Arquivos | Barraco RSS feed for this section

Desfalque na seleção do Video Quest

5 jun

Deu no Video Quest:


Segundo o informe do Kitsune, que milagrosamente conseguiu fazer um vídeo rápido e sucinto, Azrael do Video Quest fez o Del Greco e saiu para buscar novos desafiosDe acordo com informações dadas pela própria equipe do VideoQuest, ele saiu de maneira pacífica e o Kitsune nem precisou colocar um provérbio japonês no release para mostrar que tá todo mundo numa boa.

Já que essa notícia conseguiu ser mais chata que o anúncio da Nintendo Land, IKIMASU usar nosso sensacionalismo para inventar uma notícia muito mais interessante.

Agora sim é notícia!

Um Otaku no Casos de Família – Você é o ridículo da família!

1 jun

Para uma pessoa acostumada aos debates profundos e relevantes promovidos pela múmia pelo William Whaack no Globo News, um programa de debates que usa o tema “Você é o ridículo da família!” só pode ser algo digno de ser comentado aqui no Mais de Oito Mil.

A pauta do programa do último dia 31 de Maio foi essa que tá no título da postagem, e é claro que teve otaku no meio e fazendo otakices. IKIMASU ver a chamadinha!


Como o SBT não coloca a íntegra do Casos de Família na internet (#chatiada) e ninguém no Youtube tem o interesse em mostrar o melhor tribunal do mundo depois do Phoenix Wright (#chatiadézima), o que temos pra hoje é analisar dois vídeos mostrando o programa.


O texto do gc indica o tema da discussão do dia, e a gente fica em dúvida se o ridículo da família é o garoto que tem coragem de usar gola V, se é a moça fazendo cosplay de Adriana Bombom na eliminação da Fazenda 2 ou se é a senhora que me aparece em rede nacional com uma calça jeans de andar no brejo. Mas não, era um parente deles que se fantasiava de Freddy Krueger, e que é o mais comedido na hora de discutir.

Mas como fantasias, senso de ridículo e total falta de compostura são os combustíveis para o otaku moderno, o caso seguinte apresentado por Alô Cristina Rocha é o trágico relato de uma família separada por cosplays.

Só que aparece a pessoa e…


É O OTAKU QUE SAIU COM A RAQUEL EVANGÉLICA NO O.V.A. DE “UMA OTAKA NO ROLA OU ENROLA!!!

Se ele apareceu no SBT mais uma vez com a mesma roupa, imaginamos que este programa foi gravado no mesmo dia do Programa da Eliana, e ele aproveitou a viagem para passar vergonha em dois produtos do mesmo canal. Não é uma ideia muito inteligente, mas o que imaginar de uma pessoa que levou uma bolsada cristã repreendedora na cabeça?

O caso é o seguinte, o primo funkeiro do otaku se sente incomodado com as atitudes e otakices do parente. Não queria me posicionar, mas para um FUNKEIRO estar incomodado com as atitudes, o otaku pode ser o tipo de pessoa que limpa a boca na cortina da sala etc.

Para ajudar na defesa, o otaku chama seu parceiro:


TOBI, DA AKATSUKI! Nem a brincadeira de tocar o sino do “Sexo a 3” do Doctor Rey chega a esse nível de completa falta de sentido na televisão brasileira.

Depois da entrada de Tobi, Cristina mostra que é inteirada dos assuntos e faz o símbolo da Hang Loose com a mão e diz “Isso aqui é rock PESADO”. Aguardo otakus e metaleiros revoltosos falando que Cristina Rocha está lesada e é a próxima na lista do Retiro dos Artistas.

Quem ganha a discussão é o otaku, porque o primo não representa:


Caso queira ver todo o programa, clique aqui e faça sua oração para alguma alma caridosa colocar o programa online. Se quiser ver só uns pedaços com o otaku, veja esse vídeo aqui gravado com uma tekpix.

Se você me perguntar quem ganhou ou quem perdeu a discussão, eu digo que todos nós perdemos esta batalha. Porque NINGUÉM conseguirá rebater os argumentos incríveis que encontrei nos comentários do vídeo:

Carlos Nascimento, é você?

Hora da Retratação

13 mar

Boa noite, minna.

Venho por meio deste post informar que, a pedido do Futago Estúdio, foi retirada a imagem da capa do mangá nacional Vitral do post das dez piores capas de mangá do Brasil.

Segundo email enviado pelas autoras, eu cometi o erro de não saber que “Soni” e “Shirubana” eram pseudônimos femininos, e não masculinos como foi dito na matéria. Além disso, expus informações erradas sobre que o mangá havia vendido pouco, quando na verdade vendeu 40% da tiragem de 3 mil exemplares (segundo informação presente no site de uma das autoras).

Peço desculpas publicamente por ter usado uma ilustração pequena de uma capa do mangá Vitral. Não é porque o mangá foi lançado há mais de dois anos e não teve continuação que eu posso sair por aí publicando uma imagem demonstrativa do mesmo. Faço essa retratação por ter ferido o artigo Artigo 46 da Lei 9.610 de 1998, disponível na íntegra aqui.

Art. 46. Não constitui ofensa aos direitos autorais:

III – a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e a origem da obra;

VIII – a reprodução, em quaisquer obras, de pequenos trechos de obras preexistentes, de qualquer natureza, ou de obra integral, quando de artes plásticas, sempre que a reprodução em si não seja o objetivo principal da obra nova e que não prejudique a exploração normal da obra reproduzida nem cause um prejuízo injustificado aos legítimos interesses dos autores.

Porque meu grande erro foi não saber os pseudônimos corretos e nem os nomes das autoras.

E para não cometer o mesmo erro (e porque elas pediram), seguem os links de seus blogs para que as autoras sejam reconhecidas:

Plantão Magazine – Co-Editor abandona o barco da Ação Magazine

6 fev

Já que não tenho a skill de escrever manchetes como as do jornal Meia Hora, vamos ficar com isso mesmo. Nessa segunda feira morna de assunto, um post no Twitter anunciava a saída de Fabio Sakuda da revista Ação Magazine.

Se você estava ocupado upando até o nível 90 apenas matando Porings e não sabe o que é a Ação Magazine, a sua blogueira te explica. A Ação Magazine é aquela revista mediana de mangá nacional que é vendida mais como uma promessa de publicação a novos autores que uma antologia de quadrinhos.

Por que será que ele saiu? Intriga da oposição? Conspiração e paranóia no capítulo do dia? Alguém coou o café com a meia usada no último dilúvio do Anime Dreams? Para evitar esses mal-entendidos, Fabio postou no Facebook:

Me sinto segura em analisar esse post com a ajuda do livro “Análises Discursivas – De Bakhtin a Professor Odilon”.

Fabio começa já botando o pau na mesa e falando que saiu por divergências. Depois vem com aquele discurso de listar tudo o que fazia na revista para justificar a sua importância e termina com uma sabática indireta, digna daquela sua amiga recém-separada que posta fotos da balada na sexta, dizendo que se as pessoas têm sonhos, têm que se virar pra realizar com um pé na realidade.

A despedida do Fabio não foi num texto tão bem construído assim, já que os leitores conseguiram quebrar o código:

Risos comedidos.

Continuando o exercício de análise crítica, vamos ver a declaração do Editor-Chefe Alexandre Lancaster, seguida de um comentário do próprio Fabio que levaria o nome de “Nasce um Climão” se isso fosse um álbum de fotos do Facebook.

Ligue seu aplicativo de exclusão de prolixidade e IKIMASU!

Adorei! Vou passar a usar “Questões Organizacionais nascidas de natureza técnica” no meu dia a dia para parecer uma pessoa bem mais inteligente do que sou de verdade.

O discurso segue com o blábláblá de “Ele não fez isso, ele não fez aquilo, quem faz isso é X, quem faz aquilo é Y” e termina com o magistral recalque do time dos que não é Top na Balada.

No fim, o que aconteceu? Um editor saiu da revista. O que isso muda para os leitores? Quase nada. Se para os envolvidos isso é um puta acontecimento importante, para o público essa manifestação não muda nada. O público não quer ver o pessoal dos bastidores brigando no palco principal, palco este que deveria ser usado pelos mangás da antologia.

Eu ia fazer um texto grande falando minha opinião, mas uma leitora da comunidade da Ação Magazine conseguiu ser mais sucinta e direta que eu:

A propósito, por onde anda a terceira edição da Ação? Um beijo, Ação Magazine!

***

(@maisdeoitomil)

Plantão do Mineirinhooo Extraordinário – Pã pã pã pã pã…. (Atualizado)

29 nov

Boa noite. Aqui é a repórter Mara Mariachi cobrindo uma notícia que vai entrar para os anais (sem piadas, por favor) da história do tokusatsu no Burajiru. Há poucas horas, o nosso mestre da coerência Mineirinhooo anunciou que está abandonando seu site. Um minuto de silêncio para o acontec… tá, já chega.

IKIMASU acompanhar a carta de renúncia, que não veio seguida de um tiro e nem da ameaça de Forças Ocultas, mas que vem na base do print screen porque não consigo mais pegar os textos do site dele:

Minna, que absurdo! Quem é que está divulgando os dados pessoais do nosso Mineirinhooo e… o que foi, produção? Foi uma pessoa aqui nos comentários do blog? Mas que absurdo! Como assim divulgaram os dados PÚBLICOS do Mineirinhooo? Só porque o site https://registro.br/cgi-bin/whois/ mostra os dados do dono do domínio de qualquer site as pessoas saem por aí divulgando as informações? Mas que calúnia! Mas que difamação!

Aliás, quem foram os seis sádicos que CURTIRAM o post no Facebook? Passem no meu Twitter para ganhar um brinde exclusivo do Mais de Oito Mil (o direito a doar 30 reais para o meu blog).

Ai, minna, ele vai atrás de providências judiciais pelo vazamento de seus dados pessoais que são públicos! Vamos imaginar o diálogo?

Mineirinhooo: Oi, seu advogado, quero tomar providências judiciais quanto ao vazamento dos meus dados pessoais na internet.

Phoenix Wright: Que dados, Mineirinhooo?

Mineirinhooo: Aqueles que estão disponíveis no site de registro de domínios e que eu concordei quando assinei.

Phoenix Wright: Pode ser difícil, mas vamos conseguir. Maya, me informe sobre o que é o site do Mineirinhooo.

Maya: Tá bom, Nick! Ele tem um site de Tokusatsu que disponibiliza conteúdo de produtoras japonesas mediante pagamento, que ele chama de “doação”.

ABRIU VAGA NA IMPRENSA ESPECIALIZADA (pff)!!!

700 reais por mês mais doações free!!!

Todos correndo pro RH!

Aqui é Mara Mariachi e voltamos a qualquer momento com mais notícias sobre o caso. Quero agradecer a todos os envolvidos neste caso, como o leitor que mandou aquela carta excelente em que pedia dinheiro para Mineirinhooo. Ah, e meu salvador do tokusatsu no Burajiru, eu sei alguém que fez Direito e que pode te ajudar nessa empreitada cheia de Objections e martelos de madeira:

O CONCEITUADO PROFESSOR ODILON, formado em DIREITO, administração e engenharia de produção!!!!

***

ATUALIZAÇÃO: Conforme já estão falando nos comentários, o site do Mineirinhooo foi deletadooo (saco, essa não era hora de usar o alongamento). Fico chateada com o fim dessa era, e espero que ele volte logo para esse mundo para que nos agracie com belas e lindas pautas de análise textual e de piadas recorrentes. Bezos.

***

(Me siga no Twitter!)

(Já me curtiram no FACEBOOK?)

Enrolados News – Entrevista com Afonso Fucci no Jbox!

7 jun

Enquanto pessoas fogem de medo de serem entrevistadas pelo Mais de Oito Mil, deixando a blogueira aqui sem pauta, o Jbox continua seu trabalho de imprensa especializada (pffff) e entrevistou Afonso Fucci, o cara por trás da Focus Filmes. Sim, aqueeeela que lançou um monte de DVD porco e uma edição toda trabalhada na censura de Fullmetal Alchemist.

Como não vou entrevistar o cara, vou pegar as melhores respostas dele e analisar com o polígrafo do Mais de Oito Mil, para saber se ele está falando a verdade ou só sambando na cara do consumidor no nosso quadro VALE TUDO, SÓ NÃO VALE MENTIR.

Então pare de ter incertezas em sua vida e IKIMASU ver essa grande entrevista!

Sim, essa manobra de uma empresa ser dividida em duas é verdade. Viva a livre concorrência, não é mesmo, minna?

Eles aprovam cada detalhe, tipo o “Sem Cortes” que foi colocado na capa do Fullmetal Alchemist e o produto todo editado?

Imaginem se não aprovassem, o circo que seria.

Afonso ligou o modo “Responder a mesma coisa não perguntada repetidas vezes na esperança que o entrevistador se canse”.

Ah, e se não ficou claro, hoje vende menos.

Tá certo, Afonso!

Tá certo em parar de ir a evento vender seus boxes de 13 episódios a 100 reais porque a pirataria comanda por lá.

Bem mais correto do que se unir a outras produtoras e pressionar os responsáveis pelo evento para que retirem a pirataria de lá.

Ah sim, porque vamos acreditar que o licenciante não tem como conseguir as imagens sem edição. Porque depois de editarem, eles queimam os originais e ficam impossibilitados de usar.

E achei muito bonito o discurso de “não farei pirataria” quando o áudio de DVDs como o Jiban é retirado de gravação de fã.

Já temos um candidato ao Troféu Coerência 2011?

CORRE, MIYAZAKI!!!

CORRE E NÃO OLHA PRA TRÁS!!!

A FOCUS FILMES TE DESEJA!!!!

Os fãs queriam escolher estúdio e colocar um na dublagem?

Gente, tá parecendo negociação de polícia e bandido com refém.

“Eu exijo que tenha um carro para que eu fuja e que meu parceiro seja libertado da cadeia”

Ah, e o áudio em japonês está presente nesse DVD sem legendas em português apenas porque a faixa etária gosta de ver uma coisa e não entender nada.

Tipo a gente nessa entrevista.

Nossa, Fucci, você tá certíssimo.

A culpa desses DVDs de embalagem inovadora (SIC) terem encalhado é mesmo dos fãs que não compraram porque não sabiam, e não da empresa tapada que não gastou um único centavo para fazer propaganda do negócio para o público alvo.

A culpa só pode ser dos fãs por não receberem uma memorando divino anunciando o DVD.

***

(Me siga no Twitter!)

(Já me curtiram no FACEBOOK?)

KABOOOOM

1 jun

Todo mundo fala que eu sou uma troll da internet, que gosto de ver o circo pegar fogo e todo mundo se ferrar. Mas vou avisar que eu não sou troll, eu apenas analiso criticamente as coisas e me baseio em fatos.

O caso do Jogo Justo é um exemplo disso. Todo mundo fala que eu sou contra o projeto, que sou contra tudo e que se eu reclamo tanto eu deveria fazer melhor. Esse povo que vem com o argumento de “vá fazer melhor então” deveria guardar a edição de bolso do “Argumentos para Ganhar Discussões For Dummies” e entender que eu critico porque o projeto é falho e eu acho que não vai levar a lugar nenhum.

Por exemplo, ele diz que as lojas não vendem jogos baratos porque perderiam dinheiro. Se é assim, alguém avisa pro Submarino tirar esse jogo, e esse jogo, e esse jogo (e muitos outros) que eles estão perdendo dinheiro!!! Porque esse preço é como se fosse Jogo Justo todo dia!

Aí me aparece um Moacyr da vida e me diz que o mercado de games no Burajirumudando, que graças a ele o governo até diminuiu os impostos… aí ele ficou sabendo que a notícia era mais falsa que uma esfera de oito estrelas e mudou o argumento para “Ah, mas eles tão sabendo do problema, viu só? Olhem como sou influente.”

Argumentos, argumentos, argumentos.

E aí, sempre que pode, o representante do Jogo Justo dá aquela alfinetada na gorda aqui, com seus argumentos que tentam ganhar uma discussão. Vide a seguinte conversa:

Observando essa conversa e os argumentos do Moacyr, eu me lembro da minha época de escola quando uma professora me ensinou uma bela frase do autor Charles Dickens. E essa frase é perfeita para rebater todo e qualquer argumento que o mercado de games no Burajiru vai pra frente:

“Contra FATOS não há argumentos”

Parabéns a todos os envolvidos por mais essa explosão no mercado nacional!

***

(Me siga no Twitter!)

(Já me curtiram no FACEBOOK?)

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 3.120 outros seguidores