma menina e a culpa LOGICAMENTE é de quem denunciou.

Mas agora falando a verdade, eu tô gostando muito desse episódio de novela mexicana. Os otakus tudo cortaram os pulsos e quiseram a morte do canal que passou isso, mas eu achei um tema pertinente. Temos uma adolescente alienada por um mundo lúdico, e que não consegue separá-lo da realidade, e uma mãe que tenta ter uma conexão com a filha.

E isso de alienação é parecido com o que teve no A Liga, ou seja, que é algo maléfico quando você não tem esse limite entre o fanatismo e a doença.

Eu gostei muito porque está mostrando a menina sofrendo, então ela provavelmente vai ser confrontada com a realidade e aprender que os animes são apenas diversão, e não um método de vida.

OU ENTÃO…

O roteirista vai cagar no pau e vai fazer a mãe da Namiko Moon vestir um cosplay e ir até a escola falar sobre as diferenças, e que todos devemos respeitar as novas tribos urbanas que surgem, porque eles são tão normais quanto nós.

Mas não acho que esse canal mexicano faria algo do tipo, não é mesmo minna?

***

(Me siga no Twitter!)

(Já me curtiram no FACEBOOK?)

MdOM Doramas – A emocionante história de um colégio que incentiva a prostituição masculina

27 jul

Vamos ser sensatos. Tá, esqueci que tô falando com o público otaku. Tentem pensar: o que vocês diriam de uma história que mostra a vida de um clube na escola em que os meninos trabalham como companhia para moças? Se isso não é um prostíbulo de luxo, eu não sei o que é. Mas essa é a história de Ouran Host Club, uma idéia tão perturbada que só poderia ter saído da mente japonesa, a mesma que coloca tentáculos em filmes pornôs. E Ouran ganhou um dorama que estreou agora. Vamos parar tudo que a gente tá fazendo para analisar essa estréia deliciosa? Então apaga o letreiro neon e IKIMASU ver toda essa conspiração e safadeza do capítulo de hoje!

Essa é a protagonista. Ela é tão feia que se fizesse um cruzeiro com o elenco, quem ficava enjoado era o mar, e não ela.

Ela vai estudar numa escola cheia de gente com a mesma vocação financeira da Carolina Ferraz, e se sente deslocada por ser pobre e feia.

Um dia ela andava pelos corredores de sua grande escola procurando um lugar para estudar. Porque ela é dessas.

Aí no caminho ela encontra o coadjuvante com roupa feita em CG. E o jeito que ele fala me lembra o Jamanta. E esse também não morreu.

Então ela entra sem querer numa sala cheia de homens vestidos de idiotas e com um nerd que esqueceu de esconder o símbolo da Apple em seu iPad. Eles se definem como o Host Club, um clube em que esses supostos homens supostamente entretêm mulheres supostamente apenas para companhia.

Vamos conhecer esse elenco de michês japoneses de luxo?

Minna, não vejo um elenco tão gay desde a escalação do Big Brother Brasil 10.

Olhando a recriação dos estereótipos do mangá, já posso dizer que esse dorama mostra que tudo o que funciona num mangá NÃO FUNCIONA num dorama.

E quanto homem feio! E não é só uma mulher que tem essa opinião, néééé Gyabbo?

A menina se assusta com o circo de horrores daquele Host Club e acidentalmente derruba um vaso aleatório que estava no meio da passagem em cima de uma coluna jônica. Ela tem que pagar a imensa quantia de mais de oito mil milhões de ienes por um vaso que deve ter sido feito pela Deusa de Orelhas de Coelhinho Rosas e Lágrimas de Piedade para justificar esse valor absurdo.

Mas como sem a quebra do vaso não tem história, ela é intimada a trabalhar como michê nesse Host Club e borá lá aprender o trampo mais antigo do mundo:

Olha, constrangimento é uma palavra fraca para definir o que é essa putaria feita para os jovens da Grande Nação Japonesa. Minna, dois irmãos simulando uma atração gay para atrair meninas desesperadas é algo tão doentio que seria tipo otakas fãs de anime começarem a escreverem fics sobre o amor entre os personagens héter… oh wait!

Mas esses estereótipos ficaram todos explicados pra mim depois que vi que a Glória Perez faz o papel de protagonista. No próximo capítulo, aguardo o núcleo pobre da favela que fica no bar sambando e comendo pastel.

Aí a feia e pobre que virou escrava dos prostitutos comprou café do povo para beberem. Todo mundo acha a maior excentricidade culinária desde que misturaram a goiabada com queijo e ficam curiosos para tomar essa especiaria.

Então a pobreza entra na moda, como em qualquer novela da Glória Perez. Alô Globo! Alô Dona Jura! Fiquem de olho na cartilha dos direitos autorais!

Todo mundo ouve a pobre história da menina e a Glória Perez fica muito emocionada e começa a chorar. COPIOSAMENTE. E começa a atuar exageradamente, como se fosse um otaku falando. Vai vendo.

E decidiram transformar ela em um dos michês. Chegou a hora do Esquadrão da Moda! Só é uma pena que todos os Arlindo Grund querem ser a Isabela Fiorentino.

Que transformação natural. Parece a transformação da Letty em A Feia Mais Bela.

É quando a atriz, que tem a versatilidade cênica de uma samambaia ensinada pelo Wolf Maia, começa a sofrer bullying no colégio por ter mexido com os garotos mais desejados de lá! Alô Yoko Kamio! Alô Shueisha! Olha o processo por roubo de roteiro do Hana Yori Dango!

Jogaram a bolsa da feia na fonte da escola e aí o Host Club começa a ajudar a procurar. Mas não sem antes fazer FAAAAAAN SERVICE!!!!

A GLÓRIA PEREZ TÁ FAZENDO TOPLESS NA GRANDE NAÇÃO JAPONESA!!!

CORRAM!!! PEGUEM SEUS CHOCOBOS E FUJAM PARA AS MONTANHAS!!!

Decidiram confrontar a que tava fazendo o Bullying e mostraram sua superioridade juntando seis caras e um coelho de pelúcia para impor respeito.

E assim acaba o episódio, com todo mundo feliz e contente e com a Glória Perez descobrindo que a menina feia era uma menina. Ah, isso era pra ser um conflito? Não tinha notado.

E mais fanservice nas cenas do próximo capítulo.

Cadê os músculos? Cadê os pêlos? Cadê a virilidade?

***

(Me siga no Twitter!)

(Já me curtiram no FACEBOOK?)

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 3.095 outros seguidores