Arquivos | outubro, 2012

MdOM Doramas – Gustavo Card Captor

31 out

Eu nunca mais compartilho meus momentos com vocês, leitores ingratos! Como, em quase três anos de Mais de Oito Mil (é, o aniversário tá pertinho), ninguém NUNCA me mostrou Gustavo Card Captor? Isso é tão imperdoável que vocês merecem ficar presos numa palestra com blogueiros explicando que Haruhi Suzumiya deve ser visto na ordem de lançamento ou na ordem cronológica.

Se você, assim como eu, como sua mãe, como a dona Maria, não sabe o que é Gustavo Card Captor, eu explico em poucas palavras: tekpix + vergonha alheia.

O episódio completo de oito minutos você pode ver aqui, mas sabemos que você não assiste nada maior que uma abertura de anime, então preparei uma análise ESPECIAL deste primeiro capítulo.

Se esqueça que você pegava a chave da sua casa falando “chave que guarda o poder das trevas…” e IKIMASU ver a análise desse vídeo gentilmente enviado pelo leitor Matheus Vieira.


Uma cena especial para todos nós que sonhávamos em fazer que nem a chuva de cartas do programa da Xuxa… ou da Eliana… ou da Angélica… ou da Mariane… ou da Dudalegria… ou da Patty Beijo… ou da Mitsui… ah não, essa não tinha carta porque ela foi retirada do ar depois de umas duas semanas.

Só que no lugar das cartinhas de crianças semi-analfabetas, na abertura de Gustavo Card Captor são as cartas que ele pegou daquela revista oficial da Conrad, que ensinava até a prever o futuro com elas. Eu era o sucesso da minha escola com aquilo…


Gustavo só deve ter se submetido a esse papel pelos seguintes motivos:

1- Foi ameaçado por uma amiga que sabia algum podre

2- Foi ameaçado por sua irmã que sabia algum podre

3- É tão consciente de sua virilidade que não se importa em fazer um papel desses

Se a resposta for a número 3, e sabendo que o vídeo é de 2009, o Gustavo deve estar uma graça hoje em dia. Cadê meus leitores detetives para encontrar Gustavo?


Gustavo Delicinha encontra o livro do mago Clow enquanto a história é narrada por uma garota imitando a voz do Netotin. Esse começo parece uma apresentação de slides no PowerPoint, então a qualquer momento você sente que vai dormzzzzzzzz


Como cosplay não tá fácil pra ninguém, Gustavo pegou sua amiga, vestiu de Noiva do Kill Bill e colocou orelhinhas de gato e óculos de hipster para parecer otaka. Voilá, temos um Kero-chan!

Os dois conversam como se fossem pessoas andando em um Anime Friends, sabe? Imitando aqueles gritos inesperados e as interjeições desnecessária? Só não reclamo mais porque o som está pior que os primeiros Video Quests, então não preciso entender.


O Kero faz a magia e aparece o báculo para Gustavo, e a arma é um cabo de vassoura. Não estou exigindo grandes orçamentos em um filme caseiro despretensioso, mas fiquei achando que a qualquer momento o protagonista ia botar a vassoura no chão e começar a dançar:


Voltando, aparece um barulho gigante no lado de fora da casa, e você imagina que é um daqueles bichões que apareciam em Sakura Card Captor. E você se pergunta “mas ué, como eles farão os efeitos especiais daquelas criaturas fabulosas”? E a resposta é mais fácil que achar um episódio de reunião do anime em uma casa de banhos:


Eles usaram o mesmo truque safado de Power Rangers de robar as cenas elaboradas do original e trocar as outras por de atores nacionais. Ganhou 7 pontos na categoria Sabanização, Gustavo!


Ai…

…meu…


…KAMI-SAMA! Esse é o melhor dorama do mundo! Sambou de sapatilha em cima de Hana Yori Dango e ainda soltou um “Liberte-seeeee” no fim.

Quero um Gustavo Card Captor pra mim!

One Piece of Constrangimento da Semana

30 out

Para que serve a tecnologia, além de nos fazer ler os mangás horas após o lançamento japonês para embasar nossas críticas aos mangás que não compramos das editoras nacionais? A resposta é simples: para que divulguemos nossa idiotice pelo mundo.

Um grupo de fãs de One Piece of Shit não tinha o que fazer e produziram um live action da abertura 15 do anime. Não precisa nem saber qual é a música, é uma cheia de engrish e frases sem sentido como em qualquer shonen.

A escalação do live action não ficou boa como a minha (relembre aqui), mas IKIMASU ver o que deu no Youtube:


Nem se o figurinista de Code Geass fizesse um live action da abertura de Street Fighter Victory ficaria algo tão cafona desse jeito. É por essas e outras que amamos a proliferação de tekpix no mundo, para que esses momentos sempre apareçam na nossa internet.

(Dica do leitor @dudunaweb)

Da série “Números tirados do rabo”…

29 out

A falta de noção da imprensa especializada (pff), assim como os Power Ups de Bleach, é algo que não tem limites. IKIMASU ver o que deu no site Google Anime:

Em primeiro lugar, odeio todos vocês por nunca terem me mostrado este site MARAVILHOSO. Em segundo lugar, quando vi os 32 milhões de volumes vendidos no Brasil fui só eu que imaginei quase todos os moradores do estado de São Paulo (41 milhões, segundo o censo) indo para as bancas de jornal comprar um volume do mangá da JBC?

Minna, vamos acordar, né? Não dá pra ficar tirando números do cu para fazer posts. Se é pra confiar em números, temos que aceitar apenas as fontes originais.


Tipo o site da assessoria da Ação Magazine, divulgando que o mangá vendeu 12 mil edições no Burajiru, só abaixo de, sei lá, Turma da Mônica Jovem.

Extra! Editor de mangás manda blogueiro se calar!

28 out

Deu no Twitter:

E ainda riu depois.

Voltamos a qualquer momento com outra notícia sensacionalista.

A história da periquita

26 out

Um dia, quando eu era bem criancinha, minha mãe me deu uma lição de moral. Eu havia acabado de fazer xixi no banheiro e, sapeca como toda criança, saí correndo do troninho assim que acabei. Lembro que minha mãe me pegou pelo braço, me deu uns tapas na bunda (que era como funcionava a educação antes da invenção do cantinho da disciplina) e falou aquelas palavras que nunca esqueci:

- Pare de ser apressada! Você precisa limpar o xixi da sua periquita antes de você fazer outra coisa! Volta lá e limpa!

O bom dessa história é que ela pode ser usada para muitos casos, como por exemplo no novo lançamento da Editora Jambô (aquela que imprime 5 cópias de cada livro e vende a um preço maior que o de um carro popular):


Alguém sabe me dizer o nome dessa periquita?

Carminha era fã de Satã Goss

25 out

Deu nos comentários do Mais de Oito Mil:


OPA, COMENTÁRIO ERRADO.

Deu nos comentários do Mais de Oito Mil:


O erro do meu querido leitor foi subestimar a esperança dos tokukus:


O post comentando do sonho da Globo exibir Jaspion só não é melhor da matéria porque o autor é o Mineirinhooo, o muso da seção Plantão do Mineirinhooo.

Só estou decepcionada pela falta daqueles argumentos indefectíveis e da cobrança de taxa, mas não se pode fazer tudo, né?

Mais de Oito Mil Interview – Dih do Chuva de Nanquim

24 out

Em uma bela tarde de sábado encontrei com Dih, dono do site Chuva de Nanquim, para essa esperada entrevista. Esperada por minha parte, que poderia atrelar o nome dele ao meu blog e conseguir muita visitas sem o menor esforço. Fomos a um delicioso restaurante de esquina, localizado no centro da cidade, e pude tirar o meu gravador para registrar esta divertida conversa. Pedi um apetitoso cordon bleu enquanto Dih optou por pegar um bauruzinho. Para beber, uma taça de tubaína para os dois. Ao fim da entrevista, Dih ofereceu pagar, no débito, sua parte (e a de seu harém) da conta. Logo depois fomos juntos ao… ai, peraí que passei do ponto. Ah… bem… IKIMASU para a entrevista!

Mara: Oi, Dih, muito obrigada por participar desta entrevista. Como perguntar sobre o surgimento do Chuva de Nanquim é muito clichê, eu quero saber o que faria você terminar o seu site.

Dih: Eu que agradeço o convite, Mara! Nunca ia imaginar que um dia estaria aqui XD. Enfim, pra te falar a verdade eu já pensei muitas vezes em terminar o site e na maior parte das vezes teve a ver com minha vida pessoal. Às vezes a galera acha que é besteira, mas eu gasto uma grande parte do meu dia me dedicando ao ChuNan. Isso desgasta, cansa e consome meu bom humor muitas vezes. Hoje eu consigo balancear um pouco mais e acabo não ficando tão apertado assim, mas por exemplo, algumas vezes uma notícia “boa” sai bem no dia que eu tenho que estudar pra uma prova do meu curso. PAH. Paro de estudar pra redigir texto. É complicado. Isso sem falar no fato que eu trabalho, então muito conteúdo que sai lá durante a semana vem direto do meu emprego. Acho difícil eu terminar ele hoje porque tenho um projeto formado na minha cabeça, mas com certeza se ele começar a tomar um tempo maior do que já toma, atrapalhar relacionamentos, amizades e etc, acho que não terei muitas alternativas. Espero que isso nunca aconteça, ou pelo menos demore bastante.

Mara: Pronto, vamos voltar ao tradicional. Foi uma surpresa o blog ter ficado tão grande ou você, assim como a Gina Indelicada, sempre soube que o grande sucesso era o seu destino?

Dih: Bem que seria legal se as coisas fossem do tipo “bitch, please, I’m fabulous”, mas não. Na verdade eu comecei o Chuva de Nanquim de uma forma bem bizarra. Eu estava na época de TCC e procurava alguma forma de aliviar a tensão dos trabalhos, além de melhorar meu desenvolvimento de escrita. Sugeriram-me começar um blog e eu iniciei com o Chuva, sem pretensão nenhuma. Tanto que o blog seria inicialmente de diversos assuntos que me interessassem e acabou virando algo para o núcleo “otaku”. Mas foi com o “furo” do relançamento de Sakura pela JBC que a gente começou a ser notado mais. Foi bacana, mas inesperado.

Mara: Vamos falar de bastidores. Quantos testes do sof… quer dizer, já aconteceu alguma merda nos bastidores? Ameaça de processo, essas coisas?

Dih: Olha, sinceramente nunca aconteceu nada assim não. No máximo um leitor doido ou outro falando “vou te matar por falar mal do meu anime favorito, seu feio” ou alguma coisa do tipo. Ainda estou livre dos processos. Ainda.

Mara: Como você analisa a imprensa especializada (pff) brasileira atual? Acha que tá boa ou considera que as pessoas deveriam ser mais críticas e fazer resenhas que se pareçam menos com descrição de amigo secreto da firma?

Dih: Eu acho isso muito relativo. Se considerarmos como base os blogs e sites americanos, estamos muito atrás. Estagnados há anos, praticamente. Nesse último ano tivemos um crescimento muito grande desse tipo de material e isso foi muito bom. Acho que acima de tudo devemos escrever sobre aquilo que gostamos, não importa se seja material alternativo, mainstream ou qualquer coisa do tipo: público vai ter. Sempre. Pensando por esse lado, acho que a tal “imprensa especializada” tá boa, mas ainda tá em crescimento. Todo mundo tem que melhorar um pouco mais, se especializar naquilo que gosta. E não falo em fazer resenhas críticas ou não – acho isso muito opcional e pessoal – e sim no quesito de conhecer sobre o que está falando. O restante acontece naturalmente. Se você conhece e domina o que você quer falar, o restante do texto sai fluente, não fica o tal “descrição de amigo secreto” como você mesmo disse. Claro que sempre vai ter um ou outro pra falar que tá ruim, mas isso faz parte. Resumindo: Tá bom, mas dá pra melhorar. E claro que me coloco nesse meio.

Mara: Os sites informativos mataram as revistas de animes. Como um dos assassinos, você acha que revista especializada tem espaço ainda no mundo?

Dih: Complicado. Acho que o espaço é mínimo, mas ainda deve existir (ou a Escala já teria acabado com a Neo Tokyo há tempos). O problema é que antigamente não tínhamos muitas opções. Sabíamos notícias do Japão de mês em mês, líamos um monte de sinopses com spoilers nas revistas, guias de episódio. Era isso ou nada. Hoje não. Com a internet você tem muito mais liberdade em buscar o conteúdo que você quer, como quer, de quem quer, e de “graça”. Isso sem falar que hoje em dia a gente tem mangá a rodo nas bancas e os fansubs e DVDs piratas não passam nem perto da dificuldade das VHS de antigamente. Então pode rolar uma revista bacana ainda? Pode. Mas tem que ter um belo planejamento ou vai ser mais uma [coloque o nome de uma revista cancelada aqui] [Comentário da Mara: Me recuso a comentar uma revista cancelada neste post só para me comprometer]da vida.

Mara: O Chuva de Nanquim nunca tentou ser imparcial, e você dá uns puxões de orelha em algumas editoras. Te pergunto se alguma vez você amenizou alguma crítica só porque a editora é atenciosa com o seu blog.

Dih: Se fosse por ser atenciosa eu deveria dobrar o número de críticas, isso sim. XD Tá, brincadeira, eu até tenho uma relação bem legal com as editoras hoje. Mas nunca amenizei em algo por isso. Tenho amigo dos “dois lados” e nem por isso deixo de falar o que penso. Eu acho que amenizo mais quando é um título que eu gosto muito, isso com certeza acontece (embora eu tente me controlar e controlar o resto da galera que escreve lá também).

Mara: É hora do Bate-Bola do Jornalismo Coxinha.Eu vou falar alguns sites concorrentes e você é OBRIGADO a falar algum ponto positivo deles. Valendo!

*Jbox: Foi minha inspiração, serve como ponto positivo? Acho os caras com a melhor dinâmica com o público entre os blogs e sites brasileiros. Acredito que metade da galera que rola hoje em dia lê ou lia o Jbox frequentemente.

*Animepró: Já foi o site mais atualizado e que eu mais acessava durante o dia.

*Henshin: Herdou a fama da revista e manteve o mesmo tipo de material que eu sempre curtia no material impresso. Além disso tem a vantagem de ser ligado a JBC, então tem todo o conteúdo da editora ao seu dispor.

*Aquele site que fala sobre Anime, mangá e TV: Conteúdo diversificado.

*Mais de Oito Mil: Me entrevistou. Ganha muitos pontos por isso. Tirando que é o único blog que fala mal de qualquer coisa sem se importar com a opinião alheia.

Mara: Muito obrigada pela entrevista. Acho que é uma boa introdução àquele nosso projeto de transformar o Mais de Oito Mil em uma seção semanal do Chuva de Nanquim e acabar com este blog. Peço que dê uma palavra de carinho aos meus leitores e me humilhe dizendo suas visitas até o atual momento.

Dih: Não era pra falar de nosso projeto ainda, poxa. Tsc tsc. Enfim, novamente agradeço o convite da entrevista e espero não ter falado muita porcaria. O mais legal é esperar pra ver como ela vai ser publicada. Tudo que posso falar é que o Mais de Oito Mil continua sendo um dos poucos blogs que continuo acompanhando diariamente e já devo ter comentado isso em outras ocasiões. E os comentários são sempre a melhor parte de todas. Quanto ao número de visitas, acho melhor deixa pra lá pra não alongar demais a entrevista, sabe como é, né? É de mais de mais de oito mil! XD

Segundo Tempo da partida! Cavaleiros do Zodíaco Ômega tem uma nova abertura! Exclusivo! Site Mais de Oito Mil faz uma análise detalhada desta nova abertura! Ela veio para revolucionar!….. !!!!!!!!!!

23 out

Saint Seiya Omega só serve para duas coisas: dar pauta do site dos Cavs e para as pessoas terem um nostalgismo maior da já hypada série clássica. E a série ruim que todo mundo assiste ganhou uma nova abertura, porque ninguém merece ouvir Pegasus Fantasy toda semana, não é mesmo minna? IKIMASU ver a abertura:

Como provavelmente este vídeo estará fora do ar até a publicação do post (já que a Toei prefere gastar tempo tirando vídeo do Youtbe ao invés de licenciar séries para este buraco de país), preparei imagens explicando os melhores momentos dessa abertura que, igual as capas de Turma da Mônica Jovem, mostram uma coisa bem mais legal que o conteúdo em si.


Como a série precisa atrair o fã babão da clássica, logo no começo já colocam o Hyoga fazendo aqueles exercícios de pilates que ele chama de golpe e o Shiryu cego. Porque né, ver que o Shiryu perdeu a visão deve ser tão comum quanto ver a sua avó colocando um Salompas nas costas.

E o Shun de costas, porque tem que atrair as yaoizeras que ficam shipando o elenco, né?

Os cavs são apresentados em cenários de jogos de luta, menos esse que tá perdido no meio do elenco daquele joguinho de DS, o Feel the Magic.

Tem a mulher que quer pegar o lugar de surtada da nossa querida Hilda de Polaris.

Pra chamar a atenção do Burajiru, uma cena foi gravada aqui na Liberdade. Ou será que é no cenário da Chun-Li de Street Fighter II?

Claro que tem luta com Cavaleiros de Ouro, mas não consegui achar nenhum frame que mostrasse eles lutando porque a Toei não trabalha com personagens se golpeando, só há cenas de cada um fazendo suas dancinhas pra soltar golpe e aí é só desenhar um flash pra simbolizar o choque.

E a pose final, porque aqueles wallpapers da equipe do site dos cavs precisam sair de algum canto, né?

Coluna da Ba-Chan – anime ta com td! Evento em td canto!

22 out

Minna-chan konnichiwa! Barbara-chan desu! hayaku shimasai, coluna da ba-chan no ar! Esses meses de curso de japones tao me fazendo bem pq eu ja sei ler o q ta escrito na faixa dessa imagem da minha coluna. BUCHIYOU.

Eu discordo qndo minha prima mara fica falando q o mercado d anime do brasil eh uma merda. soh se for uma merda na kbeça dela. anime eh tao sucesso q esse fim de semana a gente teve 2 eventos d anime ultralegais.

Teve a fest comix pra comrpar manga velho e teve o anime fantasy do pokemon pra ver esse anime q marcou nossa infancias. Eh mto bom ter dois eventos concorrentes no msm dia pq a gnte tem mto mais variedade. a gente fica meses sem ter evento de qualidade e ai em um fi mde semana a gente tem 2.

e se minha prima vinher fala q nao eh sucesso ter dois eventos no msm dia eu vou perguntar pra ela se sucesso eh ter um blog q ngm mais visita.

Deixei no ar.

Reflitão.

Atenção! Este é o post mais Vergonha Alheia do Mais de Oito Mil! Entre por sua conta e risco!

21 out

Nesses quase três anos de Mais de Oito Mil eu já passei por muitos posts constrangedores. Já falei de sites que escrevem como o Páçaro da Dislexia, já tratei de celebridades da otakusfera na televisão e idolatrei o sensacional Homem-Alface do Rola ou Enrola (relembre esse momento aqui). Mas nada, juro por Kami-Sama, me constrangeu tanto quanto esta galeria de fotos que me enviaram por email.

Mais chocante que a notícia da internação do Niemeyer, o perfil do Facebook da Ação Magazine fez uma galeria de fotos para mostrar que, ao contrário do roteiro em La Storia della Arcana Famiglia, a revista existe.

Se você aguenta fortes emoções, IKIMASU ver o melhor dessa galeria:


A revista existe e já está na estante ao lado dos outros lançamentos da editora. Como bom otaku, a revista foi organizada de trás pra frente. E como bom otaku, o cara do design surtou e mudou tudo na lombada da revista. Além de colocar o mascote (É um gato? É um tigre? É aquela batata japonesa?), eles estão tão certos que vão atrasar a quarta edição mais um ano que assumiram a periodicidade anual da revista colocando só um “2012” na parte da data.


Não sou especialista em discurso fotográfico, mas eu acho engraçado como convenientemente a capa mostrando o mangá cancelado Rapsódia sendo tapado pela primeira edição. E eu estou ansiosa pra ver como vão explicar para os leitores que o mangá foi cancelado por causa de um barraco entre os editores (relembre aqui). Será que vão publicar o B.O. no editorial da revista que nem na Animax?

Eu fiquei enrolando vocês até agora, mas vamos para A FOTO dessa galeria. Prontos?


Estou parada aqui há 15 minutos tentando achar uma frase que represente o que eu senti vendo esta foto, mas só cheguei num “quem salvará nossos filhos?”. Vamos tentar interpretar o que tá rolando: há um homem com uma máscara de ET sentado numa cadeira de quiosque de praia lendo a terceira edição. Eu ia começar a falar as gracinhas de sempre, mas um comentário da foto conseguiu reparar em coisas que nem eu havia notado.


Patrocínios? A EDIÇÃO DE 2013 ESTÁ GARANTIDA, MINNA!!!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 3.095 outros seguidores